Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Doze surfistas vão brigar pelo título de campeão brasileiro da temporada 2012 da ABRASP

30 de outubro de 2012 0

Messias Félix = Foto: Fabriciano Junior

Cearense Messias Felix pode conseguir o bicampeonato se vencer o Oakley Pro válido pelo Circuito Catarinense nos dias 09 a 11 de novembro em Imbituba

Apenas doze surfistas vão brigar pelo título de campeão brasileiro da temporada 2012 da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP). A decisão será nas duas últimas etapas do Oakley Pro 2012, válidas pelo Circuito Catarinense, em Imbituba e Florianópolis nos meses de novembro e dezembro. O cearense Messias Felix é o único que pode confirmar o seu segundo troféu de número 1 do Brasil já na penúltima etapa do ano, nos dias 09 a 11 de novembro em Imbituba. Ele repete o feito de 2009 se conseguir a vitória na Praia da Vila.

Seus principais concorrentes são os cariocas Leandro Bastos e Gustavo Fernandes, que também tenta repetir o seu título conquistado em 2008. Além deles, também têm chances matemáticas de ser campeão brasileiro, após o resultado do Maresia Paulista de Surf Pro encerrado no domingo em Guarujá (SP), o já bicampeão Renato Galvão e os também paulistas Ricardo Ferreira e Flavio Nakagima, o catarinense Guilherme Ferreira, o paranaense Caetano Vargas, o potiguar Alan Jhones, o cearense Antonio Eudes e os baianos Bruno Galini e Rudá Carvalho.

Cada bateria que passar, Messias Felix vai tirando concorrentes da briga pelo título. Se ficar em terceiro em sua bateria nas oitavas de final, o cearense já elimina Rudá Carvalho. Se passar para as quartas de final, acaba com as chances de Alan Jhones e também de Antonio Eudes caso perca em terceiro lugar na bateria. Se for semifinalista, tira Flavio Nakagima. E se passar para a final em Imbituba, saem da disputa Caetano Vargas, Bruno Galini e Ricardo Ferreira, restando apenas quatro adversários com chances matemáticas, Leandro Bastos, Gustavo Fernandes, Renato Galvão e Guilherme Ferreira.

O cearense vem conseguindo uma campanha impressionante nas últimas etapas regionais válidas pelo ranking da ABRASP, que decide o campeão brasileiro da temporada. Ele foi vice-campeão na etapa do Oakley Pro na Prainha de São Francisco do Sul (SC), depois venceu as do Maresia Paulista Pro na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), e do Mahalo Pernambuco Summer Festival na Praia do Cupe, em Ipojuca (PE). E no último fim de semana, foi até as semifinais da última etapa do circuito Maresia Paulista Pro. Com o sétimo lugar na Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP), abriu 1.030 pontos de vantagem sobre o vice-líder, Leandro Bastos.

Mesmo que não vença o Oakley Pro em Imbituba, Messias Felix pode conseguir o bicampeonato por antecipação, antes da última etapa nos dias 06 a 09 de dezembro na Praia do Campeche, em Florianópolis, se ocorrerem as combinações abaixo, conforme o resultado do cearense que lidera o ranking da ABRASP com 6.213 pontos:

1.o: Messias será consagrado campeão brasileiro de 2012 se vencer o Oakley Pro Imbituba

2.o: se ficar em segundo lugar, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não vencerem a etapa

3.o: se ficar em terceiro, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não ficarem em segundo lugar no mínimo e Renato Galvão e Guilherme Ferreira não vencerem a etapa

4.o: se ficar em quarto na final, a situação é a mesma do que terminar em terceiro lugar

5.o: se ficar em quinto nas semifinais, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não terminarem entre os três primeiros na final em Imbituba, se Renato Galvão e Guilherme Ferreira não ficarem em segundo ou primeiro e se Caetano Vargas e Ricardo Ferreira não vencerem a etapa

7.o: se ficar em último na sua bateria na semifinal, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não passarem para a final, se Renato Galvão, Guilherme Ferreira e Caetano Vargas não ficarem entre os dois primeiros colocados e se Bruno Galini e Ricardo Ferreira não vencerem a etapa

