Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2012

Entrevista para ANBA - Agência de Notícias Brasil Árabe

30 de setembro de 2012 0

Com arte e história

Projeto leva turistas para conhecer a história e a arte de países como Marrocos e Egito. Visita privada ao Museu do Cairo e aula de culinária em Marrakesh estão nos roteiros.

Isaura Danielisaura.daniel@anba.com.br

Egito já foi visitado duas vezes

Que tal ir ao Museu do Cairo à noite, em uma visita privada só para você e seu grupo de viagem? Ou então ter aula de culinária no Marrocos e fazer um acampamento quase personalizado no deserto do país, tendo ao lado guias especializadas, explicando em português os pormenores da arte e da história do local? Essa é a proposta de duas empreendedoras de Porto Alegre, capital gaúcha, que organizam viagens cujos roteiros têm como foco o conhecimento da história e da arte dos países e cidades.

Divulgação 

Marrocos: acampamento no deserto

O projeto se chama “Viajando com Arte” e promove entre duas a três viagens para diferentes países por ano, incluindo nações árabes. Já estiveram na rota França, Egito, Marrocos, Turquia, Rússia, Itália, Espanha e Peru. A iniciativa existe há seis anos e para o Egito foram feitas duas viagens, em 2007 e 2008. “O Egito é a nossa menina dos olhos, já tínhamos planejado outra viagem para 2013″, diz Mylene Friedrich Rizzo, uma das fundadoras do Viajando com Arte, explicando que o roteiro foi cancelado em função da situação ainda pouco estável no país.

Divulgação 

Paisagem do cruzeiro no Nilo

O grupo que viajou para o Egito, por exemplo, fez uma viagem de cruzeiro pelo rio Nilo, voou de balão sobre o Vale dos Reis e visitou o Museu do Cairo à noite, tudo com a devida explicação histórica de Rizzo e sua sócia Clarisse Zanetello Linhares. O Marrocos foi destino há cerca de três anos e lá os viajantes fizeram um acampamento noturno no deserto, para onde foram de camelo e tiveram recepção de músicos, com fogueira e tudo. Também tiveram aula de culinária em Marrakesh.

Divulgação 

Aula de culinária em Marrakesh

Rizzo explica que há história e arte no roteiro, mas as viagens podem ser definidas como de experiência. “Damos toda a informação histórica e mostramos as coisas artísticas mais importantes, mas não é só cultural, também vamos a bons restaurantes, ficamos em ótimos hotéis”, conta Rizzo. Tanto que aventura também é um ponto forte. Na Itália, por exemplo, o grupo fez uma visita noturna e privada à Capela Sistina do Vaticano, no Peru foi feito piquenique no Vale Sagrado diante das Ruínas de Pisac, na Turquia o grupo passeou a cavalo no Vale do Amor e teve jantar com violinos nas Ruínas de Éfeso.

A próxima viagem prevista será a primeira nacional, para o Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico Inhotim, na cidade de Brumadinho, em Minas Gerais, em outubro. Rizzo e Linhares vão acompanhar os organizadores da Bienal do Mercosul, mostra de arte que ocorre em Porto Alegre, para conhecer o local que é um dos melhores do mundo em arte contemporânea. Também haverá, em novembro, viagem para Nova York com o tema “Arte e Moda”, com passagens previstas por três museus de moda e pontos de moda. Em 2013 estão no roteiro México, Tailândia e Camboja. Para 2014, Marrocos e Turquia.
Quem operacionaliza as viagens para Rizzo e Linhares é a agência Porto Brasil Viagens. As duas começaram a atuar na área há cerca de dez anos, quando passaram a oferecer cursos e palestras sobre história e arte em um projeto pessoal chamado “Encontros com Arte”. Como os alunos começaram a pedir que elas os acompanhassem em viagens, surgiu a ideia do “Viajando com Arte”. “Surgiu da necessidade das pessoas não ligadas à universidade quererem saber mais de história, de cultura”, conta Rizzo. 

Rizzo é formada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e também tem pós-graduação em História do Brasil pela Faculdade Porto Alegrense (Fapa). Linhares é graduada em Publicidade e Propaganda pela PUC-RS e sempre fez estudos alternativos sobre História. Segundo Rizzo, a maioria dos turistas que viaja pelo projeto é mulher e gaúcha. Mas segundo ela, devido à visibilidade tida nos últimos anos, o “Viajando com Arte” passou a levar também pessoas de outros estados do Brasil.

Reflexos da Amazônia

28 de setembro de 2012 2

Texto e fotos: Luciano Leoneti Terra

O Brasil está cada dia mais em exposição no mundo todo. Com as tão esperadas Copa do mundo de 2014 e Olimpíadas do Rio 2016 a curiosidade de outros povos em relação ao país aumentou substancialmente. Antes o Brasil era visto apenas como um país qualquer da América Latina, porém agora, considerado uma das maiores potências econômicas do mundo, já é visto como o futuro, e porque não o presente, para investimentos de larga escala e local para migrar e construir uma nova vida.

