Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "America do Norte"

Novidades em NYC - Memorial e Museu 11/09 e Brookfiled Place

01 de março de 2016 0

Já fazia um tempo que não andava por NYC e algumas novidades me encantaram por lá!

IMG_8415

Em Downtown, na região financeira onde a ferida aberta pelas Torres Gêmeas ainda estava punjante da última vez, está quase pronto o complexo que naquele espaço foi construído . O Memorial do 11/09 é carregado de simbolismo, duas piscinas localizadas exatamente onde estavam as torres despejam agua num buraco negro , lágrimas infinitamente rolando num trauma que tem que ser sempre lembrado. Os nomes dos quase tres mil mortos de 2001 estao escritos nas bordas , uma homenagem linda e emocionante.

IMG_8395

O Museu do 11/09 fica logo ao lado , uma construção separada com vidros que refletem o entorno. Não é um museu , principalmente para quem tem alguma lembrança ou está ligado de alguma forma as vítimas daquele dia. Guarda as entranhas do antigo prédio, como se fosse os fósseis de um animal. Os depoimentos, gravações e imagens do dia fatídico estão distribuídos em salas imensas e cheias de sentimentos que nos comovem mais ainda por termos sido todos testemunhas oculares da tragédia. Gostei de ter visto , me emocionei em alguns momentos e na minha opinião o único senão é a lojinha,  vende produtos ufanistas, roupas de bombeiros e policiais! Não precisava.

IMG_8398

O prédio ali construído chama-se  One World, uma torre única de 104 andares que também abriga um observatorio no topo. Aqui duas observações. Se você nao tem medo de subir , o que é o meu caso, poupe os U$ 32,00 e use no Top of the Rock no Rockefeller Center. Lá o visual é mais interessante com o Central Park de um lado e o Empire State de outro. Além disto aqui não tem um lugar aberto , somente envidraçado, o que frustra um pouco as expectativas.

IMG_8339

 

Por ali só o que ainda não estava pronto era o terminal de transporte , projeto do controverso arquiteto  Santiago Calatrava (o mesmo do Museu do Amanhã no Rio) que atrasou sete anos para sua conclusão e teve um custo de mais de 4 milhões de dólares. Começou como um pássaro que moveria as asas e agora , já um pouco deteriorado antes da inauguração,  é chamado de dinossauro. Mas mesmo assim é imponente e incrível e acaba de ser inaugurado hoje, perdemos por uma questão de alguns dias.

IMG_8396

IMG_8390

Mas não deixem de atravessar a rua em direção ao Rio Hudson e dar uma passeada pelo Brookfield Place, um jardim de inverno de palmeiras naturais iluminadas por lanternas quadradas que mudam de cor. Na verdade é um pequeno mall com lojas de grife, mas se for ao entardecer é um dos melhores lugares para ver o por do sol na ilha , e não custa nada.

IMG_8323

No inverno tem uma pista de patinação no gelo , adoro o astral.

IMG_8413

IMG_8371

Para completar o programa não pode faltar a dica gastronômica , no Brookfield Place está o Le District , uma espécie de mini Eataly com produtos e culinaria francesa. Vale a parada

e voilá!    IMG_8382 IMG_8384

Para saber mais sobre roteiros em grupo ou sob medida do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

 

"Fall into color"- Dallas Arboretum comemorando a entrada do outono

08 de outubro de 2015 0

A Marília Clark, querida amiga e colaboradora silenciosa nos manda estas fotos maravilhosas de sua cidade de adoção!

Para entrar no clima de belos jardins pelo mundo , o Dallas Arboretum  em sua festividade de outono foi o recanto eleito. O linck para maiores informações : http://www.dallasarboretum.org/

Depois de um verão escaldante no Texas ano passado, comemoraram os dias mais frescos com uma explosão de cores em imagens deliciosas. Este ano os jardins estão mais floridos e as fotos ainda mais lindas do que de costume.

12115579_10156320739610157_7115086689280948143_n  12143282_10156320741875157_4687449189622104767_n

Além dos jardins de abóboras , todo o complexo outonal é encantador.

AWG-Fall-Color-22

12116023_10156320738905157_3339034682468329033_n

A Vila de Abóboras de Cinderela foi o tema escolhido para a exposição de 2011.

 Beautiful-long-view-of-A-Womans-Garden

 A parte chamada Woman´s Garden é uma dos recantos prediletos da Marília, tanto é que uma de suas fotos foi escolhida para representar o jardim num periódico local!

