Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Roteiro pela França e Pais Basco - Parte II

02 de junho de 2013 0

 

Museu Guggenheim em Bibao

Na primeira parte do nosso roteiro eu falei um pouco sobre La Rochelle, que fica na costa do Atlântico na França e de lá descemos até Bordeaux, Arcachon, Biscarrosse Plage, onde passamos o feriado ensolarado de primeiro de maio.

De Biscarrosse nosso próximo destino era a badalada praia de Biarritz, eu já ouvira falar bastante sobre Biarritz, que é um lugar de boas ondas para o surfe, que muitos milionários  russos se refugiaram aqui depois da Revolução em 1917 e continuaram chegando após a queda do comunismo. Chegamos em Biarritz ao cair do dia.

Chegando na lendária praia de Biarritz

Estávamos viajando com o guia da Lonely Planet da França ( eu sempre recomendo o LP, acho que é o guia que reúne mais qualidades pois ele fala sobre a história dos lugares e tem sempre dicas atualizadas de atrações, hoteis, restaurantes, etc) e minha super co pilota Victoria já havia escolhido um hotel para a gente ficar, e olha GPS e dobra e vira e acabamos achando o

Hotel De Silhouette:  http://www.hotel-silhouette-biarritz.com/?lang=fr  muito bom e o porteiro da noite era um uruguaio, o David, professor universitário, queridíssimo que nos deu todas as dicas nas redondezas. O Hotel você pode entrar no site e conferir, tem estacionamento, e um jardinzinho atrás onde servem café da manhã, quartos ótimos, novinhos, e mesmo que não fosse, depois de dirigir por umas 4h tudo o que eu queria era um banho e um jantar com vinho francês, óbvio.
E a dica do David foi mortal comemos muuito bem a 2 quadras do hotel no Le Bistrot des Halles, super acolhedor, pois a temperatura estava nada de verão, pedia um tinto nacional

Le Bistrot les Halles – Biarritz

O dia amanheceu horroroso, chovia copiosamente… ahh e o nosso petit dejeneur no jardim?? Que saco!! Não tem nada pior em uma viagem do que chuva! Todo o resto a gente dá conta, mas chuva é um corte total. Aquela manhã que poderia ter sido de caminhadas pela praia, de exploração de novos lugares se resumiu em um café da manhã compridoooo, e coragem para colocar as capas de chuva e não tem jeito, vida de turista não dá trégua.

Biarritz

Biarritz, que deve ser bem legal – no verão!

Então o meu julgamento sobre Biarritz não conta muito, eu achei bonita,  a gente percebe que aquele lugar tem mil estórias, já foi a praia do imperador Napoleão III, é a praia dos russos e dos surfistas, mas depois de caminhar algumas horas na chuva achamos que estava na hora de pegar a estrada outra vez e com chuva nada melhor do que visitar o fantástico Museu Guggenheim em Bilbao, que para padrões brasileiros era ao lado, pois somente 150km de auto estrada nos separavam  do nosso pequeno paraíso cultural – Bilbao.

Esta parte da Espanha é muito verde, mas também né com toda esta chuva, só podia  :)! Pegamos a auto estrada que é no meio das montanhas e  bem sinuosa, mas estar entrando no Pais Basco, na Espanha, foi legal, é uma das coisa que eu curto na Europa, a gente anda um pouco e troca o idioma, as comidas, os preços, as pessoas, esta diversidade embora tenha diminuído ainda é muito sensível.

Bilbao no país Basco, uma cidade que respira arte por todos os poros.

Aqui nosso guia morreu, pois ele era só da França e chegamos em Bilbao sem pai nem mãe.  A chuva já tinha parado e fomos direto ao Oficio de Turismo no centro da cidade, a tática é sempre a mesma, chegar nas cidades e ir seguindo as indicações para o centro, não tem perdida. No info turismo elas nos deram todas as informações, os hoteis mais bem localizados todas as barbadas, mas pasmem! O hotel que elas me ofereciam por uma diária de 170 euros, ali mesmo eu entrei no www.booking.com/bilbao, o MESMO hotel me dava 2 diárias por U$ 15o !! Dá para acreditar?? E olhem que não ganho nenhuma comissão do booking! Mostrei para a moça e ela ficou tão surpresa quanto eu! Reservei pela internet é claro.

Hotel Ercilla, um hotel 4 estrelas, enorme nada de mais, mas muito bem localizado, eu recomendo que se vocês forem a Bilbao façam uma pesquisa antes, deve ter hotéis mais charmosos. De qualquer maneira aí está o linck:

http://www.hotelercilla.es/

Dia seguinte SOL! Ebaaaa! Ahh vai dizer? Um dia bonito faz toda a diferença.
Saimos para a visita do dia, o Guggenheim nos aguardava.

Museu Guggenheim 

Interagindo com a obra gigantesca do artista Richard Serra.