Os brasileiros que adoram viajar pelo mundo têm ouvido pessoas falarem sobre todos esses eventos e recebem cada vez mais  dezenas de perguntas sobre como é o Brasil e se há por aqui belezas dignas de uma visita. A maioria dos estrangeiros curiosos conhece o Brasil por pelo menos três coisas: carnaval, futebol e amazônia. De futebol e carnaval todo cidadão brasileiro é um doutor (gostando ou não, já está impregnado no seu DNA). Por outro lado, sobre floresta amazônica a realidade é outra.  Poucos que conheço têm intimidade com essa parte do nosso território e poderiam relatar algo mais do que informações geográficas que o curioso teria como buscar em qualquer livro escolar.

Em nosso ávido apetite por arte e culturas distintas, migramos para os mais remotos lugares do mundo em busca do diferente. Entretanto, esquecemos muitas vezes que o diferente pode estar muito mais perto do que imaginamos e que em nosso próprio país há culturas e povos dignos de uma apreciação mais demorada. Muitas vezes esquecemos, ou queremos esquecer, que vivemos em um país indígena com uma cultura riquíssima e que é isso que nos diferencia do restante do mundo. Vejo muitas vezes certo constrangimento, e até indignação, quando um brasileiro é questionado no exterior se o Brasil é repleto de florestas. Ignorâncias a parte, como aquele questionamento de alguns estrangeiros sobre jacarés e macacos circulando pelas ruas das grandes cidades, será que não está na hora de nos orgulharmos de nossas matas e usarmos isso para orientar o curioso e explicar-lhe que temos sim matas maravilhosas e que, apesar de termos uma das maiores cidades do mundo, ainda assim somos um país rural e que se orgulha de sua natureza? Será que ao sermos questionados não ficamos mais indignados pela nossa ignorância em falar de nosso próprio país?

Com o intuito de aprimorar um pouco mais a minha brasilidade e incrementar a minha cultura na arte do viver, rumei, há alguns meses, para o coração da Amazônia. Havia estado lá apenas uma vez e a vontade de retornar sempre esteve presente. Desde a primeira visita o por do sol às margens do rio negro não me saía da mente. As cores da Amazônia são vibrantes e a natureza é algo indescritível. Ao cair do sol a mata se incendeia em laranjas e vermelhos que se confundem com as árvores e ofuscam o seu verde. Como se todo o planeta fosse aquecido. Fico imaginando que quadro Van Gogh teria pintado se tivesse vivido por aquelas bandas. Quem “pintou a Amazônia” em um final de tarde deve ter tido um surto psicodélico e ter jogado toda a sua paleta de cores quentes de uma só vez sobre a tela!

Este mesmo pintor enlouquecido, não contente com apenas uma Amazônia, resolveu colocar ali espelhos d´água que refletem toda essa beleza e transformam a mata em duas. Uma overdose de cores e sombras nesse quadro pintado por uma artista acima de qualquer crítica.

O ponto de partida para todos os melhores passeios é Manaus. Lá você poderá encontrar hotéis para todos os gostos e bolsos. As opções não são muitas, porém dá para achar uma que caiba em suas necessidades. Também de lá é que saem os transportes para a maioria dos hotéis de floresta, caso esse seja o seu desejo.

Com seu auge nos tempos da borracha, Manaus ainda preserva algumas de suas construções daquela época. Não deixe de visitar o Teatro Amazonas e o Palácio Rio Negro, dois exemplares da arquitetura de uma época de muita abundância. Uma das curiosidades que mais me chamou a atenção foi o calçamento ao redor do Teatro. Todo feito de borracha, para que o barulho das carruagens e carroças da época não atrapalhassem os espetáculos, ainda está lá preservado em uma boa parte do entorno do mesmo. A visita ao centro histórico da cidade é feita em um dia tranquilamente. O interesse pela região com certeza tem que ser a natureza ao seu redor. Com ela você poderá gastar quantos dias achar necessário.

As opções de passeios pela floresta são muitas. Desde um simples passeio de barco para ver o encontro das águas do Rio Negro com o Solimões até um mergulho com botos cor de rosa, você poderá visitar uma tribo indígena, ver cachoeiras, sobrevoar a mata em um hidroavião e muito mais. Se quiser há até cruzeiros pelo amazonas. É só falar com seu agente de viagens e escolher as melhores opções.

Entre todos os programas que você poderá fazer na região amazônica, um deles é primordial: A CONTEMPLAÇÃO. Sim, deixe o seu estresse aqui no asfalto e se embrenhe na mata com calma. Contemple cada momento e cada som. Tente enxergar a população local com outros olhos e ouça suas histórias com interesse. A Amazônia é uma região para se visitar despido de pré-conceitos e de uma suposta superioridade. Ou você se deixa envolver, ou irá voltar da mesma forma que chegou lá. Respire o ar úmido da mata e sinta o calor que vem de suas entranhas. Deixe que as águas dos rios reflitam o seu interior e use esses momentos para ver o planeta com outros olhos. Sem demagogia: tente entrar em sintonia com a natureza. O sentimento de pertencimento a um todo maior é inevitável. Lá, templos gigantescos são desnecessários. Não tenha a doce ilusão de que, por não haver construções góticas, renascentistas, medievais, modernistas, etc., a Amazônia seja um lugar menos digno.   Para que construções feitas pelo homem se você está dentro de uma das maiores construções divinas?

