Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de agosto 2010

Expointer - Uma festa gaúcha!

30 de agosto de 2010 12

Eu fiz uma pesquisa rápida no Google pra conhecer dados históricos da Expointer, e aprendi algumas coisinhas que transcrevo abaixo:

 ” A primeira exposição A primeira Exposição Estadual do Rio Grande do Sul, com animais, produtos agrícolas e industriais aconteceu em Porto Alegre, no dia 24 de fevereiro de 1901 no Campo da Redenção, hoje Parque da Redenção. Na época, já era considerada um sucesso, registrando a presença de 67 mil pessoas no Parque. Nascia então a Exposição Estadual, embrião do que hoje é a Expointer. A partir de 1909 a Exposiçao passou a ser realizada no Prado Riograndense onde mais tarde foi construido o Parque de exposções do Menino Deus, mas este também tornou-se pequeno para abrigar o volume de animais e negócios e em 1970 o Parque Estadual de Exposições Assis Brasil estavam prontas e foi realizada a 33ª Exposição Estadual de Animais.

Em 1972 é batizada a feira com a denominação de Expointer”.

 Depois deste brevíssimo histórico, só para a gente conhecer um pouco deste grande evento que já faz parte da nossa cultura e que talvez muitos de vocês tenham ido uma vez na vida, quem sabe com a escola e nunca mais. Pois eu estive na Expointer este final de semana e posso garantir, que mesmo se você não cria nenhum outro animal além de cachorro ou gato a Expointer é um programa muito legal e interessante.

Fomos para assistir o Freio de ouro que  é uma prova de avaliação morfológica e funcional de equinos da Raça Crioula. Nesta edição 96 cavalos e éguas disputavam o grande prêmio em 4 dias de competição.

O público que prestigia a prova aumenta a cada ano, ontem devia ter perto de… putz sou terrivel para números mas com folga tinham umas 6000 pessoas assistindo a prova que teve um final emocionante com os tres primeiros lugares subindo ou descendo na última prova.

Os grandes vencedores da tarde de ontem foram o Pampa de São Pedro, montado pelo ginete Lindor Collares e entre as fêmeas o prêmio foi para a Alcalina 441 Maufer.

Muita emoção e disputa acirradíssima, um prêmio que muitos passam uma vida querendo conquistar.

O clássico banho de champanhe entre os ginetes vencedores.

E o batismo na lama para aqueles que são campeões pela primeira vez!

O proprietário da Cabanha Gap São Pedro, Eduardo Linhares, abraça emocionado o ginete Lindor Collares.

 Foi um longo e emocionante fim de semana na Expointer, mas outras provas, julgamentos, palestras e muitas atrações seguem duante esta semana em Esteio. Durante a exposição são montados vários bons restaurantes com a melhor carne que você pode experimentar aqui no sul.

 Em vários estandes das diversas raças como Aberdeen Angus, Hereford, Brangus, na própria Associação dos Cavalos Crioulos tem bons restaurantes abertos ao público.

 

 

No estande da Aberdeen Angus saboreamos este lindo e delicioso bife de chorizo, que não fica devendo nada a carne argentina!

Outra atração são as centenas de lojas montadas aqui especialmente para a Expointer, lojas com artigos trazidos do Uruguay e Argentina, com objetos e mantas muito diferentes e bonitos.

Loja com pilchas, ou seja, botas, bombachas, na verdade tem de tudo - a Indiada, loja de roupas voltada para um público mais aventureiro, também está com uma filial por lá.

Então gente vamos lá prestigiar o que é nosso! Não falam tanto pelo Brasil afora que somos o povo mais bairrista do Brasil? Não teve até uma loja que é sucesso no Brasil inteiro e aqui por ter o nome do seu estado de origem acabou fechando suas portas??

Se estes somos nós, vamos fazer jus a fama e prestigiar este evento que tão bem traduz as nossas tradições!!

Mercado em Catânia com os chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo

28 de agosto de 2010 0

Meu post de hoje é uma excursão gastronômica!

