Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Suécia"

Estocolmo em novembro???

20 de dezembro de 2010 0

 

Pois é Estocolmo em novembro.. pode parecer loucura, mas este foi o destino que escolhemos para passar 3 dias depois de encerrado o nosso tour com o grupo pela Itália.

No ano anterior havíamos escolhido Berlim, e foi uma experiência maravilhosa, estava frio, mas tudo dentro da normalidade. Então esta fechado, vamos passar um tempo em Estocolmo explorando os caminhos de Salander e Blomkvist,  protagonistas do incensado best seller de Stieg Larsson, a trilogia do Millennium, que se passa na cidade.

Já do avião tive um vislumbre do que nos esperava, a paisagem era completamente branca, tudo nevado, e foi aí que comecei a me perguntar se aquela tinha sido uma boa escolha.

 

Chegamos no hotel que ficava em Stureplan em torno das 3h da tarde, saimos pra fazer um reconhecimento da área e almoçar, achamos um lugarzinho muito aconchegante e que recomento, o Le Bistrot, o frio que fazia é indescritível, tudo nevado na cidade e um vento cortante que faz o nosso minuano aqui parecer brisa caribenha. Já dentro do nosso precioso refúgio, experimentamos a deliciosa culinária escandinava, com salmão e outras iguarias. O vinho, me desculpem, tinha que ser um tinto e italiano. Conversa vai, quando olhamos para fora da janela era noite, sim 4h da tarde e poderia ser 3h da madrugada…. 

 

 

 Aquecidas pelo almoço e pelo vinho resolvemos explorar um pouco da cidade, que justiça seja feita, estava linda demais, toda decorada com luzes e  enfeites de Natal. Foi como penetrar numa fantasia infantil de Natal, pois nossos natais de praia e verão não tem nada a ver com a tradição européia que nos foi imposta. E andar por aquela paisagem natalina invernal foi um experência magnífica.

Só que nossas incursões noturnas não ultrapassavam mais de 1h, porque  as mãos e pés congelavam, então o remédio era entrar em algum café e degustar o vinho quente, uma versão nórdica do nosso quentão.

 

 

 

Paradas estratégicas nos cafés para se esquentar e saborear o vinho quente.

 

No segundo dia fomos conhecer Gamla Slam, a parte mais antiga e tipica de Estocolmo, é lindo, cheia de ruelas medievais, cafés, lojinhas com souvenires e muitos restaurantes legais. Nevava todo o tempo, mas o clima era seco e frio então a neve não molhava. E estávamos encantadas com a paisagem inusitada. Tentamos os museus, fomos até o Palácio Real, visitamos uma exposição dos presentes de casamento da Princesa Victoria que casou recentemente. Eu digo tentamos, porque de fato os museus são fraquinhos, no verão não sei se valem a visita.

 

Rua principal de Gamla Slam toda enfeitada para o Natal.

 

 

 

Estocolmo é formada por 14 ilhas e várias pessoas me deram a dica de fazer o passeio de barco entre as ilhas, foi o que fizemos no nosso segundo dia na cidade. Caminhamos do nosso hotel passando por vários parques, pelo teatro onde Bergman havia dirigido peças de teatro, até chegarmos no cais de onde saiam os passeios. Foi um passeio de aproximadamente 1, 1/2 h, foi  lindo, aquela paisagem nevada, passamos por lugares residenciais, parques, onde os suecos não estão nem ai para o frio, cheio de pessoas correndo, levando seus cães para passear, crianças com trenós, canais onde a água começava a congelar. Eu super recomendo  , é perfeito para se ter uma boa idéia da configuração da cidade e da maneira como moram.

 

Um dos vários pontos da cidade onde saem os passeios de barco.

 

O passeio passa pelas casas lindas das familias mais tradicionais de Estocolmo.

 

 

E aqui passamos em frente ao albergue de estudantes ou Youth Hostel de Estocolmo, me bateu um nostalgia enorme, pois foi aqui que me hospedei com 18 aninhos quando fiz um mochilão de 1 mes e meio  na Escandinávia. O barco é bárbaro e continua funcionando com Hostel.

