Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2009

A arte do século XXI em Roma

27 de novembro de 2009 0

Eu queria apresentar aqui uma amiga que já vive em Roma há muito tempo, a Rita Silveira, uma baiana super bem relacionada e que faz do prazer de conhecer os recantos escondidos de Roma, seu trabalho.

A Rita conhece Roma melhor do que muitos romanos e acompanha como guia pessoas que queiram descobrir coisas incriveis ” off the track”. Ela vai estar aqui no blog como nossa colaboradora, mandando as novidades não só de Roma, mas da Itália em termos de Arte, cultura, literatura, etc.

 A Rita nos conta que teve o privilégio de estar entre os seletíssimos convidados da pre inauguração do MAXXI, Museo nazionale delle arti del XXI secolo‎

” Poder viver essa outra dimensão em Roma, foi  muito interessante. A cidade eterna abrigando também o moderno, o contemporâneo e ainda por cima com projeto assinado pela primeira mulher a vencer o Pritzker Prize, o oscar da arquitetura, ZAHA HADID, confira as fotos, vale a pena!!! A inauguração foi com coregrafia de Sasha Waltz , que utilizou todos os espaços do museu…maravilhoso!!!!! Realmente uma pena que eu não seja muito boa em fotografia entao fica muito a desejar e nao se tem minimamente idéia do que foi na realidade. E depois de algum tempo, começaram a proibir tirar fotos dos artistas enquanto faziam a performance.

A inauguração foi com coregrafia de Sasha Waltz.

Obrigada pela grande dica Rita, e para aqueles que estão pensando em ir a Roma e querem aproveitar as coisas mais legais que a cidade tem a oferecer, o contato da Rita é : ritasilveira@ig.com.br

Bienal do Mercosul- uma viagem em Porto Alegre

24 de novembro de 2009 5

Trabalhar com viagens cria no imaginário das pessoas uma aura de férias eternas e contato com o inusitado. É realmente muito prazeroso, principalmente quando estamos abertos a nos deixar “manchar” pelas diferenças que o mundo nos oferece. Mas para isto não é necessário ir muito longe. Estive agora em Berlim e na volta fui direto fazer mais uma visita a nossa Bienal do Mercosul, aqui bem ao alcance da mão nos armazéns do cais do porto. A capital alemã é um exemplo máximo de arte de vanguarda e não há quem não volte de lá meio embriagado de modernidade.

Um exemplo incrível é a Galeria Tacheles, um enorme prédio absolutamente pixado e semi- destruído na II Guerra Mundial ( Orienburger Strasse no Mitte),  foi uma loja de departamentos localizada na antiga Alemanha Oriental ,abriga hoje uma fauna de artistas criando in loco .

O que me intriga é que muitas pessoas que vêem em Berlim uma instigante modernidade não conseguem valorizar a oportunidade de ter uma mostra de vanguarda aqui em Porto Alegre. Será que não poderíamos aprender com a História e lembrarmos que no século XIX  o povo de Paris se indignava ofendido pelas obras dos artistas Impressionistas como Monet, Renoir, Degas?

Vamos nos despir de preconceitos e aproveitar a oportunidade de passear pelo Margs e Armazéns do Cais do Porto até o dia 29 de novembro, nem que seja para desfrutar de um contato mais próximo com nosso querido rio Guaíba, pois só aprendemos a gostar daquilo que conhecemos.

 

 

Para começar por algo bem prosaico, reparem nos carrinhos da ação pedagógica, obras criativas que já fazem parte das mostras e aproximaram as crianças das obras, possibilitando uma interação em cada pavilhão.

O primeiro espaço do cais abriga a Exposição intitulada Absurdo. Ela opera sobre a estranheza e a idéia de instabilidade, mas acima de tudo o pavilhão coberto de areia é uma imagem instigante e oferece um suporte inovador para as manifestações artísticas.

A curadora  Victoria Noorthoorn, consegue nos arrebatar quando fala da mostra Ficções do Invisível, onde os artístas se despem e mostram os passos do processo criativo expondo cruamente aqueles aspectos da produção artística que ficam nos bastidores depois da obra terminada.

Meu espaço predileto é o terceiro pavilhão com a mostra Biografias Coletivas onde os artistas se propõe a um diálogo ativo com a cidade, um trabalho lindo e com belas repercussões para comunidades de Porto Alegre.

Berlim, uma nova casa para Nefertiti.

20 de novembro de 2009 6

Combinamos dar uma esticadinha na viagem até Berlim neste frio novembro para ver a Nefertiti em sua nova morada. O Museu Egípcio de Berlin (Neues Museum ) acaba de ser reinaugurado. A obra de arte mais famosa do seu acervo é o busto de Nefertiti, mulher principal do faraó Akhenaton, de 1380 a.C.

