Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Espanha"

Trilhas nos Pirineus - para descobrir uma outra Espanha

17 de julho de 2018 0

Faz um ano eu vi uma foto das formações dos Mallos e Riglos quando estava pesquisando sobre trens na Europa e desde lá fiquei com esta ideia fixa , queria ir para a região dos Pirineus espanhóis. Eu já conhecia a região dos Pirineus  francêses mas a perspectiva de cruzar a fronteira e descobrir o que estaria por trás daquelas montanhas lindas me capturou a imaginação.

A Espanha (35)

A Espanha (19)

Mallos de Riglos – Espanha

Foi uma viagem bem diferente , saímos de Barcelona e fomos em direção a Huelva. No caminho ainda veio de lambuja uma passada no Mosteiro de Montserrat. Um lugar lindo , mas como era domingo e estava lotado perdeu um pouco do encanto . Mas acho que vale muito a pena , para quem é mais religioso ou só pela paisagem também.

A Espanha (150)

A Espanha (141)

Santuário de Montserrat

A Espanha (134)

Bom , seguimos para nosso destino por umas três horas por estradas ótimas. As cidades dos Pirineus espanhóis são bem mais rústicas e simples que suas vizinhas francesas. Muitas casas de pedras em vilarejos quase abandonados. Igrejas do século XII e XIII abundam , mas sem indicações mais precisas e muitas fechadas.

   A Espanha (291) Igreja de Panticosa

A Espanha (95)

Chegando a Murillo Gallego , onde estava nossa pousada veio o impacto. Nenhuma foto  retratava o que são estas formações rochosas ao vivo. As mão de Deus poderiam ser seu apelido, algo forte e desconcertante.

 A Espanha (211)

Foto dos Mallos desde a janela da Pousada

Nosso hotel , encarapitado num monte bem à frente nos deixava com a melhor parte, ver suas mudanças de cor conforme o sol caía no horizonte.

A Espanha (246)

A Espanha (239)

A Espanha (212)

Murillo Gallego

 

Murillo Gallego é uma cidade medieval com não mais que 100 moradores, mas fora a dona do hotel e seu ajudante/ namorado francês que sumiu depois da primeira noite , não encontramos mais ninguém .

A Espanha (162)

Mas tudo é encantador , até o campo abandonado onde crescem as papoulas selvagens

A região é toda voltada para turismo de aventura , nas corredeiras é possível fazer rafting, as paredes dos Mallos são o cenário perfeito para o rapel e escaladas, nós ficamos com a trilha que dá a volta no monte.

A Espanha (94)

Partindo da pequena vila ao pé dos morros , subimos todo o caminho pedregoso até o topo e de lá voltamos pelo outro lado. Logo na saída nos deparamos com esta família com duas crianças pequenas, nos motivou a pensar que o caminho seria mais fácil do que o encontramos , ledo engano. As crianças é que tem cruza com cabrito montês e subiram sem nem reclamar!

A Espanha (169)

A Espanha (227)

 

A Espanha (173)

Mallos de Riglos – a vila

Foram umas 3h de caminhada , no inicio uma trilha tranquila e depois com subidas muito íngremes, confesso que duvidei da minha própria capacidade de vencê-las quando olhei para cima a primeira vez, mas como devagar se vai ao longe …

A Espanha (177)

A Espanha (46)

O visual é fantástico e cruzar com o pessoal escalando as paredes é emocionante. Eles desafiam seus limites ao máximo.

A Espanha (149)

Lá pelas tantas encontramos esta placa que dizia, 1:30h para seguir caminho ou voltar pela mesma trilha . Quase demos a volta , mas daí já era uma questão de honra!

A Espanha (190)

A quase desistência

             A Espanha (179)

    Mas o visual compensou o cansaço

 

A Espanha (213)

Aqui o visual desde o melhor hotel da região, o Spa de Mallos de Riglos!

Seguindo em direção a França passando pela estação de esqui de Formigal chegamos as paisagens  dos montes mais altos da região dos Pirineus, ainda com picos nevados. Aqui a ideia era fazer uma trilha , mas nossos casacos não contavam com o frio de 8 graus e só curtimos a paisagem de dentro do carro mesmo. Tudo já iluminado por um sol fraco de primavera.

B França (108)

Fronteira de Portalet

Posts relacionados

Roteiro pelas praias do norte da Espanha: Astúrias ,Cantábria , Galícia e País Basco

Espanha Verde, no Caminho de Santiago de Compostela

Um outro caminho para Santiago de Compostela, praias do norte da Espanha

Roteiro pela França e país Basco – St Jean de Luz – Hondarríbia e os Pirineus

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

Andaluzia no inverno: Sevilha. Para fugir do frio europeu do norte e ainda pagar mais barato

05 de julho de 2018 0

Muitas vezes me pedem uma sugestão de uma viagem para fazer na Europa no período inverno?

Janeiro e fevereiro quando a gente está de férias no Brasil é complicado encarar o frio europeu por isto sugiro a região de Andaluzia, na Espanha. Baixa temporada (sinônimo de preços mais convidativos) , dias secos e ensolarados e temperaturas nada assustadoras formam o cenário perfeito.

IMG_8801

 Alcazar dos Reis Católicos

Sevilha é a capital da Andaluzia, região no sul da Espanha que guarda mais fortemente a herança da dominação moura de quase 700 anos! Uma jóia arquitetõnica que mescla elementos de várias culturas e tem na Giralda e no Alcazar dos Reis Católicos os dois maiores tesouros.

IMG_0077 Catedral

A Catedral está localizada onde no período Mouro estava a Mesquita , uma lástima não terem deixado este registro! O único resquício da  construção religiosa é a famosa Torre da Giralda , atual emblema da cidade, e que era o antigo minarete de onde os fiéis eram chamados para a reza. Mas a Catedral de Sevilha é maior catedral gótica do mundo , uma joia em detalhes e imponência.

 IMG_0095

Catedral e a Giralda

 

Sevilha é a cidade andaluza de que mais gosto! Ela não é tão pequena e turística como Córdoba mas também é uma cidade que se domina facilmente e tem um vida noturna pulsante. Desde minha última visita em 2002 notei que muitas coisas mudaram , o centro histórico ou Bairro de Santa Cruz mantém intacto seu legado mas a modernidade dos arquitetos espanhóis aparece em novas construções.

IMG_8892

O Metropol Parasol , ou Setas de la Encarnación como é simpaticamente apelidado na cidade é o exemplo mais forte  desta entrada no século XXI.   Foi desenhado pelo arquiteto alemão  Mayer – Hermann e a sua construção terminou em abril de 2011, uma estrutura feita totalmente de madeira e que lembra um cogumelo gigante marca fortemente um bairro muito tradicional na cidade.

IMG_9032

 IMG_9033

Subir no terraço é uma experiência muito interessante!  