O divino se revela a cada reflexo na água, a cada árvore gigantesca, a cada revoar de pássaros. O sagrado que está em cada momento é revelado àqueles que se deixam conduzir pela natureza. Se você quiser ser contagiado por tudo isto, fica a dica.

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187


Descobrindo o Central Park por Luciano Terra

27 de setembro de 2012 0

Imagine o cenário: uma tarde de outono ensolarada, temperatura amena, leve brisa soprando entre as árvores e lançando suas folhas já amareladas sobre um gramado impecavelmente verde e bem aparado. Pessoas indo e vindo em suas bicicletas, ou correndo em suas roupas de ginástica impecáveis. Já outras na contramão repousando calmamente na sombra de uma árvore e lendo seus livros ou escutando seus MP3. Passeios, trilhas, lagos e muitos monumentos já conhecidos e famosos. Isto tudo emoldurado por prédios de arquitetura moderna e clássica espalhados por todos os lados e que podem ser vistos de qualquer parte ao fundo, apenas como um complemento da paisagem. Conseguiu imaginar? Se sim, bem vindo ao CENTRAL PARK!

CENTRAL PARK COM THE PLAZA AO FUNDO

 

Este parque é um capítulo a parte em NYC. Em contrapartida à agitação e a esterilidade de uma “selva de concreto” (o que acho particularmente interessantíssimo) este parque é um oasis de verde e vida dentro da metrópole. Nele você poderá respirar um ar com cheiro de mato e se embrenhar, literamente, em um emaranhado de árvores, arbustos e trilhas que mais lembram uma floresta fechada! Por outro lado, você poderá caminhar em passeios impecavelmente bem cuidados e admirar cada recanto desse lugar maravilhoso. Pegue um guia e desbrave cada pedaço lentamente. Vá com calma, se permita sentar um pouco e “respirar” a natureza. Os meus recantos preferidos são: Conservatory Water (com seu laguinho e café impecáveis e as esculturas de Hans Christian Andersen e Alice no país das maravilhas), Belvedere Castle (onde você terá uma vista muito bonita da região), o gramado de Great Lawn (para momentos de descanso em um gramado impecável e com árvores lindas) e a Bethesda Fountain and Terrace (para mim o local mais bonito do Central Park, com seu anjo e arcos tão famosos e já vistos em tantos filmes. Um local para sentar e deixar a vida passar. Curtir as pessoas que flanam por lá e se sentir em casa! Tive momentos de pura magia neste local). E ainda, se for inverno, não deixe de ir patinar no Wollman Rink e se for com crianças, ou não, visite o Central Park Wildlife Center (um mini zoo e “cenário” do desenho animado Madagascar, lembra?)!

BETHESDA FOUNTAIN

DETALHE BETHESDA FOUNTAIN

O Central Park muda de cara a cada estação e pude perceber isto agora na minha segunda vez por lá. Na primeira tinha ido no inverno e ele estava coberto de neve, outra maravilha. Da última vez fui no inicio de outono, as árvores estavam começando a ficar amareladas e as folhas de plátano já se espalhavam pelos gramados verdes. Como escolher a melhor época? O ideal é ir uma vez em cada estação e curtir a beleza e a magia de cada uma delas!

CENTRAL PARK

STRAWBERRY FIELDS

Por outro lado, não esqueça também que o Central Park é “emoldurado” por 2 avenidas (Park West e 5ª. Avenida) e que ambas valem uma caminhada. Na primeira delas você encontrará o Museu de História Natural (imperdível!!) e os endereços mais caros de Manhattan em prédios mais que exclusivos. Lá não adianta você ter milhões de dólares para pagar por um apartamento, você terá que ser aprovado por um conselho interno e sua vida será totalmente devastada por ele. Madonna já foi rejeitada em um deles! Dentre esses você encontrará o Dakota, um prédio antigo e interessantíssimo que ficou ainda mais famoso após a morte de John Lennon (ele morava, e sua viúva ainda mora, no Dakota e ele foi assassinado ali mesmo na calçada). Em frente a esse prédio entre no Central Park e admire o jardim (Strawberry fields) que Yoko Ono construiu em homenagem ao seu amado. Por outro lado, na 5ª. Avenida você encontrará dois dos museus mais famosos de Nova York, o Metropolitan e o Guggenheim, e também prédios interessantes e endereços exclusivos da “society” novaiorquina. Muitos famosos moram por lá. Se você der sorte poderá cruzar com Tom Cruise, Dustin Hoffmann, Madonna e tantos mais! Boa sorte!