Não é todos os dias que temos a oportunidade de visitar um mercado tipicamente italiano acompanhado de dois experts. Passamos uma manhã saboreando e conhecendo as peculiaridades da culinária italiana com a Helena Rizzo e o Daniel Redondo, chefs do premiado Maní de São Paulo, no Mercado de Peixe de Catânia.

Catânia não é uma cidade turística, o trânsito é quase insuportável e a entrada da cidade feia e confusa. Bom , mas não desistam com a primeira dificuldade. O centro histórico é uma pérola da arquitetura Barroca, muito bem preservado e amplo, após a total destruição pela lava do vulcão Etna no século XVI, foi reconstruído e hoje é Patrimônio Universal da UNESCO. A Pescheria é uma experiência muito particular, no coração da cidade , sob o túnel do Muro de Carlos V, e é uma das visitas mais pitorescas da Sicília.

O Mercado de Peixe contrasta com o elegante Duomo Barroco , é um ambiente que mistura uma cacofonia de sons, um arcoíris de cores e um uma enorme variedade de aromas e sabores, lembrando o passado árabe da região com os souks e suas barganhas. Embora seja mais conhecido pelos peixes e frutos-do-mar, pode-se encontrar verduras, frutas, olivas, carnes, queijos e ervas entre suas bancas.

Deem uma olhadinha no tamanho do facão para cortar o peixe-espada , um açogueiro ficaria com inveja!

Nesta visita em particular os chefs nos fizeram experimentar os peixes in natura, isto mesmo , os donos das bancas ofereciam pedacinhos de peixes crus para comprovarem o frescor dos produto, foi como comer sashimi sem shoyo, eu provei e aprovei. Mas muito além do peixe-espada e do atum , uma das maiores especialidade dos mares sicilianos, há uma profusão de mariscos, polvos, ouriços e outros frutos-do-mar nunca dantes navegados!

Provei pela primeira vez o ouriço do mar e confesso que não me apaixonei por chupar aqueles “espinhos” para sentir um sabor muito forte, algo como beber um copo de água da lagoa do Imbé! Em compensação os “filhotes” de anchova, uma espécie de girino tenro e quase transparente, eu comeria como entrada somente com limão , uma delícia.

Fomos apresentados também a muitas verduras diferentes e o jantar foi tomando forma. Foi bárbaro ver um cardápio ser elaborado a medida que os produtos mais frescos foram sendo encontrados. A Helena  e o Daniel chegaram ao mercado sem ter definido qual seria o menu e lá escolheram tudo in loco, um privilégio.

Para deixar todo mundo com mais água na boca, aqui está o resultado de nossa excursão matinal!

A Salada de Tomate Cereja, Queijo de Búfalo,  Melância e Manjericão. Uma receita bem legal e fácil que a Helena nos deixa de presente.

Como entrada carpaccio de atum com redução de vinho Marsala, cereja e azeitonas.

Peixe ao forno , obra do Daniel.

E para finalizar , a típica Panna Cotta italiana na versão brasileira.

Uma bela Passegiata por Roma

27 de agosto de 2010 3

Estive em Roma no inicio de julho deste ano quando voltava da Turquia, foram apenas 3 dias, mas 3 dias cheios, intensos, na companhia de uma quase nativa, a Rita Silveira que mora lá há quase 10 anos.

Passeamos por todos os lugares e conheci muitos cantinhos diferentes de Roma, foram longos dias de verão e a Cità aperta me pareceu mais bonita e vibrante do que nunca.

Vou narrar aqui pra vocês um dia recheado de monumentos, avenidas e obras de arte, um roteiro bom para fazer de carro, as vezes parando entrando em algumas igrejas para apreciar uma obra de arte de Caravaggio ou Bernini, ou parando pra tomar um vinho rosê geladinho e ficar observando os romanos, no velho e bom dolce far niente.

Escultura chamada Elefantino de Gianlorenzo Bernini.