 

 

Abraços e que a gente não vire abóbora antes da entrada do verão!

Posts relacionados

O jardim museu mais lindo do mundo está no Brasil. Você conhece Inhotim?

Descobrindo Porto Alegre : o Jardim Botânico

Oslo: entre o mar e a arte

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

 

 

Park City - Utah - Por Luciano Zanetello

29 de abril de 2014 0

O melhor amigo do homem, ainda é o cachorro …

O segundo melhor nos dias de hoje são os programas de milhagem. Com alguma antecipação e planejamento pudemos optar por uma Pascoa diferente fugindo do engarrafamento  da ponte em Laguna, aproveitando  para conhecer a estação de Park City, em Utah.

Marcamos todos os vôos com a American e, mesmo  antes do Fortunatti reclamar já sabíamos que o melhor era sair / voltar por SP para garantir um equipamento mais moderno. Depois da escala em Dallas, chegamos a Salt Lake City ( 50 km  de Park City) onde pegamos o carro e começamos a usufruir a ótima estrutura americana de estradas.

Park City 126

 Arredores de Salt Lake City

Em 30’estacionamos no hotel e após largar as malas fomos dar uma volta para conhecer a cidade.  Por conta da infra de Park City temos hotéis,  pousadas, resorts para todos os gostos e bolsos. A cidade foi originalmente uma vila de mineração e é conservada neste estilo nos dias de hoje.

Park City 012

Amanhecer gelado

Como era a última semana da estação,  as  outras opções ( Canyons, Deer Valley ),  fechavam naquele final de semana ficando aberta só o  Park City Mountain Resort.

 

Park City 037

 A Main Street e a montanha

Quem ninguém pense que é pouca coisa, existem ali dezenas de pistas com todos os graus de dificuldade tornando o lugar desafiador  para qualquer  esquiador.

Park City 047

Park City 055

Park City 059

Park City 061

 As pistas do Park City Mountain Resort

Os inúmeros parkings ao lado das pistas já não lotavam mas um número razoável de adeptos garantia a movimentação na montanha. Aliás, por conta do movimento nesta última semana ( desconto em todos os lifts e aluguel dos equipamentos) depreendo que no auge da temporada, em alguns momentos deva haver  filas de espera para subir a montanha pois os frequentadores devem ser em número bem maior.

Park City 014

 Pausa depois da descida  mesmo com o funcionamento dos outros centros.

Park City 036

A cidade propriamente dita, resume-se a duas ,três ruas bem compridas. Main Street

Na Main Street estão as lojas,  galerias de arte e restaurantes; muitos restaurantes. As outras ruas  funcionam mais como apoio para o estacionamento para quem frequenta o centro. No entorno da cidade,  os espaços são amplos com núcleos residenciais e comerciais bem espalhados nos dois lados da rodovia que vem de Salt Lake e vai unindo todas os centros de ski.

A natureza é exuberante e, bastante ajudada pelo planejamento e regime de urbanização. Ciclovias e trilhas para caminhada complementam a paisagem natural formando um belo cenário. Existem diversas opções para diversão mesmo para aqueles que não tenham no ski o principal foco.

Park City 078

 Lua cheia sobre a cidade  

No parque Olímpico, onde foram realizados os jogos de Inverno de 2002 até a opção de experimentar uma descida na modalidade do ”bobsled” existe.

Park City 085

 Trampolim Olímpico

Para os compradores de plantão um grande Outlet na entrada da região reúne marcas como Nike, Adidas, Tommy H., Gap ,Columbia, e tantos outros com preços que fazem as liquidações no Brasil parecer preços de grife.

Os restaurantes são da mesma forma,  para todos os gostos e bolsos. Eu recomendaria para almoço, no intervalo de uma descida da montanha e outro o Vinto, comida italiana muito boa e barata.

Para um jantar mais romântico,  o Zoom ( que faz parte da cadeia dos restaurantes Sundance) adaptado em uma antiga estação de trens da Pacific Union,  todo decorado com pôsters do dono ( Robert Redford ) é um pedida sem erro.

Park City 089

Interior Restaurante Zoom

Park City 095

 Restaurante Zoom -

A maior dificuldade aqui foi conseguir comprar uma garrafa de vinho. Por conta de lei estadual ( para os que não sabem, Utah é o estado dos Mórmons ) mesmo em lojas de bebidas não permitem a venda de vinho que só pode ser comprado em casas específicas e de onde saímos com o tradicional saco pardo parecendo que éramos  adolescentes infratores.