 

IMG_9048

A cidade é marcada por construções que remontam as duas grandes feiras que aconteceram por ali em 1929 e 1992. Particularmente encantadores são os pavilhões americanos da feira de 29, uma prova de que investimentos como este podem render frutos e turismo por muito tempo.

Mas os pavilhões da América Espanhola tem o “exotismo”  sul-americano , como este representante da Guatemala.

O maior monumento desta época é o pavilhão da Plaza de Espanha, um prédio de tijolos construído para ser provisório, assim como a Torre Eiffel, é hoje um dos cartões postais da cidade. Os bancos que circundam a praça dão uma aula de geografia espanhola além de colorirem ainda mais o ambiente.

IMG_0200

IMG_8970

IMG_8935

A gente enloquece com o comércio rico e diversificado de Sevilha. Um hotel bem interessante , Meliá Colón, é muito bem localizado quase ao lado do Corte Inglês, a maior loja de departamentos da Espanha. A decoração é em estilo Philip Stark , os quartos são amplo e claros e o atendimento bastante satisfatório.

IMG_0074

Alfonso XII 

Para ficar em um dos melhores hotéis do mundo e com uma história marcante , experimentem o Alfonso XII.

Mas nas ruas é que a “movida” acontece, é imperdível sentar num café e ver a população local na sua rotina de compras e tapas. Não se assustem , ninguém recorre a violência gratuita, os espanhóis saem a “tapear” quase todas as noites , isto é , passam de bar em bar tomando uma sangria ou uma cerveja Cruzcampo com um tira-gosto da casa.

Para escolher um destes locais coloridos e típicos minha dica é a rua Mateos Gago, bem em frente a Giralda , no bairro de Santa Cruz. Em poucos metros estão mais de quinze bares e restaurantes que fazem a festa do olhar e do paladar.

 IMG_9096

 

Os restaurantes de Triana, do outro lado do rio Guadalquivir também são uma boa idéia para o ritual sevilhano. Por lá o clima é mais familiar e se pode sentir a cidade como vivem os sevilhanos.

IMG_9025

IMG_8899

Ponte de Triana

 

Muito interessante e escondido é o museu de cerâmica em Triana. Uma obra que a arquitetura desenhou.

IMG_9153

IMG_9140

 

Ahh, o flamenco! Existem vários tablados pela cidade, alguns mais ao estilo teatro outros mais intimistas. Nossa experiência foi no minúsculo Los Gallos, na Praça Santa Cruz, antigo bairro da Juderia. É um local tradicional que já teve bailarinos lançados ao estrelato nacional. Uma boa dica é o restaurante logo ao lado , La Albahaca, um ambiente mais refinado para um jantar a dois!

IMG_0215

A visita a Sevilha não está completa sem um calmo recorrido aos Alcazares Reais, antiga residência dos reis espanhóis. Aqui pode-se ver toda a influência dos árabes , a arquitetura é claramente uma releitura , ou melhor um mix de estilos. Aconselho a pegar um guia local para poder apreciar toda a riqueza deste complexo, cujos jardins fecham a visita com chave de ouro.

Não deixem de fazer um passeio pelas margens do Rio Guadalquivir! Pode ser a pé o de bicicleta, de dia ou de noite!  

IMG_8888

 

 

Barcelona , 5 bons motivos para voltar e se apaixonar

04 de setembro de 2015 1

Barcelona e uma cidade onde a história se apresenta em camadas, ela se reinventa na mesma medida em que valoriza seu passado.

20150520_203928                        Palau de la Música Catalana

Mercados

Os catalães tem razões de sobra para cuidar bem e se orgulhar de sua capital, Barcelona atualmente só perde para Paris e Londres em número de visitantes , e um de seus pontos altos é o traçado modernista que se contrapõe ao núcleo medieval antigo do Bairro Gótico. Parte da história antiga pode ser conhecida no Mercat del Born, transformado em espaço cultural valorizando as ruínas da cidade conquistada pelos espanhóis em 1714. IMG_8615 IMG_8621

Mercat del Born

Barcelona valoriza sua história e consegue com maestria conectar o passado e futuro. Produto da inteligência, é uma cidade com projeto urbanístico onde antigos mercados foram remodelados e continuam cumprindo sua função de nutrir a cidade, exemplo é o de Santa Caterina revitalizado em 2005 com um design curioso , colorido e divertido.

IMG_8592

Mercat de Santa Caterina

Arco do Triunfo

A cidade que valoriza as pessoas busca criar espaços de convivência e ampliar parque e calçadas.  O portal erguido no final do século XIX para celebrar o progresso artístico e econômico hoje serve de moldura para turistas que passeiam pelo seu calçadão em busca do melhor ângulo para fotos. Forma com o Parque da Cidadela em entorno agradável que convida à convivência. IMG_8928

Arco do Triunfo

IMG_8854IMG_8927

 

Palau de la Música Catalana

O famoso modernismo catalão vai além de seu arquiteto mais conhecido , Gaudí. É de Domènech i Montaner a obra mais impactante que já visitei. O Palau de la Música Catalana abriga uma sala de concertos tão exuberante que até pode tirar sua atenção do fator principal , a música. É colorida, delicada e ao mesmo tempo exagerada e excessiva! Arrebata pelo detalhe mas se completa no conjunto.

20150520_205209 IMG_8558IMG_8566

Palau de la Musica Catalana

Museu de Arte Contemporânea

O Raval estava decadente e a cidade fez o que sabe fazer melhor, instalou um equipamento público numa área degradada trazendo uma celebridade da arquitetura para criar um projeto para revitalizar o bairro. Richard Meyer desenvolveu o Museu de Arte Contemporânea , Macba de forma integrada, tanto que sua praça é reduto de skatistas que já fazem parte da paisagem.

IMG_8707 IMG_8680

Museu de Arte Contemporânea , Macba

O Raval tem sua própria Rambla que abriga até uma gato gordo gigante do conhecido colombiano Botero.Vale um passeio pelas ruas descoladas e alternativas do bairro.

IMG_8730

Gato de Botero na Rambla do Raval

El Nacional, centro de gastronomia

Como a gastronomia é uma dos mais importantes elementos de atração turística da Espanha , um local de boas opções não poderia ficar de fora. Nos moldes do famoso Eataly que já  espalha pelos quatro cantos do mundo a gastronomia italiana,  o El Nacional propõe um espaço de experimentos dentro da culinária espanhola. Dividido em áreas , serve peixes, carnes, saladas e doces além é claro de muitos tapas. Além disto tem uma parte de bares que animam o espaço com uma bela decoração e muita gente interessante. Fica no Passeig de Grácia , 24.

