Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Costa Rica"

Parque do Vulcão Arenal - aventura, selva e águas termais na Costa Rica

12 de dezembro de 2012 4

O principal atrativo da Costa Rica é sua natureza exuberante, seja nas praias ou em seus muitos parques nacionais que cobrem 25% de seu território.

 

É como paraíso verde que a Costa Rica quer ser reconhecida e quando estávamos por lá os jornais divulgaram uma pesquisa (não sei qual a fonte!) que dizia que o país e seu slogan Pura Vida” teria ganho o melhor brand mark das Américas em 2011, em marketing eles fizeram escola! Souberam se focar e estão colhendo os frutos.

Os parques nacionais e áreas protegidas, que por percentual territorial são o maior do planeta, hospedam uma rica variedade de flora e fauna, que estima-se contem um 5% da biodiversidade do mundo em menos de 0,1% da terra firme do planeta, acreditem, isto é muito. A flora é exuberante e as imagens da fauna estampadas nos cartazes são lindas , mas nós não tivemos a sorte de ver muitos animais ao vivo.

Sapo de olhos vermelhos – Wikipedia

Colibris na janela

Optamos pela hospedagem no Parque do Vulcão Arenal, em Alajuela,  por ser dos mais conhecidos e perto da capital. Li em alguns blogs que uma opção seria ir e voltar no mesmo dia desde Tamarindo, acho que é a maior furada que alguém pode se meter por lá, serão umas 7 horas de carro se tudo correr bem! Mesmo de San José a viagem não dura menos de 3 horas por estradas cheias de curvas, o dramin fez falta.

Vulcão Arenal da janela do Springs

Arenal em erupção, até 2010- Wikipedia

Nosso hotel The Springs Resort & Spa foi fantástico, rodeado por águas termais que chegavam a 39 graus , me fez sentir envolta numa atmosfera líquida, onde o ambiente conspira para te manter mergulhado todo o tempo. Além disto os quartos são imensos e todos tem uma vista inigualável do vulcão Arenal , que há um ano resolveu adormecer, manteve-se em atividade desde 1968 até 2010, percalços de viajantes!

The Springs Resort & Spa – divulgação

Café da manhã na sacada do quarto 317 no Springs

Rio que circunda o Springs e tem fontes termais naturais

Outro hotel muito legal é o Tabacón Resort , tenho duas amigas que se hospedaram e gostaram muito. Também oferece águas termais e é um grande resort, o que é bem importante na região, senão fica-se a mercê do tempo e das atividades extra que nem sempre correspondem ao esperado. Para quem não está hospedado nestes resorts ainda existe a possibilidade de pagar uma diária de estadia para usar as piscinas, no Springs o valor era de U$ 40,00 por pessoa.

Perdido Springs no Spring Resort & Spa

Desde 1999 o turismo gera para a Costa Rica maiores receitas que a exportação de banana abacaxi e café juntos, historicamente os produtos tradicionais de exportação costarriquenhos. Os americanos são os maiores visitantes, diz-se que o país é o playgroud verde dos gringos. Nos parques estão a maioria das opções de turismo de aventura, incluindo rafting, rappel, observação de borboletas e pássaros e a invenção local , o canopy, uma espécie de arvorismo misturado com tirolesas monumentais sobre as copas das árvores.

Escolhemos a Sky Adventures para o nosso debut no canopy, ficava próximo ao hotel e parecia a empresa mais bem estruturada. O valor da brincadeira foi de U$ 90,00 por pessoa com transporte incluído. O dia não foi dos melhores, amanheceu chovendo e com muita neblina, como em viagem não dá para deixar para amanhã, fomos assim mesmo. Foram 35 minutos de carro até o teleférico sky tram que nos levou ao ponto mais alto da floresta de Monteverde, também chamado de Continental Device of waters (a montanha marca o local os as águas que vão para o Pacífico e o Atlântico se dividem). Deste ponto pode-se optar por voltar de teleférico para a base ou deslizar pelos quase 3km de cabos  de tirolesa que descem até a base com muita adrenalina, o tal  canopy. São descidas que chegam a 750 metros de distância a uma altura estonteante com uma vista linda para o Lago Arenal. Um astral e se não tivesse tão frio seria mais lindo ainda! Isto mesmo, um frio de quase 10 graus na Costa Rica e como a região chama-se Cloud Forest imagino que costuma ser sempre assim!

Aqui vou me jogar…

com este visual..

e assim chegar do outro lado!

