Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2011

Buenos Aires cidade de contrastes

29 de abril de 2011 7

Eu sou do tempo que ir a capital dos Portenhos era se hospedar em hotéis caros e sujos, comer no Palácio das Papas Fritas e passear na Florida e seu entorno. Dou graças que este tempo passou, hoje Buenos Aires tem ótimos hotéis com preço muito razoável, regiões antigas e restauradas e muitos bairros novos e modernos, sem falar na excelente e variada gastronomia.

Escolhemos nos hospedar em Palermo Viejo, como um taxista bem humorado nos contou as gargalhadas, uma fantástica jogada de marketing que transformou um antigo bairro em duas regiões cobiçadas e valorizadas: Palermo Soho e Palermo Hollywood. Já tinha visitado as cercanias como “turista” de um dia , mas ficar sediado por ali foi muito mais interessante.

Como o nome diz , Palermo Soho busca o cosmopolitismo do bairro novaiorquino, e na minha opinião é bastante feliz em sua ambiciosa comparação. Tem lojas transadas em antigas casas e fabriquetas, bons restaurantes e bares e um pessoal muito descolado para dar o toque final.

O centro de tudo é a Praça Serrano , mas hoje o bairro se espalhou e as ruas Gurruchaga, Honduras, Solere muitas outras tem muitas atrações.

Escolhemos o Hotel Duque, um pouquinho fora do coração do Soho mas o preço, a decoração meio design e principalmente a gentileza dos funcionários, compensam de sobra alguns passos a mais. Os quartos são bonitinhos, disponibilizam bicicletas para alugar e no subsolo uma jacuzzi para relaxar.

 


 


 


 





Entre as ruas Armênia e Costa Rica estão diversas opções gastronômicas, em uma única esquina mais de 8 restaurantes e bares se oferecem aos passantes.

 


 


 


 

Esta é a Parrilla Mama Racha,  Costa Rica 4602.

 


 


 


 





Eu já estive duas vezes no restaurante Cluny, na El Salvador 4618, e indico com ênfase pois pode-se comer no jardim interno saladas e massas deliciosas por um preço muito convidativo, algo como U$ 20,00 por pessoa com vinho.

Palermo Hollywood é um pouco mais trash e o forte são os restaurantes. Por lá o Osaka, Soler 5.608,  foi uma das melhores opções que provei em muito tempo. Um restaurante fusion , isto é uma modinha atual e quer dizer mistura de duas culinárias, no caso peruano e japonês. Mas não estranhe , sushi e cebiche tem muito em comum e as entradas regadas à “caipirinhas ” de pisco são de babar. Quando já estávamos quase satisfeitos resolvi pedir um prato principal, é foi uma glória, polvo na parilla com molho agridoce e arroz com verduras, só o que posso dizer é que seria o prato escolhido para a última refeição antes de minha execução! Perto da média o Osaka é bem mais caro , mas por esta refeição de comer ajoelhado e ainda com uma sobremesa, pagamos U$ 50,00 por pessoa.

As compras em Buenos Aires estão uma perdição, tudo muito barato e os brasileiros reinam em todas as lojas. Só cuidado , o somatório do cartão de crédito pode surpreender depois de algumas horas em Palermo.

Meu objetivo de compras era um lustre , por aqui chamado de aranha. Dei uma volta nas lojas indicadas por perto , inclusive o Revista Viagem de junho de 2010 tem como chamada “Compras em Buenos Aires ” e tem boas dicas, mas no meu caso específico nada encontrei. Acabei no tradicional bairro San Telmo, onde aos domingos acontece a famosíssima feira de antiguidades, no entanto lojas maravilhosas funcionam normalmente , menos segundas-feiras.

 


 


 


 





O bairro tem na praça Manoel Dorrego carros antigos que fazem tours como antigamente e seus bares guardam um pouco da história da cidade , mas muito está mudando e lugares com fachadas tradicionais tem o interior renovado e estão se tornando mais uma ótima opção.

 


 


 


 





Puerto Madero é o que causa maior contraste com o resto da cidade, um local com escritórios, restaurantes e atualmente muitos edifícios de moradias, um local para deixar os portoalegrenses tristes vendo nosso porto tão mal aproveitado! Numa outra oportunidade me hospedei por aqui e curti muito o cosmopolitismo de ruas fechadas para o esporte e a modernidade pulsante da região.

Do outro lado dos armazéns está o famoso Hotel Faena (http://www.faenahotelanduniverse.com/) , obra do arquiteto Philip Stark  que mistura elementos de um antigo prédio industrial com móveis de desing e decoração muito louca! Eu amei.

 


 


 


 

 


 


 


 





O Hotel oferece um show de tango intimista que é muito mais caro que outras casas da cidade , mas que para conhecer o hotel e quem sabe jantar no El Mercado ou no El Bistro, os dois restaurantes do hotel, seria uma boa dica.

