Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Peruano Alvaro Malpartida vence o Maui and Sons Arica Pro 2013 no Chile

16 de junho de 2013 0

O peruano Alvaro Malpartida, 30 anos, é o novo campeão do Maui and Sons Arica World Star Tour apresentado pela Monster Energy e pela Sony. Na bateria final, ele bateu o defensor do título da etapa do ASP 3-Star do Chile, Anthony Walsh, 30, da Austrália. A vitória foi garantida com a nota 6,67 da sua última onda surfada nos tubos de El Gringo, que virou o placar para 13,00 a 11,50 pontos. O peruano faturou o prêmio máximo de 8 mil dólares e saltou da 319.a para a 125.a posição no ASP World Ranking com os 750 pontos do título em Arica. O australiano ganhou 4 mil dólares e marcou 563 pontos pelo vice-campeonato, subindo do 208.o para o 122.o lugar no ranking mundial unificado da ASP.

“Esta onda (El Gringo) é a que eu mais gosto no mundo”, afirmou Alvaro Malpartida. “A verdade é que eu não tenho palavras para descrever o que estou sentindo agora, mas é um dos melhores dias da minha vida. É incrível ganhar um campeonato com tubos como estes e bater o Anthony (Walsh), que é um mestre em ondas grandes, depois de ele ter vencido o Gabriel (Villaran), que também é um monstro nessas esquerdas. Teve o Marco Giorgi ainda muito bem e outros que surfaram altas ondas nessa semana. Também fiquei realmente emocionado com o carinho das pessoas aqui gritando pra mim: ‘Vamos Alvaro’. Obrigado a todos”.

Alvaro Malpartida campeão nos tubos de El Gringo (Foto: Pablo Jimenez)

O campeão surfou ótimos tubos nas três baterias que disputou nas séries de 4-6 pés do sábado decisivo em El Gringo. Nas quartas de final, fez o maior placar do último dia para derrotar a grande surpresa do Desafio de Arica esse ano, o brasileiro Igor Moraes, de apenas 16 anos de idade. O peruano ganhou nota 9,7 em sua melhor onda e totalizou imbatíveis 18,07 pontos de 20 possíveis com o 8,37 recebido no outro bom tubo surfado na bateria.

Depois, Malpartida enfrentou o uruguaio Marco Giorgi, 25 anos, que tinha surfado um tubaço sensacional nas quartas de final que mereceu a maior nota do dia: 9,83. Foi quando ele tirou o último chileno da disputa do título, o nota 10 da sexta-feira, Manuel Selman, 24. O uruguaio também pegou um tubão nota 9,53 contra Alvaro Malpartida na semifinal, mas faltou outra onda consistente para somar no resultado. O peruano ganhou a última vaga na grande final com notas 7,83/7,23/8,13 em três tubos seguidos, vencendo o duelo mais disputado do dia por 15,96 a 14,36 pontos.

Na grande final, Anthony Walsh também surfou a melhor onda e igualmente ficou precisando de uma segunda nota boa para somar com o 7,5 desse tubo. Mesmo assim, o australiano estava confirmando o bicampeonato no Chile, até a virada de Alvaro Malpartida com a nota 6,67 da sua última apresentação na bateria. O peruano já tinha um 6,33 em outro tubo mais rápido e atingiu exatos 13 pontos para superar os 11,50 de Anthony Walsh.

“Estou feliz por ter chegado em mais uma final aqui e o segundo lugar é um bom resultado também”, disse Anthony Walsh. “Feliz também pelo Álvaro (Malpartida), que tinha se ferido e mereceu conquistar o título na final. Em uma onda como essa, você já sabe que sempre pode sair com um corte, machucado ou ferido, porque é bem perigosa mesmo”.

O australiano Anthony Walsh chegou perto do bicampeonato (Foto: Pablo Jimenez)

Esta foi a segunda vitória de um peruano nas ondas desafiadoras de El Gringo. A outra foi conquistada em 2009 por Gabriel Villaran, 28 anos, última vítima do australiano no sábado. Os dois se enfrentaram nas semifinais e Anthony Walsh levou a melhor por uma pequena diferença no placar encerrado em 11,87 a 11,50 pontos. Villaran dividiu o terceiro lugar no pódio com o uruguaio Marco Giorgi, com cada um recebendo 2.300 dólares e 422 pontos.

RECORDE HISTÓRICO – Eliminados nas quartas de final que abriram o sábado, os brasileiros Igor Moraes, 16 anos, e Yan Daberkow, 18, o chileno Manuel Selman, 24, e o peruano Martin Jeri, 18, terminaram em quinto lugar com 1.500 dólares e 316 pontos. O número de seis países diferentes entre os oito finalistas de uma etapa do ASP World Star é inédito na história do Circuito Mundial. O fato foi destacado pelo Tour Manager da ASP, Al Hunt.

