Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Introduzindo o México - Cidade do México

05 de dezembro de 2012 13


Passamos uma temporada no México, e para mim muitas coisas foram surpreendentes, tanto para o lado positivo quanto para o negativo.

 Se você tem intenção de visitar o país tem que providenciar seu visto, não é necessário ir a São Paulo, nem coisa que o valha, você manda o passaporte através de um despachante e tudo bem. Quem tem visto americano não precisa fazer o visto mexicano e para aqueles que tem cidadania européia precisa tão somente de uma autorização que pode ser feita pela internet.

 Feito isso saímos do aeroporto de Lima, onde tínhamos feito uma viagem fantástica com um grupo aqui de Porto Alegre, eu estava completamente envolvida com a beleza, a autenticidade, a cultura  do Peru,  seria dificil ser conquistada assim tão fácil por outro lugar, talvez uma competição injusta com o México. Seis horas de vôo separam Lima da Cidade do México e 1hora menos no fuso, chegamos a Cidade do México à tarde e lá no aeroporto já estava o Juan, nosso guia que a partir de agora e nos próximos dias nos apresentaria ao México.

 Cidade do México

 Pois das coisas que mais me surpreenderam positivamente foi com certeza a Cidade do México, que eu já sabia ser uma megalópole de 24 milhões de habitantes, e imaginava uma São Paulo piorada, poluída e um pouco caótica e aqui tenho quase que me desculpar, pois a Cidade do México não é nada disso, muito antes pelo contrário.

 O problema da poluição que foi muito sério nos anos 80, é coisa do passado, quando eles tomaram medidas enérgicas, como restringir o  número de veículos que circulam diariamente, filtros nas chaminés das fábricas,tiraram de circulação automóveis muito velhos que poluiam acima dos níveis normais,  enfim um programa despoluidor que deu muito certo, pois os 3 dias que passamos lá o céu era muito azul. A cidade é muito arborizada, com amplas avenidas, limpa, olha eu fiquei de queixo caido, pois era tudo o que eu não imaginava!

O povo mexicano é muito festeiro e já no caminho do nosso hotel o Juan passou pelo bairro Condessa, que é um bairro que está mudando rapidamente, já que o Polanco é o bairro dos yuppies das baladas chiques, o Condessa se popularizou entre os artistas e boêmios, eu diria que um pouco a idéia da nossa cidade baixa ou da paulista Vila Madalena.


Paseo de la Reforma, na conhecida Zona Rosa, um dos bairros mais elegantes e comerciais da Cidade de México


Escultura conhecida como El Caballito, do artista Enrique Carbajal Sebastian, substituiu a antiga estátua de Carlos IV que esteve neste lugar até 1979


Amplas avenidas arborizadas, céu azul, você diria que é a Cidade do México?

Seguimos nosso rumo em direção ao Zócalo, como é chamado o centro da Cidade do México, o pessoal que vive na capital só a chama por DF, “morei na DF por tantos anos” morar na DF é dificil, muito trânsito” e assim por diante. No caminho paramos para conhecer o belíssimo Palácio de Belas Artes, contruido em mármore de Carrara  no início do século, seguindo o estilo Art Nouveau e acabando em pleno auge do Art Déco, é sede de importantes exposições, concertos, óperas


Palácio de Belas Artes


Estilo Art Déco com muito mármore de Carrara.


Trabalhos lindos e vigorosos dos principais muralistas mexicanos, o da foto é de Siqueiros, Nueva democracia, 1944


Detalhe do mural de Diego Rivera, El  hombre en el cruce de caminos, 1934


De volta na rua deparamos com o policial de rua da cidade, o que acharam?


As meninas quando fazem 15 anos no México é um verdadeiro acontecimento nas familias, aqui no Brasil, também se faz grandes festas, mas lá é quase um casamento, além disso elas saem vestidas, maquiadas, para fotografarem em frente aos monumentos da cidade.


mandiopãs mexicanos, eu não apeteci….


Reparem a linda cúpola Tiffany do Palácio de Belas Artes.


Luminárias Déco pelas ruas.

Caminhamos uns 200m do palácio de Belas Artes e o Juan nos levou a um dos cafés/restaurantes mais tradicionais da Cidade do México, que fica no antigo Palácio dos Condes de Orizaba, mais conhecida como a Casa dos Azulejos.   



Em 1919 a casa é vendida para os irmãos Sanborn, para estabelecer neste lugar uma das cafeterias mais concorridas da cidade até hoje.




O lugar é lindo, e você pode escolher entre muitas salas a que você prefere ficar.


Na escadaria obra de outro célebre muralista, Jose Clemente Orozco.
Seguimos por uma importante rua de pedestres por mais umas 3 quadras até chegarmos no coração da Cidade do México, o Zócalo.