IMG_8797 IMG_8798

El Nacional

Posts Relacionados

De bicicleta por Barcelona:praias, personagens urbanos e modernidade

Tapeando por Barcelona : o Born

Barcelona nos passos de Gaudí (parte I)

Barcelona nos passos de Gaudí (parte II)

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

Roteiro pelas praias do norte da Espanha: Astúrias ,Cantábria , Galícia e País Basco

24 de setembro de 2013 3

Escolher o que não fazer em um roteiro , para mim é a parte mais difícil. Tenho uma sede de desbravar , de descobrir novos paragens e acabo me deparando sempre com a limitação de tempo e a paciência de meus companheiros.

Claro que os guias de viagem são essenciais mas acabamos descobrindo que,  se vamos por eles, paramos em TODAS as cidades, porque sempre veem algo muito interessante e na verdade não é bem assim. Fizemos um roteiro bem legal no norte da Espanha , saindo da França e seguindo pelo País Basco, Cantabria, Astúrias e terminado na Galícia. São muitas opções nesta rota, além de ser umas das alternativas do Caminho de Santiago de Compostela , tem praias , belas cidades e uma natureza exuberante!

É um roteiro amplo , para quem quer uma ideia geral e começar a pensar!

 

San Sebastian - Uma das principais cidades do País Basco espanhol, esbanja alegria e movimentação no seu Casco Antigo cheio de bares de tapas e noite animada, A praia é muito agitada também, num estilo meio século XIX com belas mansões à beira mar. Um ótimo lugar para servir de QG para passeios por perto, no hospedamos no Hotel London y da Inglaterra, uma ótima opção!

Bilbao – Não tivemos tempo para conhecer muito a cidade, mas é parada obrigatória pelo Museu Guggenheim, um must na viagem. Fica na entrada da cidade e muito fácil de acessar na passagem!

Santander - Outra cidade de veraneio ,muito procurada pelos ingleses, tanto que tem um grande porto com ferrys direto para a Inglaterra. Belas mansões numa ambiente aristocrático fazem a cidade esbanjar estilo. Com 185 mil habitantes, a cidade sofreu um grande incêndio em 1941 que arrasou mais de 2300 edifícios. Portanto, grande parte de seu centro é novo para padrões europeus, apesar de sua raízes culturais remontarem a mais de dois mil anos . As praias são bastante movimentadas, El Sardinero a mais conhecida e Camello e Bikini , as mais lindas.  Em  1913 se inaugura, na península de La Magdalena, o Palacio de La Magdalena que seria residência do rei Alfonso XII durante suas estâncias de verão em Santander. Estas visitas geraram novos projetos   arquitetônicos estilo Belle Époque e grandes balneários similares aos de Biarritz. Assim, se construíram o Hotel Reale e o Gran Cassino.

Santander já encontra-se na região da Cantábria, e como veem não é só o nome de um banco. Muito linda é a paisagem por aqui, não é de graça o apelido de Costa Verde , a região merece!

Santillana del Mar – Uma cidadezinha medieval muito charmosa, conhecida como local de boa sidra e preservada como antigamente. Apesar do nome, não se localiza a beira mar, mas não pode ser visitada em uma tarde , apesar de todos os guias colocarem como um local muito interessante , acho que não é necessário pernoitar.Passeios à cavalo são uma boa pedida por aqui! Tem o título de um das mais belas villas espanholas.

 Aqui bem próximo está o Museu de Altamira , uma caverna com pinturas rupestres pré-históricas onde se pode visitar numa réplica, interessante e ilustrativa. Por volta de 13 mil anos atrás, a queda de uma rocha bloqueou a entrada da caverna, impedindo a continuidade da ocupação humana e preservando o seu interior. Conhecida como a Capela Sistina da arte rupestre , caracterizada pelo realismo das figuras representadas. Contêm pinturas policromadas, que representam animais, desenhos abstratos em um ambiente muito peculiar.

 

Comillas - Foi uma das grandes surpresas da viagem , uma praia super astral, com um centrinho muito charmoso, e pra completar umas das primeiras obras de Antoní Gaudí , uma casa de um excêntrico mecenas que desejou uma moradia ao estilo oriental ,assim chamada Capricho. É uma das poucas obras modernistas fora da Catalunha. Aqui vimos os primeiros marcos do Caminho de Santiago em placas no chão.

 

Comillas foi um dos destinos de verão da realeza espanhola no século XIX e para tanto se transformou numa cidade aristocrática e com boa infraestrutura.Indicada para  “Baños de Ola” pelos médicos do início do século XX tornou-se  balneario assim como Santander, San Sebastian, Biarritz,  Cannes ou Nice  passou a ser frecuentada pela burguesia indicada pelos médicos higienistas .

Seguindo o roteiro pelo norte da Espanha saindo da Cantábria entramos nas Astúrias num dia nublado na região mais agreste deste país tão diversificado. O litoral é recortado e verdejante , graças a grande quantidade de chuvas que nunca deixam o clima muito quente neste ” norte de Deus” . Fazia 28 graus nestes dias e o povo estava morrendo de calor. O visual das estradas do litoral era este!

 

A gastronomia é um capítulo especial , todo tipo de mariscos exóticos e saborosos , peixes , polvos e lulas frescos e preparados na chapa de forma simples e saudável , acompanhada por um vinho ou uma caña (equivalente ao chope).O polvo a galega , conhecido por aqui como polvo à feira , é simplesmente cozido e polvilhado com sal grosso e pimentão , um luxo! Para completar, pequenos churros servidos com uma bebida de chocolate bem espessa ! Morri comendo e só me arrependo do que não provei.

Picos da Europa – Saindo de Comillas fizemos um desvio para o interior para conhecer os montes mais altos do norte da Espanha, o Parque Nacional Picos de Europa. Não tivemos muita sorte porque o dia estava meio nublado o que dificultava admirar o visual em toda sua dimensão. Chegamos até Potes, cidade que marca um ponto central de visita ao parque.

Valeu o desvio, comemos um bom presunto cru e descobrimos montanhas que convidam aventureiros a escaladas mais arriscadas.

Oviedo – Capital do Principado das Astúrias esta cidade nos surpreendeu desde o princípio. Rica , linda e muito acolhedora . Além disto o Hotel Reconquista é maravilhoso, um antigo Hospital lindamente transformado. A cidade é repleta de esculturas o que confere mais charme e valor as suas ruas limpas e arborizadas. Recomendo com ênfase, um dia inteiro em Oviedo para passear e aproveitar o rico comércio.

 

Avilés - Vale uma entrada nesta cidade portuária nem que seja  só para ver o recém inaugurado memorial desenhado pelo nosso Oscar Niemeyer, pouco antes de falecer. O Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer foi projetado como uma ” praça aberta para humanidade, um local para arte, cultura e paz” conforme o próprio arquiteto que recebeu o prêmio Príncipe das Astúrias em 1989 e com ele o convite para ser o mentor do projeto. Não conheci muito a cidade mas gostei muito de ver o talento brasileiro reconhecido.