Antes de viajar conversávamos com Henrique Raizler do Mapa Mundi na rádio Bandeirantes e ele dizia que se decepcionou um pouco com o país pela falta de identidade cultural, principalmente se comparado com outros países da América Central. Tenho que concordar com ele e acrescentar que até me alegra um certo  estranhamento com a falta de infraestrutura, há um tempo atrás sempre sentia o Brasil devendo em organização para outros países , hoje quando volto para casa me sinto chegando ao primeiro mundo!  O futuro chegou.

Costa Rica, o melhor em turismo de aventura!

12 de janeiro de 2012 1

 

A Costa Rica foi uma total surpresa, confesso que sabia muito pouco sobre este pequeno pais da América Central, destino escolhido pela familia para passarmos 10 dias  no mês de julho.

Poucos destinos oferecem uma gama tão ampla de paisagens impressionantes e fauna exótica como a Costa Rica. Com certeza seu tamanho diminuto está pra lá de compensado pela sua rica diversidade, lá estão representadas 5% de toda biodiversidade do planeta.

Esquilo branco, eu nunca tinha visto…

Saimos de Porto Alegre pela Companhia aérea peruana, a TACA, que está com vôos diretos semanais até Lima, que é uma ótima opção, não só porque escapamos de escalas longuíssimas no Rio ou SP, mas porque na volta ainda podemos conhecer Lima que é um lugar bárbaro, na beira do oceanos pacífico. De Lima pegamos outro vôo até nosso destino, San Jose.

 Foram 10 dias de muito relax, aventuras e aprendizado, escolhemos ficar na região de Guanacastes no Pacífico, poi a gurizada queria experimentar as ondas perfeitas que quebram naquela área. E sabe como é né, viagem de familia, gente de todas as idades, programas muito ecléticos, então a melhor solução foi escolher um hotel com infraestrutura que agradasse gregos e troianos, e acamos ficando no Marriot Guanacastes, que é lindo, na verdade este hotel fica na área de uma antiga fazenda, a Pinilla onde além do hotel, eles tem casas para alugar, quadras de tenis, campo de golfe, clube de praia, etc.

Marriot Guanacastes

A companhia de muitos beija flores nos cafés da manhã.

Visão idílica para quem sai do inverno portoalegrense e aterrisa aqui onde a temperatura não baixa dos 26 graus!

Toda a estrutura pra quem não quiser arredar pé dos limites da enorme propriedade. Mas isto não existe pra mim, é claro que eu adoro passar uma manhã na piscina tomando Piña Colada, mas estar na Costa Rica pela primeira vez o “Eldorado”   do turismo de aventura, e ficar no hotel?? Nem pensar!!! Minha primeira atitude foi comprar o guia Lonely Planet na lojinha do hotel e começar a estudar quais seriam as melhores opções de passeio na região, e aqui vai um conselho, não adianta querer abraçar o mundo e tentar conhecer tudo, porque mesmo que você veja que alguma coisa está a 100km de distância, as estradas são ruins, algumas terríveis, a gente demora pra chegar.

Caminho de Guanacastes até o Parque Ricón de la Vieja, muitas florestas, animais e vulcões.

 Nossa primeira aventura foi o Canopy, verdadeira instituição nacional, uma mistura de arvorismo, rapel, tirolesa, uma experiência incrível. A Costa Rica tem diversos parques nacionais e todos tem um ou mais Canopys, eles variam de dificuldade e desafios de acordo com o lugar. Nós escolhemos o Parque Rincón de la Vieja e lá fizemos um pacote que incluia banho nas piscinas térmicas naturais, com direito a banho de lama como tratamento para a pele ( não esqueçam que a Costa Rica é cheia de vulcões e muitos ainda ativos) e o Canopy.

Quando chegamos no local das piscinas termais havia uma casinha de madeira no inicio da trilha que seguia floresta adentro, ali nos deram uma toalha e nos mandaram seguir em frente.

Cruzamos esta ponte até chegarmos nas piscinas, onde nos aguardava o banho de lama.

Piscinas com água muito quente ao lado de cachoeiras.

Se deixar “pintar” de lama medicinal

E depois cair na água das cachoeiras.

 Nos despedimos do Sr Sebastian  que trabalhou duro para “pintar” 22 pessoas e estávamos prontíssimos para o que seria nossa aventura do dia, o esperado Canopy.

 

Colocando o equipamento, eles são super preocupados com a segurança,  em cima das árvores e plataformas sempre estamos presos por algum cabo.

Como eu disse existem vários niveis de dificuldade, e apesar de no nosso grupo as idades variarem de 4 a 80 anos, todos puderam participar, evitando os trechos mais dificeis como o Rapel e a escalada posterior.

O cenário é lindo minha sensação era de estar no set de filmagens de Jurassic Park, pois a natureza da Costa Rica é superlativa, é muito exuberante. Nossa primeira deslizada foi de uns 100 numa tirolesa entra as altas copas das árvores, com a adrenalina pulsando, isso vicia, acreditem!