Park City 076

 Enfim uma garrafa de vinho   

Como ninguém vai esquiar 24 h por dia, um passeio a Salt Lake City é uma ótima pedida . Uma cidade moderna, limpa com um visual do entorno maravilhoso, pois fica no meio de um grande vale cercada por cadeias montanhosas e picos nevados. Ali uma boa opção para passeio e compras é o Creek Center, bem no centro da cidade.

foto 1

foto 2

 Centro de SLC  -   No final da semana, aproveitamos e esticamos até Nova York, mas aí é outra história ……

Park City 147

 Por do Sol na High – line NY

Lake Tahoe – O Lago Esmeralda da Califórnia

19 de abril de 2013 0

Por Luciano Leonetti Terra 

                Como um dos estados mais famosos dos Estados Unidos, a Califórnia é conhecida principalmente pelo surf e por ser o berço do cinema americano. Afinal Hollywood é lá. Todo esse propagado “glamour” muitas vezes ofusca outras belezas, às vezes até mais interessantes que a magia da sétima arte. A Califórnia é muito mais que isso.

                Em um final de primavera, mais precisamente no começo de junho, fui para Califórnia na esperança de conhecer além daquilo que já tinha visto em dezenas de filmes e que também me atraía muito: São Francisco, Los Angeles, Santa Mônica, Santa Bárbara, Carmel e todo o litoral do Pacífico. O que não sabia é que a Califórnia que iria descobrir seria muito mais grandiosa do que poderia imaginar. As atrações “comuns” me surpreenderam, mas aquelas que eu não tinha a real noção de como eram, me arrebataram.

                A aventura californiana começou por São Francisco. A intenção era percorrer a distância entre essa cidade e Los Angeles em cinco dias, ou seja, não iria me contentar com a US 01 e todas as suas maravilhas. Queria mais. Sendo assim, ao sair de lá não rumei ao sul, mas sim ao nordeste do estado. Em direção a Sacramento e o interior. O objetivo era circundar o estado pelo leste até encontrar o litoral novamente em Monterrey. E nesse trajeto passar por duas atrações conhecidas, “pero no mucho”: Lake Tahoe e Parque Yosemite.

                O caminho em direção a Lake Tahoe é um espetáculo a parte. Quanto mais ao leste, mais alto, mais frio, mais fantástico. A região onde fica o lago chama-se “High Sierras” e pelo nome já dá para ter uma ideia do que se está falando. As curvas e subidas vão se tornando dramáticas e quando, em um dado momento, avista-se o lago lá embaixo o coração quase pára. De susto e de delírio. A natureza ali, como em toda a Califórnia, é fascinante. As dezenas de tons de verde, as montanhas, o clima. Tudo é puro deleite.

                Era um final de tarde ensolarado quando finalmente cheguei à beira do lago na pacata cidade de South Lake Tahoe. Não há palavras que consigam descrever o lugar. Tentarei. Imagine a cena: um lago de águas cristalinas e verdes, de um pouco mais de 100 Km de circunferência, rodeado por montanhas de picos nevados (no inverno ficam totalmente cobertas de neve) e árvores verdes cobrindo toda a extensão. Para completar, uma estrada serpenteando todos os lados e levando a lugares inimagináveis. A sensação de pertencer a um cartão postal é inevitável.

                No inverno Lake Tahoe é rodeado de estações de esqui, onde foram realizados os Jogos Olímpicos de inverno de 1960. Nas outras épocas do ano é o paraíso dos esportes de natureza. Rumam para lá ciclistas, canoístas e todos os amantes de caminhadas e corridas. No verão os campings ficam cobertos por barracas e motorhomes. Na primavera e no outono o local é mais calmo e perfeito à contemplação. Silêncio no meio de uma paisagem dessas é a maior benção do mundo. Cada minuto é pura meditação. É só se deixar levar pela força do lugar.

                Uma das principais atrações é a Baía Esmeralda e a casa de veraneio Vikingsholm, uma réplica de um castelo nórdico. A vista do alto é de tirar o fôlego. Ela já seria perfeita apenas pela localização, porém ainda se dá o desplante de ter uma ilhota no meio. O detalhe perfeito para finalizar a obra de arte. Sem falar que ainda há uma cachoeira que despenca do alto das montanhas e vem abastecer o lago com suas águas geladas e cristalinas. Circulei por uma boa parte do lado esquerdo do lago. Se você gosta de aventura irá adorar dirigir por essa estrada. Estreita e sempre à beira de abismos. Tem momentos que o penhasco é única coisa que se consegue ver à direita do carro. Pura aventura. E o pior é que o motorista também é filho de Deus. Então, é um olho na estrada e outro na paisagem. Eu sobrevivi, você também sobreviverá.

