Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

5 Filmes que vão deixar você louco para viajar

20 de setembro de 2018 0

Dica-de-filme“Diários-de-Motocicleta”-do-diretor-brasileiro-Walter-Salles

Se você sofre do mesmo mal que eu – vontade crônica de viajar, não precisa ver nada para aumentar ainda mais o seu desejo, mas resolvi fazer uma lista de 5 filmes inspiradores, que vão fazer você viajar sem sair do sofá e depois ir correndo para o computador comprar uma passagem.
confere aqui:

 

1- Diários de motocicleta

https://www.youtube.com/watch?v=RWBsQArUkQY

Sinopse:

Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de Medicana que, em 1952, decide viajar pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). A viagem é realizada em uma moto, que acaba quebrando após 8 meses. Eles então passam a seguir viagem através de caronas e caminhadas, sempre conhecendo novos lugares. Porém, quando chegam a Machu Pichu, a dupla conhece uma colônia de leprosos e passam a questionar a validade do progresso econômico da região, que privilegia apenas uma pequena parte da população.

 

2 – Na natureza selvagem

https://www.youtube.com/watch?v=0YBDpPIhEYo

Sinopse:

Baseado na história real de Christopher McCandless, que aos 22 anos de idade resolveu se aventurar em meio à natureza, o filme Into the Wild é mais que uma simples crítica para nossa sociedade e nosso estilo de vida; é uma história de resistência que nós todos deveríamos nos inspirar.

Christopher nasce em uma família tradicional e bem sucedida da Califórnia, nos Estados Unidos, crescendo para ser um profissional bem sucedido e com todo o apoio de seu pai através de rígida educação. Chris realiza o sonho de seus pais e se forma em uma das melhores escolas de sua região com notas mais que suficientes para estudar em Harvard, para alegria de seu pai. Porém, seu filho resolve embarcar em uma aventura selvagem, doa todas suas economias para uma instituição de caridade, USS 24.000,00, abandona seus pertences capitalista e vai rumo a uma experiência que julga ser a verdadeira liberdade, sem a hipocrisia da sociedade para nos corromper.

3 – A map for Saturday

https://www.youtube.com/watch?v=0xyWnYJ1aUQ

Sinopse:

(Brook Silva-Braga, um jovem produtor de televisão de Nova York decide abandonar tudo por um ano e sair de mochila pelo mundo. ele percorre 26 países, sempre hospedando-se em hostels e convivendo com outros mochileiros. da aventura, que ele teoriza ser composta apenas de sábados, captou muitas horas de vídeos, que compilou neste documentário obrigatório para quem pensa seguir o mesmo caminho).

4 – Last Stop For Paul – A Última Viagem de Paul

https://www.youtube.com/watch?v=V-qGe3Vx6Sc

Sinopse:

Charlie e Cliff são dois amigos e trabalham juntos. Charlie adora viajar e passa o tempo que pode ao redor do mundo, sem gastar muito; Cliff, no entanto, é nervoso com a perspectiva de ir longe de casa e, apesar de ter prometido muitas vezes a Charlie, nunca fez isso. No entanto, quando Charlie propõe que eles vão para a Tailândia para a Festa da Lua Cheia, o pedido coincide com a morte do velho amigo Paul, que sonhava viajar pelo mundo. Cliff decide honrar os desejos de seu amigo, espalhando suas cinzas nos quatro cantos da terra. Com duas semanas disponíveis, Charlie e Cliff visitam o máximo de lugares que podem, liberando um pouco das cinzas de Paul a cada nova viagem.

5 – The Way – O caminho de Santiago de Compostela

https://www.youtube.com/watch?v=o5VZKWcgw6c

Sinopse:

Tom é um médico americano que viaja para a França para recuperar o corpo de seu filho, Daniel, morto numa tempestade enquanto fazia o trajeto “El Camino de Santiago”, também conhecido como ” The Way of Saint James”, ou “O Caminho de Santiago”.Levado por sua profunda tristeza e pelo desejo de compreender melhor seu filho, Tom decide deixar sua vida californiana vazia para trás, e embarca em uma peregrinação histórica, numa combinação de luto e homenagem a Daniel, refazendo a trajetória de seu filho no “Caminho de Santiago”.

