Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Lima"

Lima - opção para um feriado diferente

27 de fevereiro de 2014 Comentários desativados

Eu sei que vocês devem estar pensando que me enganei de destino, fim-de-semana prolongado em Lima , no Peru ???

Mas é isto mesmo.  Nossa idéia de que uma viagem diferente tem que durar um tempo longo acaba impedindo-nos de fazer belas descobertas ou nos limitando a trilhar o caminho das pedras e repetir destinos para lá de manjados. Ou pior, nos levando para aquela velha e conhecida praia, para onde todo mundo vai nos feriados, e fica preso num engarrafamento de 4h , quase o tempo de vôo até Lima.

 Em tempo , o clima em Lima é sempre seco e não faz menos do que 12 graus, mas no inverno a cidade é seguidamente envolta em bruma.

Para quem mora em Porto Alegre temos, desde o final de 2009, um vôo direto pela TACA/Avianca que sai cedo pela manhã chegando em Lima antes do meio dia, na verdade são 4:30h de vôo , descontando o fuso horário de 2 horas . A passagem não é muito barata mas existem boas promoções e por lá tudo é bem em conta!

Os aviões da Taca/Avianca são bem mais modernos do que os ônibus urbanos de Lima, mas bem menos charmosos.

 

Passei o último feriado no Peru, foram apenas duas noites, mas foi o suficiente para me encantar com a capital e ficar fã da culinária peruana . Lima é uma cidade de quase 10 milhões de habitantes, numa região desértica à beira do Oceano Pacífico. Muito grande e espalhada em função dos terremotos que impedem maior concentração urbana, oferece uma programação variada para todos os gostos.

 

Sugiro começar a desbravar os bairros litorâneos com um passeio de bicicleta organizado pela bike tours of lima ( www.biketoursoflima.com ) uma bela forma de fazer o primeiro reconhecimento sem maiores dificuldades, pois a região é eminentemente plana e as bicicletas super cômodas, como as de antigamente, sabe? Pneu balão, banco grande e guidon alto, não entendo porque não fazem mais bicicletas assim…

O tour parte do centro de Miraflores : Bolívar, 150, e já é uma boa oportunidade para conhecer pessoas interessantes. Nosso grupo era composto de  cinco americanos , duas holandesas e uma francesa.

O Bairro de Miraflores era um antigo local de veraneio dos Limenhos moradores do centro. Hoje é o coração litorâneo , onde quase tudo acontece. Com belos jardins à beira mar em seu alto promontório abriga o shopping Larcomar. Quem já leu Mário Vargas Llosa , o mais festejado escritor peruano, tem familiaridade com o bairro sempre citado em seus romances, para quem não conhece indico “Travessuras de uma menina má“, uma delícia!

 

O Shopping Larcomar é um exemplo de como a arquitetura pode se inserir na paisagem sem agredi-la. Um ótimo local para um almoço com vista eu fico entre o Mango e o Vivaldina. Aqui pode-se encontrar bons artigos em lã de alpaca, prata e tapeçaria. O artesanato peruano é uma perdição até para os mais controlados, colorido e variado tem sua maior concentração e melhor preço no Mercado Inca, cinco quadras do mar pela avenida Larco.

 

O Parque dos Amantes é uma homenagem aos casais enamorados inspirada em Gaudí, o artista espanhol. Deste parque pode-se descer para a praia de Waikiki onde os mais corajosos tem pranchas de surf para alugar. Segundo os entendidos as ondas são perfeitas e o mar é calmo , ideal para iniciantes.

 

 

O mais conhecido restaurante por aqui é o Rosa Náutica , não tanto pela sua cozinha mas mais pela fantástica localização, no final dos molhes da praia de Miraflores. Nós não temos do que nos queixar, tirando terem nos colocado meio de canto por estarmos muito à vontade de bermuda e camiseta, comemos ótimas entradas de peixes com um belo pôr do sol.

A comida peruana é um pouco picante para nosso paladar e abusa dos temperos agridoces, mas os frutos do mar são imperdíveis. O prato nacional é o ceviche, uma marinado de peixes, polvos e mariscos crus temperados com limão, coentro e cebola , pode acompanhar milho e um tipo de batata doce, eu adoro! Também é muito apreciado é um espetinho de coração bovino e o cuy , um porquinho da índia usado na culinária andina , que também é uma delícia.

Eu costumo arriscar novos paladares quando viajo , mas para os mais tradicionais existe muita variedade de peixes cozidos e carne de vaca regados ao pisco souer, uma cachaça de uvas batida com clara de ovos e açúcar.

Para um lanche à tarde uma ótima pedida são os tradicionais churros espanhóis no Manolo, (Av. Larco 605) complementados pela Inca Cola, uma cola tipicamente peruana terrivelmente doce mas com um colorido encantador.