Aliás, o dirigente australiano já havia alertado que na sexta-feira o Maui and Sons Arica World Star Tour também registrou um recorde histórico das séries qualificatórias para a divisão de elite do ASP World Tour. Segundo Al Hunt, foi a primeira vez que a fase dos dezesseis finalistas foi disputada por surfistas de oito países diferentes como aconteceu em Arica, com representantes dos Estados Unidos, Austrália, Havaí, Brasil, Chile, Peru, Uruguai e Equador.

ASP SOUTH AMERICA SURF SERIES 2013 – O Maui and Sons Arica World Star Tour apresentado pela Monster Energy e Sony também foi válido como a quarta etapa do ASP South America Surf Series 2013. Este circuito define o campeão sul-americano profissional da temporada e é formado pelos resultados das etapas do ASP Prime e ASP Star realizadas na América do Sul, organizadas pelo escritório regional da ASP South America.

Alvaro Malpartida campeão nos tubos de El Gringo (Foto: Luis Barra)

A abertura do calendário 2013 aconteceu na estreia do Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata, que foi vencido pelo brasileiro Jihad Khodr. A segunda etapa foi o Quiksilver Saquarema Prime apresentado pela Coca-Cola nas grandes ondas da Praia de Itaúna, onde o campeão foi o australiano Mitchel Coleborn. Por não ser da América do Sul, ele não participa do ranking sul-americano. Depois vieram as duas etapas seguidas agora no mês de junho.

Na semana passada, aconteceu mais uma estreia no calendário da ASP South America, o Rip Curl Pro Piedras Negras Ilo Moquegua no Peru que terminou com vitória do argentino Santiago Muniz. E no Maui and Sons Arica World Star Tour apresentado pela Monster Energy e Sony deu Peru no alto do pódio, com Alvaro Malpartida impedindo o bicampeonato do australiano Anthony Walsh na grande final.

FINAL DO ASP 3-STAR MAUI AND SONS ARICA WORLD STAR TOUR:

Campeão: Alvaro Malpartida (PER) com 13,00 pontos (notas 6,67+6,33) – US$ 8.000 e 750 pontos

Vice-campeão: Anthony Walsh (AUS) com 11,50 pontos (7,50+4,00) – US$ 4.000 e 563 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 2.300 e 422 pontos:

1.a: Anthony Walsh (AUS) 11.87 x 11.50 Gabriel Villaran (PER)

2.a: Alvaro Malpartida (PER) 15.96 x 14.36 Marco Giorgi (URU)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 1.500 e 316 pontos:

1.a: Anthony Walsh (AUS) 12.34 x 12.00 Yan Daberkow (BRA)

2.a: Gabriel Villaran (PER) 16.43 x 7.37 Martin Jeri (PER)

3.a: Marco Giorgi (URU) 15.40 x 10.50 Manuel Selman (CHL)

4.a: Alvaro Malpartida (PER) 18.07 x 9.44 Igor Moraes (BRA)

G-10 DO ASP WORLD RANKING – 15 etapas – 4 do WCT + 2 Prime + 9 do ASP Star:

1.o: Kelly Slater (EUA) – 20.000 pontos

2.o: Adriano de Souza (BRA) – 19.843

3.o: Jordy Smith (AFR) – 17.200

4.o: Joel Parkinson (AUS) – 17.080

5.o: Josh Kerr (AUS) – 15.525

6.o: Mick Fanning (AUS) – 14.816

7.o: Sebastian Zietz (HAV) – 13.734

8.o: Adrian Buchan (AUS) – 13.675

9.o: Nat Young (EUA) – 13.086

10: Taj Burrow (AUS) – 12.080

11: Filipe Toledo (BRA) – 12.023

12: Julian Wilson (AUS) – 11.505

13: C. J. Hobgood (EUA) – 11.177

14: Gabriel Medina (BRA) – 10.725

15: Michel Bourez (TAH) – 10.500

16: Jeremy Flores (FRA) – 10.400

17: Mitchel Coleborn (AUS) – 9.666 – 1.o do G-10

18: Raoni Monteiro (BRA) – 8.875 – 2.o do G-10

19: Matt Wilkinson (AUS) – 8.843 – 3.o do G-10

20: Kolohe Andino (EUA) – 8.794

21: John John Florence (HAV) – 8.500

22: Dusty Payne (HAV) – 7.888 – 4.o do G-10

23: Dion Atkinson (AUS) – 7.596 – 5.o do G-10

24: Willian Cardoso (BRA) – 7.540 – 6.o do G-10

25: Marc Lacomare (FRA) – 7.420 – 7.o do G-10

26: Glenn Hall (IRL) – 7.344 – 8.o do G-10

27: Brett Simpson (EUA) – 7.180

28: Aritz Aranburu (ESP) – 6.840 – 9.o do G-10

29: Adam Melling (AUS) – 6.450 – 10.o do G-10

Fonte: ASP South América

Envie seu Comentário