 

África do Sul e a magia de Capetown

17 de setembro de 2018 0

A África é uma experiência que recomendo sem restrições!

IMG_5210

Mesmo para os mais urbanos e avessos a natureza , tem encantos e recantos imperdíveis. Verdade que para quem não gosta de paisagens belíssimas, infra-estrutura bem montada , ótimas praias e gastronomia elaborada não é o canal!

IMG_5190

Vinhedos então! Afirmo que nunca vi mais lindos e bem cuidados, sem falar na qualidade dos vinhos. Sobre a região de Stellenbosch e Franschhouek vou falar no próximo post.

IMG_E5619

País rico de uma natureza que reconhecemos em plantas e relevos na mesma latitude do outro lado do Atlântico. O Rio Grande do Sul tem clima e situação geográfica semelhantes.

IMG_E5152

Saindo de Capetown chega-se ao Cape Point em 60km de estradas lindas e bem conservadas, só cuidado com a mão inglesa. O Cabo da Boa Esperança é o símbolo das Grandes Navegações Portuguesas do século XV, em busca do caminho marítimo para as Índias Bartolomeu Dias cruzou o cabo em 1488. Um parque preservado onde se pode fazer boas trilhas ou apenas uma visita mais comportada.

DSGI0194

HPZR3369

Por lá os animais são mais selvagens, vivem soltos em um habitat que teimam em não entregar aos humanos. São babuínos, avestruzes e vários tipos de roedores convivendo livremente!

A África do Sul tenta se domar mas na praia de casinhas coloridas os surfistas tem que lidar com os tubarões, nas estradas placas avisam que podemos cruzar com pinguins e o Cabo da Boa Esperança já foi o fim de muitos navegantes !

IMG_E5387

Não senti muita unidade , os descendentes de europeus (apesar de se dizerem locais) dominam uma sociedade exemplarmente moderna, limpa e bem estruturada! A riqueza é patente , mas continua sendo para poucos.

IMG_E5994

A segregação está no ar, nos townships lotados, nas casas de lata e nos restaurantes onde negros estão sempre atrás do balcão. O apartheid persiste na economia , totalmente dominada pelos brancos.

Capetown é uma das três capitais , uma busca de integração de povos que formaram o país: africanos, holandeses e ingleses. A cidade tem uma geografia que nos faz lembrar o Rio de Janeiro, praias belíssimas dentro da cidade , um centro histórico com prédios que remontam aos primeiros colonizadores holandeses e o famoso Waterfront, um pier totalmente voltado para a diversão e o turismo.

IMG_4898

No Waterfront está o Silo Museu de Arte Contemporânea, foi mais interessante que visitei. Um prédio incrível num antigo silo onde se guardava grãos, adjacente fica o hotel de mesmo nome. Um espetáculo de arquitetura.

IMG_5119

IMG_5109

IMG_5098

A cidade guarda prédios que remontam aos primeiros colonizadores holandeses . Eu não deixaria de passear pelo centro histórico , para sentir um pouco mais a realidade como ela é! The Company´s Garden tem vários prédios históricos importantes, Long Street é turística, Kloof Street é descolada e cheia de bares legais. Não aconselho passeios a pé à noite.

IMG_5359

IMG_5074

Mas é nas paisagens que a cidade se supera, a Table Mountain reina soberana, para onde se olhe ela serve de moldura. A dica suprema é pegar o teleférico no primeiro dia, porque nunca se sabe se o tempo vai virar e o passeio pode ficar prejudicado durante toda a estada. Não percam um dia bonito!

Para quem gosta de trilhas subir o Lion´s Head ao por do sol é incrível , uma caminhada de 1:30h leva ao topo com direto a um dos mais lindos visuais do mundo. Camps Bay, os 12 Apóstolos (que nada mais são do que a lateral da Table Mountain) , a cidade e o mar. 360 graus de belezas.