Costa da Galícia – Mais agreste do que o litoral do País Basco, a Galícia nos deliciou com recortes de praias encantadoras e muitas formações que lembram grandes construções.  O ambiente é bucólico com fazendas à beira mar e estradinhas que costeiam o litoral. A Praia das Catedrais, em Ribadeo ,é um recanto lindo e deve ser uma delícia um banho em dia de sol com a maré baixa.

 

Santiago de Compostela – Nossa ideia era parar em Lugo antes de Santiago , mas tivemos dificuldade em nos acharmos entre a cidade e a muralha  e acabamos seguindo adiante. Chegamos à cidade mais famosa da Galícia ao entardecer e nosso Hotel Monumento São Francisco foi uma grata surpresa. Num mosteiro que ainda funciona e a poucos passos da praça central, tem uma tarifa muito interessante até para padrões europeus.

Visitamos a cidade, que é bem pequena e assistimos a missa diária do peregrino ao meio dia na belíssima Catedral Barroca. Ficamos devendo uma caminhada para entrar no clima dos peregrinos.

A Catedral de Santiago tem atrações exclusivas. A principal é, sem dúvida, o ritual do “botafumeiro”.
Trata-se de um incensário gigantesco, com mais de cinquenta quilos, que, acionado por um grupo de seis homens (“tiraboleiros”) balança como um espalhando sua fumaça num verdadeiro espetáculo de pirotecnia.

IMG_1108

Originalmente, servia para amenizar o mau-cheiro gerado na igreja pelos peregrinos , mas ainda hoje pode ter esta função. Atualmente é aguardado e emociona qualquer ateu. Para vê-lo, é preciso estar na missa do meio-dia dos domingos.
Uma dica: vale a pena contratar um guia para visitar a Catedral ,os detalhes são inúmeros, e há de fato muitas particularidades.

Na praça da Quintana, atrás da Catedral, não deixe de reparar a sombra projetada numa das paredes pela iluminação pública: forma a imagem típica de um peregrino. Será um milagre? 

Para saber mais sobre roteiros em grupo ou particulares do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

Roteiro pela França e país Basco - St Jean de Luz - Hondarríbia e os Pirineus

04 de junho de 2013 8

 

Este é a última parte do roteiro que fiz agora em maio de 2013, se você não acompanhou os outros posts, aqui vão os lincks para você se situar melhor:

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2013/05/30/roteiro-pela-f…-basco-parte-i/

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2013/06/02/roteiro-pela-f…basco-parte-ii/

Nosso roteiro anterior terminou em San Sebastian ou se você preferir Donosti, em basco. Saímos de lá cedinho da manhã estava um dia lindo, decidimos seguir a dica de  um vendedor muito simpático da loja da Rip Curl, que nos falou de um lugarzinho que é uma pérola e pouco conhecido - Hondarríbia.
Como ficava a poucos kms de San Sebastian decidimos ir tomar café da manhã lá, e não poderia ser mais acertado, chegamos em uma pequenina cidade à beira mar que está exatamente na fronteira com a França, apenas separadas por um rio.

Hondarríbia parece uma cidade de bonecas tudo é lindinho, bem cuidado, a gente não consegue parar de fotografar.

Sentamos em um café neste calçadão e ficamos curtindo o sol e a paz do local.

Seguimos viagem até  Saint Jean de Luz, que já fica na França. Uma cidadezinha simpática, arrumadinha na beira da praia, na verdade um pouco parecida com Hondarríbia, mas bem maior. Estacionamos o carro e fomos caminhar um pouco, nosso objetivo era entrar num mercado para comprar tudo  que precisávamos, para almoçar nas montanhas que nos esperavam logo mais adiante - Os Pirineus.

Saint Jean de Luz

Parada estratégica antes de pegar a estrada para as montanhas, onde nos esperava um pic nic dos sonhos.

Coloquei este mapa para ficar mais fácil de entender nosso trajeto pelas montanhas, veja ali no mapa que saímos de Saint Jean de Luz, perto da 1h da tarde, e pegamos a auto estrada em direção a cidade de Pau, mas saímos na altura de Sauveterre de Béarm.

Foi só sair da auto estrada que a paisagem já era totalmente diferente, que lugares fantásticos, só mini cidades as petits villages que eu amo de paixão, estradinhas estreitas, vazias, a primavera no seu auge.

Começamos a procurar o lugar ideal para o nosso pic nic.

E achamos este antigo lavoir , anterior a água encanada era um lugar com água potável disponível a população. Perfeito.

Com água limpa, um tapete verde, era hora de “por a mesa”!

ao lado desta antiga ponte onde escutávamos o barulho forte da água correndo.

Olhando no mapa havíamos escolhido a cidadezinha de Laruns para passar 2 noites e explorar a região.

No caminho passamos por Oloron Sainte Marie, outro lugar lindo.

Oloron Sainte Marie

O dia já estava se despedindo quando chegamos ao nosso destino - Laruns, ahh que prazer, sem stress, sem trânsito, só beleza por todos os lados, nem tivemos trabalho para escolher hotel, pois só havia um, que estava no coração da village.  Hotel D´Ossau, simples né, mas novinho, wifi free, café da manhã, uma vista de tirar o fôlego, por 63 euros a diária, para que mais?

http://hotelossau.pagesperso-orange.fr/

E amanheceu este dia espetacular em Laruns, e esta era a nossa vista da janela.

Este da foto é o nosso hotel em Laruns.

Os Pirineus franceses é considerado como uma das regiões mais intocadas e selvagens da França, a gente passa por muitos viajantes de moto, aventureiros de bicicleta e alguns peregrinos indo para Santiago de Compostela. Tem 2 grandes vales para visitar aqui o Vale D´Ossau e o Vale D´Aspe.

Nesta casa da esquina é o Oficio de turismo, e foi só ele abrir que já estávamos querendo saber quais as trilhas mais bonitas, na redondeza para explorarmos. Eles são muito organizados e estruturados, dá gosto de ver, uma pena que a gente aqui no Brasil tem tantas belezas que não são aproveitadas.

de mapinha em punho lá fomos nós por estradinhas sinuosas montanha acima, eu adoro brincar de achar estradas de terra na Europa, são tão raras e só quando acho me sinto totalmente fora das rotas turisticas, sinto a adrenalina da descoberta.

Começando a subir, segundo o mapa tínhamos que achar uma capelinha no caminho que marca o inicio da trilha à pé.

Eba!! Estávamos no caminho certo.

Deixamos o carro e começamos a trilha, que era mais ou menos de 4h. As trilhas são todas sinalizadas e você nunca se afasta muito dos vilarejos então não precisa ter medo, não tem perdida.

Até um cajado eu arrumei pra mim, estava quase me sentindo uma andarilha de Compostela! :) !

