Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Fazia tempo que eu não via um app com tanto potencial quanto este aí

24 de janeiro de 2013 0

Volta e meia surge um app querendo fazer pelo mundo dos vídeos o mesmo que o Instagram fez pelo compartilhamento de fotos na internet. Até então, nenhum serviço do tipo emplacou para valer, mas esse jogo está prestes a virar com o Vine, lançado nesta quinta-feira pelo Twitter. Fazia tempo que eu não me empolgava tanto com um app quanto por este aí:

.
Crédito: reprodução

O que ele permite fazer é criar vídeos curtos (de até seis segundos) em loop. É inevitável a comparação com os GIFS  animados, por si só uma febre na internet. Para entender melhor, nada como ver o Vine em ação. Este aí foi meu post de estreia lá:

O Vine é mais que um aplicativo para postar vídeos no Twitter e no Facebook, pois funciona como uma rede social paralela, onde você pode seguir pessoas, curtir e comentar vídeos na timeline. Por enquanto, está disponível apenas para iPhone e iPod Touch.

O que mais chamou a minha atenção no serviço foi a simplicidade de uso. O foco ali é o que está acontecendo no momento. Ou seja, não dá para pegar vídeos que já estejam armazenados no seu telefone.

Quando você clica no ícone da câmera para criar um vídeo, aparece uma tela como esta aí ao lado. Você enquadra e basta colocar o seu dedo sobre a imagem para começar a gravar. Quando você tira o dedo, a gravação para, e então você pode reposicionar a câmera em outro lugar. É assim que se “edita” o vídeo misturando cenas diferentes, para um resultado como o do post abaixo. Tudo muito simples.

Também curti que não tem essa de precisar ficar clicando em “play” para ver os vídeos na timeline.

Sempre achei um dos motivos pelos quais serviços querendo ser o “Instagram dos vídeos” não se tornavam megapopulares é que vídeo não tem a simplicidade de uma foto, além de exigir movimento e mais tempo tanto para fazer quanto para assistir. O Vine oferece uma combinação promissora: o limite de seis segundos e a facilidade de juntar cenas (mesmo que sejam imagens um tanto paradas).

Bookmark and Share

Envie seu Comentário