IMG_5132

Se o tempo ou o preparo não permitirem , da para subir de carro ao Signal Hill e ter uma experiencia parecida na montanha um pouco mais baixa.

IMG_E5147

IMG_E5233

O bairro mais típico com suas casinhas coloridas e população muçulmana é Bo-Kaap, vale passear pelas ruas ou fazer um free walking tour para conhecer um pouquinho da sua história.

IMG_5269

IMG_4839

Outro passeio imperdível é o Jardim Botânico Kirsten Garden, pelo lado de trás da Table Mountain, tem um panorama mais rustico em meio as flores mais típicas do país, as protéas. Elas estão por todos os lados em buquês nos hotéis e em feiras de rua.

IMG_4861

São diversos tipos, tamanhos e cores, são lindas , exóticas e meio selvagens. Alem disto tem uma passarela pela copa das árvores. Amei e me senti abraçada pela natureza.

IMG_E4990

IMG_5008

Bem pertinho dali fica o vinhedo mais próximo do centro de Capetown, num bairro residencial e elitizado , Constantia. Lindas ruas arborizadas repletas de mansões atrás de muros altos. Mas por aqui ótimas opções de gastronomia.

Destaque para os restaurantes La Colombe e o Chefs Warehouse em Beau Constantia.

IMG_E6012

IMG_E3343

IMG_5277

O artesanato é um capítulo à parte. O melhor é que o câmbio está favorável para nós brasileiros.

IMG_E6035IMG_E6031

Um país de contrastes que está me conquistando aos pouquinhos.

Trilha pelo topo do mundo - Cordilheira Huayhuash, Peru.

07 de setembro de 2018 0

Ano passado fizemos a trilha de Salkantay, próximo a Cusco, que foi uma experiência muito legal, éramos um grupo de 12 pessoas do mundo inteiro. Mas meu coração pulsava pelas montanhas no norte do Peru onde em 2015, havíamos feito a trilha da Laguna de Santa Cruz na Cordilheira Blanca.

Se você quiser saber mais sobre Huaraz e a Cordilheira Blanca olha aqui: http://www.viajandocomarte.com.br/trilha-e-avent…ra-branca-peru/

Na ocasião jantamos na melhor (única : )  ) creperia em Huaraz, a do francês Patrick, e ele falou muito sobre a beleza impressionante da Cordilheira de Huayhuash, aquilo ficou marcado a fogo na minha mente e voilá! 3 anos depois estávamos de volta a Huaraz, a meca latino americana de trilhas e escaladas.
Desta vez a pegada era bem mais forte, a trilha seria de 6 dias e mais 2 trilhas prévias  de aclimatação, ou você está achando que andar entre 4000 e 5000 metros de altitude é moleza?

IMG_2263

 

Aqui nós 3, eu, Luisa e Ana, saindo para nossa primeira trilha de aclimatação, em uma montanha próxima a Huaraz.

IMG_2264

Tudo correu bem nas trilhas de aclimatação, nada de soroche,  como eles chamam o mal da altitude. A gente se sente um pouco mais ofegante, mas tem várias pessoas que passam mal, os sintomas mais comuns são dor de cabeça e enjôo. Mas treino é treino e jogo é jogo, só lá nas montanhas que realmente poderíamos saber como nosso organismo iria responder.

IMG_2484

IMG_2401

Tudo certo, muita expectativa, zarpamos em uma viagem de van de umas 6 horas.
E aqui transcrevo meu diário dos dias que se seguiram:

IMG_2520

Saindo da estrada Pan americana, a paisagem já começou a mudar.

mapa huayhuash

Este é o mapa do nosso circuito

Dia 1 – Maracancha ou Cuartelhuain.

Saimos de Huaraz as 9hs, dia lindo de sol. Gravei a chamada para o nosso podcast do Peru e pegamos a estrada em direção ao sul, a mesma que vai para Lima. Depois de 1 hora entramos a esquerda e entramos em uma estrada cênica tendo a Cordillera Huayhuash ao fundo, lindo demais.