Meu hotel ficava na área do Pantheon, aliás muito bem localizado, pois dali pode-se ir a pé a muitos lugares, como a Piazza Navona, o gueto judeu, o próprio Trastevere que é o bairro boêmio de Roma fica apenas algumas quadras de distância cruzando o rio Tevere ou rio Tibre em português.

Saimos do hotel e fomos até a Piazza della Minerva, onde tem uma igreja, a Sta Maria sopra Minerva, construída no lugar onde antigamente existia um templo a deusa romana Minerva, aqui entramos uns minutos para apreciar um quadro de Caravaggio, afrescos de Filippino Lippi e uma escultura de Cristo carregando a cruz de Michelangelo. Na praça admiramos a curiosa estátua Elefantino de Bernini, vamos combinar que foi um inicio de passeio bem auspicioso, em meia hora ver este desfile de obras de arte não é para qualquer cidade!

Achei interessante saber que o grande libertador das Américas, o General San Martin, se hospedou  aqui, praticamente meu vizinho : )

Pegamos o carro e passamos pela Piazza Venezia cuja paisagem é dominada pelo monumento mais visível da cidade, o Vittoriano, em homenagem ao soldado desconhecido e para celebrar a unificação da Itália conduzida por Vittorio Emanuele em 1870. Jocosamente chamado pelos italianos de bolo de noiva.

Pegamos a Via Fori Imperiali, que passa ao lado do antigo Forum romano, de onde pode se dar um bom vistaço das ruinas daquele que foi o coração pulsante do império.

 

Nem pensar em descer e caminhar no Forum, pois a temperatura beirava os 36 graus, eu nunca aconselharia qualquer pessoa a ir a Roma nos meses de julho e agôsto, a cidade literalmente ferve!

E ainda não era 11h da manhã, mas já estávamos sedentas por um lugar fresquinho com uma boa vista onde pudéssemos sentar e tomar algo bem refrescante, e já que estávamos na vizinhança, uma bela pedida é a Terraza Cafarelli, que fica no terraço do Museu Capitolino, na Piazza do Campidoglio, ali colada no Forum, projetada por Michelangelo, onde além de saborear um belo vinho rosê se tem uma das vistas mais legais de Roma.

Aquela cobertura onde vocês vêm uma torre foi a casa de ninguém menos que Sofia Loren, por muito tempo, antes da celebrada atriz italiana se mudar para os EUA.

Você não precisa entrar no museu para desfrutar da Terraza, existe uma entrada lateral que vai diretamente para a cobertura.

Continuamos nossa passegiata até a belíssima igreja barroca de Santa Maria della Vitoria, que fia nas proximidades da estação central de trens de Roma – a famosa Roma Termini.

 

Além do interior da Igreja ser muito bonito, completamente adornado, bem ao estilo barroco, a igreja abriga uma das esculturas mais lindas de Bernini, a Santa Teresa em êxtase, onde o artista construiu todo um cenário para conter a santa mais popular da contra reforma italiana.

Santa Teresa em êxtase de Gianlorenzo Bernini.

Andamos por muitos lugares inusitados, que eu nunca estivera e tive oportunidade de conhecer as muralhas e portas antigas de Roma perto da antiga Via Apia.

 

Outro lugar muito interessante de visitar são as antigas Termas de Caracalla. Os banhos eram extremamente populares na antiguidade, não só para banhar-se, pois as casas não tinham este recurso, mas para fazer ginástica, massagens, discutir politica e como não dipunham de jornal para inteirar-se dos últimos acontecimentos. As termas imperiais como a do imperador Caracalla possiam uma grande infra estrutura contando com biblioteca, lojas e até salão de festas!

Aqui durante o verão eles tem extensa programação de ópera, a infra estrutura já estava toda montada.

Passamos em frente ao Museu do Vaticano e fiquei apavorada com o tamanho da fila, nem pense em programar uma visita ao Museu do Vaticano e a Capela Sistina sem reservar previamente pela internet, é uma barbada e você evita horas de espera em filas intermináveis!