CENTRAL PARK E PREDIOS DE PARK AVENUE WEST

“Prédios no Columbus Circle”,

MUSEU DE HISTORIA NATURAL

High Line Park e outras dicas de NYC por Luciano Terra

26 de setembro de 2012 0

Em uma manhã preguiçosa de sábado saímos do hotel em direção ao oeste (para o lado da 10ª. Avenida) com o intuito de encontrar um dos locais mais badalados em NYC no momento, o High Line Park!  Nova Iorque se reinventa a cada momento e o High Line é um exemplo disto. Quando estivemos na cidade este novo parque de Manhattan ainda não estava nos principais guias de viagem e mesmo lá, no mapa da cidade que nos foi fornecido em pontos de informação turística. Então como encontra-lo? Eu havia visto um programa aqui no Brasil (Lugar incomum – GNT) e lembrava que a apresentadora havia comentado que ficava para o lado da 10ª. Avenida e que de lá dava para ver a Estátua da Liberdade. Então pela localização geográfica fomos à procura. O interessante de sair assim, meio sem rumo,  é que você normalmente encontra mais do que está realmente procurando e isto é o mais interessante em uma viagem onde você é o seu guia!! Para minha felicidade depois de uma caminhada pela 10ª. Avenida em direção a Lower Manhattan encontramos o High Line.

Highline Wikipedia

HIGH LINE PARK

Este parque é super pitoresco devido ao lugar onde foi construído: uma antiga linha de trem suspensa que cortava a costa oeste de Manhattan na altura do Village, SoHo e Tribeca, ou seja, eles contruíram um parque em um local que estava totalmente abandonado e que hoje, revitalizado, proporciona um passeio maravilhoso por esta região da cidade. Nessa linha de trem eles criaram jardins de arbustos e flores e transformaram os trilhos em passeios e bancos. Nele você pode caminhar e apreciar as ruas da região, curtir a vista do rio Hudson e até mesmo ver a estátua da liberdade ao longe. Na altura em que corta a 10ª. Avenida foi construído um “mirante” onde você poderá sentar e apreciar essa avenida do alto. Interessante por ser diferente de tudo aquilo que já havia visto. No final (ou começo) dele você chega a um dos lugares mais badalados de NYC onde você encontra as boutiques mais famosas dos principais estilistas fashions (até Carlos Miele tem uma por lá), todas construídas em antigos prédios e algumas em vastos hangares!

 

 HIGH LINE PARK

 HIGH LINE PARK

Para nossa sorte naquela semana estava tendo um festival de culinária e vinhos e com isso as ruas estavam cheias de gente bonita, interessante e, é claro, fashion. Por todas as ruas da região havia quiosques promocionais espalhados e pudemos ver, por exemplo, a gravação de uma entrevista com um chef local no quiosque da Illy e degustar um espresso dessa marca de café famosa, tirar um foto digital instantânea no quiosque da coca-cola e delta e degustar uma sopa de abóbora em uma feirinha de produtos ecológicos. Sem falar nas promotoras de uma marca de biscoitos com chocolate francesa que insistiam em passar por nós e nos dar um pacotinho dos mesmos (deliciosos). No final já tínhamos uns 10 em cada mochila. Irresistível não pegar mais um! Toda essa atmosfera de moda e culinária, pessoas interessantes e toda a arquitetura do local criaram uma experiência fantástica e que lembraremos por muito tempo. Momentos inesquecíveis que somente uma viagem pode lhe proporcionar! Quando estiver por lá, saia sem rumo em alguns momentos e com certeza encontrará situações parecidas e inesquecíveis. Novamente: Open your Mind!

FESTIVAL DE COMIDA E VINHO

 

 OUTRAS DICAS RÁPIDAS

 - Se gostar de comida indiana, não deixe de ir jantar em Little India e curtir os restaurantes típicos com música indiana ao vivo;

- Perca-se nas “pechinchas” da maior loja de departamentos do mundo, a MACYS.

- Vá ao Soho e curta todas as lojas transadas e todas as opções diferentes de roupas e acessórios que elas podem lhe oferecer. Tenho certeza que você encontrará uma peça que vai lhe fascinar. Eu encontrei uma jaqueta linda e não resisti. O preço não é lá tão baixo, mas vale cada dólar investido!

- Curta uma noite no East Village e outra no Soho e divirta-se nessa torre de Babel e todos os seus diferentes tipos de pessoas. Imperdível!

- Vá até o mirante do Empire State, tem fila mas vale a pena! Deixe para ir em um final de tarde e curta, primeiramente, a vista diurna e o pôr-do-sol e depois o anoitecer e o acender das luzes… milhares de fotos (se sua camera tiver um zoom bom, vc irá se deliciar).