 


 


 


 





Para finalizar indico o Museu Malba (http://www.malba.org.ar/web/informacion.php)  , do colecionador Eduardo Constantini,  guarda em seu acervo obras muito significativas da arte incluindo o nosso “Abaporu” de Tarsila do Amaral , ícone do Modernismo brasileiro. O Malba funciona num prédio especialmente construído para a Fundação Eduardo Constantini a partir de um concurso internacional vencido pelo estúdio cordobês AFT Arquitetos.

O Museu de Belas Artes também vale uma visita, não é um Masp, mas é de graça e tem um acervo com alguns artistas importantes. Como fica na Recoleta , depois pode-se esticar até o tradicional bairro chic da cidade , que na minha opinião está muito descaracterizado pelas bancas de camelô espalhadas por seus caminhos.

Bom, fica a dica para aproveitar nosso momento “da-me dos”, espero que curtam e nos mandem notícias de suas andanças por aí!

Me despeço com uma imagem das estradas do Uruguai , nosso caminho de volta.

No próximo post , dicas de Montevidéo!





Aloha Havaí!!!!

27 de abril de 2011 0


Hoje o nosso amigo e colaborardor aqui do blog vai narrar sua recente experiência no Havaí. Com vocês então Luciano Zanetello!



Aproveitando que teríamos um longo feriado na Páscoa, combinamos com nossa filha  morando na Austrália um encontro no “meio do caminho” e, fomos conhecer o Havaí.

Mesmo dos USA é uma longa viagem e como desconhecíamos, encaramos o vôo de 7: 30 hs ( Dallas / Hononolu ) só com líquidos pois , além de venderem a comida à bordo, estávamos na última fileira do avião e quando o carrinho chegou em nós a comida tinha acabado toda ………

Pegamos o carro no aeroporto e fomos direto para o hotel.

Hononolu é uma cidade moderna com toda a infra que sonhamos para Porto Alegre.


A volta na ilha proporciona belos visuais


Pôr do sol em Waikiki


A maioria dos hotéis na cidade ficam em Waikiki , um grande bairro a beira mar.

Quase todos os turistas restringem o Havaí a este lugar e fica difícil arrumar um lugar na praia .

A programação da maioria é praia até o meio da tarde e depois compras  pois nas calçadas e shoppings , estão presentes  todas as lojas de grife  com o atrativo dos preços americanos .

Saindo de  Waikiki, podemos dar a volta na ilha ( Oahu ) em 3:00 hs sem parar .

O problema é que não tem como não parar várias vezes !!!

Seguindo ao longo de Waikiki, logo passamos por Ala Moana . O mar é sempre cristalino e quente . Aqui temos a cratera de um vulcão extinto onde podemos fazer várias trilhas .

Seguindo, em seguida temos a reserva ambiental de  Hanauma Bay onde mergulhando , avistam – se inúmeras espécies de peixes , polvos , e tartarugas.


Hanauma Bay

A formação vulcânica da ilha proporciona belos constrastes entre a pedra preta, a areia bem branca e o mar azul ou verde dependendo do ângulo da observação .

Continuando nosso tour, chegamos ao famoso “North Shore” palco de algumas das melhores ondas do planeta .

Mesmo os que não curtem o esporte já ouviram falar em Pipeline, Sunset, Waimea e tantas outras.



Waimea Bay

 

 


 


Sunset Beach

 

 


Parque de diversões no North Shore


O pai do surfe e herói nacional Duke Kahanamoto


Apesar de já ter passado o inverno, grandes ondas faziam a festa das dezenas de surfistas .

No outro lado do mar, a paisagem é de grandes montanhas e extensas plantações de abacaxi.

Quando vamos nos aproximando de Hononolu pelo outro lado, deparamos com o Pearl Harbour Memorial.

Não temos como não nos emocionar ao visitar o mesmo local onde em  dezembro / 41 os japoneses desferiram um golpe quase mortal na frota americana.

O memorial do USS Arizona é tocante,uma simples passarela está colocada sobre o navio ( algumas partes são visíveis ) que é o cemitério de mais de 1500 marinheiros americanos.


Memorial do Arizona

 


As partes visíveis do Arizona

 


Monumento alusivo aos 52 submarinos americanos afundados na 2ª guerra


A culinária na ilha é cosmopolita  mas os favoritos aqui são os restaurantes japoneses e tailandeses .

De Hononolu, seguimos para São Francisco onde desceríamos a Pacific Highway até Los Angeles, uma estrada com algumas paisagens maravilhosas.

Mas isto já assunto para o próximo post!

Mahalo …..


Trilha ecológica da Praia da Ferrugem à Praia do Rosa.