Não tem coisa que me emocione mais do que isso, estar no meio da natureza intocada, em um dia esplendoroso de sol, caminhando, nosso você precisa experimentar é estado de graça total, é sentir a energia do lugar, uma experiência quase espiritual.

Nem preciso dizer que levamos comida e neste cenário fizemos o ritual do pic nic.

Eu tinha um desejo de fazer um vôo duplo de parapente, e achei que este era o momento. Quando passei por uma escola de saltos no meio da trilha achei que era o sinal. O instrutor nos indicou a escola que ficava no outro vale o Vale D´Aspe.Depois de terminada a trilha pegamos a estrada e fomos conhecer o Vale D´Aspe e quem sabe voar como no filme Os Intocáveis.

Muitos ciclistas pelo caminho.

Passamos por esta igrejinha do século XII que fica na rota de Santiago de Compostela, lá dentro um peregrino rezava.

Apenas para encurtar a estória, quando chegamos em Accous, que era o lugar da escola de Parapente, para a minha grande frustração, toda a torcida do Flamengo tinha tido a mesma ideia que nós :(  e não havia mais lugar para vôos duplos naquele dia! arghhhhhhhhhhhh!

Fiquei muuuuito frustrada, mas durou pouco,naquele cenário vamos combinar né? Eu sou da teoria que a gente nunca pode esgotar um lugar, sempre tem que sobrar alguma coisa para a próxima vez. então já sabem né?

 

www.air-altitude.com          me aguarde!!!

  

Pedimos um Rosê gelado e ficamos admirando os parapentes voando contra os picos nevados.

Chegamos no nosso refúgio super cansadas e famintas, depois de um banho e um papo com os locais descobrimos um restaurante que  fechou o dia com chave de ouro. Fica uns 5km de Laruns ou nem isso chama -se  L ´Ayguelade. Ótima comida em ambiente acolhedor, era tudo o que precisávamos.

Olha só para isso!

E isso!

Tá bom, não vou colocar a sobremesa, é muita tortura!

No dia seguinte ainda fizemos outra caminhada, paramos em um restaurante nas montanhas onde fizemos uma degustação do especialidade local o Fromage de Brebis, que é o queijo de ovelha, uma delicia.


Parecia uma viagem no tempo, para uma frança que não existe mais.

Já me alonguei demais como sempre né? :(( !

Eu espero ter conseguido transmitir um pouco do encantamento que senti durante estes dias viajando pela França e Espanha, sem muito roteiro definido, apenas nos deixando levar  pelos sentidos, brincando de possuir todo o tempo do mundo para fazer o que mais gosto nesta vida – viajar!

Endereços:

Restaurante L´Ayguelade

Bielle – 64260 – Arudy

Se você gostou deste post , e quer saber mais dicas de viagens, exposições roteiros e cultura curta nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187



Roteiro pela França e Pais Basco - Parte II

02 de junho de 2013 0

 

Museu Guggenheim em Bibao

Na primeira parte do nosso roteiro eu falei um pouco sobre La Rochelle, que fica na costa do Atlântico na França e de lá descemos até Bordeaux, Arcachon, Biscarrosse Plage, onde passamos o feriado ensolarado de primeiro de maio.

De Biscarrosse nosso próximo destino era a badalada praia de Biarritz, eu já ouvira falar bastante sobre Biarritz, que é um lugar de boas ondas para o surfe, que muitos milionários  russos se refugiaram aqui depois da Revolução em 1917 e continuaram chegando após a queda do comunismo. Chegamos em Biarritz ao cair do dia.

Chegando na lendária praia de Biarritz

Estávamos viajando com o guia da Lonely Planet da França ( eu sempre recomendo o LP, acho que é o guia que reúne mais qualidades pois ele fala sobre a história dos lugares e tem sempre dicas atualizadas de atrações, hoteis, restaurantes, etc) e minha super co pilota Victoria já havia escolhido um hotel para a gente ficar, e olha GPS e dobra e vira e acabamos achando o

Hotel De Silhouette:  http://www.hotel-silhouette-biarritz.com/?lang=fr  muito bom e o porteiro da noite era um uruguaio, o David, professor universitário, queridíssimo que nos deu todas as dicas nas redondezas. O Hotel você pode entrar no site e conferir, tem estacionamento, e um jardinzinho atrás onde servem café da manhã, quartos ótimos, novinhos, e mesmo que não fosse, depois de dirigir por umas 4h tudo o que eu queria era um banho e um jantar com vinho francês, óbvio.
E a dica do David foi mortal comemos muuito bem a 2 quadras do hotel no Le Bistrot des Halles, super acolhedor, pois a temperatura estava nada de verão, pedia um tinto nacional

Le Bistrot les Halles – Biarritz

O dia amanheceu horroroso, chovia copiosamente… ahh e o nosso petit dejeneur no jardim?? Que saco!! Não tem nada pior em uma viagem do que chuva! Todo o resto a gente dá conta, mas chuva é um corte total. Aquela manhã que poderia ter sido de caminhadas pela praia, de exploração de novos lugares se resumiu em um café da manhã compridoooo, e coragem para colocar as capas de chuva e não tem jeito, vida de turista não dá trégua.

Biarritz

Biarritz, que deve ser bem legal – no verão!

Então o meu julgamento sobre Biarritz não conta muito, eu achei bonita,  a gente percebe que aquele lugar tem mil estórias, já foi a praia do imperador Napoleão III, é a praia dos russos e dos surfistas, mas depois de caminhar algumas horas na chuva achamos que estava na hora de pegar a estrada outra vez e com chuva nada melhor do que visitar o fantástico Museu Guggenheim em Bilbao, que para padrões brasileiros era ao lado, pois somente 150km de auto estrada nos separavam  do nosso pequeno paraíso cultural – Bilbao.

Esta parte da Espanha é muito verde, mas também né com toda esta chuva, só podia  :)! Pegamos a auto estrada que é no meio das montanhas e  bem sinuosa, mas estar entrando no Pais Basco, na Espanha, foi legal, é uma das coisa que eu curto na Europa, a gente anda um pouco e troca o idioma, as comidas, os preços, as pessoas, esta diversidade embora tenha diminuído ainda é muito sensível.

Bilbao no país Basco, uma cidade que respira arte por todos os poros.

Aqui nosso guia morreu, pois ele era só da França e chegamos em Bilbao sem pai nem mãe.  A chuva já tinha parado e fomos direto ao Oficio de Turismo no centro da cidade, a tática é sempre a mesma, chegar nas cidades e ir seguindo as indicações para o centro, não tem perdida. No info turismo elas nos deram todas as informações, os hoteis mais bem localizados todas as barbadas, mas pasmem! O hotel que elas me ofereciam por uma diária de 170 euros, ali mesmo eu entrei no www.booking.com/bilbao, o MESMO hotel me dava 2 diárias por U$ 15o !! Dá para acreditar?? E olhem que não ganho nenhuma comissão do booking! Mostrei para a moça e ela ficou tão surpresa quanto eu! Reservei pela internet é claro.