Vista do Zócalo, com a Catedral à esquerda e o Palácio Nacional no fundo.

Chegamos ao Zócalo com a sorte de ver uma exposição dos super coloridos Alebrijes, que são um tipo de artesanato mexicano feito com diferentes tipos de papel e pintados com cores alegres e vibrantes. Foi uma verdadeira festa para os olhos.

É claro que estes Alebrijes criados a Toddy são apenas para esta exposição anual aqui no Zócalo, normalmente eles são pequenos e você pode trazer alguns pra casa :)))




Era chegada a tão esperada visita, conhecer os Murais de Diego Rivera no Palácio Nacional, eu ainda tinha muito viva na memória as cenas do filme “Frida” onde ela levava almoço para o seu querido Pançon, enquanto ele passava o dia dependurado em andaimes colorindo as paredes do palácio com sua arte narrativa da história do México transbordando em uma profusão de cores.



Pátio interno do Palácio Nacional, você lembra da Frida Kahlo no fime entrando aqui para conversar com Diego Rivera?


Na escadaria do Palácio Diego Rivera pintou durante 6 anos (1929/1935) como um poema épico, a história do México


Na época o governo buscava redefinir a nação, e os murais de Diego ajudaram a criar uma nova identidade nacional.


A entrada de Hernán Cortez na antiga capital Asteca -Tenochtitlan

Frida Kahlo no detalhe do mural de Diego Rivera


Nos corredores toda a história das diversas civilizações pré-hispânicas descrita nos murais.
 

Saimos dali pensando naquele passado indigena varrido do mapa, com suas crenças e valores substituidos a força pela fé católica, a mesma sensação de quando entrei no templo do sol em Cuzco, que foi o principal templo inca, hoje um mosteiro dominicano.


Morrendo de fome pois já passava das 2h da tarde fomos conferir a dica do Renato Rizzo, de almoçar no Grand Hotel, que fica do outro lado da praça.


Todo em estilo Art Noveau, o hotel é lindo.

Outra cúpula Tyffani.


Você sobe e almoça no terraço, a comida não é o forte, o que vale é a vista privilegiada do Zócalo. Mas aqui vai uma dica: se você quiser escutar seus pensamentos sente bem longe dos músicos!!


Bom gente este post está longo demais,  no próximo vamos a Coyacan conhecer a casa azul, que foi a residência de Frida Kahlo.


Adios!!!


Comentários (13)

  • Felipe diz: 24 de novembro de 2011

    Estive na cidade do Mexico faz uns 3 anos … assim como descreveste a cidade eh fantastica, superando de longe as minhas expectativas. Limpa, organizada e com um povo muito amigo. Claro que se tem que tomar cuidados, especialmente no metro, mas isto em qualquer cidade grande do mundo hoje em dia … com raras excecoes. Com certeza vale uma viagem para la.

  • Fábio André diz: 24 de novembro de 2011

    Bela matéria!!!

  • Fernanda diz: 24 de novembro de 2011

    Muito lindo tudo!! Parabéns!

  • ana Leme da Silva diz: 25 de novembro de 2011

    Adorei a reportagem, as fotos.. estou aguardando o resto. pretendo conhecer o Mexico, entao, ta servindo de guia tambem.Abraço!

  • Milena diz: 25 de novembro de 2011

    Enquanto lia o post, minha mente viajou até lá imaginando tudo lindo, limpo e cheio de vida, como vocês descreveram. Mas muito melhor que isso, é estar lá e poder sentir e vivenciar a energia pulsante da DF. Como se estivesse lendo um livro muito envolvente, fico na expectativa do próximo post, pra continuar a minha viagem imagiária. Bjos

  • lizete maestri diz: 25 de novembro de 2011

    Ah o México! Colorido, alegre, religiosidade em toda parte… Também adorei a cidade, e lendo o post viagei de novo até lá. E nas ruinas, não foram?

  • Luffi diz: 25 de novembro de 2011

    Olá,

    Vim do México há menos de 2 meses e fiquei apaixonado e muito surpreendido, infelizmente não fui na cidade do México e depois deste post magnifico já fiquei com completamente arrependido. O seu blog é muito bom estou a virar fã!! passa pelo meu tambem : http://carimbonopassaporte-luffi.blogspot.com/

  • Liana diz: 26 de novembro de 2011

    Adorei tudo o que você escreveu no seu blog sobre o México, fotos linda, tudo muito cultural e informativo. Penso muito em conhecer o México. Parabéns!

  • Bianca Ferrari diz: 27 de abril de 2012

    Hola!!!Clarisse, Gostaria de saber preços dos lugares em que vc visitou, Comeu, comprou e tudos mais lugares em que entrada e grátis e as que pagam e tudo que possa me passar, se não publicar me passa por e-mail!Estou aguardando ansiosa!!Beijos!!!

Envie seu Comentário