Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2011

Chora, o coração pulsante de Mykonos

27 de junho de 2011 5

Chora ou Hora é a “capital” de Mykonos, é lá que, a partir das 19h, tudo acontece! Casais de todas as escolhas sexuais curtindo o entardecer,  jantares com visuais enluarados, baladas quando a noite se aprofunda. Nos seus portos chegam navios de todas as procedências , com turistas que nem chegam a se ambientar e já estão partindo para um próximo destino, perdem eles que não vão conhecer a famosa noite de Mykonos.

 

Mykonos tem um programa imperdível para quem está passeando pelas suas praias, curtir um pôr-do-sol em Little Venise, um recanto especial onde todos os restaurantes tem cardápio adaptado para este momento.

É por aqui que estão os famosos moinhos, cartão postal da ilha! Não deixem de conhecer o Aqua, uma taberna italiana com comida deliciosa bem na beira d’água.

Todas as ilhas gregas tem uma cidadezinha central , cheia de lojinhas com quinquilharias , ruas estreitas e restaurantes turísticos. Chora não foge a regra , mas posso apostar que é das mais charmosa e bem cuidada , além de ser bem grandinha e repleta de opções para todos os gostos e bolsos. Tudo é branquinho e recém pintado , cúpulas e janelas azuis , varandas floridas e muitos gatos se complementam como num quadro.


Partindo do Porto Velho vale desbravar as ruas principais, todas passeios de pedestres, onde cada recanto parece que foi montado como um cenário para ser fotografado. Me distrai tanto com fotos que esqueci até de comprar umas lembrancinhas para levar para os amigos, acho que vou fazer uns posters das fotos , que tal?

Mesmo parecendo cenário  ainda restam alguns moradores originais da cidade.

Uma das tradições mais legais por aqui é o costume de cada família ter a sua capela particular , sempre que as condições permitem. Os gregos são cristão ortodoxos e as capelas espalhadas pela ilha atestam a forte religiosidade do povo.

Mykonos pode não ser mais uma ilha  misteriosa, mas garanto que tem muito a oferecer a quem se dispuser a desbravá-la. 

Sábado de verão em Atenas

18 de junho de 2011 5

 

Estamos em Atenas, mas como em todos os lugares o noticiário da TV é bem diferente da realidade. Se você tem visto na TV que Atenas esta em conturbada situação politica eu lhe digo que aqui afora uma manifestação pacífica que tem acontecido todos os dias na praça do parlamento – Syntagma Square, tudo está muito tranquilo,e é uma pena toda esta situação econômica dificil para a Grécia, nós brasileiros que crescemos ouvindo falar em divida externa, FMI, sabemos muito bem do que se trata. mas como estamos aqui para desfrutar o que a Grécia tem de melhor eu dou está dica para quem vier a Atenas e quiser aproveitar um belo sábado de verão como os gregos.


Chegamos em Mikrolimanos depois de visitar o estádio olimpíco de Atenas o Panathenaic Stadium, perto do meio dia. Estamos em junho e o calor já é bem acentuado por aqui. Mikrolimanos é uma grande marina, cheia de restaurantes, cafés e barcos, muito barcos.

Estamos saindo hoje de Atenas em direção as ilhas, já cumprimos todo o protocolo, ou seja já visitamos a Acrópole, o Novo museu da Acrópole que é fantástico e eu super indico, pois muito da história da Grécia clássica está exposta lá de uma forma fácil e didática. Hoje´era um dia para relaxar, um sábado de verão para aproveitar sem grandes programações, apenas aproveitar a boa comida e a companhia, já que uns estão indo para Santorini e nós para Kephalonia.

 

Depois de andar um pouco descobrimos este restaurante muito charmoso, nada demais, mas com muito estilo e atitude.

 

Nos sentimos muito bem recebidos e percebemos que era um lugar frequentado pelos locais, quando li o menu, percebi que não tinha peixe grelhado, mas quando falei com o dono ele me  pediu para esperar um momento, e depois de alguns minutos chegou com este prato aqui:


Estávamos nos entendendo… e a partir daqui foi um festival de Polvo, Calamares, salada grega, tudo isso regado a um bom vinho branco seco da casa…

Salada grega clássica: Queijo Feta ( de cabra) azeitonas, tomates, pepinos, cebolas, pimentão e muito, muito azeite de oliva…

Um polvo grelhado só para abrir o apetite

 

Vinho branco da casa para acompanhar e animar a conversa.