Hotel Ercilla, um hotel 4 estrelas, enorme nada de mais, mas muito bem localizado, eu recomendo que se vocês forem a Bilbao façam uma pesquisa antes, deve ter hotéis mais charmosos. De qualquer maneira aí está o linck:

http://www.hotelercilla.es/

Dia seguinte SOL! Ebaaaa! Ahh vai dizer? Um dia bonito faz toda a diferença.
Saimos para a visita do dia, o Guggenheim nos aguardava.

Museu Guggenheim 

Interagindo com a obra gigantesca do artista Richard Serra.

Jeff Koons

O Museu  é um capítulo à parte em Bibao, eu tinha muitas expectativas com relação a esta obra de arte gigante do arquiteto Frank Ghery, que abriu suas portas em 1997 e desde lá só vem melhorando e agregando grandes artistas ao seu acervo. O museu superou tudo aquilo que eu imaginava, fiquei simplesmente encantada, fiz as pazes com os homens, que tem a capacidade de construir obras como esta para o desfrute da humanidade.

A aranha – obra da artista francesa Louise Bourgeois.

O Museu tem várias opções de almoço, se você for um gourmet, deve experimentar o estrelado restaurante Nerua, que tem um menu degustação de  6 pratos a 100 euros por pessoa. Tem o Bistrot do museu que é a mesma cozinha do Nerua com 2 opções de menu por 18 ou 25 euros. Como a Victoria é vegetariana achamos que pagar 100 euros para ela dispensar a metade não valia a pena e almoçamos no bistrot, deliciososo, mas já vou avisando é só para quem não esta com muita fome olha os pratos:

Bacalhau com purê de mandioquinha sobre ovas de salmão.

Ravioli de cogumelos com roquefort

Nós pegamos uma exposição chamada L´Art en Guerre – França, 1938-1947: De Picasso a Dubuffet, que fica em cartaz até dia 8 de setembro de 2013. Absolutamente imperdível, pois não se trata só de pinturas, mas de histórias , de sobreviventes da guerra , que produziram arte nas condições mais dramáticas, em campos de concentração, em uma França ocupada pelos nazistas, é uma exposição linda, pungente, emocionante.

Saimos a caminhar pela cidade ainda em estado de graça, contemplativas. Seguindo as dicas das meninas do info de turismo caminhamos até o funicular Archanda que fica a uns 10 minutos de caminhada do museu, onde se tem uma vista incrível de Bilbao.

Desing moderno no Hotel Hesperia

Vista do funicular de Archanda

O Guggenheim visto do alto.

Arte em todos os lugares

Eu não poderia sair de Bilbao sem indicar um ótimo restaurante italiano que fomos, o La Nicoletta, comida deliciosa, farta, comemos carpaccio, saladas, massa tomate manjericão, vinho da casa e o preço foi algo em torno de 30 euros. Recomendo.

Depois de 2 dias nos despedimos de Bilbao e nossa próxima parada foi San Sebastian, que já fica bem perto da fronteira com a França. O dia estava lindo, fresquinho, mas ensolarado e depois de largar o carro e as malas no Hotel San Sebastian
http://www.hotelsansebastian.net/  que fica a 3 quadras da praia, fomos conhecer Donosti – o que? Você não sabia que San Sebastian em Basco é Donosti?? Ahh gente pouco curiosa… pois este idioma é um mistério – o basco – ninguém sabe a sua origem, ele não descende de nenhuma lingua indo européia, e é totalmente incompreensível, sabe o Catalão, que a gente até pesca uma que outra palavra? Pois com o basco pode esquecer, nadica de nada!

San Sebastian é uma delicia, uma cidade relax, pessoas, muitas pessoas caminhando, crianças, a impressão que tive aqui é que todo mundo estava se divertindo, bares cheios, praças cheias, ruas ainda mais…


E aqui notei uma coisa bem típica, sabe restaurantes como a gente conhece? Todo mundo sentadinho, calmo, comendo, aqui euzinha não vi nada parecido, o que eles cultuam são bares, de preferência apertadinhos, com balcões repletos de pinchos, que são todo o tipo de aperitivos que você puder imaginar, poucos lugares para sentar, o povo daqui gosta de ficar em pé em volta do balcão. Nós fomos em vários assim e os pinchos são dos deuses, usam presunto cru, queijos, mel, camarão, polvo, tudo o que a sua imaginação ordenar.

A foto não faz jus a esta maravilha, olha só: uma alcachofra torradinha por fora e com coração macio com vieiras por cima e molhinho de pesto, é para matar!
Aqui dou a dica do Zeruko, que foi uns dos tantos que pinchamos. 

O surfe invadiu o asfalto

Bah gente eu bem que tentei, fazer este roteiro em 2 posts, mas é impossível, são tantas emoções :) !
Já ficou muito longo então vou ter que escrever a parte III , que eu aconselho vocês a não perderem pois é onde vai estar a cereja do bolo, nossas aventuras por um dos poucos lugares ainda remotos, selvagens e absurdamente lindos da França : Os Pirineus.
aguardem!
Bisous!!!

Endereços:

Le Bistrot des Halles

Endereço: 1 Rue du Centre, 64200 Biarritz, França

Telefone:+33 5 59 24 21 22

Bar Zeruko

Endereço: Calle Pescaderia, 10, Donostia-San Sebastián, Guipúzcoa, Espanha

Telefone:+34 943 42 34 51

Se você gostou deste post , e quer saber mais dicas de viagens, exposições roteiros e cultura curta nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Roteiro pela França e Pais Basco - parte I

30 de maio de 2013 4

Ilha de Ré

Depois de passar uns dias em Paris queríamos mais da França, e vocês hão de concordar comigo que a verdadeira alma francesa está nas suas Petits Villages, nos seus campos floridos, nas suas pequenas estradinhas de alamedas de Plátanos e Álamos. Nosso roteiro estava mais ou menos pré definido, mas eu não gosto de nada definitivo porque a gente sempre tem que estar aberta para o que vier.

Aqui o mapa de toda a nossa viagem que começou em La Rochelle, seguiu pela região da Aquitânia, sempre costeando o Atlântico até Bordeaux, Biarritz, Bilbao e na volta San Sebastian, Hondarríbia, San Jean de Luz e na última etapa desfrutamos a paisagem fantástica das montanhas nos Pirineus.