25 de abril de 2011 10

Uma Páscoa em fins de abril é uma loteria para quem quer aproveitar os últimos dias de praia por estas bandas do sul . Resolvemos apostar e tiramos a sorte grande , foi melhor que no verão, dias lindos e noites enluaradas , num clima típico de outono límpido e sem vento.

Nosso programa mais interessante foi encarar uma trilha que liga a Praia da Ferrugem à Praia do Rosa, passando pelo Ouvidor e Praia Vermelha. É um trajeto puxado , num sobe e desce morro e completá-la leva quase duas horas , mas o visual compensa, principalmente quando o sol não está castigando muito.

Ao fundo vemos as Prais da Ferrugem e da Barra e a lagoa que deságua entre as duas praias.

Partimos da Barra em direção ao sul pelas trilhas do morro que abriga o projeto Gaia Village”  de caráter privado com foco em sustentabilidade. ” Ambiciona criar um exemplo de ambiente amigável para a interação entre a espécie humana e o todo. Foram do professor José Lutzenberger, em 1997, as primeiras formulações para a concepção desse projeto . Consubstanciado na propriedade da família Werlang , localizada junto da Praia do Ouvidor, Praia da Barra e Lagoa da Garopaba, município de Garopaba, sul do estado de Santa Catarina.” http://www.gaia.org.br/

Todo o caminho tem vegetação bastante densa e áreas de criação de búfalos do Projeto Gaia, um contraste maravilhoso entre o verde dos campos, dunas e o azul do mar. A gente nem cansa enebriado com a beleza da paisagem.

São uns 40 minutos de caminhada até a próxima praia, o Ouvidor, que se  abre como um oásis. Aqui não tem construções e nenhuma à beira mar, somente alguns campistas e veranistas que vem passar o dia. Não esqueçam de levar água , chapéu e protetor solar. Para os desavisados, com algum dinheiro no bolso , pode-se encontrar alguns locais que oferecem bebidas aqui nesta praia, mas preparem as garrafinhas, porque depois, só no Rosa.

A Praia Vermelha é uma praia particular sem acesso a não ser pela trilha partindo do Ouvidor. Mas o cuidado com os passeios foi redobrado por aqui e toda a trilha é demarcada com plaquinhas que indicam o melhor caminho. Uma subida forte nos espera neste trecho, muitos desistem e retornam neste ponto. Siga em frente que a Praia do Rosa é considerada das mais lindas do Brasil.

Estas cabanas são da do Pousada Fazenda Verde do Rosa, um local simples mas muito bem localizado à beira mar.

O entardecer de quinta-feira fez jus ao nome da praia , pintando o céu de cor-de-rosa em matizes encantadores. Logo após a lua nasceu no mar, não dava para reclamar da natureza!

Para uma noite que compense todo o sacrifício da caminhada do dia, a melhor pedida por aqui é o restaurante Lua Marinha. Com culinária focada em frutos-do-mar, foi lá que comi o melhor polvo do hemisfério sul. A boa notícia é que o restaurante não fecha no inverno e tem uma estrela do guia Quatro Rodas, para a sua localização quase escondida à beira da Lagoa de Ibiraquera , já é uma proeza e tanto.

O lugar é romântico e acolhedor, a decoração simples é emoldurada pela luz difusa das velas. Pedimos o famoso polvo com rizzoto de maçã verde e uma caipirinha de framboesa muito gostosa. Os camarões também fazem a fama do cardápio.

Os outros dois pedidos da mesa foram atum com cebola caramelada e arroz de beterraba e um polvo com batata e cogumelo shitake e tomates adocicados. Todos os pratos são muito elaborados e deliciosos, giram em torno de R$ 100,00 e servem duas pessoas.

Um dia perfeito para celebrar a Páscoa!

Porto Alegre - Colônia - Buenos Aires de carro

20 de abril de 2011 102

A idéia de passar o feriado em Buenos Aires surgiu um pouco “em cima do laço” e é claro que não conseguimos mais passagens aéreas. Partimos então para enfrentar os quase 900km por terra, uma empreitada para o pouco tempo disponível , mas resolvemos encarar como um passeio por terras e mares nunca dantes (por nós) navegados!

O câmbio está muito favorável , a grosso modo divide-se os valores por 2 e tudo está mesmo a metade do preço do Brasil. Nosso objetivo era turismo bem básico , pois o casal acompanhante era marinheiro de primeira viagem!

Saímos de Porto Alegre na quarta-feira ao meio dia e seguimos via Jaguarão, um caminho mais curto do que ir pelo Chuí , via Punta del Este. A primeira parte da Estrada , Porto Alegre -Pelotas é a pior de todas. A estrada, apesar dos vários pedágios,  é mal conservada e estreita. São 256km que levamos 3 horas para percorrer. De lá seguimos por uma estrada bem mais tranquila para Jaguarão, fronteira com Rio Branco no Uruguai.

