Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Parque Nacional de Itatiaia , onde os ventos batem no rosto

24 de novembro de 2015 0

Por: Caio Neumann

Vento no rosto, sensação de liberdade: de lavar a alma.

A mais ou menos a 300km de São Paulo, na Serra da Mantiqueira, fica o belíssimo Parque Nacional de Itatiaia. Chegar lá é fácil: Saindo de São Paulo é só pegar a Dutra e seguir sentido Rio até o km-316, chegando a Itatiaia, onde fica uma das entradas do parque.

Caio na Paisagem Louca 2

Fui para lá em agosto desse ano acompanhado do meu amigo Felipe Gaúcho (dono dessas belas fotos). Já que o lugar fica no topo da serra, a incidência de chuva forte no inverno é menor, então é a melhor época pra conseguir acampar pelo parque com mais segurança e com menos lama nas trilhas. Nos três dias que ficamos lá conseguimos visitar as duas partes do parque:

Eu e Caio na Pedra 3

LADO A

Primeiro a parte baixa, onde a entrada é ali mesmo na cidade de Itatiaia. Os atrativos são as três cachoeiras do complexo maromba e o centro de visitantes. No centro, existem umas salas de exposições artísticas e um acervo biológico da fauna e da flora de toda a região.

Ponte

As cachoeiras são incríveis. Uns 15 minutos de caminhada pra chegar a cada uma, em trilhas bem sinalizadas e cobertas de vegetação. A cachoeira véu de noivatem uma das quedas mais belas que já vi aqui no Brasil, e a piscina natural do maromba é tão bonita que nos faz esquecer a água abaixo dos 0° e fica impossível não dar um mergulho.

Resumindo: o lugar é lindo. Sem contar as visitas inesperadas de famílias de macacos fazendo travessias pelas árvores do entorno das cachoeiras e as diversas espécies de pássaros que cantam e voam pelo céu.

Prateleiras

LADO B

O outro destino foi a parte alta do parque. Para chegar lá precisamos pegar a estrada de novo e subir uma serra de uns 35km até chegar na entrada, que fica a 2.350 metros de altitude.

A principal atração da parte alta é um circuito de uns 12km de trilha numa região gigantesca que te contempla a todo tempo com uma vista panorâmica de outro planeta. A trilha é bem sinalizada, mas dá pra se perder fácil desviando do caminho pra chegar a algum pico que parece ser incrível, e que geralmente é, mas foge do trajeto.

Caio na Poça

Existem três cumes que podem ser escalados nesse circuito, o Pico das Agulhas Negras, o Maciço das Prateleiras e o topo do Morro do Couto. Para subir no Pico das Agulhas Negras e nas Prateleiras um guia e equipamento profissional são requisítos mínimos. Como eu não tinha nenhum dos dois, fui direto na tentativa doMorro do Couto, que fica há 2.680 metros de altitude. E que vista incrível, que lugar impressionante! Uma das mais belas vistas que já vi.

Caio na Paisagem Louca

No fim do circuito chega-se a um abrigo que cabem quatro ou cinco barracas pra três pessoas e é o único lugar pra dormir ali no alto do parque. A noite é daquelas que o céu fica surreal de tantas estrelas à vista. Para quem gosta de se programar, dá pra reservar lugar no abrigo direto pelo site oficial. Para quem não sabe o que é planejamento – como eu – tem várias opções de campings pela região.

Se você gostou deste post visite nosso site www.viajandocomarte.com.br e saiba mais sobre os próximos grupos e roteiros personalizados.

 

Envie seu Comentário