                Lake Tahoe fica na fronteira da Califórnia com o Estado de Nevada. Se eu já havia amado o lado Californiano, não fazia ideia o que o outro lado me reservava no dia seguinte. Bem cedinho, um dos momentos mais bonitos para contemplar a natureza, saí do hotel e cruzei a fronteira estadual. Desta vez a estrada era mais larga e não tão sinuosa. Os penhascos já não tinham a mesma graça do dia anterior, mas a vista… A claridade e a luz da manhã iluminavam diretamente as montanhas nevadas mais ao oeste e estas pareciam brotar das águas verdes do lago. Para resumir, sentei em um banco e fiquei alguns minutos admirando o lugar. Respirando a natureza e recebendo a energia que foi aos poucos emocionando um a a um. As palavras foram cessando e o silêncio automático tomou conta de todos. Silêncio em respeito, silêncio por harmonia, silêncio por sintonia. Os olhos e todos os sentidos ocupados apenas em sentir e assimilar tudo aquilo que precisava ser sentido. Ainda hoje me emociono ao lembrar daqueles momentos.

                A margem direita do lago pode não ter a Baía Esmeralda, mas tem a Cave Rock e seu túnel. Um lado invejando o outro e concorrendo no quesito magia. Em minha opinião daria empate. Um detalhe importante: como disse no começo, o lago tem mais de 100 Km de margens e eu visitei apenas uns 40 Km. Imagine quantas surpresas esses outros 60 Km poderão oferecer? Um dia ainda voltarei lá para conferir.

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Dicas de restaurantes Downtown NYC

06 de dezembro de 2012 0

Esta é a região que concentra o maior número de restaurantes na cidade, principalmente em Meatpacking e Soho. Para quem gosta de sair a pé a noite é uma boa ideia ficar hospedado por aqui , para não ter grandes deslocamentos de taxi , o que nem sempre é muito fácil em NYC. Todos os restaurantes citados estão no Meatpacking ,com poucos passos de distância entre eles (9th Ave entre 12th St e 14th St ).

 

Mas vamos ao que interessa,

Meatpacking District

Pastis : Já um clássico na região, do mesmo dono do Balthasar no Soho , um bistrô super charmoso e movimentado até mais tarde . Paredes de azulejo , gente bonita e uma localização estratégica. O sea scallops  (vieiras) e o cod fish são uma delícia.

Spice Market : Para um jantar descolado com culinária fusion asiática. Mas vá preparado , porque o nome diz tudo , spice e muito condimentado.

Serafina : Pizzaria com vários endereços pela cidade, ambiente descontraído e algumas pastas no cardápio também.

Giovanni Rana : Na entrada do Chelsea Market , um restaurante com cara de cantina e comida deliciosa! Mais indicado para almoço , não deixe de pedir o raviolli com lagosta, um must.

Standard Grill : Para um almoço em estilo tipicamente americano , com hamburguer e uma batatinha frita gourmet. Tem opções mais refinadas também. Ambiente familiar bem embaixo do Highline.

Buddakan : Imortalizado no filme Sex and the City , continua mandando muito bem tanto em ambiente quanto em cardápio. Pedimos um menu degustação com uma mistura tailandesa e asiática em geral , inesquecível.

 

Catch : Não cheguei a conhecer , mas como badalação é imperdível . Fica no segundo andar , bem acima da loja da Sephora.

 

Bar Hotel GansevoortRooftop: Onde todos acabam a noite , um visual lindo e uma fila enorme de gente esperando sua vez de ser feliz ( ou nem tanto) !

 

Babbo : Restaurante sensação da cidade, do chef Mario Batali , bem complicado conseguir reserva. Comida italiana com ingredientes meio diferentes, confesso que eu esperava mais. Decoração simpática e atendimento super atencioso , mas os pratos que pedimos não surpreenderam. É o único da lista que não fica a poucos passos do coração do Meatpacking, está ao lado da Washington Square em Greenwich Village.


