Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Bahia"

Taipu de Fora e Barra Grande, uma Bahia agreste e paradisíaca.

29 de abril de 2013 4

 

Praia de Taipu de Fora

Agora a moda pegou de vez, há uns 4 anos resolvi viajar no meu aniversário, então meses antes já começo a pensar no próximo destino. É uma boa brincadeira começo por Bali, Taiti aos poucos vou caindo na real e acabo no Brasil. Sem demérito nenhum não, o Brasil tem lugares fantásticos, nessas aí já fui para Fernando de Noronha, Ponta dos Ganchos, Buzios, ahh sempre praia né, pois não tenho muita vocação para frio.

Este ano descobri um novo paraíso através de uma amiga gaucha que se mudou para a Bahia e me deu a dica –  Taipu de fora! Peraí,  Taipu o que??? Nunca tinha nem ouvido falar neste lugar, mas foi só dar uma googlada e  decidi que seria este meu presente de aniversário, só não vale perguntar quantos anos tá? :))

Pegamos o vôo até Ilhéus e lá alugamos um carro, 2 horas e meia + ou –  separam Ilhéus de Barra Grande por uma estrada que passa em Itacaré e depois segue uns 80km de estrada de chão, o negócio é agreste mesmo, tanto melhor! Eu amo uma indiada!

O Vôo chega em Ilhéus

É a famosa Costa do Cacau que vai de Ilhéus até Morro de São Paulo

A Mirela,  já tinha me dado algumas opções de hotel, mas já foi logo avisando, o Kiaroa é o melhor….   pensei durante 2 segundos e escolhi o melhor é óbvio! Afinal eu mereço!

Este é o visual da piscina de fundo infinito do Hotel Kiaroa

Com o restaurante aqui à direita

Os jardins são lindos e cada recanto convida a uma parada.

Olha quem aparece para filar seu café da manhã

Chegamos a tardinha, e já deu para sentir que estávamos muito perto do céu, literalmente , pois o Hotel tem um pista de pouso de avião e fecha pacotes com o transfer aéreo incluido desde Salvador. O sistema do Hotel é com café da manhã e jantar, nossa e que jantar!!”! São verdadeiras maravilhas gourmet, uma cozinha que mistura um tanto da personalidade baiana, camarões, côco elementos tradicionais, com uma apresentação linda , você pode pensar: Hiiii já vi tudo, culinária moderna vem um pingo de comida! Pois enganou-se as porções são ótimas e a gente sempre tem 3 opções de entrada, prato principal e sobremesa. No último dia pedi para cumprimentar o Chef Claiton, uma simpatia, super simples e talentoso!

Eu reservei no complexo Tropical que são apartamentos super confortáveis e espaçosos, mas o top do hotel são os bangalôs com piscina privada.

As praias são tudo em Taipu de fora, a gente pegou as bicicletas que o Kiaroa disponibiliza e saiu até  o centrinho de Taipu que tem uns 3 bares na beira da praia. O Buda Beach, com sofas e musica e o Bar das meninas, que tem cadeiras na praia e mesinhas para a gente passar o dia, banheiro, chuveirão , ótimas caipinhas, sucos, e um polvo grelhado de comer ajoelhado, o que mais eu preciso? Nadinha, foi um dia de muito banho de mar, água tépida, o que me deu uma saudades da Praia Da barra onde tenho casa em SC, a água lá na maioria das vezes parece saida do freezer…. fazer o que né? Já comprei uma roupa de borracha.

Duas paixões: Praia e bicicleta!

Este é o centrinho de Taipu de Fora

O Budha Beach

O bar das meninas

Onde “degustamos” este polvo grelhado e….

casquinha de siri

Aproveitei para fazer uma propaganda!

 

No outro dia fomos conhecer a Ponta do Mutá, um lugar muito lindo que é perfeito para assistir ao espetáculo diário do por do sol, as pessoas vão chagando devagarinho, Marisa Monte tocando suave, e a gente tem certeza que chegou no paraíso, os pensamentos fluem soltos quando a gente se deixa envolver pela beleza e paz do lugar. Congelei o mundo naquele momento, foi sublime.