Este é o site oficial do Museu: http://biglietteriamusei.vatican.va/musei/tickets/do?action=booking&codiceTipoVisita=26&step=2

 

Nesta nossa viagem a Italia em novembro de 2010, conseguimos um feito que eu não julgava possível, vamos fazer uma visita privada a Capela Sistina!! Vocês podem imaginar a emoção de ficar frente a frente com aquela maravilha no mais absoluto silêncio??? Acho que vou chorar e sapatear, prometo que conto pra vocês na volta.

Na mesma ocasião vamos visitar os aposentos papais onde entre outras obras, estão os maravilhosos afrescos de Rafael Sanzio, como este detalhe acima da Escola de Atenas, onde Rafael retrata o filósofo Heráclito com as feições de Michelangelo. Não sei vocês, mas na minha opinião, este afresco é das obras mais interessantes e enigmáticas de Rafael, que era mais conhecido pela pintura de Madonas.

 

Bom gente espero que vocês tenham aproveitado o nosso passeio, ainda vou escrever um post com dicas de uma parte fundamental da cultura italiana – a comida!! Dicas de restaurantes!

Um bom fim de semana pra todos e que São Pedro mande um sol para iluminar nosso dia!

 

Roteiro : Itália com Arte, novembro de 2010.

25 de agosto de 2010 2

Oi pessoal, deem uma olhada no detalhes do roteiro do Viajando com Arte 2010 e venham se juntar a nós!

Tudo começa no dia 12 de novembro em Florença, passando pela Toscana e tendo seu gran finale em Roma no dia 23 de novembro.

Para informações : 3025.2626 na Porto Brasil

Para detalhes do roteiro:  http://www.encontroscomarte.com/imgs/roteiro_toscana-encartes.JPG

Dica para o friozinho: filmes que se passam na Itália

23 de agosto de 2010 1

Sugeri alguns filmes na palestra sobre a Itália na última terça-feira no Leopoldina Juvenil. Como várias pessoas tem me ligado pedindo a dica , vou fazer uma listinha para todo mundo aproveitar. Aviso aos navegantes, não coloquei clássicos, somente filmes mais recentes.

Toscana e Vêneto:

- Cartas para Julieta

- Sob o Sol da Toscana

- De encontro com o Amor

- Beleza Roubada

- Pão e Tulipas

- A Vida é Bela

- Em Luta pelo Amor

- O Paciente Inglês

- Uma Janela para o Amor

 

Roma

- Elsa e Fred

- Só Você

- Anjos e Demônios

Sul da Itália

- O Poderoso Chefão

- O Carteiro e o Poeta

- A Imensidão Azul

- Malena

- Mediterrâneo

- Gomorra

- O Retorno do Talentoso Ripley

Bom Proveito!!!!

Toscana - um giro saindo de Florença

23 de agosto de 2010 11

Saimos de manhã de Florença determinados a conhecer ao menos 2 cidadezinhas próximas, a primeira foi Vinci, a cidade natal de Leonardo que fica  a 47km de distância. Eu sempre prefiro andar por estradinhas secundárias, auto estrada só quando estamos atrasados para chegar no aeroporto. No mais sempre vamos escolhendo as estradinhas menores no mapa, eu adoro me perder um pouco, explorar o interior, e quando acho uma estradinha de terra em plena toscana, é a glória.

 

Imagino que Vinci não cresceu muito desde que Leonardo partiu daqui muito jovem para ser aprendiz de Verrochio em Florença. A cidadezinha cercada de campo, de lavouras e córregos abriga um pequeno museu com algumas reproduções dos inventos de Leonardo.

Existe uma trilha pelo campo que se pode fazer a pé pelo meio das oliveiras, uma caminhada de 30minutos, onde se chega na propriedade que pertenceu a familia de Leonardo e onde ele passou a sua infância. O lugar é lindo, fica  mais alto, é muito tranquilo, e acreditem, só estávamos nós!!! Fiquei obeservando a paisagem e imaginado Leonardo criança observando os pássaros, o céu, a natureza, enfim tudo, pois nada escapava ao interesse do gênio.