Toronto por Luciano Terra ( parte II)

12 de novembro de 2012 0

 

Toronto é uma cidade vibrante e culturalmente repleta de atrações. Nós tivemos a sorte de sermos agraciados pela presença do espetáculo “Michael Jackson – The Immortal World Tour – Cirque du Soleil” que estava em cartaz no Air Canada Centre (um maravilhoso ginásio multiuso e casa do time de basquetebol Toronto Raptors e do time de hóquei no gelo Toronto Maple Leafs). Um espetáculo grandioso sobre a história musical do rei do pop. A partir do final deste ano ele estará excursionando  pela Europa, então se estiver por lá não deixe de ir. Sendo assim, escolha a sua atração e aproveite a oportunidade de estar em uma das mais modernas cidades do mundo. Ainda no âmbito cultural a AGO (Art Gallery of Ontário) e o ROM (Royal Ontario Museum) possuem um acervo com artistas locais e de todo o mundo que vale a visita.

Se por acaso museus não são seu programa favorito, não deixe de passar ao menos em frente a esses dois prédios, pois são dois belos exemplares da arquitetura moderna. Se for um (a) amante de sapatos não poderá deixar de ir ao Bata Shoe Museum, um museu especializado no assunto.

Uma região muito interessante de Toronto é a que compreende o Parlamento de Ontário e a Universidade de Toronto. Os prédios históricos são maravilhosos e seus jardins e parques valem a visita em um dia ensolarado de verão.

Se você quiser um pouco de aventura, e porque não adrenalina, suba a CN Tower pelo seu elevador panorâmico e se atreva a caminhar em um chão de vidro a mais de300 metrosde altura. Mesmo os mais descolados têm um friozinho na barriga e os mais medrosos não chegam nem perto. Mas se a adrenalina for seu vício aproveite a visita e faça o “Edge Walk”, onde você irá caminhar pelo lado de fora da torre a mais de350 metrosde altura e somente preso por um cabo de aço. Se tiver coragem, boa sorte. Eu fiquei do lado de dentro do vidro.

Esportes é sua distração predileta? Então vá a um jogo de beisebol ou futebol americano no Roger´s Centre. O estádio é fantástico e dependendo do tempo poderá estar com o teto aberto ou fechado. Fomos a um jogo de beisebol do Blue Jays e foi muito interessante. O estádio estava fechado e pudemos curtir o mega telão e toda a função de um jogo que para nós ainda é uma novidade.

Como toda metrópole o melhor programa de Toronto é caminhar. Somente dessa forma você irá achar construções magníficas, pessoas interessantes e se surpreenderá a cada esquina que dobrar. Um exemplo dessas surpresas foi as dezenas de pianos que encontramos em calçadas, parques e praças. Com a frase “play me, I’m yours”, estavam ali disponíveis a quem quisesse sentar e dar o seu show. Tivemos a oportunidade de ouvir músicas clássicas, modernas e até mesmo uma menina cantando acompanhada de um amigo e rodeada de toda a turma. Um concerto? Não, apenas caminho para uma balada!

 Tenho certeza que não será nada difícil você voltar apaixonado por Toronto. Eu confesso: rendi-me aos encantos de Toronto e quero voltar lá em breve.

 

Toronto , uma cidade vibrante por Luciano Terra

09 de novembro de 2012 0

 

Quando comecei a pensar em visitar o Canadá neste verão 2012 do hemisfério norte o que me atraía mais era o seu ar cosmopolita, inclusivo e liberal. Um país de primeiro mundo, pacífico e com um dos menores níveis de violência mundiais. Além de tudo isso poder conhecer cidades como Toronto, Montreal, Ottawa e Quebec sempre estiveram no meu radar de viajante. Entretanto, quando se começa a estudar um destino não tão conhecido e visitado pelas pessoas ao seu redor muitas surpresas agradáveis surgem no caminho. Descobrimos coisas sobre o país que nunca tínhamos imaginado, e aquilo que antes era apenas um esboço acaba por ganhar um acabamento primoroso. O que nos restou então foi entrar com tudo e aproveitar ao máximo cada segundo dessa nova aventura.

Com o plano de viagem traçado a “quatro mãos”, por mim e excelentes agentes de viagens, passagens emitidas, hotéis e carro reservados começamos nossa experiência no final de julho em um voo tranquilo e direto de São Paulo a Toronto pela Air Canada.