A restauração do museu, que alberga as colecção da Pré-História, a colecção de História Primitiva e a colecção da Antiguidade, esteve a cargo do arquitecto britânico David Chipperfield, durou seis anos e custou 200 milhões de euros.

O reputado arquiteto tentou manter a estrutura e os materiais originais, optando também por deixar os buracos de balas do tempo da guerra na fachada do prédio, só as partes do Museu totalmente irreparáveis foram substituídas. Pela primeira vez desde o início da II Guerra Mundial, em 1939, reconstitui-se assim na sua plenitude o conjunto dos cinco edifícios que albergam valiosas exposições históricas e compõem a Ilha dos Museus de Berlim, declarada pela UNESCO como Património Mundial.

Além disto , quando planejamos a viagem, nem nos demos conta que em 9 de novembro de 2009 seria o aniversário de vinte anos da queda símbolo mais conhecido da cidade : Muro de Berlim. Foi uma feliz coincidência, mesmo chegando alguns dias depois da grande festa , ainda estamos aproveitando o clima de comemoração pelas ruas da cidade.

Berlin está repleta de memoriais e museus relativos ao período em que a cidade ficou dividida entre o mundo Ocidental e Oriental pelo famoso Muro de Berlim (1961-1989). Eu tinha estado por aqui há 10 anos atrás e fora o Museu de Checkpoint Charlie, uma das mais famosas ligações entre os dois lados, tive bastante dificuldade em encontrar informações sobre a localização das fronteiras. Agora a cidade tem marcações de tijolo no chão que indicam o antigo traçado.

Além disto está sendo contruído  o Memorial “Topografia do Terror” local onde  antigamente era a sede da SS e onde os piores crimes foram arquitetados. Como o prédio ainda não está pronto a exposição de fotos e documentos é ao ar livre o que a torna aina mais emocionante. 

Emocionante e desconcertante é o Memorial do Holocausto , localizado ao lado da Porta de Brandenburgo, um dos ícones da divisão da cidade. O Memorial aos Judeus da Europa assassinados pelos nazis, ou Memorial do Holocausto como é conhecido, foi inaugurado em 2005.
Projetado pelo arquitecto Peter Eisenmann, é composto por 2711 lápides de várias dimensões, num espaço equivalente a um campo de futebol onde o piso em várias alturas cria uma instabilidade para quem circula. Os blocos cinzentos não tem qualquer tipo de inscrições, o memorial é completado por um centro de informação subterrâneo, dividido em quatro salas. Aqui se relata o sofrimento dos judeus, durante o Holocausto e se encontram inscritos os nomes de 3,5 milhões de vítimas.

Chegando em Porto Alegre

19 de novembro de 2009 0

Estamos acabando de chegar em POA, mas Deus ouviu minhas preces e esperou nosso avião aterrisar para depois mandar despejar um oceano sobre a cidade, já pensou chegar no meio daquele temporal??

Queridos amigos, parceiros e leitores que amam viajar, neste post não vou falar de viagens, nem dar nenhuma dica de algum lugar incrivel que visitamos, estou aqui sobretudo para agradecer.

Imaginem que manter um blog durante uma viagem foi uma coisa muito nova para nós e muitas vezes chegávamos de volta ao hotel tarde da noite exaustas, mas a resposta de vocês aos nossos posts principiantes foram tão motivadoras, tão legais, que ouvir aqueles elogios tão queridos foi se tornando quase um vicio!!

Quero aqui agradecer de coração em meu nome e da Mylene a todos que nos acompanharam durante a viagem e deram depoimentos tão lindos, como este último da Guina, depoimentos como o da Karin, Lizete, Luciano, Renato, familia Mendes, e da nossa queridíssima parceira de viagem, Martha M, enfim, nos deixaram muito contentes, quem me conhece sabe bem que sou chorona e que infelizmente com a idade só estou piorando… então melhor parar por aqui.

Vamos seguir postando a Andaluzia, ainda ficou faltando Sevilha, sua cidade mais emblemática, e certamente falaremos sobre Berlim que foi nosso último destino antes de voltar ao Brasil.

Beijos e uma pequena confissão – Viajar é muito bom, e voltar para casa é o paraiso!!!!

Até breve!!

Clarisse.

Andaluzia - Seguindo os passos dos mouros

16 de novembro de 2009 1

Nosso primeiro destino na Espanha foi a cidade de Granada, a última cidade que ainda estava sob o dominio muçulmano, quando foi reconquistada pelos reis católicos em 1492.