Pegamos o TGV em Paris (Gare Montparnasse) até a cidadezinha portuária de La Rochelle, que foi um importante porto na idade média e tem muitas estórias ligadas aos Cavaleiros Templários. La Rochelle é pequena e se pode conhece-la à pé, nos hospedamos bem pertinho da marina. Chegamos a tardinha e com as melhores recomendações do nosso amigo Maurice fomos jantar num excelente restaurante 4 Sergents, se você for até La Rochelle, não pode perder, tudo é muito bom, fait maison, uma expressão francesa que quer dizer como na sua casa, ou seja tudo fresco nada de industrializados.

Lanche no trem é alguma coisa que me traz  lembranças boas, então sempre antes de alguma viagem passo num mercadinho, me abasteço e voilá!! :) !

Estas eram as paisagens pelo caminho, uma França em plena primavera!

La Rochelle

Restaurante imperdível – 4 Sergents

Para quem vai a La Rochelle o passeio imperdível é conhecer a Ilha de Ré. Já faz algum tempo existe uma ponte que liga a ilha ao continente. A ilha é lindinha, com 2 ou 3 cidades pequeninas, muito verde, marinas com bons restaurantes e muitas ciclovias para se conhecer a ilha de bicicleta.
Nós infelizmente tivemos que fazer toda a ilha de carro pois fomos pegas por uma chuvarada, mas é um lugar lindo que vale a pena você ficar ao menos uma tarde passeando.

Ilha de Ré

Casas típicas da ilha. Foto: Wikipédia

Nosso próximo destino era a cidade de Bordeaux, eu já tinha estado aqui de passagem e de Bordeaux sabia muito pouco, seus vinhos antecedem a sua fama.

Na chegada me assustei um pouco com o trânsito mas uma cidade com rio é mais fácil de se localizar e rapidinho achamos nosso hotel que havíamos reservado na noite anterior pelo www.booking.com. Nosso hotel era ótimo super bem localizado chamava Hotel Des 4 Souers, com diária em torno de 100 euros para 2 pessoas.

Bordeaux é uma cidade universitária, movimentada e tem uma beira de rio muito bonita.

Tem as antigas portas da cidade murada, e o seu coração é o centro histórico.

O L’ Apollo é um dos pontos de encontro, sempre cheio.

Catedral Gótica de Bordeaux.

Bordeaux também tem as bicletas para alugar e a beira do rio é ótima para andar de bicicleta.

Uma rua cheia de opções de restaurantes e bares é a Rue des Bahutiers, no centro histórico, ali fica dificil de escolher, nós optamos por este ret/bar de origem Corsa (da Córsega) suuuper descolado com muitas escolhas de tapas, vinhos e cervejas.

Saimos pela manhã em direção ao Atlântico, queríamos ver o mar sentir o seu cheiro, pegamos a direção de Arcachon e lá perto (indiada mor) subimos para ver “a maior duna da Europa! Como já estávamos a tempo dentro do carro aproveitamos para esticar as pernas e conhecer a Dune du Pyla.

Dune du Pyla, conhecida como a maior duna da Europa…
Na verdade não é tudo isso, o que eu gostei foi que é uma região mais selvagem da França, onde se tem um contato mais próximo com a natureza, valeu a subida.

Já a praia de Arcachon foi entrar, dar umas voltas e sair, muito apertada, sem graça. E seguimos viagem até uma lugar que adoramos que foi Biscarrosse Plage.

O clima estava friozinho, mas apareceu um sol maravilhoso e a praia encheu, muitos surfando, jogando bola, passeando com os cachorros astral bom de feriado de 1 de maio.

Almoçamos em um lugar a beira mar super simpático e é claro que a pedida foi frutos do mar ,saladas e vinho rosê.

Mexilhões com molho roquefort

Daqui nosso próximo destino é a famosa e badalada praia de Biarritz, mas isto é assunto para o próximo post.


Alhambra : na Espanha como os árabes

23 de abril de 2013 0

A Espanha foi dominada pelos árabes por mais de 700 anos e em Granada , na Andaluzia, podemos ver o mais bem conservado exemplo de arquitetura moura presente na Europa. O Alhambra , a Vermelha em árabe, é uma fortaleza -palácio em formato de cidadela construída com luxo e requinte principalmente em seu interior.

Alhambra

A maior parte do complexo foi construído, principalmente, entre 1248 e 1354, no reino Nasrida , sendo um local onde os artistas e intelectuais procuravam refúgio no decurso das vitórias cristãs por todo o  Al Andalus, como os árabes chamavam a atual região da Andaluzia. Mistura elementos naturais com outros feitos pela mão do homem, sendo um testemunho da habilidade dos artesãos muçulmanos da época.

Quando os Reis Católicos, Isabel e Fernando, conquistaram o Reino de Granada, expulsaram o último califa, o qual ficou muito triste por ter perdido o que chamava de “o Paraíso Terrestre”. Diz a lenda que o monarca teria chorado diante de sua mãe enquanto se afastava da cidade e que esta lhe teria dito:”não chora como uma mulher, o que não soubeste defender como um homem”. No caminho até à costa granadina existe um porto de montanha chamado El Suspiro del Moro“, nome que se obteve desta lenda, já que deste ponto se pode observar toda a cidadela de Alhambra.

Palácio dos Arrayanes

Alhambra é dividida em 2 setores, o Generalife onde localizam-se os jardins e o Palácio Násrida com estrutura posteriores construídas pelos reis católicos que reconquistaram a região em 1492. No Generalife as construções são mais abertas , era onde a corte vivia durante o verão escaldante do sul da Espanha. É totalmente cercada por nascentes e fontes , dando uma sensação de frescor.

Poetas mouros descrevem o Alhambra como “uma pérola encrustrada em esmeraldas”, em alusão à cor dos seus edifícios e à dos bosques que os rodeiam.

O seu elemento mais ocidental é a alcazaba (cidadela); uma posição  fortificada de proteção. O resto do planalto compreende vários palácios, cercados por uma muralha defensiva relativamente fraca, flanqueada por 13 torres, algumas defensivas e outras destinadas a providenciar vistas panorâmicas para os seus habitantes. O bairro de Albaizin, que fica logo abaixo , é uma verdadeira medina árabe encravada em plena Espanha, uma delícia caminhar em suas ladeiras e descobrir lojinhas e pequenos recantos.

No Albaizin ficam os famosos restaurantes Carmen, com jardins particulares  e vistas deslumbrantes do Alhambra. Nós aproveitamos a tarde ensolarada e almoçamos no Carmen de Mirador de Moraima.