Paramos ao lado de um rio de corredeira em um lugarzinho gramado perfeito e almoçamos papas com crema de espinaca. As comidas de acampamento aqui são deliciosas, os “chefs” das trilhas fazem cursos de culinária especial para acampamento, a gente come trutas assadas, cereais com frutas aquecidos, sopas energizantes, tudo muito bom.

IMG_2626

Nosso pic nic durante a viagem.

Seguimos viagem por estradinhas cada vez mais estreitas e ingremes.

Entrando para dentro do vale.

Chegamos a Llamac e depois entramos no parque na vila de Pocpa, 15 soles por pessoa.

Chegamos ao acampamento em torno das 14:30, já havia 2 grupos e chegaram mais.

Tomamos o cha da tarde e agora começou a chover, espero que não dure tanto tempo.

Parou a chuva e o final de tarde foi lindo, dourado, auspicioso.

IMG_3398

IMG_3400

Entardecer de tirar o fôlego previa um começo auspicioso para o nosso grande desafio

Dia 2 - Cuartelhuain / Mitucocha.

Saimos as 6hs e cruzamos o passo Cacanan 4700m

Depois seguimos e almoçamos e subimos o segundo Passo através do lugar chamado Quebrada Caliente. E a chuva gelada feito mini granizos nos pegou no caminho.

40512931_327322058003613_2264363937350811648_n

Esta foto foi logo depois da primeira subida forte, a gente acha que não vai conseguir afinal 4.700mt, é um bocado, mas o segredo, é respeitar o seu ritmo, ir devagar, e quando a gente chega lá no topo, o sentimento é indescritível.

Foi muito difícil, um desafio enorme, fazermos em 1 dia o que as pessoas normalmente fazem em 2 dias, caminhamos 11 hs e chegamos no acampamento já quase escuro. Foi muito, muito, muito exaustivo.

Acampamos ao lado da lagoa Mitucocha.
O lugar é fantástico, mas só pudemos apreciar o cenário quando amanheceu, ontem estávamos completamente exaustas, jantamos e capotamos.

IMG_3389

IMG_3387

Quando amanheceu o visual era este, e toda a bronca do dia anterior já havia passado

 Dia 3 – Laguna Carhuacocha – Passo Carniceiro (4.800mts)

Saimos as 7h 30 e o trajeto foi cinematográfico, lindíssimo, 3 lagunas e subimos, subimos até o miradouro a 4400m. Uma das paisagens mais lindas que já vi na vida. As vezes ouvíamos uns estrondos ameaçadores que eram pequenas avalanches e gretas estourando. A água das lagoas era muito verde, foi uma visão inesquecível.

IMG_3380

Lupinas nos acompanharam por todo o caminho.

IMG_3091

Visão espetacular das 3 lagoas

IMG_3110

Nestor nosso guia preparando o almoço.

Ali naquele lugar espetacular sentamos para descansar e comer um lanche.

Mas ainda era cedo para festejar, nos esperava um dos pasos mais duros, o Carniceiro, com este nome sugestivo subimos por ele até o topo de 4800m e lá no teto do mundo, almoçamos.

IMG_3097

No topo do Carniceiro

Mas ainda estávamos a quase 3 horas de caminhada do acampamento e começamos a descer com um sol forte por um vale lindo.

IMG_3038

Quando olhamos na direção que estávamos seguindo de um minuto para o outro havia se formado um céu escuro ameaçador e víamos mangas fortes de chuva mais ao longe. Quando a tempestade nos alcançou era um vento forte com mini granizos de neve que açoitavam o nosso rosto, caminhamos uma meia hora nestas condições, quando de repente assim como veio, a tempestade e as nuvens se foram o sol voltou e chegamos ao acampamento pelas 4h da tarde. Ana que foi a cavalo e por outro caminho evitando o Carniceiro havia chegado ao acampamento as 13:30, bem descansada e faceira.

IMG_3277

IMG_3258

IMG_3501

Arrumamos tudo, jantamos, na janta sempre temos uma sopa deliciosa de entrada, ontem foi de Zapallo, (moranga) depois frango com cogumelos e arroz e uma mini torta de sobremesa.

As 9h fomos dormir, dormi muitíssimo bem, foi restaurador.