Seguimos viagem até Volterra, mas no caminho paramos num super mercado , o Coops, que tem tudo, pra mim é uma perdição ficar olhando todas aquelas comidas maravilhosas, os presuntos, queijos, fungi, é uma alegria. Paramos para comprar toda a comida para um providencial piquenique no campo. Você já deve ter feito piquenique em viagem alguma vez, mas se não fez programe um para a próxima, é bom demais!!

Vou ter que confessar para vocês o porque de ter escolhido Volterra entre várias outra tão lindas quanto, nesta época eu havia recém terminado de ler a saga adolescente de Stephenie Meyer, o Crepúsculo, e estava tão envolvida com a estória que quis ver de perto o cenário que serviu de fundo para a familia nobre de vampiros os Volturi, que depois pude rever no filme Lua Nova. Pronto contei o inconfessável :roll:  . Independente de qualquer razão valeu, pois Volterra é como um mergulho no passado, é como se fossemos transportados para a idade média.

Volterra tem um longo passado pois foi um centro Etrusco importante que foi absorvido pelo Império Romano em 260 ac . Desde os Etruscos Volterra tem sido um centro de extração de alabastro e de artesania desta matéria prima que resulta em luminárias e lindo objetos de decoração.

A arma do crime..

 

Já era finalzinho de tarde quando pegamos o rumo de Florença,  os dias curtos são  para mim o único grande incoveniente de viajar a Europa no inverno, porque minha experiência nesta viagem só reforçou os pontos positivos de viajar no inverno. Um exemplo rápido só para ilustrar vocês imaginam que entramos na Galeria degli Uffizzi em Florença assim .. direto sem fila?? Gente cheguei até a pensar que tinha alguma coisa errada, ameaça de ataque terrorista, sei lá,  pois das outras vezes as filas davam voltas a qualquer hora do dia… é vão pensando nisso e quem sabe em janeiro você não troca Atlântida ou Imbé pela Toscana?

 

 

Eu sei, eu sei, faltaram ainda San Gimigniano, Assis, mas também tenho que ganhar a vida né? Essa estória de blog acaba virando uma cachaça!!

Super beijo!

 

 

Taormina : uma vila de cinema

23 de agosto de 2010 14

Alugar casas para temporadas em outros países tem se tornado uma forma interessante de conhecer outras culturas , com mais tempo e possibilidades para descobrir lugares inusitados e curtir momentos em família.

 

Nós elegemos o sul da Itália para comemorarmos um aniversário importante da matriarca da família e a data foi tão marcante que conseguimos reunir, por uma semana, a família de 28 pessoas com idades que variavam dos 10 meses aos 76 anos.

Foi uma experiência única que começou quando descobri uma casa que comportaria toda a família, bem acomodada e que ainda teria espaço para a convivência diária ao ar livre, em pleno verão mediterrânico! Muitas opções menores, em todas as partes da Sicília são oferecidas, como os preços variam muito conforme o tamanho e localização, deixo a dica , é só entrarem em contato que reservamos tudo.

A Vila Arcângelo fica em Giarre, no meio do caminho entre Catânia e Taormina, uma região rural em meio a plantações de tomate, limão siciliano e não muito longe do mar. A coincidência é que o primeiro ancestral da família Rizzo, que veio para o Brasil, chamava-se Arcângelo, um bom presságio.

A casa e toda a estrutura superaram muito nossas expectativas. No valor do aluguel semanal estava incluída toda a parte de funcionamento operacional, camareiras deixavam a casa em ordem e cozinheiros preparavam e serviam as refeições. A mesa posta sob o carramanchão não poderia ser mais sugestiva!

Um dos diferenciais do local era o cuidado com a decoração , nunca tivemos a sensação da impessoalidade de um hotel . Livros de arte, quadros e até porta-retratos da família faziam parte do ambiente. O jardim impecável , se dava ao luxo de misturar cores e aromas , criando um clima mágico para as celebrações.