FLATIRON

- Tome um café no final da tarde no Bryant Park;

 

BRYANT PARK

- Vá visitar a biblioteca pública;

- Não deixe de visitar o Grand Central Terminal ;

GRAND CENTRAL TERMINAL

- Curta momentos de puro glamour em um dos bares e cafés de algum hotel tradicional

 Bar do The Plaza NYC

- Vá em algum espetáculo da Broadway (ou off Broadway). Se quiser economizar passe todos os dias pelos quiosques da TKTS na Times Square e veja se há ingressos promocionais para a sessão do mesmo dia de algum espetáculo de seu interesse. Para as sessões noturnas os quiosques abrem às 15 horas! Porém não desanime, se não houver ingressos promocionais vá até a bilheteria do teatro de seu interesse e compre um com o preço cheio mesmo. Você somente se arrependerá se não for!!

- FLANE, FLANE, FLANE, FLANE, FLANE PELAS RUAS  ATÉ CANSAR!! PERCA-SE POR SUAS AVENIDAS, RUAS, RUELAS, BECOS, PRÉDIOS… PERCA-SE ATÉ  SE ENCONTRAR!

- VEJA, VEJA, VEJA, ESCUTE, ESCUTE, ESCUTE, FOTOGRAFE, FOTOGRAFE, FOTOGRAFE… embrenhe-se nessa cidade maravilhosa e volte com a sensação de ter feito parte dela nem que seja por alguns instantes!!!

 ENTARDECER SOBRE MANHATTAN

O Roteiro NYC Fashion & Arte exclusivo do Viajando com Arte parte para a Big Apple em 19 de novembro de 2012, deem uma olhada no roteiro no linck abaixo e junte-se a nós!

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/cursos-encontros-com-arte-2012/?topo=77,1,1,,,77

 

 

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Morro de São Paulo 25 anos depois

24 de setembro de 2012 10

Minha primeira visita a Morro de São Paulo foi em lua de mel , há 25 anos atrás! Faz tempo isto e na época esta ilha era apenas uma pequena vila repleta de estrangeiros e alcançada somente por barco saindo de Valença, uma cidade 250km ao sul de Salvador. Confesso que titubiei antes de decidir voltar, temia uma grande decepção.

A realidade surpreendeu, Morro cresceu é claro , a Segunda praia que era totalmente vazia já é urbana e as ruazinhas do centro foram calçadas , mas o clima continua preservado. A partir da Terceira praia tudo continua igual, os coqueirais e alguns nativos pescando numa calma de causar inveja . Muitos aproveitam as grandes áreas de fazenda do interior para oferecer passeios em charretes e cavalos, bicicletas também são alugadas na praia.

O acesso a Morro de São Paulo agora é bem mais fácil, várias empresas oferecem barcos que saem da frente do Mercado Modelo em Salvador custam R$ 75,00 e levam 2:30h até a ilha (http://www.morrodesaopaulobrasil.com.br/como-chegar-em-morro-de-sao-paulo), são catamarãs e barcos com estado de conservação meio precário e não esqueça o dramin, porque pode ser bem turbulenta a viagem. Além disto pode-se pegar um pequeno avião, saindo do aeroporto de Salvador, mas o voo depende do número mínimo de pessoas para sair e custa R$ 270,00 cada trecho. Viajar pelo Brasil ainda tem um quê de aventura!

 

Chegando ao pier da ilha o visual é lindo mas a caminhada é longa , se você se hospedar no centro o jeito é caminhar até a pousada e contratar um “taxi”, nada mais que um nativo com carrinho de mão, para levar sua bagagem ! Se a pousada for depois da Terceira praia tem que combinar um transfer , normalmente incluído na diária, mas de qualquer forma a caminhada até a Segunda praia é inevitável. Definitivamente é um destino para quem ainda tem fôlego de sobra. O taxi se perdeu com a nossa mala , mas tomou a iniciativa de ligar para Porto Alegre e dar seu celular e nome para entrarmos em contato!

 Na verdade Morro faz parte de um Arquipélago que se chama Tinharé , compreende ainda Boipeba e Cairú.

O Vila dos Corais foi nossa opção de hospedagem, foi ótimo e acho difícil encontrarmos outro hotel tão agradável por aqui. A natureza invade a sua praia , literalmente,  quando um mico estrela vem roubar as frutas do café da manhã. O atendimento é cortês e simpático , mas não espere nenhuma pressa, afinal você esta na Bahia e para descançar. 

O Vila dos Corais fica entre a Terceira e a Quarta praias o que o tira da muvuca central, os bangalôs são confortáveis e charmosos, todas as instalações são abertas e super aconchegantes e o restaurante um capítulo à parte!

Nunca comi tão bem em um hotel de praia! Saladas elaboradas com frutos do mar ,mas com requinte e ingredientes especiais! Pratos com o frescor da vizinhança e apresentação delicada e sobremesas de tirar o fôlego! Amei tudo . Ainda fomos jantar uma noite na pousada Vila das Pedras ( bem no centro, em plena Segunda praia), que é do mesmo dono da Vila dos Corais, e a moqueca de camarão com banana vai ficar na memória por muito tempo. O melhor é que nenhum prato custa mais de R$ 120,00 para duas pessoas.