Descer de cabeça pra baixo, nem pensar, fui sentadinha mesmo e saber que tudo que desce tem que subir, um paredão de uns 20m me aguardava na volta!!

E outra tirolesa até a próxima plataforma.

Depois de tanto esforço e adrenalina nada melhor do que uma buena Imperial

Depois de mais ou menos 2h voltamos ao ponto de partida, eu estava em estado de graça, porque esta modalidade reune várias das coisas que eu mais gosto, que é estar em meio a uma natureza deslumbrante de árvores gigantes, canions, rios de corredeira, aliado a isso muita adrenalina e como disse o guru Heitor ” a gente potencializa a felicidade estando junto daqueles que amamos” então o que eu poderia pedir mais?

Eu ainda tenho muitas coisas pra contar da Costa Rica, então aguardem a parte II, III e quiçá IV deste post!

Hotel Marriot Guanacastes :  http://www.marriott.com/hotels/travel/sjojw-jw-marriott-guanacaste-resort-and-spa/

Canopy Rincon de la Vieja :  http://www.guachipelin.com/

Se você gostou desta dica e quer saber de outras coisas legais de arte, viagens, roteiros legais e afins, curta a nossa página no Facebook

                                                                                                     https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Reveillon na Costa Rica

08 de janeiro de 2012 9

Costa Rica é daqueles destinos que cabem perfeitamente nas palavras  de Danuza Leão em seu último livro: “…quanto mais primeiro mundista for a cidade para onde você vá, mais modesto pode ser seu hotel; mas se for para uma aldeia no interior do Marrocos, não fique em nenhum que tenha menos de 18 estrelas, mesmo que seja caríssimo”.

O país é de uma natureza exuberante com pouco mais de 4,5 milhões de habitantes, mas a infraestrutura é muiiito precária, ainda mais no fim do ano quando recebe um número  maior de turistas do que pode atender. Estamos no inverno do hemisfério norte, mas a temperatura gira sempre em torno dos 30 graus e é época de seca na costa do Pacífico, o que é perfeito para pegar praia.

Praia de Tamarindo

A escolha do destino partiu da predileção do pessoal por praia e surf. Por indicação de amigos (não de qualquer amigo, mas da Clarisse! :))) escolhemos a região de Tamarindo ,costa norte do Pacífico. Não é a época das maiores ondas no Pacífico , mas mesmo assim não eram para ser desprezíveis. Não tivemos sorte porque o mar estava baixinho quase todo o tempo, especialmente entre 9h da manhã e 3h da tarde, quando a maré baixa.

Playa Grande

Minha primeira dica para quem vai viajar na Costa Rica é evitar deslocamentos grandes de carro , as estradas são ruins e o movimento de caminhões é terrível, eles calculam assim :uma distância de  40km leva-se 1 hora para percorrer, uma tortura! Para tanto existe vários aeroportos pequenos no país e pode-se fazer muitos trechos via aérea muito barato. De San José até Tamarindo são 270km e levamos quase 5 horas de carro com muito stress de lambuja, o trecho aéreo custa US$ 135,00 e leva 45 minutos com um belo visual. Mas importante, não esqueçam de reservar o carro com antecedência para os deslocamentos nas praias, deixar para a chegada pode ser uma triste surpresa, acabaram os carros de todas as locadoras!

Aeroporto de Tamarindo

Tamarindo é uma Santa Catarina há uns 20 anos atrás! As praias lembram muito a nossa vizinha querida mas o mar é tépido , a temperatura sempre em torno de 28 graus. As praias em torno da pequena cidade são sempre vazias, em cada uma tem um ou dois beach clubs que é onde se pode ficar na areia fora de temporada, nesta época são conveniados com hotéis e condomíneos e estão FECHADOS para intrusos! O que resta , fazer o que todo mundo faz por lá, uma grande “farofada” , levar uma caixa térmica e montar acampamento na praia.

Tamarindo é conhecida como “Tamarenglish”, a língua oficial é o inglês , e tentar puxar um espanhol é tarefa quase ofensiva, eles são irredutíveis, com turistas só falam inglês mesmo. Da cidade pode-se contratar vários passeios, inclusive para parques nacionais mais próximos. Nós optamos por não sairmos muito longe e depois ficarmos dois dias hospedados no Arenal, acho que foi uma boa escolha (num próximo post conto mais de lá).