 

O mais legal de tudo isto é que cada dia saímos para fazer um passeio pelas redondezas. Taormina fica a menos de 15 km de distância e é uma das cidades mais pitorescas da Sicília , apesar de bastante turística. A tradicional ruazinha de lojas e confeitarias está num penhasco sobre o mar, aqui o que mais me encantou foi o visual.

 

Logo abaixo da cidade , que pode ser alcançada por carro ou funicular, está Isola Bella , uma praia linda com vários clubes e hotéis privados. Taormina é um dos destinos mais procurados da Sicília, mas nada que EU$ 20,00 por dia para duas cadeiras de praia (lettino) e um guarda-sol não resolvam, e Isola Bella vale cada centavo. Falando em exclusividade, o Hotel Palazzo San Domênico é um dos musts da cidade.

Para completar a visita a Taormina , o Teatro Grego é um espetáculo ao cair do sol. Construído pelo gregos na época que esta região chamava-se Magna Grécia, é imperdível pela localização e pelos espetáculos que até hoje acontecem por ali. A temporada de shows começa na segunda quinzena de julho.

Aqui outros passeios pela Sicília: Ilhas Eólicas, Siracusa e uma caminhada até a boca do Vulcão Etna!http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/category/europa/italia/sicilia-italia-europa/?topo=77,1,1,,,77

 

Para reservar esta vila ou qualquer outro programa exclusivo entre em nosso site www.viajandocomarte.com.br

Sapori e sole em Verona e Lago di Garda!

23 de agosto de 2010 6

 

 Hoje o Viajando com Arte traz outro depoimento da nossa amiga viajante Sabrina Porcher, ela descreve com muito encantamento esta região lindíssima no norte da Itália.

Valeu Sabrina por mais esta!!!

 

Em maio de 2009 fui com um grupo de amigos para o norte da Itália. Mais precisamente Verona e a região do lago de Garda. Fiquei impressionada com as paisagens e a beleza da região! Muito lindo! E foi sem dúvidas onde eu melhor comi em toda minha vida!!! Tinha ficado um pouco decepcionada quando fui a Roma, Firenze e região da Toscana, não comi nenhuma pasta italiana que tenha me feito delirar e tampouco a melhor pizza do mundo. Mas claro, estavamos só entre ‘gringos’ e não tinhamos nenhuma dica boa de restaurantes.

 

 


Mas dessa vez a viagem foi toda organizada por 2 amigos italianos, um que inclusive mora na  região. Ou seja, ele não só conhecia os restaurantes como os donos dos restaurantes. Por isso fomos muito bem tratados por onde passamos! Só pra dar uma idéia, teve um restaurante que o chef fez questão de improvisar um “pout-pourri” do menu de entradas e sobremesas, só para nos fazer experimentar de tudo um pouco! Delizia!

 

 

 

 

A viagem foi sensacional, proporcionou calor, sol, banho de lago e sensação de estarmos na praia e no verão nas cidadezinhas em torno do Lago di Garda, mas também frio e neve no topo do Monte Baldo! E também foi muito bom pois eu não havia organizado nada, apenas me dexei levar e confiei nos amigos italianos!  Então foi surpresa e descoberta total!

 

 

 

Alugamos um carro no aeroporto de Bergamo e fomos até a cidadezinha de Sandra, onde ficava nosso hotel. Ao todo foram 4 dias, percorremos 600 km (o ‘tour’ do Lago di Garda leva pelo menos 200Km) e visitamos 14 cidades (Verona, S. Martino Buon Albergo, Malcesine, Limone, Riva del Garda, Garda, Bardolino, Lazise, Borghetto, Valeggio sul Mincio, Peschiera del Garda, Castelnuovo, Sirmione e Desenzano).

