Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Fim de semana na fronteira oeste do Rio Grande - uma ótima opção!

21 de dezembro de 2011 25

Talvez muitos de vocês tenham muita vontade de conhecer mais do interior do Rio Grande e só estão esperando um empurrãozinho para zarpar.

Pegando a estrada, céus do nosso Pampa, lindo demais

Pois neste final de semana me fui em direção a fronteira oeste, eu tenho relação antiga com aquela região, pois a familia do Paulinho é de lá, “do” Alegrete. Os pelotenses dizem que são “di” Pelotas. Já os bageenses são “de” Bagé. E os alegretenses afirmam, com o orgulho natural dos que nasceram lá, que são “do” Alegrete. São da região, não só do Alegrete, mas de Uruguaiana, Quaraí, enfim são dos lados da fronteira oeste.

Chegando em Rosário do Sul

O rio Santa Maria bem baixo, a seca já começa a se fazer sentir

Você pode sair de Porto Alegre em uma sexta-feira , até Alegrete são em torno de 480km, a paisagem é muito bonita e a estrada é tranquila, nada parecido com a BR 116 ou a free way, ou seja, sem stress. Eu aconselho 3 lugares bons para parar no caminho: Primeiro ali perto da entrada de Cachoeira do Sul tem o posto Papagaio, muito bom e sortido, depois perto da entrada de Bagé tem o Posto das Laranjeiras com um espeto corrido que saiu até em um programa de viagens da TV francesa e por último o velho e tradicional Batoví, que fica na entrada de São Gabriel ( uma das alegrias da viagem do Marcelo são os pasteis do Batovi, uma verdadeira refeição)

Perto do Alegrete uma série de painéis homenageando a cidade através do célebre ” Canto Alegretense” do Nico Fagundes

Você está se perguntando ” tá a paisagem é bonita, mas o que eu vou fazer por lá”?? Bueno, então já lhe respondo. Eu aconselharia você a ir até Quaraí e lá atravessar a ponte que liga o Brasil ao Uruguay, e ir passear e fazer compras em Artigas, gente é claro que Artigas não é uma megalópole, mas tem um free shop bem legal, uma daquelas lojas Neutral, muito sortidas, e com o dólar mais em conta as coisas são muito acessíveis, e para mim a grande vantagem – é vazio!! Vocês imaginam que estamos há apenas 1 semana do Natal e no sábado de manhã a loja tinha poucas pessoas, filas pequenas, tudo muito bom. E se você gosta de comprar uns vinhos chilenos então, vai achar muita coisa boa.Eu comprei um Santa Helena reservado Sauvignon Blanc por U$ 4!!! Um Castillero del Diablo rosé por U$ 8. Fora que adoro comprar aquelas comidinhas para levar pra praia, tipo molho Barilla, alcaparras, azeite de oliva, perfumes, etc, etc. Depois tem uma loja uruguaia que chama Montevideo, de coisas para casa, que é uma verdadeira pechincha!

Cruzando a ponte que divide a cidade de Quaraí da cidade de Artigas, no Uruguay

Artigas, uma cidadezinha muito simpática com um comércio bem sortido

Cerro do Jarau, que fica no municipio de Quaraí, local que figura a lenda gaúcha Salamanca do Jarau, criada por José Simões de Lopes Neto, onde conta a história da princesa moura (Teiniaguá, como também é conhecida por muitos) que se abriga em uma furna do Cerro do Jarau.

Feito isso você pega a Br 290 de novo e segue até Uruguaiana que  tem ao menos 2 hotéis bem bons para ficar, o tradicional Hotel Gloria 

http://www.hotelgloriauruguaiana.com.br/

E um mais novo que é o Hotel Presidentehttp://www.hotelpresidenteuruguaiana.com.br/

E vamos combinar que cidade de fronteira tem lá o seu charme. Uruguaiana está muito bonita, ruas arborizadas e uma praça central totalmente renovada com um ótimo restaurante na praça e um café que tem muitas coisas boas para se aperitivar, chope gelado, assim no meio da praça, das árvores, uma bela opção para uma noite de verão.

Café da praça ( foto Angela Linhares)

Ponte que liga a Argentina com o Brasil em Uruguaiana (foto Angela Linhares)

Por do sol em Uruguaiana, sob o Rio Uruguai

 No dia seguinte você atravessa a ponte o vai até Paso de los Libres na Argentina, o Peso está bastante desvalorizado em relação ao Real, em consequência disto as coisas estão muito acessíveis pra nós por lá.

