Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Lições do meu primeiro curso online

15 de janeiro de 2013 0

Apesar de ser toda entusiasta do mundo digital, até recentemente eu nunca tinha feito um curso online, desses com diploma e tudo. Quitei essa minha dívida com a internet agora no final de 2012. O curso, oferecido pelo Centro Knight de Jornalismo para as Américas da Universidade de Texas, era sobre cibersegurança.

Discutimos ferramentas que deviam fazer parte da vida de qualquer internauta preocupado com privacidade e censura online. A começar pelo browser Tor (download em www.torproject.org), uma referência quando se fala em navegação anônima na internet. A ideia é que você possa navegar sem deixar rastros, como o seu endereço IP, e assim acessar conteúdos bloqueados para a sua região. É útil para situações em que privacidade é chave, mas não para o dia a dia, pois a navegação é um tanto lenta.

O curso enfatizou a importância de criptografia. Fomos então apresentados ao Crypto.cat, uma ferramenta de chat que criptografa a comunicação entre os seus usuários. Ou seja, a mensagem é transmitida de forma cifrada, assim não será facilmente entendida se for interceptada. O Crypto.cat (imagem ao lado) funciona pelo browser e é uma boa para quem precisa anonimato já que não requer cadastro. Basta criar uma sala de bate-papo e informar esse nome à pessoa com quem você vai conversar.

Outra opção para mensagens instantâneas criptografadas é o Jitsi, um programinha que pode ser baixado em jitsi.org. Tem a vantagem de agregar em um lugar só contas de vários mensageiros, como MSN, Google Talk e Facebook chat.

Para segurança no email, tem o VaultletMail, que pode ser baixado em www.valeso.com/products/vaultletmail.html. A ferramenta não apenas criptografa as suas mensagens como permite determinar se o e-mail poderá ser impresso, encaminhado ou até quantas vezes o destinatário poderá lê-lo.

Quando se fala em compras pela internet, uma dica básica é sempre certificar se a troca de dados entre o seu browser e o site é criptografada (se o endereço começa com HTTPS). O que muita gente não sabe é que muitos sites que não lidam com seus dados financeiros também oferecem conexões seguras, só que não por padrão, o que dificulta o uso. Por isso vale a pena baixar a extensão a “HTTPS Everywhere” (www.eff.org/https-everywhere), disponível para Chrome e Firefox, que automaticamente redireciona o usuário para conexões HTPPS quando o site acessado oferece esse tipo de segurança.

*Texto da minha coluna desta semana na ZH impressa. Crédito da imagem: reprodução

Bookmark and Share

Envie seu Comentário