Ao amanhecer já estávamos em terras canadenses. Na chegada fomos recepcionados por um aeroporto digno de uma metrópole: enorme, funcional, moderno e interligado ao centro da cidade por um sistema de ônibus e metrô que funciona perfeitamente. O primeiro contato com o povo local foi uma premissa daquilo que iríamos diagnosticar ao final da viagem: o povo canadense está entre os mais educados e simpáticos povos entre todos os que já visitamos. A sua gentileza e sua disposição em auxiliar estão presentes em todos os momentos. Durante toda a viagem jamais ficamos com um mapa aberto na rua por mais de um minuto até alguém parar e perguntar se precisávamos de ajuda. Todos muito simpáticos e dispostos a auxiliar o turista. Coisas que fazem a diferença em uma viagem.

 Toronto , uma metrópole vibrante por Luciano Terra

Toronto é considerada a Nova Iorque canadense e faz jus a esse título. E ainda tem uma vantagem: aquela neurose de seguranças e policiais que vemos nas ruas de NYC inexiste. A sensação de segurança e tranquilidade pairam no ar desde a primeira quadra que você caminha no meio da noite e sente que nada irá lhe acontecer.

Há lugares em Toronto que mostram a sua verdadeira face. Arranha-céus de vidro contrastam com uma arquitetura mais clássica e essas se mesclam em reflexos que tornam tudo único e multiplicam a sua beleza. Como se o antigo penetrasse nas entranhas do novo e se tornasse com isso parte do mesmo. Uma harmonia de texturas e materiais que tornam a cidade extremamente agradável e dão-lhe um ar cosmopolita.

Além da arquitetura, as pessoas são um espetáculo a parte. Desde executivos engravatados em seus trajes, até esportistas, punks e todas as tribos que delineiam a cara de uma cidade. O melhor de tudo isso é que todos parecem viver em total equilíbrio. Como se aquele sapato Jimmy Choo fosse o contraste perfeito para aquele All Star esfarrapado, ou aquele terno Hermenegildo Zegna fosse o contraponto ideal para aquela bermuda cargo rasgada.

Os contrastes desta metrópole não param por aí. Se de um lado temos construções grandiosas como a CN Tower e seus mais de500 metrosde altura e o Roger´s Centre, um estádio de beisebol e futebol americano, com seu teto móvel em forma de noz, por outro lado temos monumentos simples e interessantes como o “The Pasture” que fica no Toronto Dominion Centre e apresenta sete vacas de bronze deitadas em um gramado na praça central desse centro financeiro. Nelas executivos almoçam encostados e aproveitando o sol de meio dia. 

 

Outra atração interessante são as galerias subterrâneas do centro da cidade. O chamado “underground” liga a maioria dos principais prédios e se o tempo não estiver bom é uma excelente opção para circular por essa área.

Atrações imperdíveis de Toronto são:

- Casa Loma – uma mansão em estilo de castelo aberta à visitação. Fica um pouco longe do restante das atrações, mas se você gostar de uma caminhada vai adorar o trajeto até lá. Você irá passar por bairros de casas antigas e encontrará lojinhas para lá de charmosas.

- Prefeitura de Toronto – tanto o prédio antigo quanto o novo são uma atração interessante de ser visitada;

- Área Portuária e as ilhas de Toronto – possui restaurantes, passeios de barco e locais de caminhada por toda a orla do lago Ontário.

- Eaton Centre – não deixe de ver os gansos migratórios que “sobrevoam” no hall central deste centro comercial

- Saint Lawrence Market – com bancas de frutas, peixes, carnes e todos os tipos de legumes da região. Ainda possui restaurantes simples e deliciosos

- The Distillery – complexo de uma antiga destilaria revitalizado e repleto de restaurantes e galerias de arte

- Brookfield Place – e sua estrutura de metal e vidro gigantesca

- Yonge Dundas Square – a Time Square de Toronto


Exposição de Ferdinand Hodler em Nova Yorque

08 de novembro de 2012 0

                                                                                                        Tired of life

“Ferdinand Hodler: View to Infinity” será a maior exposição americana já dedicada  a este grande artista suíço. Hodler era admirado por artistas austríacos como Gustav Klimt e Egon Schiele, cujo trabalho é essencial para a coleção Neue Galerie.
A mostra inclui 65 pinturas e 20 desenhos de ambas as colecções públicas e privadas em todo o mundo, bem como de móveis desenhados por Josef Hoffmann para o apartamento de Hodler. O Musée d’Art et d’Histoire, em Genebra, foi o responsável pelo empréstimo dos desenhos magníficos. O show vai cobrir todos os aspectos-chave de seu trabalho: seus numerosos auto-retratos;  suas telas simbolistas; suas pinturas majestosas da paisagem alpina suíça, e uma série de retratos chocantemente francos de sua amante, Valentine Gode-Darel, documentando seu declínio e morte. Há também 45 fotografias íntimas de Hodler na exposição feita por Gertrud Dubi-Müller, que mostram o artista como uma figura muito interessante, de chapéu-coco em várias poses.