IMG_3697

lanchinho da tarde.

Dia 4 – domingo – Passo Portachuelo (4750mts) / Laguna Viconga

Saimos 7:15h do acampamento, com bastante neblina e logo abriu um dia magnifico de sol, hoje fomos todo o trajeto juntas, Ana no cavalo e Luisa e eu caminhando. O dia foi ótimo, tivemos um Paso Portachuelo, leve não tão ingreme. Vistas incríveis de montanhas, lagos verdes um lago enorme, o Viconga que serve de reserva de água em caso de seca.

IMG_3383

IMG_3312

Fizemos um lanche após o Passo, e depois subimos ao longo da barragem, para cairmos em um vale lindo, verde, uma área super remota, com cachoeiras, e aprendemos que neste mesmo lugar era usado como campo de treinamento da facção terrorista Sendero Luminoso. Até chegarmos ao nosso acampamento as 13:30, foi o dia mais light e que chegamos mais cedo. Aqui tem 3 piscinas termais com água extremamente quente, tomamos banho! Foi uma glória! Já estávamos nos sentindo um tanto azedas e poder relaxar o corpo cansado naquela água quente foi maravilhoso! Tempo tão lindo que colocamos a mesa e almoçamos ao ar livre, memórias para a vida.

IMG_3392

Piscinas de águas termais, perfeito para depois de dias de trilhas, um luxo!

IMG_3350

IMG_3138

IMG_3379

IMG_3382

Dia 5 – Laguna Viconga / Passo Cuyoc (5.000mts) / Passo Guanacpatay ( 4.300mts)

A noite passada foi fria, o ar estava fino e o céu absurdamente estrelado, nestas horas me dou conta porque estou neste lugar, porque tantas horas caminhando, e me sinto minúscula diante desta natureza onipresente, dos seus barulhos noturnos, das águas correndo cristalinas, e parece que chego muito próxima do paraíso, ou ou menos do que penso ser o paraíso e tudo faz sentido.
Hoje raspamos o topo do mundo, subimos o Passo Cuyoc o mais alto de todo o circuito, 5000mts, a visão é incrível, o dia estava ensolarado e nosso astral animado. Descemos e almoçamos em um vale gramado, e nosso guia, muito gente boa, o Nestor, nos permitiu até uma sestiazinha gaúcha no sol.
Seguimos pela quebrada Huanactapay e acampamos em Rinconada a 4.300mts.

IMG_3710

mãos de 5.000 mts, o lugar mais alto de todo o circuito – Passo Cuyoc

IMG_3579

IMG_3669

almocinho no sol, a gente merecia!

IMG_3702

Nosso último acampamento, lugar lindo demais.

IMG_3704

 

Dia 6 -  Huayllap / Huaraz

Acordamos cedinho, e partimos para aquele que seria nosso último dia de caminhada, nesta noite passei muito mal fui acometida pela maldição de Cortez, se é que vocês me entendem… foi um deus nos acuda, durante a noite. Comecei caminhando, mas depois da 2a parada, estava me sentindo muito fraca e montei no cavalo. Subimos bastante, e garanto que prefiro mil vezes estar sobre as minhas pernas do que montada a cavalo naqueles desfiladeiros, mas eu não tinha escolha. A descida foi caminhando por um vale tranquilo e bonito, até chegarmos a um vilarejo onde a van estava nos esperando para uma longa jornada de volta a Huaraz.

IMG_3181

IMG_3781

 

5 razões para amar Paris

05 de setembro de 2018 0

Paris é uma das cidades mais lindas do mundo, o que já razão suficiente para você visita-la, mas se só este argumento não te convenceu, vou listar 5 razões para que você ame Paris tanto quanto eu.

5 motivos porque eu AMO Paris

Paris é uma cidade plana, perfeita para percorrer de bicicleta. Os motoristas estão super acostumados a dividir o trânsito com bicicletas o que aliado com todas as ciclovias e sinalizações, torna pedalar muito seguro. E se você já pedalou em alguma cidade, sabe como é gostoso, pois a gente tem a oportunidade de vivenciar, experimentar mais a vida da cidade e não cansa tanto quanto andar à pé. E algo que me dá extremo prazer é voar as tranças pelas ruas e parques de Paris de bicicleta.