9.o: se perder nas quartas de final e ficar em nono lugar, será campeão se Gustavo Fernandes não passar para as semifinais, se Leandro Bastos não ficar no mínimo em quinto lugar, se Renato Galvão não terminar entre os três primeiros na final, se Guilherme Ferreira e Caetano Vargas não ficarem entre os dois primeiros e se Bruno Galini, Ricardo Ferreira e Flavio Nakagima não venceram a etapa de Imbituba

13.o: se ficar em último na sua bateria das quartas de final, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não passarem para as semifinais, se Renato Galvão não for um dos quatro finalistas, se Guilherme Ferreira não ficar entre os três primeiros, se Caetano Vargas e Ricardo Ferreira não terminarem entre os dois primeiros e se Bruno Galini, Antonio Eudes e Flavio Nakagima não vencerem a etapa

17.o: se ficar em terceiro lugar na sua bateria das oitavas de final, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes perderem em nono lugar nas quartas de final, se Renato Galvão e Guilherme Ferreira não chegarem na grande final, se Caetano Vargas não terminar entre os três primeiros, se Bruno Galini, Ricardo Ferreira e Flavio Nakagima não ficarem entre os dois primeiros e se Alan Jhones e Antonio Eudes não vencerem o campeonato

25.o: se ficar em último na sua bateria das oitavas de final, será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não passarem para as quartas de final, se Renato Galvão e Guilherme Ferreira não conseguirem no mínimo um quinto lugar nas semifinais, se Caetano Vargas não for um dos finalistas, se Bruno Galini, Ricardo Ferreira e Flavio Nakagima não ficarem entre os dois primeiros e se Alan Jhones, Antonio Eudes e Rudá Carvalho não vencerem

33.o: se terminar em 33.o lugar, mesmo não chegando nas oitavas de final será campeão se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não conseguirem um 17.o lugar nas oitavas, se Renato Galvão não passar para as semifinais, se Guilherme Ferreira não ficar no mínimo em quinto lugar, se Caetano Vargas não for um dos quatro finalistas, se Ricardo Ferreira não ficar entre os três primeiros, se Bruno Galini, Antonio Eudes e Flavio Nakagima não serem vice-campeão no mínimo e se Alan Jhones e Rudá Carvalho não vencerem o Oakley Pro em Imbituba

49.o: até ficando em último na rodada classificatória para as oitavas de final, Messias Felix fatura o título brasileiro de 2012 se Leandro Bastos e Gustavo Fernandes não ficarem no mínimo em terceiro nas suas baterias das oitavas de final, ou em 17.o lugar, se Renato Galvão e Guilherme Ferreira não chegarem nas semifinais, se Caetano Vargas não ficar em quinto lugar, se Bruno Galini e Ricardo Ferreira não ficarem entre os três primeiros, se Alan Jhones, Antonio Eudes e Flavio Nakagima não serem vice-campeões e se Rudá Carvalho não vencer a etapa

RANKING BRASILEIRO DA ABRASP – após a 11.a das 13 etapas regionais de 2012:
1.o: Messias Felix (CE) – 6.213 pontos
2.o: Leandro Bastos (RJ) – 5.183
3.o: Gustavo Fernandes (RJ) – 5.105
4.o: Renato Galvão (SP) – 5.075
5.o: Guilherme Ferreira (SC) – 4.855
6.o: Bruno Galini (BA) – 4.680
7.o: Caetano Vargas (PR) – 4.650
8.o: Alan Jhones (RN) – 4.648
9.o: Antonio Eudes (CE) – 4.593
10: Ricardo Ferreira (SP) – 4.530
11: Rudá Carvalho (BA) – 4.470
12: Flavio Nakagima (SP) – 4.268
13: Marco Fernandez (BA) – 4.100
14: Halley Batista (PE) – 4.070
15: Cesar Aguiar (PE) – 3.900
16: Odirlei Coutinho (SP) – 3.895
17: Jorge Spanner (RJ) – 3.660
17: Nathan Brandi (SP) – 3.660
19: Edvan Silva (CE) – 3.570
20: Magno Pacheco (SP) – 3.370
- mais 86 surfistas pagaram a taxa de filiação na ABRASP para entrar no ranking de 2012

João Carvalho – Assessoria de Imprensa da ABRASP

Envie seu Comentário