O Calamares grelhado além de muito leve é ótima pedida.

Até que nosso prato chegou… mas uns queriam algo mais substancioso para acompanhar…

 

Que tal uma pazada de batatas fritas para acompanhar?

Depois desta farta e leve refeição o dono nos ofereceu de cortesia a bebida digestiva tipica grega, o “ouzo”

E para aqueles que ainda tinham algum espaço para adoçar o bico, que tal uma torta de chocolate?

Bom gente fica aqui a minha dica para uma manhã de verão em Atenas com os atenienses, é só pedir um táxi e tomar o ruma da marina em Mikrolimanos, tenho certeza que qualquer um dos restaurantes da marina fará você se sentir um grego, nem que seja por uma breve manhã de sábado!!

 

 


Restaurante Paraga

34, Akti Koumoundourou str,

Mikrolimano

Atenas

Vale do Amor - Capadócia

12 de junho de 2011 6


Vale do amor – nome ótimo e bastante sugestivo para um post no dia dos namorados!!! E com que você vai encontrar neste vale  nas formações de rocha vulcânica da Capadócia está de alguma maneira relacionado com o amor.

Chegamos lá no final da tarde quando o calor intenso já tinha amenizado. Insista com o seu guia, ou se for sozinho pergunte no seu hotel, pois este lugar não é dos mais conhecidos e visitados. Você não chega até lá de carro é preciso fazer uma trilha não muito longa, uns 20 minutos caminhando. Uma parte do nosso grupo foi a cavalo, e outro à pé.

O lugar é muito legal e estas sugestivos falos gigantes é o resultado de milhões de anos de chuva, vento sobre esta pedra macia, que também possibilitou a escavação da rocha para fazer cavernas que foram habitadas por muitos séculos até os anos 1950´s.

O leito seco de um rio é a estradinha que leva até o Vale do Amor

A turma do cavalo se preparando para a trilha.

Chegando lá esta era a visão….

E vejam a reação….

Foi muito surpreendente, como se os deuses quisessem fazer uma brincadeira conosco.

Nossa companheira de viagem, a Lizete já imaginou uma estória, quase um mito sobre os deuses que em algum momento quiseram fazer amor com suas esposas e estas não corresponderam a tamanha vontade. Os deuseus como castigo as teriam aprisionado neste vale com falos gigantes e sem a presença dos seus amados para sempre…. Puxa! Um castigo e tanto, pois as imagens não deixam dúvidas!

 

 

Para encerrar a caminhada no vale do amor nada mais apropriado do que uma happy hour ali mesmo, com várias iguarias “dos deuses” e a velha e boa bebida de Dionisio ou melhor de Baco – um bom vinho para acompanhar!

 

 

Espero que vocês tenham curtido tanto quanto nós, o vale do amor é um lugar muito especial da capadócia, por todas as razões :) e se você vier pra cá não deixe de ir até lá!

Deixo vocês com uma última imagem em homenagem a todos os namorados!

Experiência nos banhos turcos...

09 de junho de 2011 1

Está é minha terceira vez em Istambul e das outras vezes eu bem que tentei, mas não tive oportunidade de conhecer os famosos “hamam” que são uma espécie de sauna + massagem, enfim   uma tradição instituida aqui na Turquia.

Desta vez eu não me permitiria sair daqui sem ter conhecido aqueles que no passado instigaram o imaginário de artistas como  Delacroix e Ingres que através de suas telas exploraram este mundo dos harens, enfim dos prazeres mundanos.

Ato número 1: Perguntamos ao Halil, nosso querido guia turco, onde poderíamos ir a um hamam bom, com um pouco de receio de frequentarmos algum em que pudéssemos ser confundidas no nosso propósito, se é que vcs me entendem…

Ele nos indicou um banho turco muito interessante, histórico que existe aqui no mesmo lugar desde 1481!!!!!!!!!!  O Brasil nem tinha sido descoberto e eles já sabiam dos prazeres da vida!!!

Claro que existem 2 entradas diferentes, a mais bonita bem na frennte do prédio é a entrada dos homens, e virando a esquina quase num beco escuro e solitário, esta a nossa entrada… pobres seres diminuidos da sociedade, as mulheres!! :))))

Desculpem o texto longo, mas foi uma  experiência e tanto, na chegada combinamos o menu que incluia “full service”  calma, calma… traduzindo:  sauna, exfoliação da pele através de massagem com uma luva aspera e depois uma boa massagem de espuma, tudo isso ao custo de 95 liras turcas mais ou menos o equivalente a 100 reais.