IMG_0229

IMG_2086

IMG_1143

inverno ou verão, o tempo estando bom, bicicleta em uma cidade plana, cheia de ciclovias é a maneira mais lúdica de se conhecer uma cidade.

Qualquer pessoa com um cartão de crédito pode alugar uma Velib, aquelas bicicletas disponibilizadas em todos os lugares da cidade.

Experimente, garanto que você nunca mais vai querer ficar andando de metro para cima e para baixo  outra vez.

Uma das regiões mais legais de Paris na minha opinião, é a vizinhança do Canal Saint Martin. É um bairro descolado e jovem. Todos os finais de tarde a margem do canal se enche de gente bonita fazendo happy hour, saindo do trabalho, sentando na murada do canal e armando grandes pic nics. Um astral ótimo, tem uma pizzaria inclusive onde você faz o seu pedido e eles te dão um balão cor de rosa, quando a pizza fica pronta eles vêem o seu balão de longe e vão lá entregar a pizza em mãos!

IMG_1576

Com suas eclusas, o Canal Saint Martin é um lugar lindo e super romântico

IMG_1364

No verão é ponto certo para happy hour.

40586952_230121784326033_5460971361184776192_n

adoro brincar com os reflexos, aqui viraram o mundo de cabeça para baixo!

Caminhar pelas margens do Sena especialmente à tardinha quando a cidade se cobre de um colorido sépia, a visão do por do sol a partir da Pont des Arts  amolece até os corações mais duros.

IMG_1444

Olha só para este por do sol com a Pont des Arts, aliás é um lugar super bacana para vir à tardinha com os amigos fazer um brinde.

Parques e jardins incríveis

Os parques de Paris tem uma beleza diferente em cada estação do ano, um dos meus preferidos é o Buttes-Chaumont, que fica no 19º arrondissement, perto de Belleville, é enorme, com  25 hectares de um terreno acidentado, com colinas verdes, uma ponte gigante, o parque é cheio de cerejeiras, o que torna sua visita em abril um espetáculo, pois as cerejeiras rosas e brancas estão no auge da floração.

IMG_6602

Buttes Chaumont, um dos meus lugares preferidos em Paris.

IMG_6604

Para quem gosta de parques e jardins tem infinitas opções, aqui em cima o Parque de Belleville

IMG_1414

Ufa demorou, mas agora em alguns (poucos) lugares a gente pode deitar na grama em Paris, aqui a galera descansando no Jardim de Luxemburgo.

IMG_1565

a chiquérrima e nobre Place des Voges, no Marais

40544376_2132703367001462_641748013299007488_n

Que tal apreciar a instalação gigante de Claes Oldenbergh, a bicicleta enterrada, no Parque de La Villette?

Outro lugar muito legal é o Parc Floral, um jardim botânico que fica dentro do Parque Bois de Vincennes. É um lugar para fugir do barulho da cidade. Tem 31 hectares e várias estufas para a gente visitar. Tem um bar/restaurante onde se pode sentar na rua pegando sol e tomando um bom vinho rose.

Parc-Floral

1474550431_1413289203pano

O lugar é imenso. Crédito da foto acima: Parc Floral

Boulangeries e mercados

Tem coisa melhor do que pão crocante com queijo e vinho?

Em Paris nem precisa gastar muito, você pode entrar em qualquer boulangerie ( padaria) que a baguette vai ser crocante e deliciosa. Passe em algum dos muitos mercados da cidade, tem um bárbaro aos sábados na Bastilha, na Rua Richard Lenoir, os pequenos produtores dos arredores de Paris trazem seus produtos frescos direto da fazenda. A gente come com os olhos, tudo lindo, as frutas, ostras, queijos, presuntos, tudo convida a um grande pic nic, em algum parque ou jardim da cidade.

s

Fora que somente andar pelas ruas de Paris e observar os detalhes dos prédios, as portas, a influência clássica da arquitetura já me deixa levitando. E a todo momento fico perdida nos meus pensamentos e digo baixinho “ como estou feliz, estou em Paris”

Croácia al mare - navegando pelo paraíso

31 de agosto de 2018 0

Nossa última viagem foi uma experiência inesquecível.