Imperdível!

Até 7 de janeiro 2013

Neue Galerie New York
Museum for German and Austrian Art
1048 Fifth Avenue
New York, NY 10028

New York Art & Fashion - Novembro de 2012

17 de outubro de 2012 3

É difícil ficar indiferente a esta cidade, protagonista dos filmes de Woody Allen, também chamada de Big Apple ou de capital do mundo.

Nova York transborda cultura e vibra sob a batuta cosmopolita de seus habitantes. É pluralista, multicultural e fascinante. Tem vocação para a moda, para a arte e para tudo o que é novo.  Uma única vida não daria conta de visitar tudo o que a cidade oferece como suas galerias de arte, museus, teatros e restaurantes.

A ideia do projeto New York Arte & Fashion é pinçar alguns dos  lugares e eventos mais interessantes do momento, os modernos e os clássicos, e levar você a passar uma semana inesquecível no coração do mundo.

 

Programa New York Art & Fashion 2012

 20/11  Chegada em Nova York e tranfers para o hotel Helmsley Park Lane, que é um clássico da cidade em frente ao Central Park. Nova York convida à diversão e a festa, e vamos começar nossa semana com um jantar no incensado restaurante Fig & Olive da Fifth Avenue para festejar a vida e nossa reunião na Big Apple.

21/11 Pela manhã, visitaremos o Metropolitan Museu, onde veremos as obras mais importantes da sua vasta coleção, com ênfase na arte impressionista e pósimpressionista.


 

À noite, uma programação imperdível: quem quiser poderá conferir ao vivo um dos maiores ícones da música pop, Bob Dylan, no Barclays Center, no Brooklyn. Para este opcional vamos sair com transfer, à tardinha, para podermos ver Manhattan de um ponto de vista privilegiado. Faremos um lanche para depois seguir direto par o show.

Foto: Ingresso na mão!

 22/11 Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. Programamos um almoço de Thanksgiving no restaurante Boat House, que fica dentro do Central Park, num ambiente aconchegante, como se fôssemos uma big family. À tarde, se o outono nova iorquino permitir, sugerimos um passeio de bicicleta no Central Park, onde a paisagem nesta época do ano é magnífica.


Boat House no Central Park

23/11 Dia da Black Friday, a famosa liquidação que acontece no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças. Programamos um dia de compras. Saída para o outlet Woodbury Commons com duas alternativas de horário de retorno. A cidade que nunca dorme tem muitas opções, sugerimos um happy hour no Soho, seguido de um espetáculo na Broadway: Evita.

24/11 Uma viagem através do tempo na visita ao Cloisters, um museu que recria a Idade Média, a idade de ouro da igreja e dos mosteiros. Situado ao norte da ilha de Manhattan, com uma vista linda do rio Hudson, o lugar convida a uma volta ao passado através de pinturas, objetos e tapeçarias medievais.

 

À tarde, vamos explorar as boutiques mais descoladas do Soho e do West Village.Relacionamos 10 hot spots para você compor um look impecável. A noite reserva muitas surpresas: quem quiser participar de uma aventura urbana pode nos acompanhar. Assistiremos ao revolucionário espetáculo Off Broadway “Sleep No More”, que acontece num antigo hotel em Chelsea. Um verdadeiro teatro de imersão.


Photograph by Joey BLS Photography

25/11 Manhã dedicada ao MoMA, onde teremos uma visão global da arte moderna e contemporânea, nos detendo nas obras mais significativas. Sugerimos almoço no Chelsea Market, seguido de passeio pelo hit do momento, o High Line, também chamado de Park in the Sky, ou parque no céu.

Foto :Luciano Terra

 À noite, para encerrarmos a semana como merece, vamos jantar no restaurante que é a tradução de NYC – o Buddakan – que fica no bairro dos modernos, o Meatpacking. O restaurante serviu de cenário parao noivado de Carrie, personagem do filme Sex and the City.

 

http://clairepettibone.com Buddakan

26/11 Dia de arrumar as malas e voltar para casa.