A parte feminina funciona desde 1963

 

 

na parte superior tem as cabines para a gente se trocar e deixar as coisas chaveadas, bem tranquilo.

 

Uma pena que a sala do Hamam propriamente dito não foi possível fotografar, mas era uma sala com uma grande cupula onde tinha alguns buracos que formavam um desenho geometrico por onde passava a luz através de vidors coloridos, muito legal. A sala era toda revestida de marmore branco e rosa com um grande bando quadrado de mármore no centro onde as moças do Hamam fazem a exfoliação e o banho de espuma. Toda volta da sala tem torneiras que caem em umas bacias de mármore com umas tigelas de bronze para a gente se molhar, para espantar o calor da sauna.

 

Então aqui fica a minha dica para aqueles que estão pensando em ir a Istambul, não deixem de passar por esta experiência, é maravilhosa e vamos combinar que depois de um dia de caminhadas e explorações nada melhor do que uma massagem e um bo banho turco!!

Endereço do Hamam:  Tarihi Galatasaray Hamami

                                               http://www.galatasarayhamami.com/

Tudo começa em Sultanahmet, a primeira colina de Istambul

07 de junho de 2011 20

O bairro de Sultanahmet, com a Santa Sofia e a Mesquita Azul ao longe

Istambul é a única cidade do mundo em que uma pessoa sai para trabalhar pela manhã e volta à tarde fazendo uma “viagem” intercontinetal. Basta cruzar a ponte do Estreito de Bósforo que se vai da Ásia para a Europa , sem sair da mesma cidade. Viver aqui é, literalmente, estar no cruzamento de dois mundos e de muitas culturas.

 

Começamos nossa “jornada” pelos pontos imperdíveis de Istambul , lugares que todo o turista, ou não, tem que conhecer nesta diversificada metrópole. A Mesquita Azul  é um dos maiores ícones religiosos e culturais, uma construção do século XVII, nova para os padrões milenares das ruínas romanas e bizantinas que ainda vamos encontrar por aqui. Istambul antes de ser turca, foi uma cidade grega chamada Bizâncio,  capital do Império Romano do Oriente e com o nome de  Constantinopla, capital do Império Bizantino.

Ansiedade, um mundo novo se descortina! O Islã baseia-se em preceitos que muito já ouvimos falar , mas que pouco conhecemos realmente.  O pátio das abluções tem várias torneiras que facilitam a purificação anterior à reza.

Pátio da Mesquita Azul

Para quem nunca visitou um país muçulmano este contato inicial é impactante, mesmo a Turquia não sendo um país nada ortodoxo em termos religiosos. A Mesquita Azul , denominada assim em função de sua decoração interna  com azulejos em padrões azulados, é um ponto turístico mas principalmente um local de oração, onde se pode ver pessoas em prece nas 5 rezas diárias e é fechada a visitação durante o culto mais importante das sexta-feiras.

Cúpula da Mesquita Azul

 Azulejos em Estilos Iznik na Mesquita Azul

Não é necessário cobrir a cabeça para visitar uma mesquita na Turquia, mas o lenço é aconselhável pois o colo ou os braços descobertos podem ser envolvidos caso necessário.

 

Nossa segunda visita do dia foi a Basílica Cisterna,também no bairro de Sultanahmet, era uma cisterna subterrânea construída no século VI pelo Imperador Bizantino Justiniano e que ficou perdida até o século XIX. Nesta época, seguindo relatos históricos de que por ali haveriam cisternas enterradas, pesquisadores escavaram embaixo de casas onde os moradores tinham o estranho hábito de pescar em plena sala de estar!

Um palácio subterrâneo, onde a iluminação e a música  criam um clima místico . Um ambiente fresco e de muita tranquilidade, apesar da quantidade de turistas circulando.

Passarelas de madeira sobre uma lâmina d’água dão acesso a uma enorme edificação que já alimentou  grande parte de Constantinopla e também do Palácio Topkapi, antiga residência dos sultões turcos. As cúpulas lembram a Mesquita de Córdoba, na Espanha, em arcos de tijolos e uma floresta de colunas. Os capitéis das colunas variam em formato e estilo, sendo várias aproveitados de construções anteriores.