Salada de quinua com lula e camarão ao molho quente de curry e gengibre

Prato de frutos do mar com molho de alcaparras : lagosta , polvo , lula , camarão e badejo

Cocada quente com sorvete e um visual maravilhoso

À noite a pedida é andar pela vila, algumas lojinhas transadas e restaurantes fazem um clima interessante. As bancas de frutas para sucos ou “coquitéis” são típicas. Experimentem a caipirinha de cacau ou cupuaçú , o suco de goiaba , maracujá e caju eu também adorei.

A igreja local remonta quase ao descobrimento do Brasil e foi recentemente restaurada, uma gracinha assim como a praça principal.

Mas o melhor de tudo são as praias, com águas tépidas e piscinas naturais formadas pelas marés que variam muito todos os dias. Ficar de “molho” numa água transparente e rasa , sentindo a brisa do mar e tomando uma água de coco gelada , não tem preço.

Foto : Blog Próximos destinos

Para quem vai ficar mais de 2 dias tem várias opções de passeios legais: passear de barco para conhecer Boipeba e Cairú, subir no forte para ver o pôr do sol, cavalgar na praia (humm , me agrada demais) e mergulhar nas piscinas para ver a fauna e flora da ilha. Nós ficamos descansando, mas espero voltar antes de comemorar 50 anos de casada !

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Evento de 10 anos "Viajando com Arte"

23 de setembro de 2012 4

Cleo Milani , Clarisse Linhares e Mylene Rizzo

 

Luisa Perrone

Magda Garcia, Chris Petry e Silvane Sesti

Neca Santos

Simone Giovanella

Claudia Azevedo e Valeska Karsten

Clarisse Linhares

Rose Linck

Ana Claudia Costa

As 3 gerações no melhor estilo álbum de família:
Nicias Dória de Oliveira entre a neta Daniela Moreira e a filha Ana Oliveira Moreira

Mylene Rizzo

Fotos: Andréa Graiz/ Agência RBS 

Vitor Raskin

Blog de Milena Fischer/clicrbs

Deu o Chic

Lançamento da viagem Nova York com Arte & Moda

17 de setembro de 2012 0

Fernando de Noronha - passeios

17 de setembro de 2012 0

 

Logo na chegada você vai deparar com trocentas opções de passeios, piscinas, mergulhos, trilhas , ver golfinhos, tubarões e aquele por do sol fantástico, ai meu Deus!! SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!!

Calma, calma, não se desespere, é normal, a gente fica meio perdido, não querendo perder nada, afinal viemos até aqui e sabe -se lá se um dia poderemos voltar.

Ondas quebrando na Praia do Sancho

 

Um dos passeios mais oferecidos é o “Ilha Tour”, que eles passam para pegar as pessoas nas pousadas às 8h da manhã e recorrem numa camionete adaptada com bancos atrás, com cobertura.Neste passeio a idéia é que você tenha uma visão geral da Ilha, aprenda os caminhos e escolha os locais que gostou mais para poder voltar. O passeio termina ao por do sol no Forte do Boldró. O custo gira em torno de R$ 80,00, R$90,00 reais por pessoa. Eu tinha 3 dias inteiros na ilha e a diária do aluguel de um bugy é de R$ 150,00. Então decidi fazer este reconhecimento por conta própria, fazermos nós o nosso horário, afinal a ilha não é muito grande, é quase impossível perder-se nela. Preferi passar o primeiro dia por conta própria e foi super bem aproveitado.

Antes de tudo abastecendo o Bugy, no único posto da ilha.

Alugamos máscaras e nadadeiras na pousada (R$15,00) e saimos para explorar a ilha. Começamos pela parte leste da ilha. Descemos em direção ao porto, passamos pela Vila dos Remédios até a ponta chamada de Air France por aí se passa no único posto de gasolina da ilha (abastecer o Bugy, 20l são mais do que suficientes para rodar na ilha 3 dias). Depois de comprar água, partimos para conhecer as praias de dentro, a Praia do Boldró, Praia do Americano, Praia do Bode e resolvemos ficar na Cacimba do Padre, que é a praia onde ficam aqueles 2 morros emblemáticos da ilha – os dois irmãos. De lá fomos por uma trilhinha estreita até a Baia dos Porcos, lugar ótimo para mergulhar de snorkel, cardumes de sardinhas, peixes coloridos e a temperatura da água é simplesmente perfeita!!

A ponta bem leste da ilha, o buraco da Raquel

Capelinha com vista para a Ilha Rasa

O porto de Santo Antônio, de onde saem os passeios de barco da Ilha.

A praia do cachorro, praia “urbana” chamada assim porque fica bem próxima a Vila dos Remédios

Praia do Boldró

Cacimba do Padre, vista do alto da trilha que leva até a Baía dos Porcos

Os famosos Dois Irmãos fotografados da trilha

A Baía dos Porcos, lugar ótimo para mergulhar com snorkel.