Bar na Ponta do Mutá

Cafe de La Musique, local da balada na Ponta do Mutá

 

Momento Por do sol – Ponta do Mutá

Fomos conhecer a vila de Barra Grande que tem várias pousadas transadinhas, e alguns restaurantes bem legais, a maioria de estrangeiros, italianos, franceses. Barra grande tem uma pequeno comércio, artesanato, algumas lojinhas de bikinis, cangas coisas de praia, farmacia, e é isso, se você gosta de balada e mais compras, Barra Grande não é a sua praia.

Centrinho de Barra Grande

Algumas lojinhas …

Então galera fica aqui meu presente pra vocês – Taipu de fora no seu próximo aniversário… Que tal?

Salvador merece mais

27 de abril de 2013 3

Chegamos a Salvador ao entardecer e somente para fazer ” pit stop” depois de muitos anos sem visitar a cidade. Não tinha nenhuma expectativa e me surpreendi, ficou um gostinho de quero mais.

Na ida nos hospedamos em Rio Vermelho , um bairro legal num hotel perto da praia, o Zank Hotel. Meio design , meio histórico cumpriu bem sua função de recanto por uma noite. Como era tarde resolvemos jantar no próprio hotel, não foi uma boa escolha , apesar de bem cotado o jantar foi fraco , uma muqueca para dois veio com 8 camarões e custou R$ 140,00 , meio punk!

Esta é a vista do quarto, vislumbra-se um tantinho de mar.

No outro dia , num passeio pela orla fiquei com vontade de descer para uma longa caminhada ! Está limpa e bem cuidada, mas o barco nos esperava e partimos logo cedo.

Quando voltamos escolhemos um hotel  no Pelourinho, teríamos um tempinho ao entardecer para passear e nossas lembranças era doces!

O Pelourinho é local mais turístico de Salvador mas que infelizmente não está mais recebendo o valor que merece. Faz uns dez anos estivemos na cidade e a região bombava de turistas e locais , num clima de festa de rua em cidade do interior. Eu vibrei , adorei cada cantinho , mesmo os não tão  restaurados, achei o local vivo , ao mesmo tempo integrado à cidade e cuidado como a maior joia turística.

De lá para cá as coisas mudaram , as restaurações cessaram , o que tinha sido feito foi e mais nada evoluiu! Certo que a região é grande mas devagar se vai ao longe , parado …. Mas o mais grave é que por falta de eventos e penso que também policiamento a população local sumiu e o Pelourinho ficou entregue a poucos turistas e escassos moradores . Hoje estão tentando revitalizar , o policiamento é ostensivo , o que acaba gerando um certo receio ( é meio demais ) e as ruas ficam praticamente vazias ao cair do sol. É lindo para fotografar , mas dá uma pena do desperdício de vocação!

Ouvi falar que o povo migrou para a Marina, não deu tempo de conferir! Da próxima vamos passar por lá e provar o restaurante Amado , uma dica do Alexandre , um português quase bahiano que nos serviu de guia e motorista. Ele nos indicou também o Cafetelier, muito simpático que conferimos com a sensação de estarmos em qualquer lugar do mundo , menos no Brasil! Nós e a atendente éramos os único falantes da língua portuguesa naquela tarde de sábado. O visual da Baía de Todos os Santos é lindo.

A hospedagem desta vez foi bem especial , o  Pestana Convento do Carmo, um antigo mosteiro transformado em hotel com bom gosto e tecnologia. Um prédio antigo com todo o charme de uma longa história , mas com facilidades século XXI.

Convento do Carmo era da ordem carmelita e é  um dos maiores e mais antigos do Brasil. Começou a ser erguido em 1586 . Serviu de abrigo para os baianos que na guerra contra os holandeses e lá encontraram refúgio e segurança nas paredes que são verdadeiras fortalezas.

Ao lado, a Igreja do Carmo  fica anexa ao grandioso convento, se constitue uma outra obra prima de beleza incomparável. A sacristia é fechada ao público , mas aberta para os hóspedes do hotel.