Granada é uma cidade muito agradavel, não é grande demais e de quase todos os lugares podemos vislumbrar sob a montanha conhecida como La Sabika, a fabulosa fortaleza vermelha ou como é chamada  – a  Alhambra, que é uma das maiores atrações de toda a Andaluzia. A Alhambra é dos mais belos exemplos da arte Mudejar, interpretação que em solo espanhol foi feita da arte islâmica. Este palácio magnífico esteve praticamente esquecido do mundo por muitos séculos, foi redescoberto no século XIX por escritores como Washinton Irving, Victor Hugo, Alexandre Dumas, que cultuaram o lado exótico e romântico dos seus palácios e jardins. 

Depois da visita a Alhambra fomos almoçar num restaurante ótimo chamado Carmem de Moraima, dica de uma grande amiga e prima da Mylene, a Nani (Ariadne Geidel) , que mora em  Granada. Ela realmente conhece o lugar, pois além de ser super bem localizado no Albaicin ( fica no alto, de onde se tem uma visão privilegiada da Alhambra) a comida é maravilhosa, depois dos Tajines e cuscuz do Marrocos foi ótimo saborear uma boa Paella!

 

Esta era a linda vista da Alhambra que podemos desfrutar durante o almoço.

Saimos de Granada depois do almoço em direção a Córdoba que fica a uns 180km, chegamos lá à noitinha e a maioria achou melhor ficar no hotel descansando. Um pequeno grupo decidiu conhecer um pouco da vizinhança do hotel, bom já que estamos falando no hotel, este não pode passar despercebido, pois é lindo demais, bacana demais  ( aiii que antiguidade…) fantástico!!! Chama-se Hospes Palacio Del Bailio- http://www.hospes.com/es/hotel-cordoba-palacio-bailio/É uma mistura do antigo com o ultra moderno, ruínas romanas no subsolo do restaurante que tem o piso de vidro e fica iluminado à noite. Junto com objetos antigos convivem outros de puro design pós moderno, como pias em declive, banheiros que abrem as cortinas por sensor de presença, um espetáculo!

Esta é ponte romana de Córdoba, no fundo está a Catedral- Mesquita que foi iniciada no século VIII por Abderraman I sobre parte da antiga igreja visigótica que ficava neste mesmo lugar . A medida que os fiéis muçulmanos iam aumentando a mesquita foi sendo expandida e embelezada. Córdoba atingiu o seu apogeu de prosperidade no século X e enquanto a Europa vivia a obscuridade da Idade média, Córdoba era um importante centro difusor de cultura. Grandes filósofos árabes, judeus e muçulmanos conviviam aqui em harmonia, e mesmo depois da queda da cidade sob o poder dos católicos, em 1236, o legado muçulmano se fez sentir por muito tempo.

Méknes e Volubilis, o romanos também andaram por aqui

12 de novembro de 2009 3

Méknes é uma das quatro cidades imperiais marroquinas e sua cor característica é o verde. Região valorizada pela fertilidade de suas terras, é muito conhecida pelo bom vinho que produz. Uma grande muralha envolve a Medina e a decoração dos portões é um atrativo à parte.

A principal atração da cidade são os vestígios do século XVII e do déspota  Moulay Ismail. Preocupado em criar um Palácio como o de Luís XIV na França, despojou construções de governantes anteriores e com sua guarda negra não teve piedade com os inimigos. Ele é também é conhecido por um harém de mais de 500 mulheres e 800 filhos.

O Mausoléu de Moulay Ismail tem um tom de amarelo que consta nos cartões postais do Marrocos. Nosso guia ensinou como escrever o nome em árabe.

Volubilis é o que  restou de uma antiga cidade romana , mal conservada pela ação do tempo, ela encanta pela localização no alto de uma colina.

Ao longe pode-se vislumbrar a cidade de Moulay Idriss, que tem um formato de dromedário sentado. É uma cidade sagrada e ponto de peregrinação para os marroquinos.

 O cartão de visita do lupanário , ou a surpresa de Volubilis, captou o interesse dos meninos. As outras fotos foram censuradas !

 

Chefs Marroquinos

05 de novembro de 2009 11

Eu e a Clarisse não somos o que poderia se chamar de “moças de forno e fogão”, mas como sabemos que a culinária é parte fundamental da cultura de um povo , íncluímos uma aula de culinária marroquina em nosso programa.

Para falar desta experiência convidamos o nosso chef de plantão, Benoni Rossi. As imagens feitas com carinho são da Margareth Linck.

“Hoje o must do dia foi uma aula de culinária ministrada por um chef que além comandar as caçarolas é professor de inglês e uma pessoa agradável e culta.

A Maison Arab é um restaurante no centro da cidade que tem um espaço no Palmearai de Marrakech para eventos e cursos de culinária. Tudo é especialmente preparado para criar um ambiente voltado a aguçar os sentidos. Um enorme jardim com uma alameda de alecrim exala um aroma instigante na entrada. O caminho até o prédio principal tem oliveiras carregadas e hortas onde são produzidos os temperos para o restaurante. A piscina cria um espelho d’água que ilumina a cozinha. O chef tem como ajudante Aziza, que significa doçura.