Medusa , na Basílica Cisterna

Nossas aventuras estão recém começando , um abraço dos novos “turcos’ para todos que nos acompanham!

Istambul- perdidas no oriente....

05 de junho de 2011 15

Chegamos em Istanbul ao cair do dia, e conto para vocês… dificil não se surprrender e não se encantar. Esta mistura da modernidade ocidental e do exotismo oriental e muçulmano é sempre fascinante. Estamos hospedados no Pera Palace, um hotel histórico onde já se hospedou Agatha Christie, porque este hotel era o fim, ou começo da rota do mítico trem Expresso do Oriente, e foi aqui que ela buscou inspiração para escrever seu célebre livro Assassinato no Expresso do Oriente.

Aqui também tinha uma suite particular Mustafa Kemal, mais conhecido pela alcunha de Ataturk, ( pai dos Turcos) que foi o grande idealizador da democracia e da Turquia de hoje, mas ok, ok não vou ficar contando a estória deste que foi um dos maiores politicos e estrategistas da história. Vou contar desta Intanbul mais mundana, mais próxima. Agora mesmo  abrimos a porta da sacada do hotel que tem uma linda vista para o Corno de ouro e ouvi o chamado do Muezin para a oração, e neste momento minha cabeça voaaaaaa!!!

Desculpem, mas acho tudo isso muito legal, me faz sentir cidadã do mundo.

 Enfim queria contar para vocês deste museu que visitamos ontem, chamado de Istanbul Modern,  é o equivalente a Tate Modern londrina, um museu de arte moderna que não fica nada atrás de nenhum museu do mundo, muito antes pelo contrário, o lugar é bárbaro, além de ter obras incríveis dos artistas contemporâneos turcos, fica nas margens do estreito de Bósforo.

Agora parem e imaginem, aquele mar muuuito azul, depois de apreciar as obras de arte, sentamos no bar/restaurante muito transado, com um ótimo vinho turco da região da Anatólia, o que eu poderia querer mais????

Vista do Hotel Pera Palace, o Corno de Ouro que divide a parte européia sul da parte európéia norte da cidade.

 

                                   Hotel Pera Palace

 

Quarto de Agatha Christie

 

Terraço do Pera Palace

 

Entrada do Museu de Arte Moderna de Istambul.

 

 

Esta tela que esta à esquerda na foto é como se fosse um pathwork de tecido, é lindo, muito expressiva a foto da artista.

 

Olhem que legal esta instalação feita com livros pendurados na sala de leitura e pesquisa do museu.

 

O restaurante/bar do museu.

 

Com esta vista…

Na saida no jardim do museu eles colocaram vários paineis em branco onde vários artistas grafiteiros estavam em plena execução de trabalhos.

 

 

Eu espero que vocês tenham curtido tanto quanto eu… depois disso  atravessamos a Ponte Gálata e fomos rever a Haia Sofia e a Mesquita azul e demos uma passadinha no Grand bazar, porque umas comprinhas são boas e ninguém é de ferro né??

mas ainda vou contar muitas outras coisas deste pais tão legal e diferente!!

Salam Maleikon!!!!

02 de junho de 2011 3

“Turquia com Arte”

 

Amanhã partimos em mais uma aventura.

Acompanhem os camelinhos em posts que vão traduzir em imagens ,

palavras , sons e, quem sabe, até aromas,  nossas experiências em Istambul,

Capadócia e litoral do Mediterrâneo.

 

 

 

Aix en Provence nos passos de Cézanne

01 de junho de 2011 8

Como eu já havia adiantado aqui passei 15 dias na Provence,  alugamos um ótimo apartamento em Aix, e a partir  dali exploramos a região em todas as direções. As vezes o cenário da Provence lembra um pouco a Toscana, ambos são lindos, com seus ciprestes, trigais, pequenas estradas onde se fecham alamedas de plátanos.

O que existe de especial em Aix é que é a cidade onde Cézanne nasceu , e fora pequenas temporadas em Paris, onde ele fez parte do grupo Impressionista de Monet, Renoir, etc, ele passou a maior parte da vida aqui. Cezanne é um grande artista, considerado o pai da arte moderna ( se é que existe tal coisa).

Para aqueles que gostam da arte de Cézanne, Aix oferece muitas opções, aconselho que antes de tudo você faça uma visita ao Museu Granet, onde tem algumas obras do artista que retratam as paisagens da região, algumas do Monte St Victoire, um maçiço de montanhas que domina a paisagem.