O mais interessante de tudo são os dois claustros transformados em jardins internos . No segundo a água da piscina no enleva a outras dimensões.

Voltaremos em breve, torcendo para que o Pelourinho volte a ser um espaço de interação entre turistas e bahianos!

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Morro de São Paulo 25 anos depois

24 de setembro de 2012 10

Minha primeira visita a Morro de São Paulo foi em lua de mel , há 25 anos atrás! Faz tempo isto e na época esta ilha era apenas uma pequena vila repleta de estrangeiros e alcançada somente por barco saindo de Valença, uma cidade 250km ao sul de Salvador. Confesso que titubiei antes de decidir voltar, temia uma grande decepção.

A realidade surpreendeu, Morro cresceu é claro , a Segunda praia que era totalmente vazia já é urbana e as ruazinhas do centro foram calçadas , mas o clima continua preservado. A partir da Terceira praia tudo continua igual, os coqueirais e alguns nativos pescando numa calma de causar inveja . Muitos aproveitam as grandes áreas de fazenda do interior para oferecer passeios em charretes e cavalos, bicicletas também são alugadas na praia.

O acesso a Morro de São Paulo agora é bem mais fácil, várias empresas oferecem barcos que saem da frente do Mercado Modelo em Salvador custam R$ 75,00 e levam 2:30h até a ilha (http://www.morrodesaopaulobrasil.com.br/como-chegar-em-morro-de-sao-paulo), são catamarãs e barcos com estado de conservação meio precário e não esqueça o dramin, porque pode ser bem turbulenta a viagem. Além disto pode-se pegar um pequeno avião, saindo do aeroporto de Salvador, mas o voo depende do número mínimo de pessoas para sair e custa R$ 270,00 cada trecho. Viajar pelo Brasil ainda tem um quê de aventura!

 

Chegando ao pier da ilha o visual é lindo mas a caminhada é longa , se você se hospedar no centro o jeito é caminhar até a pousada e contratar um “taxi”, nada mais que um nativo com carrinho de mão, para levar sua bagagem ! Se a pousada for depois da Terceira praia tem que combinar um transfer , normalmente incluído na diária, mas de qualquer forma a caminhada até a Segunda praia é inevitável. Definitivamente é um destino para quem ainda tem fôlego de sobra. O taxi se perdeu com a nossa mala , mas tomou a iniciativa de ligar para Porto Alegre e dar seu celular e nome para entrarmos em contato!

 Na verdade Morro faz parte de um Arquipélago que se chama Tinharé , compreende ainda Boipeba e Cairú.

O Vila dos Corais foi nossa opção de hospedagem, foi ótimo e acho difícil encontrarmos outro hotel tão agradável por aqui. A natureza invade a sua praia , literalmente,  quando um mico estrela vem roubar as frutas do café da manhã. O atendimento é cortês e simpático , mas não espere nenhuma pressa, afinal você esta na Bahia e para descançar. 

O Vila dos Corais fica entre a Terceira e a Quarta praias o que o tira da muvuca central, os bangalôs são confortáveis e charmosos, todas as instalações são abertas e super aconchegantes e o restaurante um capítulo à parte!

Nunca comi tão bem em um hotel de praia! Saladas elaboradas com frutos do mar ,mas com requinte e ingredientes especiais! Pratos com o frescor da vizinhança e apresentação delicada e sobremesas de tirar o fôlego! Amei tudo . Ainda fomos jantar uma noite na pousada Vila das Pedras ( bem no centro, em plena Segunda praia), que é do mesmo dono da Vila dos Corais, e a moqueca de camarão com banana vai ficar na memória por muito tempo. O melhor é que nenhum prato custa mais de R$ 120,00 para duas pessoas.

Salada de quinua com lula e camarão ao molho quente de curry e gengibre

Prato de frutos do mar com molho de alcaparras : lagosta , polvo , lula , camarão e badejo

Cocada quente com sorvete e um visual maravilhoso

À noite a pedida é andar pela vila, algumas lojinhas transadas e restaurantes fazem um clima interessante. As bancas de frutas para sucos ou “coquitéis” são típicas. Experimentem a caipirinha de cacau ou cupuaçú , o suco de goiaba , maracujá e caju eu também adorei.