Já estávamos perto das 3h da tarde e fomos conferir a dica de almoçar na pousada Maravilha, mais conhecida como a pousada do Luciano Huck. Quero dizer que esta é uma dica imperdível, a pousada tem uma vista espetacular da Praia do Sueste, você pode achar que tudo lá é caríssimo, nada disso, preços de Noronha, mas nada diferente de outros lugares bem simples que andamos por lá, por exemplo, uma caipirinha no botequinho do Forte do Boldró cuta R$13,00 e a caipirinha da Pousada Maravilha custa R$15,00, fora todo o conforto, o astral, e a vista que você vai desfrutar, as fotos falam por si, olha só:

Vista do Restaurante da Pousada Maravilha para a Praia do Sueste

Pousada Maravilha

O astral é tudo!

Depois de comer uma massa com frutos do mar de enlevar o espirito fomos conhecer a Praia do Leão, que fica bem ali pertinho do lado da Praia do Sueste, que são as chamadas “Praias de fora”.

Praia do Leão

O sol começava a baixar na Praia do Leão e corremos para o nosso compromisso inadiável

Em torno das 5h a galera começa a se reunir no Forte do Boldró, esperando ao som de Bolero de Ravel o grande espetáculo diário.

Sério, um dos mais lindos que já vi… estes foi um daqueles momentos onde a gente perdoa o mundo e acredita que a vida é circular e tudo aquilo de bom que fazemos acaba retornando pra gente.

Aguardem, no próximo post vou contar do passeio de barco com almoço e muitos, muitos golfinhos!! Até lá gente!

 

Show do Bob Dylan em novembro em Nova York

16 de setembro de 2012 1


Pessoal se alguém está pensando em embarcar para Nova York conosco em novembro, tem que correr para garantir seu ingresso para o show do Bob Dylan. A venda iniciou hoje , é só ligar lá na Porto Brasil (51 30252626 )que as meninas dão todas as informações!!

da série: A nova Rússia - São Petersburgo - parte I

10 de setembro de 2012 6

Fortaleza de São Pedro e São Paulo, aqui começou a cidade de São Petersburgo

Nem fazia tanto tempo que havia estado em São Petersburgo pela última vez,  na verdade 4 anos me separavam desta cidade totalmente mudada desde  o nosso último encontro.

São Petersburgo mudou, entrou para a constelação das grandes cidades europeias, muito pouco a indentifica com sua história recente. Os russos tem uma incrível capacidade de adaptação e os sinais da antiga decadência do regime soviético praticamente desapareceram, dando lugar a uma cidade linda que está sabendo explorar ao seu favor o grande fluxo de turistas que descobrem encantados a beleza e a opulência dos seus palácios, museus, parques, igrejas e - novidade: restaurantes, bares e uma vibrante vida noturna.

Ruas que correm paralelas aos muitos canais da cidade, este é o Canal Griboedov, que vai desembocar em uma das igrajas mais bonitas de São Petersburgo.

Chegamos em São Petersburgo no auge das famosas noites brancas, quando o sol apenas se esconde por algumas horas para logo em seguida voltar a iluminar a cidade, que tem uma aura diferente nesta época do ano. Imagine você que depois de um longo e escuro inverno os habitantes da cidade não querem perder um minuto, a ideia que a gente tem é que as pessoas precisam daquela energia solar para sobreviverem ao inverno gelado. O resultado é uma cidade alegre, festiva, com ruas e parques cheios de gente, familias, crianças aproveitando o verão.

Esta é uma foto do Canal onde passa o Rio Fontanka, foi tirada perto das 22h – As famosas Noites brancas de São Petersburgo

A Igreja Salvador do sangue derramado, perto da meia noite.

Tudo, mas tudo mesmo está mais bonito em São Petersburgo, que foi uma cidade inteiramente planejada pelo Czar Pedro, o grande. Em um dos lugares mais improváveis possíveis, pois só quem se atrevia por estas bandas eram lobos e ursos. A cidade idealizada para ser uma janela para a Europa, é uma mistura de diferentes estilos que acompanharam os caprichos de czares e czarinas ao longo de sua história. Cortada por muitos canais e banhada pelo rio Neva, a cidade de Dostoievski, Shostakovich, Chekov, certamente vai encantar você também.

Monumento em homenagem ao idealizador da cidade, o Czar Pedro, o grande.

Todos me fazem a mesma pergunta: A Russia é caríssima? Proibitiva?

Eu diria que não é mais cara que Paris ou Londres, mas você há de convir que o caro pode ser relativo. Fazendo as escolhar certas você pode fazer uma viagem a Russia pelos mesmos padrões que tem feito outras viagens a França.

Vamos começar pelas atrações clássicas, aquelas consideradas imperdíveis:

O centro de São Petersburgo não é enorme, você pode faze-lo à pé, mas tem atrações que são fora, para estas você vai ter que agendar meios para transporta-lo.

Em São Petersburgo :

1 – Palácio de Inverno – Museu Hermitage.