O Viajando com Arte montou um grupo de 9 mulheres a bordo de um veleiro nas belíssimas ilhas do sul da Dalmácia na Croácia . Nossa viadem começou em Split, onde ficamos 2 noites para conhecer um pouco do passado romano da Croácia, no muito bem preservado Palácio de Diocleciano, onde até hoje podemos ver as muralhas que delimitavam as fronteiras do palácio, contém hoje o centrinho histórico de Split, cheio de lojinhas, restaurantes e bares.

IMG_8178

IMG_8028

Detalhe da esfinge no Palácio de Diocleciano em Split.

No dia seguinte fomos conhecer um dos incríveis parques nacionais, a Croácia tem vários deles, todos lindos demais, o que visitamos fica a 1 hora de Split, é o Parque nacional de Krka, um lugar com uma beleza de tirar o fôlego, cachoeiras e passarelas sobre uma água verde esmeralda, cristalina. A grande vantagem de Krka é que é permitido tomar banho nas suas cachoeiras, o que já não acontece no Parque de Plitvice, seu irmão mais célebre.   IMG_8008

Parque Nacional de Krka.

Depois de 2 dias estávamos prontas para embarcar em nossa aventura pelas ilhas da Croácia.   IMG_8049 Este era nosso barco, onde passaríamos 1 semana, conhecendo lugares que eu nem imaginava existirem, fizemos um apanhado das ilhas mais lindas do sul da Dalmácia, Brac, Hvar, Kórcula, Mijet e finalmente Dubrovnik. Esta era minha segunda viagem a Croácia, e faze-la de barco foi uma experiência totalmente diferente, a comunhão com a natureza é total, apenas uma noite ancoramos em uma marina – em Vela Luka – na ilha de Korcula, as outras noites parávamos em baias, tranquilas, onde a gente só ouvia os sons da noite, grilos e o ondular do mar. Noites estreladas, com o melhor serviço de bordo que vocês podem imaginar, nosso jovem chef, o Viktor, tinha muito talento e saboreamos o melhor de frutos do mar e da culinária local. Longas conversas a bordo depois da  terceira noite já parecíamos amigas de infância. Conversar com nosso capitão Ante e sua esposa, Sandra, foi também muito enriquecedor, aprendemos muito do sofrimento e saga deste povo aguerrido que atravessou períodos dificeis de uma guerra sangrenta. IMG_8213 Nosso chefe a bordo, Viktor, o fato de estarmos lá durante a copa do mundo criou mais vinculos entre nós e a tripulação super atenciosa e carinhosa dos croatas. IMG_8317

Entardecer em Hvar.

IMG_8318

Nosso grupo em Hvar, antes da ilha ir a loucura no jogo que ganharam nos pênaltis da Dinamarca.

IMG_8424

Trilha que fizemos em Vela Luka na ilha de Korcula.

IMG_8552

E assim é o mar por lá, impressionante!

IMG_8553

Pic nic na praia.

IMG_8748

Pelas ruelas estreitas no centro histórico de Korcula

. IMG_8758

Pedalando pelo parque nacional na ilha de Mijet.

IMG_8985

Por do sol memorável na ilha de Sipan.

E finalmente chegamos em Dubrovnik, uma cidade saída dos contos de fadas, nosso barco ancorava um pouco para fora das muralhas antigas da cidade e pegávamos o bote em 10 minutos estávamos chegando no portinho antigo. Duas coisas imperdíveis para se fazer em Dubrovnik, caminhar pelas suas muralhas ao entardecer e subir no teleférico para ver a cidade de cima, uma visão que vai te acompanhar para sempre.

IMG_9262

nas muralhas de Dubrovnik

IMG_9323

IMG_9287

IMG_E9298

Hora da despedida, foram dia absolutamente inesquecíveis, uma experiência que super recomendo.