Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Alejo Muniz no alto do pódio em Newcastle

22 de fevereiro de 2015 0

O catarinense Alejo Muniz festejou o seu 25.o aniversário no alto do pódio do tradicional Surfest de Newcastle realizado em homenagem ao tetracampeão mundial Mark Richards na Austrália. A vitória sobre o australiano Jack Freestone, 22 anos, na grande final do World Surf League QS 6000 Burton Automotive Pro, foi a quinta do Brasil nos 30 anos da história do evento e valia a vice-liderança no ranking do WSL Qualifying Series 2015. Antes de faturar o prêmio máximo de 25 mil dólares, Alejo ganhou uma semifinal verde-amarela com o carioca Pedro Henrique, 32 anos, que dividiu o terceiro lugar em Merewether Beach com o campeão mundial Joel Parkinson, 33. Esta foi última etapa australiana válida pelo ranking que classifica dez surfistas para disputar o título mundial no Samsung Galaxy World Championship Tour.

Foto de Steve Robertson / WSL

Alejo Muniz (BRA) de Bombinhas , começa o ano com vitória para recuperar sua vaga na WSL 2016 – Foto de Steve Robertson / WSL

O australiano Jack Freestone chegou confiante na decisão do Burton Automotive Pro depois de barrar nas semifinais o grande favorito ao título, Joel Parkinson. Ele já começou forte, repetindo seu ataque aéreo que rendeu notas 6,33 e 7,00 nas duas primeiras ondas que surfou na bateria, largando na frente na disputa pelos 6.000 pontos da vitória, que valia o segundo lugar no ranking do WSL Qualifying Series liderado pelo norte-americano Kolohe Andino. Alejo Muniz falhou nas primeiras tentativas e depois surfou duas ondas regulares para entrar na briga com notas 6,50 e 6,20.

O australiano permanecia na frente, porém não conseguiu mais nenhuma onda melhor nas condições difíceis do mar no domingo em Merewether Beach, para aumentar os seus 13,33 pontos. Ao contrário do brasileiro, que nos minutos finais achou uma boa direita para apresentar suas manobras de WCT e assumir a ponta com nota 8,67. Alejo ainda ganhou outro presente no dia do seu aniversário, uma onda melhor ainda para arrancar um 9,73 dos juízes e garantir a vitória com um placar recorde de 18,40 pontos para o Burton Automotive Pro 2015.

Foto de Matt Dunbar / WSL

Alejo rasgando forte rumo a vitória na Austrália – Foto de Matt Dunbar / WSL

Jack Freestone não conseguiu impedir que Alejo Muniz conquistasse a quinta vitória do Brasil em Newcastle esse ano. Alejo repetiu o feito de outros dois catarinenses, Willian Cardoso na decisão brasileira contra o paulista Filipe Toledo em 2012 e Neco Padaratz em 2006. Também já escreveram seus nomes no troféu do Surfest de Newcastle, o paulista Adriano de Souza em 2008 e o niteroiense Guilherme Herdy, que foi o primeiro a levantar a bandeira do Brasil no alto do pódio em Merewether Beach na temporada de 1996.

MUDANÇAS NO G-10 – Integrante da elite mundial do WCT até o ano passado, Alejo Muniz começou bem a batalha para recuperar sua vaga pelo G-10 do WSL Qualifying Series na “perna australiana”. Ele e o experiente Pedro Henrique, que está voltando a disputar o circuito mundial depois da mudança para Portugal, foram dois dos cinco surfistas que entraram na lista dos dez primeiros colocados no ranking com seus resultados no WSL QS 6000 de Newcastle. Os outros foram os australianos Jack Freestone e Brent Dorrington e o norte-americano Evan Geiselman.