 

 

No primeiro dia visitamos Verona que tem uma história que vem desde os tempos romanos, quando seu território era disputado por diversos países europeus. Além disso a cidade tem uma das mais bonitas arquiteturas romana, românica, gótica e renascentista. E fora isso tudo… o que Verona tem de mais famoso? Romeu e Julieta, é claro! A peça escrita por Shakespeare (inspirada num conto italiano de Masuccio Salernitano) se passa na cidade de Verona, e é la que fica a casa e o famoso balcão da Julieta. Hoje os apaixonados deixam bilhetinhos e recadinhos grudados com chiclé, ou escritos diretamente nas paredes da entrada da casa! 

 

 

 

 

Outras atrações de Verona são o piazza Brà, via Mazzini, Piazza Erbe, via Sottoriva, Castelvecchio, Teatro Romano, etc.. A noite fomos no restaurante onde o chef nos fez provar um pouco de tudo! Como entrada: polenta, mozzarela de bufala, proschiutto, salada, salami… E como prato, risotto ao vinho e nhoqui de trufas (olhem a foto do nhoqui, não tem nada a ver com o que conheçemos!!!). E as sobremesas… Hummmmmmm!!!

 

 

 

Não preciso comentar que a média era de 3 sorvetes por dia!!! Ahhh e nossos “apéros” eram sempre regados à muito Spritz! A bebidinha tipica da região! Uma delícia!

 

SPRITZ:

2 medidas Prosecco

1 1/2 Aperol Orange Liqueur

1 Soda or Seltz

1 rodela de laranja

 

 

 

Segundo dia seguimos rumo à Malcesine, pegamos um teleférico até o Monte Baldo (2.000 metros de altitude). A paisagem é linda, a neve ainda estava lá e fazia frio!

 

 

De Malcesine, que é uma cidadezinha muito bonitinha, pegamos um barco para Limone, que como o nome ja diz tem limões incríveis! Como eu nunca tinha visto na minha vida! Primeiro que eles são gigantes, parecem mais melões! Gigantes, lindos e quase fluorescentes de tão coloridos!

 

 

De Limone pegamos outro barco e fomos para Riva del Garda. Esses 2 passeios de barco também foram geniais! Da pra ver a paisagem de outro ângulo, e fica tudo ainda mais lindo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rive del Garda é outra cidadezinha cheia de charme. Onde apenas passear pelas suas ruelas ja é um programa, e claro… mais um apèro com Spritz! Nesse dia a noite fomos ao restaurante Foci da Rita, um ambiente super acolhedor e uma comida MARAVILHOSA, só para variar! O fato é que na Itália a comida não só é boa, como é em grande quantidade! Provamos a famosa “Carne salà”, que a tradução seria uma carne salgada, uma delícia, e muuuuuitas outras coisas!

 


No terçeiro dia visitamos diversas outras cidadezinhas pitorescas nas margens do lago di Garda. Pegamos muito sol, calor, tomamos banho no lago e comemos muito bem, é claro! A noite fomos para a cidadezinha do nosso amigo italiano Marco onde estava tendo um festival típico italiano, daqueles bem de vilarejo, no meio da praça, com banda ao vivo e quiosques vendendo pasta, risotto, tortelline, barbecue, vinho e grappa! Foi pura diversão!

 

 

 

Último dia… Ainda faltava conhecer Sirmione e Desenzano. Uma graça, paisagem linda, e atmosfera medieval. Em Desenzano finalmente experimentamos o limão que tanto vimos pela região. Isso mesmo! Comemos limão puro! E mais… é uma delicia, e claro não é forte e azedo como o nosso limão verde!

Foi essa a nossa dolce vita na Itália!!!!

 

 

 

 

 

 

 


Albergo Ristorante Al Sole (Hotel onde ficamos)

Via Gen. Zamboni 43 – 37010 Sandra’ (VR) – Italia
Tel: +390457596231

Quarto para 2 pessoas com café da manhã: € 55 a diaria

Ristorante “Il Coppiere” (Restaurante do nhoqui com trufas)
37036 San Martino Buon Albergo (VR) via XX

Settembre, 48/B

Tel: 045 8820199


Restaurant Foci da Rita (Restaurante da especialidade da região a “Carne salà”.

Via Grotta Casata Località Tenno n°10

Tel 0464555725

 

Ciao!!!