Jeff Koons

O Museu  é um capítulo à parte em Bibao, eu tinha muitas expectativas com relação a esta obra de arte gigante do arquiteto Frank Ghery, que abriu suas portas em 1997 e desde lá só vem melhorando e agregando grandes artistas ao seu acervo. O museu superou tudo aquilo que eu imaginava, fiquei simplesmente encantada, fiz as pazes com os homens, que tem a capacidade de construir obras como esta para o desfrute da humanidade.

A aranha – obra da artista francesa Louise Bourgeois.

O Museu tem várias opções de almoço, se você for um gourmet, deve experimentar o estrelado restaurante Nerua, que tem um menu degustação de  6 pratos a 100 euros por pessoa. Tem o Bistrot do museu que é a mesma cozinha do Nerua com 2 opções de menu por 18 ou 25 euros. Como a Victoria é vegetariana achamos que pagar 100 euros para ela dispensar a metade não valia a pena e almoçamos no bistrot, deliciososo, mas já vou avisando é só para quem não esta com muita fome olha os pratos:

Bacalhau com purê de mandioquinha sobre ovas de salmão.

Ravioli de cogumelos com roquefort

Nós pegamos uma exposição chamada L´Art en Guerre – França, 1938-1947: De Picasso a Dubuffet, que fica em cartaz até dia 8 de setembro de 2013. Absolutamente imperdível, pois não se trata só de pinturas, mas de histórias , de sobreviventes da guerra , que produziram arte nas condições mais dramáticas, em campos de concentração, em uma França ocupada pelos nazistas, é uma exposição linda, pungente, emocionante.

Saimos a caminhar pela cidade ainda em estado de graça, contemplativas. Seguindo as dicas das meninas do info de turismo caminhamos até o funicular Archanda que fica a uns 10 minutos de caminhada do museu, onde se tem uma vista incrível de Bilbao.

Desing moderno no Hotel Hesperia

Vista do funicular de Archanda

O Guggenheim visto do alto.

Arte em todos os lugares

Eu não poderia sair de Bilbao sem indicar um ótimo restaurante italiano que fomos, o La Nicoletta, comida deliciosa, farta, comemos carpaccio, saladas, massa tomate manjericão, vinho da casa e o preço foi algo em torno de 30 euros. Recomendo.

Depois de 2 dias nos despedimos de Bilbao e nossa próxima parada foi San Sebastian, que já fica bem perto da fronteira com a França. O dia estava lindo, fresquinho, mas ensolarado e depois de largar o carro e as malas no Hotel San Sebastian
http://www.hotelsansebastian.net/  que fica a 3 quadras da praia, fomos conhecer Donosti – o que? Você não sabia que San Sebastian em Basco é Donosti?? Ahh gente pouco curiosa… pois este idioma é um mistério – o basco – ninguém sabe a sua origem, ele não descende de nenhuma lingua indo européia, e é totalmente incompreensível, sabe o Catalão, que a gente até pesca uma que outra palavra? Pois com o basco pode esquecer, nadica de nada!

San Sebastian é uma delicia, uma cidade relax, pessoas, muitas pessoas caminhando, crianças, a impressão que tive aqui é que todo mundo estava se divertindo, bares cheios, praças cheias, ruas ainda mais…


E aqui notei uma coisa bem típica, sabe restaurantes como a gente conhece? Todo mundo sentadinho, calmo, comendo, aqui euzinha não vi nada parecido, o que eles cultuam são bares, de preferência apertadinhos, com balcões repletos de pinchos, que são todo o tipo de aperitivos que você puder imaginar, poucos lugares para sentar, o povo daqui gosta de ficar em pé em volta do balcão. Nós fomos em vários assim e os pinchos são dos deuses, usam presunto cru, queijos, mel, camarão, polvo, tudo o que a sua imaginação ordenar.

A foto não faz jus a esta maravilha, olha só: uma alcachofra torradinha por fora e com coração macio com vieiras por cima e molhinho de pesto, é para matar!
Aqui dou a dica do Zeruko, que foi uns dos tantos que pinchamos. 

O surfe invadiu o asfalto

Bah gente eu bem que tentei, fazer este roteiro em 2 posts, mas é impossível, são tantas emoções :) !
Já ficou muito longo então vou ter que escrever a parte III , que eu aconselho vocês a não perderem pois é onde vai estar a cereja do bolo, nossas aventuras por um dos poucos lugares ainda remotos, selvagens e absurdamente lindos da França : Os Pirineus.
aguardem!
Bisous!!!

Endereços:

Le Bistrot des Halles

Endereço: 1 Rue du Centre, 64200 Biarritz, França

Telefone:+33 5 59 24 21 22

Bar Zeruko

Endereço: Calle Pescaderia, 10, Donostia-San Sebastián, Guipúzcoa, Espanha

Telefone:+34 943 42 34 51

Se você gostou deste post , e quer saber mais dicas de viagens, exposições roteiros e cultura curta nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Envie seu Comentário