Entre os cinco que saíram da zona de classificação para o WCT em Newcastle, dois eram do Brasil, o paulista Jessé Mendes e o cearense Michael Rodrigues, que foram substituídos por Alejo Muniz e Pedro Henrique. Já as outras três vagas eram dos havaianos John John Florence, que não competiu nas duas etapas do WSL QS 6000 da Austrália e Fredrick Patacchia e Mason Ho, que perderam logo em suas estreias no Burton Automotive Pro.

Foto de Hayden-Smith / WSL

Com o troféu de Campeão em Homenagem ao tetra campeão mundial Mark Richards – Foto de Hayden-Smith / WSL

DOMÍNIO BRASILEIRO – A histórica trigésima edição do Surfest Newcastle foi dominada pelos brasileiros. No domingo passado, o paulista Deivid Silva conquistou o título da categoria Pro Junior e foi uma das surpresas do evento principal, se destacando desde as primeiras fases até parar em Joel Parkinson no duelo das quartas de final que abriu o domingo decisivo em Merewether Beach. O atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America chegou no último dia em décimo lugar no G-10 do Qualifying Series, mas foi ultrapassado por Pedro Henrique quando o carioca derrotou o australiano Brent Dorrington na terceira bateria do dia.

PRÓXIMAS ETAPAS – Depois da “perna australiana” do World Surf League Qualifying Series, a próxima disputa por pontos na batalha pelas dez vagas para o WCT será na América do Sul, o WSL QS 1500 Rip Curl Pro Argentina, de 31 de março a 5 de abril na Playa Grande de Mar del Plata. Esta etapa será a primeira organizada pelo escritório da WSL South America e vai abrir a corrida pelo título sul-americano, que agora garante participação nas principais etapas qualificatórias para o WCT da próxima temporada, com status QS 6000 e QS 10000.

—————————————————————————————

RESULTADOS DO DOMINGO NO SURFEST DE NEWCASTLE:

FINAL DO WSL QS 6000 BURTON AUTOMOTIVE PRO:

Campeão: Alejo Muniz (BRA) por 18.40 pontos (9.73+8.67) – US$ 25.000 e 6.000 pontos

Vice-campeão: Jack Freestone (AUS) com 13.33 (7.00+6.33) – US$ 12.000 e 4.500 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 5.500 e 3.550 pontos:

1.a: Jack Freestone (AUS) 17.17 x 14.57 Joel Parkinson (AUS)

2.a: Alejo Muniz (BRA) 14.44 x 10.10 Pedro Henrique (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 3.000 e 2.650 pontos:

1.a: Joel Parkinson (AUS) 16.93 x 14.90 Deivid Silva (BRA)

2.a: Jack Freestone (AUS) 15.33 x 13.67 Evan Geiselman (EUA)

3.a: Pedro Henrique (BRA) 13.33 x 12.83 Brent Dorrington (AUS)

4.a: Alejo Muniz (BRA) 17.00 x 12.57 Vasco Ribeiro (PRT)

FINAL DO WSL QS 1000 BURTON AUTOMOTIVE WOMEN´S PRO:

Campeã: Ellie Brooks (AUS) com 12.66 pontos (7.83+4.83) – US$ 2.000 e 1.000 pontos

Vice-campeã: Philippa Anderson (AUS) com 12,66 (6.83+5.83) – US$ 1.000 e 750 pontos

G-10 DO WORLD SURF LEAGUE QUALIFYING SERIES 2015 – 5 etapas:

1.o: Kolohe Andino (EUA) – 8.260 pontos

2.o: Alejo Muniz (BRA) – 7.550

3.o: Jack Freestone (AUS) – 6.050

4.o: Mateia Hiquily (TAH) – 4.620

5.o: Stu Kennedy (AUS) – 4.595

6.o: Ian Gouveia (BRA) – 4.190

7.o: Pedro Henrique (BRA) – 4.160

8.o: Ryan Callinan (AUS) – 3.950

9.o: Brent Dorrington (AUS) – 3.900

10.o: Evan Geiselman (EUA) – 3.710

Fonte – Assessoria de Imprensa da WSL South America

Envie seu Comentário