Aduana entre Uruguaiana e Paso de los Libres

Tem uns lugares que sempre confiro quando vou a Libres, uma é a loja chamada Zona Franca, tem de tudo em termos de vestuário, camisas Legacy, Brooksfield, Lacoste, La Martina a gente faz a festa. Depois tem a Rural  que tem aquelas coisas argentinas legais como mateiras de couro, coisas de prata, cuias com borda de prata, panos, porta retratos de prata, enfim todas aquelas coisas bacanas que só tem lá. Sem falar que eu adoro dar uma passadinha no super mercado eles tem umas coisinhas diferentes e muito boas.

Nosso Pampa é um lugar incrível com uma riqueza cultural imensa, quando vou para a estância acho bárbaro observar como o gaúcho do campo valoriza suas raizes e tradições, seja na maneira de vestir, de se comportar, de montar a cavalo, tocar o gado. São valores dos quais eles se orgulham e passam aos filhos. É bonito de ver.

Gauchos em dia de festa na Estância

O chimarrão ou mate, eterno companheiro

Brincando de tiro de laço

O assado de ovelha não pode faltar

 

Passear pelos campos de dentro, estrardinhas secundárias, além da paisagem ser linda, de vislumbrar aquele horizonte ao longe de um “mundo grande sem porteira” você ainda pode ter a sorte de ver de perto muitos animais tipicos da região.

Dois filhotinhos de Graxaim, ou Zorro como é chamado na fronteira

Bando de Emas

Capivaras nos açudes

Termino este post com uma foto do por do sol no Cerro do Jarau, espero que vocês tenham gostado. Se gostaram curtam a página do Viajando com Arte (https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/)  no facebook para receber nossas atualizações.

 “A cultura é aquilo que permanece no homem quando ele já esqueceu todo o resto.”
( Émile Henriot )

Comentários (25)

  • Uca diz: 21 de dezembro de 2011

    Nosso riogrande é muito bonito e tem muito por se conhecer, estivemos de quinta à domingo em Jaguarão, q passeio lindo, o tempo muito bom, desde Guaiba, Pelotas, Pedro Osório,Jaguarão e demos um pulo até Rio Branco. Vou pegar as tuas dicas para seguir também esse itinerário, que coisa espetacular, lindo, obrigada.

  • Sheila diz: 21 de dezembro de 2011

    Oi. O texto tá ótimo, mas a música “Canto Alegretense” é dos Fagundes, não do Gaúcho da Fronteira. Se não estou enganada, é letra do Nico e música do Bagre.

  • Eduardo Echeverria diz: 21 de dezembro de 2011

    Faltou Sant’ Ana do Livramento e Rivera!

  • mara Regina de Lima Biasi diz: 21 de dezembro de 2011

    Lamento não teres vindo de Uruguaiana até o nosso Itaqui.Com certeza,sem falta modéstia o nosso rio uruguai é bem mais bonito que o por do sol de Uruguaiana.UM abraço.Na próxima não deixa de dar uma passadinha no nosso Itaqui Grande,com certeza não vais te arrepender,poi brilhamos pela hospitalidade.

  • Romildo leite diz: 21 de dezembro de 2011

    “Canto Alegretense” do Gaucho da Fronteira? Tem de dar o crétido à quem de direito. O Gaucho da Fronteira é certamente 1 dos milhares que gravou esta música. Famoso mesmo é o autor. Nico Fagundes

  • Rondon Cademartori de Moura diz: 21 de dezembro de 2011

    Mas Tchê, que barbaridade! Deixaste o ITAQUI de fora da tua reportagem.
    Lá tem o mais bonito por do sol da fronteira oeste e talvez do Rio Grande do Sul , o Rio Uruguai com o Cais do Porto e a Casilha do Porto, que são uma maravilha e na divisa de Uruguaiana com a beleza do Rio Ibicui e sua ponte.
    A cidade do ITAQUI cada vez mais urbanizada é o verdadeiro “Portal do Rio Grande do Sul”, conforme as mais fidedignas fontes da História da Colonização do RGS.
    Os Itaquienses só te perdoarão se fizeres uma reportagem fotográfica, como a acima, exclusiva sobre ITAQUI.
    Rondon