Descobrindo o Central Park por Luciano Terra

27 de setembro de 2012 0

Imagine o cenário: uma tarde de outono ensolarada, temperatura amena, leve brisa soprando entre as árvores e lançando suas folhas já amareladas sobre um gramado impecavelmente verde e bem aparado. Pessoas indo e vindo em suas bicicletas, ou correndo em suas roupas de ginástica impecáveis. Já outras na contramão repousando calmamente na sombra de uma árvore e lendo seus livros ou escutando seus MP3. Passeios, trilhas, lagos e muitos monumentos já conhecidos e famosos. Isto tudo emoldurado por prédios de arquitetura moderna e clássica espalhados por todos os lados e que podem ser vistos de qualquer parte ao fundo, apenas como um complemento da paisagem. Conseguiu imaginar? Se sim, bem vindo ao CENTRAL PARK!

CENTRAL PARK COM THE PLAZA AO FUNDO

 

Este parque é um capítulo a parte em NYC. Em contrapartida à agitação e a esterilidade de uma “selva de concreto” (o que acho particularmente interessantíssimo) este parque é um oasis de verde e vida dentro da metrópole. Nele você poderá respirar um ar com cheiro de mato e se embrenhar, literamente, em um emaranhado de árvores, arbustos e trilhas que mais lembram uma floresta fechada! Por outro lado, você poderá caminhar em passeios impecavelmente bem cuidados e admirar cada recanto desse lugar maravilhoso. Pegue um guia e desbrave cada pedaço lentamente. Vá com calma, se permita sentar um pouco e “respirar” a natureza. Os meus recantos preferidos são: Conservatory Water (com seu laguinho e café impecáveis e as esculturas de Hans Christian Andersen e Alice no país das maravilhas), Belvedere Castle (onde você terá uma vista muito bonita da região), o gramado de Great Lawn (para momentos de descanso em um gramado impecável e com árvores lindas) e a Bethesda Fountain and Terrace (para mim o local mais bonito do Central Park, com seu anjo e arcos tão famosos e já vistos em tantos filmes. Um local para sentar e deixar a vida passar. Curtir as pessoas que flanam por lá e se sentir em casa! Tive momentos de pura magia neste local). E ainda, se for inverno, não deixe de ir patinar no Wollman Rink e se for com crianças, ou não, visite o Central Park Wildlife Center (um mini zoo e “cenário” do desenho animado Madagascar, lembra?)!

BETHESDA FOUNTAIN

DETALHE BETHESDA FOUNTAIN

O Central Park muda de cara a cada estação e pude perceber isto agora na minha segunda vez por lá. Na primeira tinha ido no inverno e ele estava coberto de neve, outra maravilha. Da última vez fui no inicio de outono, as árvores estavam começando a ficar amareladas e as folhas de plátano já se espalhavam pelos gramados verdes. Como escolher a melhor época? O ideal é ir uma vez em cada estação e curtir a beleza e a magia de cada uma delas!

CENTRAL PARK

STRAWBERRY FIELDS

Por outro lado, não esqueça também que o Central Park é “emoldurado” por 2 avenidas (Park West e 5ª. Avenida) e que ambas valem uma caminhada. Na primeira delas você encontrará o Museu de História Natural (imperdível!!) e os endereços mais caros de Manhattan em prédios mais que exclusivos. Lá não adianta você ter milhões de dólares para pagar por um apartamento, você terá que ser aprovado por um conselho interno e sua vida será totalmente devastada por ele. Madonna já foi rejeitada em um deles! Dentre esses você encontrará o Dakota, um prédio antigo e interessantíssimo que ficou ainda mais famoso após a morte de John Lennon (ele morava, e sua viúva ainda mora, no Dakota e ele foi assassinado ali mesmo na calçada). Em frente a esse prédio entre no Central Park e admire o jardim (Strawberry fields) que Yoko Ono construiu em homenagem ao seu amado. Por outro lado, na 5ª. Avenida você encontrará dois dos museus mais famosos de Nova York, o Metropolitan e o Guggenheim, e também prédios interessantes e endereços exclusivos da “society” novaiorquina. Muitos famosos moram por lá. Se você der sorte poderá cruzar com Tom Cruise, Dustin Hoffmann, Madonna e tantos mais! Boa sorte!

CENTRAL PARK E PREDIOS DE PARK AVENUE WEST

“Prédios no Columbus Circle”,

MUSEU DE HISTORIA NATURAL