Toscana - estradinhas para se perder

22 de agosto de 2010 12

Como eu já comentei aqui em outros posts, acho muito bom se perder de vez em quando  por estas estradinhas no interior, tentar trilhar caminhos inéditos descobrir coisas fora dos rumos mais óbvios.

Foi o que fizemos em novembro na Toscana, depois de passar alguns dias em Florença saimos de carro sem muito destino pré fixado, simplesmente fomos em direção a San Gimignano, pela estrada do Chianti (vinho famoso da região) e confesso pra vocês que se não tivéssemos chegado a lugar nenhum só a paisagem do caminho já teria valido a viagem, vejam:

Não é lindo? Uma beleza bucólica que traz muita paz, sem a loucura e o stress das cidades grandes, com pequenas Osterias pelo caminho onde podemos provar o melhor da culinária genuinamente italiana – uma massa com molho vermelho e a famosa Bisteca Fiorentina, regado é claro a um bom Chianti.

Quando avistamos no alto San Gimignano, também conhecida com a Manhatan da idade média, por sua quantidade de torres.

E é nestas horas que volto a enfatizar a importância de ter um bom guia de viagem em mãos, pois na mesma hora peguei meu guia escolhi um hotel bem localizado e liguei perguntando se havia lugar e como fazer para chegar, onde estacionar ( detalhe importante, pois na maioria destas cidadezinhas medievais não é possível entrar com o carro dentro das muralhas) a italiana do hotel foi muito gentil e nos explicou tudinho.

Este aí de cima é o Hotel La Cisterna (peguei a foto emprestada no site deles) que fica na praça principal de S. Gimignano, indico este hotel pois além de ser super bem localizado os quartos dão para o vale com uma vista privilegiada.

San Gimignano é uma viagem no tempo, pois as coisas aqui pouco mudaram desde os tempos remotos em que a peste negra dizimou quase 1/3 da população européia. Caminhando por suas ruelas estreitas, as casas todas de pedra, a igreja românica do século XII, é uma experiência.

Aqui convivem o antigo e o moderno, pois pasmem! Que nesta cidadezinha medieval, longe de qualquer centro urbano moderno, tres amigos decidiram abrir aqui a Galleria Continua, em um cinema dos anos 50.

Isso foi em 1990 e hoje a Galleria está bombando, tem em seu portfólio artistas do calibri de Anish Kapoor, promovem muitas exposições que são badaladíssimas. Segundo um dos seus fundadores a escolha de SG para sediar uma galeria de arte contemporânea no coração da Toscana, “San Gimignano, é um lugar carregado de história, atemporal, magnifico. Novas possibilidades de diálogo e de simbiose puderam nascer dentro do universo rural, industrial, local e global, entre a arte de ontem e de hoje”.

Tivemos a sorte de estar lá bem na noite de uma vernissage, foi muito interessante, a temática era o oriente médio e tinham outras instalações com jogos de espelhos, tudo isso dentro de um antigo cinema, aconselho a visita!

http://www.galleriacontinua.com/

 

Neste nosso passeio ainda fomos a Montepulciano, que tem as mesmas caracteristicas medievais de SG, passando sempre por antigas fortificações e belas paisagens.

 

 

Montereggione

Minha última dica de hoje: Não pensem que só a Toscana tem paisagens lindas, a região da Úmbria que fica um pouco mais para o sudeste no mapa é belíssima e tem cidadezinhas como Assis, Orvieto, que são imperdíveis!

Curso Itália , uma viagem temática. Início dia 23 de agosto, segunda-feira

20 de agosto de 2010 9

Estamos lançando uma campanha para escolher a idéia mais criativa que complete a frase: A Itália para mim é….

O escolhido vai ganhar uma bolsa para o curso de 5 encontros “Itália , uma viagem temática” que inicia dia 23 de agosto. As frases podem ser colocadas aqui no blog como comentários ou ser enviadas para o email: encontroscomarte@terra.com.br.

Participe e venha viajar conosco!