Feito isso você agora já mais familiarizado com o mundo de Cézanne vai ter outro prazer quando se deparar com as paisagens pintadas em suas telas. A paisagem mudou pouco, e Aix é uma cidade que tem um centro histórico pequeno, fácil da gente dominar e aprender seus caminhos, e ao mesmo tempo é uma cidade universitária alegre, com muitos restaurantes e bares, não é daquelas cidades que as 10h da noite fica fantasma, ao contrário a noite depois do forte do calor as pessaoa ganham as ruas e, é só sentar numa calçada da Cours Mirabeau com um bom vinho rosé e a distração está garantida.

Cours Mirabeau, o cartão postal mais conhecido de Aix, comparada a Champs Elisées de Paris.

 

Cours Mirabeau em dia de mercado

 

Durante a semana tem vários tipos de mercado pela cidade, na própria Cours Mirabeau tem dias que o mercado é de antiguidades, que a gente encontra verdadeiras barganhas e coisas lindas. Outro dia a feira é de roupas, e outras feiras de frutas e legumes em outras praças da cidade.

Todos os caminhos levam a Fontaine de La Rotonde.

O escritório de turismo é muito preparado e tem várias sugestões de passeios tanto em Aix como nos arredores. Um dia pegamos um pequeno roteirinho que continha todos os passos de Cézanne, e passamos a manhã seguindo os símbolos dele no chão e o mapinha que nos deram no office de turisme.

 É assim que funciona, a prefeitura colocou estes simbolos pelo chão que vão guiando a gente aos pontos mais importantes da vida do artista, como a casa onde ele nasceu, a chapelaria de propriedade de seu pai, etc.

Foi muito divertido, como se Cézanne estivesse ali nos guiando pela sua querida Aix, vendo o lugar onde nasceu, sua escola, o Liceu Mignet onde ele se tornou amigo de Émile Zola, a casa de seus amigos retratados em telas suas, se eu já adorava Cézanne antes de toda esta intimidade, imagina agora.

Última casa de Cézanne.

Esta casa que chama Jas de Bouffan foi onde Cezanne morou grande parte de sua vida. Foi adquirida pelo pai de Cézanne quando este alcançou um status nunca sonhado, pois de proprietário de uma pequena fábrica de chapéus ele se tornou um banqueiro rico que nunca se conformou com a opção do filho em ser artista.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu adorei esta visita, pois a guia nos leva a vários pontos que são os exatos pontos de vista que Cézanne retratou neste lugar.

 À parte de Cézanne, Aix é uma cidade animada, gostosa que fica bem localizada, bom ponto para explorar a Provence em todas as direções.

 

 Se você quer dar um tempo de refeições mais elaboradas aqui vai uma dica: foi em Aix que comi uma das melhores pizzas de que tenho lembrança, e olha que eu já provei a pizzaria do Brás em São Paulo que também é nota 10. Esta chama-se  La Grange – 2, bis rue Nazareth – fica quase esquina com a Cours Mirabeau.

Outro restaurante bom que eu recomendo é o Le Patio – 16, Rue Victor Leydet, a decoração é muito legal e a comida também.

Muitas opções de bares para happy hour, dificil é escolher!

 

 Tivemos a oportunidade de conhecer a obra do artista polones, Igor Mitoraj , pois havia várias delas espalhadas pela cidade, figuras monumentais impressionantes. Obras inspiradas na tradição clássica, executadas com excelência, a grande maioria em bronze.


 

 

Muitas das esquinas da cidade estão sob a proteção de um santo, li que a cada peste ou desgraça que se abatia sobre a cidade eles agregavam um santo novo. O conjunto arquitetônico que mescla santos barrocos com grande influência clássica (herança dos romanos aqui na Provence) é ímpar e bastante harmonioso. 

Não é uma mistura interessante?

 Bom gente eu teria ainda mais dezenas de fotos pra mostrar pra vocês, pois fiquei encantada com a cidade, mas este post já está longo o suficiente. Tenho ainda vários passeios que fizemos pra estar aqui contando pra vocês, como no dia em que fizemos o roteiro do Peter Mayle, onde fomos a Lacoste, Menérbes, Oppede e as vistas fantásticas do Luberon, aguardem.

Deixo vocês com a imagem da última morada de Cézanne.