Cada “aprendiz de feiticeiro” trabalha em um fogão individual e vai preparando o prato juntamente com o chef. Os pratos escolhidos são típicos da cozinha marroquina, no nosso caso foi tajine de frango com confiture de limão.

A preparação do prato já iniciou com um ótima dica. Ao invés de sal, foi colocada na panela de barro a polpa de meio limão siciliano que havia sido previamente preparado pelo restaurante. O resultado é incrível. A receita para a preparação do limão é bem simples: um quilo de limão siciliano, uma colher de azeite de oliva, um terço de sal e dois terços de água. Coloca-se em um pote que dura até seis meses na geladeira. 

Ao final todos provam de seu próprio veneno, quer dizer , de sua própria obra!

Um programa imperdível em Marrakech

Casablanca : do filme à realidade.

02 de novembro de 2009 4

Chegar na África é sempre uma nova experiência cheia de expectativa e sensações, mesmo para quem não é marinheiro de primeira viagem. Chegamos num dia de um “fog” quase londrino , apesar da temperatura beirar os vinte e cinco graus. A surpresa foi geral com o desenvolvimento e ocidentalização de Casablanca, capital econômica do Marrocos.  Em função do filme “Casablanca” a cidade mantém uma certa mística no imaginário Ocidental, principalmente dos que já passaram dos 40. O filme não foi rodado por aqui, mas vale a pena parar para um dia de reconhecimento.

Casablanca é um contraste em cada esquina, a começar pelo bairro mais elitizado, que chama-se Califórnia e é repleto de mansões com belos jardins e muros altíssimo. Almoçamos num dos muitos restaurantes no calçadão à beira mar e, como era domingo, os clubes e bares estavam bem movimentados. Aqui não há praia, e para compensar a orla é pontuada de piscinas feitas nas pedras e cheias com água do mar.

Fomos brindados com a vista do minarete da Mesquita Hassan II surgindo das brumas como uma miragem. Os ocidentais não causam estranheza entre os locais, bastante habituados à presença de europeus , principalmente franceses e espanhóis.

Os não muçulmanos tem acesso a poucos prédios religiosos no Marrocos, e a entrada na Mesquita Hassan II é retrita a tours guiados. Passeamos pelo entorno e confesso que é difícil decidir para onde olhar , se para o prédio e seus mosaicos ou para a diversidade de tipos que perambulam pelas cercanias.

Daqui, depois de muitas fotos e momentos de encantamento, seguimos por auto-estrada e agora estamos”pra lá de Marrakech” !

Pit stop em Madrid

01 de novembro de 2009 0

Antes de embarcarmos para o Marrocos fizemos uma parada técnica em Madrid de um dia. Confesso que Madrid muito me surpreendeu, está uma cidade cuidada, limpa e sobretudo muito bonita e vibrante.

Fizemos um pequeno tour pelos pontos mais importantes como o monumento dedicado a Miguel Cervantes, onde vemos seu famoso personagem Dom Quixote e Sancho Pança.

Daqui seguimos até o Museu Reina Sofia, como era sábado, a entrada era franca, só tivemos que passar pela revista e aproveitamos para dar uma olhada nos jardins internos que possuem esculturas do Miró, Calder enfim, depois da canseira da viagem não queríamos nos fechar em nenhum museu, ainda mais com o dia lindo de sol que estava  em Madrid.

Acima do Reina Sofia está o Novíssimo Centro cultural chamado ” Caixa Fórum” onde dois arquitetos suiços projetaram um jardim vertical que é uma maravilha, com tempo conto para vocês com detalhes desta novidade que realmente é muito moderna e original, abaixo coloquei uma imagem para dar uma idéia do lugar.

 

Foi um dia que rendeu horrores, pois ainda tivemos tempo para caminhar pelo bairro boêmio de La Chueca e também de degustar uma presunto cru ibérico de dar água na boca dentro do mercado San Miguel que é uma visita imperdível, pois além das bancas de peixes, frutos do mar, frutas e especiarias ainda tem alguns barzinhos onde se pode experimentar os melhores vinhos espanhois.

À noite foi muito engraçado, pois nós não faziamos idéia de quanto o dia das bruxas ou Haloween é super celebrado aqui em Madrid, foi um desfile de Dráculas, bruxas, fantasmas, todos muuito bem humorados e dispostos a serem fotografados, e eu é claro não perdi esta chance….

Bom gente este foi um breve resumo do nosso longo dia em Madrid, o Marrocos nos espera, até lá!!!