A igreja local remonta quase ao descobrimento do Brasil e foi recentemente restaurada, uma gracinha assim como a praça principal.

Mas o melhor de tudo são as praias, com águas tépidas e piscinas naturais formadas pelas marés que variam muito todos os dias. Ficar de “molho” numa água transparente e rasa , sentindo a brisa do mar e tomando uma água de coco gelada , não tem preço.

Foto : Blog Próximos destinos

Para quem vai ficar mais de 2 dias tem várias opções de passeios legais: passear de barco para conhecer Boipeba e Cairú, subir no forte para ver o pôr do sol, cavalgar na praia (humm , me agrada demais) e mergulhar nas piscinas para ver a fauna e flora da ilha. Nós ficamos descansando, mas espero voltar antes de comemorar 50 anos de casada !

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Praia do Espelho - da série: A vida é para ser compartilhada

10 de março de 2010 10
O nosso amigo e colaborador aqui do blog, o Luciano Zanetello, achou que estava na hora de falarmos um pouco sobre o Brasil e nos mandou esta ótima dica da Praia do Espelho, com ele a palavra:
Para fazer um contraponto as viagens internacionais que tem sido a esmagadora maioria nos últimos tempos aqui no blog, vou sugerir um destino  nacional não muito conhecido aqui dos gaúchos.
Quando falamos da Bahia, imediatamente vem a conversa Salvador ,  Praia do Forte , Itacaré e Porto Seguro.
Muito pouco  se fala da Praia do Espelho.
 A melhor maneira de chegar lá é pegar um vôo até Porto  Seguro tendo antes ,comprado  com alguma operadora aqui em Porto Alegre  o transporte   para nos levar do aeroporto até a Praia do Espelho  e vice versa , ( sai bem mais barato do que pegar um táxi lá )  .
 São aproximadamente 100 km. O caminho mais bonito é pegando o Ferry que vai de Porto Seguro até Arraial d’Ajuda . Depois   por rodovias estaduais até que nos  últimos 15 km entramos numa  estradinha de chão batido onde você  vai perguntar várias vezes ao motorista se ele não errou o caminho . O ínicio desta trilha é marcada por uma aldeia Indígena onde um “Shopping” vende vários artesanatos da tribo.
Definitivamente não recomendo este passeio p/ compradores compulsivos ou frequentadores de shopping !!
A Praia é bonita e a diferença das marés de mais de  50 metros é que deixa várias piscinas onde podemos mergulhar c/ Snorkel e que vistas do Outeiro ( morro )  da vila lembram grandes espelhos , vindo daí o nome .
O lugar é maravilhoso para descansar .
O grande diferencial é que as pousadas são na sua maioria “dentro” do mar. O café da manhã é servido embaixo de grandes árvores na praia. A tônica aqui é a mordomia absoluta. Na pousada que paramos ,existem cinco quartos. O serviço é personalizado e individual. O que você pensar eles estarão providenciando.
O melhor de tudo é que é em reais e não é caro .
As opções , além de vários banhos de mar ( a água chega a ser excessivamente quente ) em várias praias , são trilhas  à beira mar.
 Ao norte podemos caminhar até Trancoso ( uma looonga caminhada ) . Ao sul, bem mais curta, chegaremos a Caraíva.
Além da pousada com a tradicional cozinha baiana , existe um condomínio na parte alta da vila com outras opções de restaurante e pizzaria.
Na alta temporada, Julho , Janeiro e Fevereiro é preciso reservar com muita antecedência . Em final de Novembro quando fomos e mesmo agora, os visitantes irão desfrutar de praias quase desertas .  Para finalizar, é preciso esclarecer que esta opção é ótima para curtir a natureza  o silêncio de uma leitura na rede ou ainda noites de luar . 
Não pensem nisso se a opção for festa ou multidão .
 Uma boa viagem a todos………………………………..