Parador Lola em Avellanas

Nosso hotel Cala Luna ficava em Playa Langosta, um praia linda mas com muita pedra, o banho de mar com areia só bem no final onde um riozinho divide a praia em duas. Do outro lado já a  Fazenda Pinilla, um grande condomíneo-resort que abriga o Hotel Marriott e outras pousadas. O Cala Luna é muito confortável , as villas/casas são enormes com dois quartos e tem até uma piscina privativa . Os apartamentos são mais perto da praia e da estrutura do hotel.

Piscina do Cala Luna

Para passear por perto as praias mais legais são Avellanas, Playa Grande e a ponta de Playa Langosta onde o banho de mar é dos deuses, principalmente ao por do sol.

Ponta de Playa Langosta

Fizemos também um passeio de barco para mergulhar de snorkel, saímos da praia de Tamarindo em direção a Conchal , paramos em Conejos e na praia do Pirata, na volta combinamos do barqueiro nos levar até o Bula Bula, um restaurante que fica no mangue e que serve maravilhas! Um passeio perfeito.

Para jantar Tamarindo oferece várias opções legais num clima meio Praia do Rosa: Dragon Fly, Sushi e os dois “pé na areia” :Nibbana e Copacabana. Em tempo, um jantar com camarão e lagosta para 4 pessoas custa em torno de U$ 100,00, sem bebidas alcoolicas.

Nibbana Restaurant

Na próxima falo um pouquinho do Arenal e das aventuras nas florestas da Costa Rica.

Se você gostou desta dica e quer saber de outras coisas legais de arte, viagens, roteiros legais e afins, curta a nossa página no Facebook

                                                                 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Costa Rica - Pura Vida!!! Parte II

04 de setembro de 2011 0


Pois não me perguntem o que exatamente quer dizer esta expressão PURA VIDA, tão popular na Costa Rica, eu bem que tentei comparar como nosso “beleza” ou o “aloha” havaiano, mas nenhum deles traduz o espirito do PURA VIDA. Eles usam pra tudo, em todas as ocasiões, como um cumprimento entre os pares, aqueles que estão alinhados dentro deste espirito da natureza, do bem viver.


O sentimento de preservação da natureza dos Costa riquenhos é muito forte, eles já entenderam que o que atrai os milhares de turistas para lá é justamente aquela natureza exuberante, a quantidade fantástica de animais, as lindas praias desertas onde quebram ondas longas e perfeitas para o surfe. A Costa Rica é uma das grandes mecas do turismo de aventura e muito do território nacional são reservas florestais.  Os “ticos” como eles se auto denominam se orgulham muito da consciência ecológica do povo, eles tem a total noção de como a preservação da natureza só traz grandes beneficios para o país e consequentemente para a prosperidade de todos, pois hoje o turismo contribui com uma parte significativa da receita nacional.

Hoje eu vou relatar mais uma aventura que fizemos neste país tão surpreendente.

Como eu já havia contado pra vocês no post anterior, nós estávamos hospedados na região de Tamarindo que fica na costa do Pacífico, onde tem praias lindas e boas para o surfe. Mas além do Canopy que contei aqui eles também tem raftings maravilhosos dentro das vários parques nacionais espalhados pelo pais. Dei uma boa estudada no meu guia e vi que perto do vulcão Tenório tinha uma ótimo rafting no rio de mesmo nome com niveis de dificuldade I, II, III e IV.

O rafting é no rio Tenório, que fica abaixo do vulcão Tenório, este que vemos na foto.

 


De Tamarindo até a zona do vulcão Tenório levamos mais ou menos 2h de carro, as estradas na Costa Rica não são uma maravilha, por esta razão se você tem intenção de vir pra cá é interessante dividir sua estadia em ao menos 2 lugares diferentes assim você vai poupar horas preciosas de deslocamento.

Na estrada as placas vão alertando o que está por vir e se você tiver um pouco de paciência acaba dando de cara com eles, nossos primos distantes, os macacos!

Fechamos nosso pacote do rafting que incluia almoço por U$95 por pessoa, não é nada barato, e não se iluda, a Costa Rica não é baratinha, eu diria que 80% dos turistas por lá são americanos e talvez isso tenha inflacionado o preço dos programas turisticos. Mas se isso serve de consolo o rafting valeu cada cent gasto, pois foram quase 2h de pura adrenalina, em um lugar lindíssimo, no meio de arvores gigantes.

Equipe feminina pronta para a largada

 

I – Queda de nivel IV. yupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

 

II

III

IV. PURA VIDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Então gostaram? Este é uma ótima pedida para se estar em meio a natureza, par dar um tempo do sol da praia e para curtir uma boa adrenalina. No próximo post vou contar um pouco dos picos de surfe e de alguns restaurantes maravilhosos na área de Tamarindo.

PURA VIDA!!!

 

Rafting do Rio Tenório : http://www.riostropicales.com/packages.php?page_id=10