 

 Nosso próximo passeio foi pegar aqueles ônibus que fazem o sightseen pela cidade, nevava de um jeito que fiquei pensando se nosso avião decolaria no dia seguinte. O rapaz que vendia os tickets para o tour ficava numa casinha numa praça, e ele nos acompanhou até o ponto do onibus. Só pra vocês terem uma idéia do funcionamento da sociedade sueca, tão diferente da nossa.

Ele falava ingles fluentemente, aliás como 90% da população, mas não só isso, nos contou que tinha um amigo brasileiro que havia conhecido na Austrália enquanto fazia mestrado na universidade, este era o cara que vendia os tickets do onibus!!!! Ficou ali conosco uma meia hora de papo, falamos sobre todos os assuntos possíveis.
Éramos só Mylene e eu no ônibus!!!

 

 Teatro dramático de Estocolmo onde Bergman foi diretor entre 1963 e 1966.

 

 

 Só as duas brasileiras doidas que vem para Estocolmo em novembro… mas a gente já tinha relaxado e só nos olhavámos e ríamos muito da situação.

Fazer o quê?  Fomos para as lojas, as coisas são ligeiramente mais caras que no resto da Europa, mas nem perto da careza que foi há alguns anos. Até no cinema fomos, aproveitando que os suecos não tem o terrível hábito dos franceses e italianos de dublarem todos os filmes.

 

Último dia e abriu um sol lindo, inacreditável, saimos para uma caminhada para conferir aquela paisagem sob o sol.

 

Blibioteca Nacional.

 

 

A criançada brincando, nem aí para o frio.

 

Antes de viajar eu pedi umas dicas de Estocolmo ao André, que é piloto casado com uma amiga querida e ele voa seguido para lá e adora a cidade, vou transcrever algumas das dicas dele aqui abaixo:

  O Ice Bar está perto da Estação Central de trem, dentro do Nordic Sea Hotel e é um lugar diferente prá conhecer e provar um cocktail com vodka excelente.

 

  Södermalm, também chamado de Söder pelos locais, é outra ilha, maior um pouco e ao sul de Gamla. Lá está o Stockholm museum em Ryssgarden square onde pode-se comprar o mapa do Millenium Tour dos livros de Stieg Larsson. O tour é a pé pela ilha e pode ser feito acompanhado de guia ou só. Eu fiz sozinho e levei talvez umas 2 horas prá ver tudo. Para quem leu os livros e gostou é um passeio interessante.

Lá tem a Fotografiska que é um museu de fotografia bem legal, de frente prá Gamla e Djurgarten. Brankirgattan é uma parte antiga, com ladeiras e uma bela vista de Estocolmo.

A rua principal é a Gotgatan e a ilha é um lugar boêmio e local, não muito cheio de turistas. Tem um lugar nessa rua chamado Bruno que é um pequeno shopping que a noite vira um grande bar, bem alternativo e na frente do local que seria a revista Millenium.

Outro ponto turístico a ir é o Ericson Globe, uma arena, estádio que representa o sol e tem 85 metros de altura. Pode-se ver toda Estocolmo de lá. 

 

O aeroporto de Estocolmo, Arlanda está afastado da cidade, cerca de 30/40 minutos de taxi ou 20 de trem (Arlanda Express).

 

A moeda, Coroa, vale mais ou menos SKr 7,5 por U$ 1,0

 

O clima é ótimo no verão, de junho a agosto (15 graus a noite e 25/30 de dia), frio na primavera e outono (abril, maio, setembro, outubro) e gelado no inverno (de novembro a março).

 

As pessoas falam inglês na rua normalmente e são muito educadas. A cidade é muito segura.

 

Se o clima for bom, caminhar é uma boa opção. Senão, taxi ou metro.

 

Um almoço/janta com cerveja custa mais ou menos 450 coroas (60 dolares) num bom restaurante. Pode ser menos em um lugar mais simples (200 coroas) ou mais num sofisticado.. A culinária sueca é interessante e vale a pena provar.

 

 

 Se valeu? Olha sempre vale… foi ótimo para descansar, colocar as conversas em dia e voltar correndo para o nosso doce clima de novembro no Brasil!