  • mylene_rizzo diz: 21 de dezembro de 2011

    Oi Rondon ,
    Com esta descrição apaixonada , ficaste na obrigação de mandar um post completo sobre Itaqui! Com fotos.
    Eu também não conheço e fiquei super tentada.
    Um grande abraço
    Mylene Rizzo

  • Zenia Aranha da Siveira diz: 21 de dezembro de 2011

    Adorei!!!!!!!!!!! Gurias, que fotos lindas e que passeio gostoso com direito a compras e tudo mais. Parabéns pela valorização da nossa fronteira da nossa tradição .

  • Leo diz: 22 de dezembro de 2011

    O que vocês têm contra Santana do Livramento, que não foi citada? Cadê o Parque Internacional, o Cerro de Palomas, os Free Shops de Rivera?

  • Francisco diz: 22 de dezembro de 2011

    o que torna o pôr do sol de Itaqui mais bonito que o de Uruguaiana?
    a paixão dos seus nativos. pros nativos de Uruguaiana, o de Uruguaiana é bonito!
    não tem cabimento uma comparação dessas, tão sem fundamento!

    viva a pátria grande, fronteira véia sem portas para a história!

  • Marilia diz: 22 de dezembro de 2011

    Muito legal, saudades dos Pampas! E dou fôrça ao Itaqui!
    Abração!
    Marilia

  • Silvio Arigony diz: 22 de dezembro de 2011

    Bom dia.
    Acho que vcs esqueceram de citar as belezas e a importancia que a cidade de DOM PEDRITO tem para o RS, como a beleza dos campos do PONCHE VERDE, onde há o Obelisco da PAZ, cujo tratado de PAZ foi assinado na Revolução.

    E por gentileza, corrijam o nome popular, na fronteira, do graxaim, que é SORRO, e não zoro.

    Mas a matéria ficou muito boa, PARABÉNS!!!

  • FERNANDO diz: 22 de dezembro de 2011

    Gostei muito da reportagem , la no Jarau alem da salamanca tem a Cabana do pai Joaquim que faz parte da mesma lenda , e gostaria de corrigir se me desculpa que graxaim na fronteira é “SORRO” e não Zorro como foi publicado, mas enfim muito boa a reportagem e finalmente alguem falando pela a fronteira do nosso RS , onde estão os prefeitos que não ativam suas secretarias de turismo para fazer propaganda de suas cidades, o turismo é uma das grandes fontes de rendas dos municipios , gera empregos , impostos e tudo o mais.

  • Ela diz: 22 de dezembro de 2011

    Bah, mas essas fotografias são uma verdadeira pintura!!! Q orgulho!!!

  • ricardo murillo diz: 22 de dezembro de 2011

    Muito importante o teu depoimento. A fronteira tem que receber incentivo ao turismo.é uma forma de alavancar o desenvolvimento. Gostei muito das referencias sobre nossa Quarai Querencia Querida e seu Cerro do Jarau. Veja no site indicado mais informações sobre este lendário lugar. Parabéns pela visão simples e verdadeira sobre nossa região.
    http://www.cerrodojarau.webnode.com.br …Obrigado

  • Rafael Brignoni diz: 22 de dezembro de 2011

    Tchê, moro no Mato Grosso a 11 anos, e a saudade do pampa só matamos parcialmente com o chimarrão.
    Aqui entre os amigos mudamos a sigla do Rio Grande do Sul (RS) para (RA) Riogrande Amado. Grande abraço a este chão maravilhoso.

  • Chica Cademartori diz: 22 de dezembro de 2011

    Parabéns…..

    Pelas postagens …as fotos muito bonitas…..fiquei com pena de
    Itaqui…mesmo…que não entrou…..Sugestão:
    Poderia tirar umas duas fotos do centro de cada cidade…
    para todos inclusive eu conhecer mais nossas cidades…vizinhas…e
    amigas…..
    [
    Abraço ao Autor (a)

  • Luiz Paulo Nunes Milani diz: 21 de março de 2013

    Bom texto. Mas devo corrigir que o escritor de A Salamanca do Jarau não é José Simões e sim João Simões Lopes Neto. Grande escritor de Pelotas-RS.

Envie seu Comentário