Chegamos a tempo de comer um delicioso pancho uruguaio vendo o sol se por no rio, no Restaurante da Malu. Coincidências da vida, a Malu era uma amiga da época do colégio que morando em Pelotas resolveu abrir um negócio em Rio Branco, para aproveitar a zona franca e o movimento que os free shops trouxeram à cidade, olha onde fomos nos encontrar.

Na verdade não é muito difícil de encontrar alguém por aqui pois a cidade se resume a uma rua meio faroeste, com o free shop da Neutral e alguns outros armazéns de queijos e vinhos.

Depois de nos reabastecermos, seguimos até nosso primeiro destino que seria Montevidéo. Mais 400km de viagem pela Ruta 8 via Treinta y Três, uma estrada bem sinalizada e completamente vazia, a não ser pelo animais que cruzam perigosamente o caminho! Fomos recebido num apartamento no Bairro do Buceo, pelo melhor anfitrião que poderíamos imaginar, o Rodrigo Garcia. Caminhas arrumadas e uma reserva para jantar no Panini’s . O detalhe é que nosso anfitrião tem 19 anos! Este guri vai dar bom!

Panini’s : 26 de Marzo, 3586 – Puerto Buceo, (5982) 622-1232

O restaurante é muito gostoso, ambiente acolhedor e uma entrada de peixes e presuntos maravilhosa. O pratos mais interessante foi este risoto de parmesão com cordeiro.

Montevidéo é uma cidade bonita e muito tranquila, a orla em frente ao Rio da Prata tem um ar meio Rio de Janeiro, mas as pessoas são bastante tradicionais e  conservadoras. Não tivemos muito tempo por aqui, na verdade almoçamos no ponto mais tradicional da cidade , na volta! O mercado do porto é um programa imperdível e toda a região está sendo revitalizada num ambicioso projeto urbanístico. Nossa opção por aqui foi o tradicional Palenque.

O Teatro Solis, no centro, também foi reformado e está deslumbrante.

Com um dia radiante, nos despedimos de Montevidéo e seguimos para Colônia de Sacramento pela Ruta 1, por 175km. As paisagens bucólicas do Uruguai são um bálsamo para o olhar!

Colônia é uma joia lusitana que quase parou no tempo e é Patrimônio da Unesco desde 1995. Pomo da discórdia entre Portugal e Espanha desde sua fundação no século XVII, guarda na arquitetura bem conservada parte importante da história do país. As ruas arborizadas criam um ambiente mais poético com as folhas caindo e tudo é cuidadosamente mantido para criar um clima nostálgico! Sugiro passar uma noite por aqui , dizem que ao anoitecer tem-se a impressão de que o tempo realmente não passa por aqui!

É um lugar extremamente charmoso , com ótimas opções de gastronomia e algumas pousadas. O forte e o farol dominam a paisagem à beira d’água.

O restaurante mais famoso é o Drugstore, uma gracinha e onde estão os carros antigos com mesas postas dentro, não percam! Um detalhe, lembrado pela Ana Carolina Bolsson, é que muitos restaurantes em Colônia não aceitam cartão de crédito, incluindo o Drugstore.

De Colônia partem ferry-boats que chegam a Buenos Aires em 1 hora, uma maneira agradável de economizar alguns quilômetros na viagem. A estação do Buquebus foi recém inaugurada e é um luxo. Aqui vai o site para horários e preços: http://www.buquebus.com/cache/HomeARG.html

Nós optamos em deixar o carro num estacionamento , mais econômico e prático. Os três dias nos custaram R$ 32,00 e economizamos bastante stress no alucinado trânsito da capital Portenha, onde os táxis são muito baratos!

O melhor de tudo é ver Buenos Aires por este ângulo inusitado, desde o Rio da Prata!

Seguiremos em Buenos Aires e Montevidéo nos próximos posts!

Palestra Revolução Francesa por Voltaire Schilling

01 de abril de 2011 0

Prezados amigos,

Estamos convidando a todos para uma palestra que será proferida pelo nosso grande pensador e amigo

Voltaire Schilling.

Revolução Francesa: um panorama

 

Um tema ao qual o professor dedicou estudos aprofundados e nos conta com a fluidez de um romance,

característica, que quem já o ouviu em outras ocasiões, conhecem bem.

 

dia 05 de abril , terça-feira, às 18:30h

Encontros com Arte: Félix da cunha 1009 (auditório)

 

O professor está passando por uma situação delicada, sofrendo sérias acusações e nos sentimos no dever

de apoiá-lo neste momento. Por esta razão seria muito importante a presença de cada um.