Abriga uma das maiores coleções de arte do mundo, tudo começou com Catarina, a grande, teve algumas perdas no período soviético mas a coleção é  fantástica. Você ainda pode visitar muitos apartamentos reais e salas de recepção, salões de festas, os guias adoram dizer que mesmo que você olhasse poucos segundo para cada peça da coleção precisaria de mais de 30 anos para ver tudo. Como ninguém tem intenção de ver tudo, acho que 3horas dentro de um museu é o tempo limite, para qualquer museu, depois disso nosso cérebro já nao registra mais nada.

O palácio de inverno, as margens do rio Neva, onde fica o museu mais famoso da Rússia – o Hermitage

A coleção do Hermitage foi iniciada por Catarina, a grande em 1764, e foi aberto ao público em 1852. Tem perto de 3 milhões de ítens.

Muitas salas para você explorar

Não deixe de conhecer a loja, ou melhor, megastore(!) do museu pois ali você encontra coisas que só vi lá, como lenços de seda com a estampa dos famosos ovos Fabergé.

2 – A Igreja do Salvador do sangue derramado

Esta igreja não é tão antiga quando faz parecer, mas foi construida no estilo das antigas igrejas russas, para aqueles que não conhecem as igrejas ortodoxas russas, este é um exemplo magnifico. Elas tem um lay out totalmente diferente das igrejas católicas em forma de cruz latina, elas tem o formato da cruz grega, ou seja todos os lados são iguias. As paredes são cobertas de mosaicos lindíssimos, absolutamente toda decorada, o resultado é emocionante.

A igreja foi construida no local onde o Czar Alexandre II foi mortalmente ferido  em um atentado no ano de 1881.

O interior é belíssimo, toda em mosaicos com pinturas desenhados por grandes artistas russos

Este querubim é de autoria de Vitor Vasnetsov

3 – Fortaleza de São Pedro e São Paulo

Aqui foi o lugar onde as bases da cidade foram lançadas em 1703. A fortaleza fica na ilha de Vasilievsky, onde depois de cruzar uma das inúmeras pontes, você tem uma vista linda do Palácio de inverno e do rio Neva. O destaque desta visita é a igreja que foi recentemente restaurada e é belíssima, além de conter todos os mausoléus dos Czares russos e mais recentemente de toda a familia Romanov, a última a reinar sobre a Russia antes da ascenção dos Bolcheviques.

A Fortaleza vista do Palácio de inverno.

O interior da igreja recém restaurada é lindo, e é aqui o mausoléu dos grandes czares russos e + recentemente da familia Romanov.

4 – Palácio Yusupov

Se você tem curiosidade de ver o luxo e opulência que vivia a nobreza russa, este palácio é um dos melhores exemplos. A familia Yusupov era mais poderosa e rica do que o próprio Czar Nicolau II Romanov. o Prícipe Felix Yusupov II, se tornou célebre por seu envolvimento no assassinato de Rasputin, aqui mesmo neste palácio. vale a pena a visita é um palacete que conserva muito do seu mobiliário original, sala de jogos, banya (sauna) em estilo oriental e a grande pérola – seu teatro privado.

Teatro privado do palacete de uma  das familias mais ricas e influentes da Rússia czarista.

Apartamentos privados como se o principe tivesse dado uma saidinha…

5 – Museu Russo -

Arte ocidental você tem muitas opções de ver em todas as grandes cidades europeias, mas arte genuinamente russa está concentrada principalmente em 2 museus na Rússia. Em São Petersburgo no Museu russo e em Moscou na Galeria Tretyacov, eu  diria que um deles é absolutamente imperdível. Veja em qual das cidades, está com algum tempo sobrando para encaixar este museu, seja aqui ou em Moscou. O museu é organizado cronologicamente começando pelos ícones bizantinos, passando pela arte dos artistas itinerantes do século XIX como Repin e Nesterov até as vanguardas russas de Malevich, Larionov e Goncharova.

Palácio Mikhailovsky, que abriga hoje o Museu Russo

Onde você poderá observar obras seminais da arte russa, como esta aqui de Kazimit Malevich

Eu listei minhas TOP cinco atrações em St Petersburgo, mas dependendo do tempo que você tiver tem muitas outras coisas interessantes:

Catedral St Isaac -

Teatro Mariinsky – ex Kirov

Museu da poetisa Anna Akhmatova – Fica no Palácio Sheremetev, é muito interessante se você tem interesse de saber como funcionavam os apartamentos comunitário no tempo do regime soviético.

Casa museu do escritor Dostoievsky

Jardins de Verão – São lindos, é um ótimo passeio para dar um tempo da cidade, o lugar é lindo. Mas só no verão é claro!

Outro na categoria de imperdível é fazer o passeio de barco pelos canais da cidade, você vai ter outro ponto de vista. E vamos combinar que depois de muito caminhar é ótimo ficar sentadinho só vendo as coisas desfilarem diante dos nossos olhos. tem saidas em vários pontaos da cidade, um fica no canal Griboedov, bem pertinho da Igreja do Salvador do sangue derramado.

 Por hoje é isto pessoal, no próximo post vou dar as dicas de bares e restaurantes descolados de São Peters!!