Para Hospedagem no centro de Granada a dica é o AC  Hotel Palácio de Santa Paula, maravilhoso convento remodelado e muito bem localizado. http://www.espanol.marriott.com/hotels/travel/grxpa-ac-palacio-de-santa-paula-autograph-collection/

Uma dica muito importante é fazer a reserva para a visita ao Alhambra , sem a qual não é permitida a entrada no Harém e partes do Palácio Násrida. http://www.alhambradegranada.org/es/info/ventadeentradasalhambra.asp

Espanha Verde, no Caminho de Santiago de Compostela

16 de abril de 2013 2

Seguindo nosso roteiro pelo norte da Espanha saindo da Cantábria entramos nas Astúrias num dia  nublado na região mais verde deste país tão diversificado. O litoral é recortado e verdejante , graças a grande quantidade de chuvas que nunca deixam o clima muito quente neste ” norte de Deus” . Fazia 28 graus nestes dias  e o povo estava morrendo de calor. O visual das estradas do litoral era este!

Picos da Europa - Saindo de Comillas fizemos um desvio para o inteiror para conhecer os montes mais altos do norte da Espanha, o Parque Nacional Picos de Europa. Não tivemos muita sorte porque o dia estava meio nublado o que dificultava admirar o visual em toda sua dimensão. Chegamos até  Potes, cidade que marca um ponto central de visita ao parque.

Potes

 Estradas para os Picos da Europa

Oviedo – Capital do Principado das Astúrias esta cidade nos surpreendeu desde o princípio. Rica , linda e muito acolhedora . Além disto o Hotel Reconquista é maravilhoso, um antigo Hospital lindamente transformado. A cidade é repleta de esculturas o que confere mais charme e valor as suas ruas limpas e arborizadas. Recomendo com ênfase, um dia inteiro em Oviedo para passear e aproveitar o rico comércio.

A bela Lola

 Hotel Reconquista

Avilés - Vale uma entrada nesta cidade portuária só para ver o recém inaugurado memorial desenhado pelo nosso Oscar Niemeyer. O Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer foi projetado como uma ” praça aberta para humanidade, um local para arte, cultura e paz” conforme o próprio arquiteto que recebeu o prêmio Príncipe das Astúrias em 1989 e com ele o convite para ser o mentor do projeto. Não conheci muito a cidade mas gostei muito de ver o talento brasileiro reconhecido.

 

Placas indicando o caminho dos peregrinos

Costa da Galícia - Mais agreste do que o litoral do País Basco, a Galícia nos deliciou com recortes de praias encantadoras e muitas formações que lembram grandes construções.O ambiente é bucólico com muitas fazendas à baira mar e estradinhas que costeiam o litoral.  A Praia das Catedrais, em Ribadeo ,é um recanto lindo e deve ser uma delícia um banho em dia de sol com a maré baixa.

Praia das Catedrais

Santiago de Compostela - Nossa ideia era parar em Lugo antes de Santiago , mas não nos agradamos da cidade e seguimos adiante. Chegamos na cidade mais famosa da Galícia ao entardecer e nosso Hotel Monumento São Francisco foi um grata surpresa. Num mosteiro que ainda funciona e a poucos passos da praça central da cidade , tem uma tarifa muito interessante até para padrões europeus, em torno de EU$ 100,00. Visitamos a cidade, que é bem pequena e assistimos a missa do peregrino ao meio dia na belíssima Catedral Barroca. Ficamos devendo uma caminhada para entrar no clima dos peregrinos.

Catedral de Santiago de Compostela

Isto foi só para dar o gostinho da Espanha do norte, acompanhem por aqui este roteiro detalhado por regiões, abraços e até a próxima!

Um outro caminho para Santiago de Compostela, praias do norte da Espanha

06 de abril de 2013 5

Sempre quando vou montar um roteiro novo , para lugares menos trilhados me deparo com a dificuldade: por onde começar!

Claro que os guias de viagem são essenciais mas vamos combinar que se vamos por eles paramos em TODAS as cidades, porque sempre veem algo muito interessante e na verdade não é bem assim. Fizemos um roteiro bem legal no norte da Espanha , saindo da França e seguindo pelo País Basco, Cantabria, Astúrias e terminado na Galícia. São muitas opções nesta rota, além de ser umas das alternativas do Caminho de Santiago , tem praias , belas cidades e muita natureza exuberante!

Hoje vou deixar aqui um esboço deste roteiro , para quem quer uma ideia geral e começar a pensar! Depois vou colocando mais detalhes de cada destino, ok?

França

Biarritz – Praia charmosa do País Basco francês, local de surf e gente bonita. Teve seu período de glória no início do século XX com a abertura do cassino que está lá até hoje. Era local de veraneio da família real britânica. Praias lindas de águas cristalinas.

Biarritz

Cassino de Biarritz

San Jean de Luz - Um pequeno local de veraneio , quase na fronteira da Espanha. Praia charmosa com pessoas mais velhas curtindo a boa mesa e a calmaria. Pode dar onda em dias especiais. Pegamos o dia de São João em 24 de junho , a cidade estava em festa com todos os habitantes vestidos com lenços e boinas bascas. Tem construções muitosemelhantes a países germânicos.

Espanha

San Sebastian - Uma das principais cidades do País Basco espanhol, esbanja alegria e movimentação no seu Casco Antigo cheio de bares de tapas e noite animada, A praia é muito agitada também, num estilo meio século XIX com belas mansões à beira mar. Um ótimo lugar para servir de QG para passeios por perto, no hospedamos no Hotel London y da Inglaterra, uma ótima opção!

San Sebastian 

Bares de Tapas em San Sebastian

Bilbao – Não tivemos tempo para conhecer muito a cidade, mas é parada obrigatória pelo Museu Guggenheim, um must na viagem. Fica na entrada da cidade e muito fácil de acessar na passagem!

Museu Guggenheim de Bilbao

Santander - Outra cidade de veraneio muito procurada pelos ingleses, tanto que tem um grande porto com ferrys direto para a Inglaterra. Belas mansões numa ambiente aristocrático fazem a cidade esbanjar estilo. As praias são bastante movimentadas. Santander já encontra-se na região da Cantábria, e como veem não é só o nome de um banco. Muito linda é a paisagem por aqui, não é de graça o apelido de Espanha Verde , a região merece!

Santander

Santillana del Mar – Uma cidadezinha medieval muito charmosa, conhecida como local de boa sidra e preservada como antigamente. Apesar do nome,  não localiza-se à beira mar, mas não merece mais do que uma passada , apesar de todos os guias colocarem como um local muito interessante , não recomendo pernoitar. Aqui está o Museu de Altamira , uma caverna com pinturas rupestres pré-históricas que se pode visitar numa réplica, interessante visita.

Museu de Altamira

Santillana del Mar

Visual das estradas da Cantabria

Comillas - Foi uma das grandes surpresas da viagem , uma praia super astral, com um centrinho muito charmoso, e pra completar umas das primeiras obras de Gaudí , uma casa de um excêntrico mecenas , chamada Capricho. Aqui vimos os primeiros marcos do Caminho de Santiago em placas no chão.

Comillas

Capricho Gaudí

Sigo na próxima com a segunda parte do  roteiro até Santiago de Compostela.