O bairro boêmio de Lima é o Barranco , fica ao lado de Miraflores mas se não fosse tão perto também não seria problema pois os taxis são muito baratos. Uma corrida de meia hora (bem comum entre os bairros de Lima) custa em torno de R$ 5,00 ou $8,00 soles, a moeda local. O Barranco tem um ar meio decadente de colônia espanhola, mas é cosmopolita e divertido com muitos bares e boates, uma indicação noturna é o Santo.

 
 

 Uma visita a Lima não é completa sem ir ao centro da cidade , considerado o mais bem conservado centro histórico das Américas. Eu diria que é mais interessante do que muitas cidades européias bem mais famosas. A Plaza de Armas domina o cenário com os principais prédios : catedral , prefeitura, arcebispado… Mas as ruas laterais abrigam prédios muito interessante em sua arquitetura colonial espanhola, com muitas varandas de madeira onde as mulheres podiam ver o movimento das ruas sem serem notadas.

  Eu fiquei hospedada no Marriott Miraflores, em frente ao mar, recomendo pela localização e instalações. O bairro San Isidro fica entre o centro e a praia e tem boas opções de hotéis em todas as categorias.

 

 Uma das mais interessantes viagens que fiz no último ano! Vamos descobrir a América Latina.

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Peru com Arte 2014

30 de janeiro de 2014 0

Para conhecer o roteiro clic aqui : http://www.portobrasil.com.br/peru2014/peru2014.pdf

522435_695067953870893_147205224_n

 

 

Peru com Arte, por Martha Medeiros

27 de janeiro de 2014 4
Peru
 
 
 
Algumas atrações turísticas, de tão fotografadas, frustram a expectativa quando conhecidas ao vivo. Não é o caso de Machu Picchu. Por mais que se tenha visto mil vezes aquela imagem da montanha pontiaguda com as ruínas da cidadela inca a seus pés, nada se compara à emoção …de estar lá.
 
O Peru é perto, porém pouco visitado por nós. Quem planeja um roteiro cultural e gastronômico, quase sempre elege a campeã Argentina, ou então o Chile, com suas vinícolas e estações de esqui. O Peru? Coisa pra surfista e bicho-grilo. Pois temos hoje um voo direto que liga Porto Alegre a Lima em pouco mais de quatro horas, o que é um convite para expandir nosso conhecimento sobre a América do Sul. Se europeus e asiáticos atravessam oceanos para visitar esse país andino, por que nós, vizinhos, permanecemos indiferentes?
 
Minha viagem se iniciou pela graciosa Cuzco, que foi o coração do império inca. Depois, fomos de trem até Aguas Calientes, num percurso que margeia o Rio Urubamba e que invade a floresta amazônica, proporcionando um visual arrebatador. Desse pequeno vilarejo, saem ônibus a cada cinco minutos que levam a Machu Picchu.
 
Uma vez lá, escolha como entrar em transe. Há os que ficam meditando diante da energia que emana do lugar. Há os que fazem trilhas que os deixam fisicamente preparados para disputar um triatlo. Há quem não consiga parar de clicar – é um dos locais mais fotogênicos do planeta. E há os que emudecem e ficam gratos pela oportunidade de conhecer um pouco mais da história da civilização e por constatar o quão pequenos somos diante de uma natureza tão intimidante.
 
A altitude incomoda, mas não derruba. Folhas de coca combatem o ligeiro mal-estar. Masquei algumas. Muito amargas, troquei por um Trident. O chá é bebível, mas insípido. Sendo ecologicamente incorreta, bom mesmo para não tontear é um infalível comprimido, consulte seu médico.
 
Estivemos de passagem também por Ollantaytambo e Pisac, incrustadas no Vale Sagrado, e mais uma vez ficamos sem fala diante do visual montanhoso. E, por fim, Lima, a única capital sul-americana banhada pelo mar, apesar da água gélida e da areia preta. Se não é nenhuma Ipanema, ao menos tem as espetaculares falésias, que dão um tom dramático ao cenário. E tem o artesanato, as lhamas, a culinária: nunca comi tão bem.
 
Fui por minha conta com amigas que, além de amigas, são profissionais hábeis em reunir um pequeno grupo e proporcionar experiências sensitivas e surpreendentes, como a viagem no luxuoso trem da linha Orient Express, o piquenique sobre uma colina do Vale Sagrado e o tour de bicicleta pelas ruas da capital peruana. Estou falando de Clarisse Zanetello Linhares e Mylene Rizzo, que, em parceria com a Porto Brasil Viagens, organizam essas excursões diferenciadas.
São professoras de história da arte, mas o que mais se aprende com elas é ter gosto pela vida.”
 
 
 

Ayahuasca - Um lugar descoladíssimo em Lima

11 de dezembro de 2011 2

Agora com este vôo direto da TACA Porto Alegre/Lima, ficou tudo mais fácil e você bem pode escolher passar um feriadão em Lima.

A culinária peruana está bombando e com razão, tivemos várias experiências fantásticas na nossa última viagem pra lá em novembro.

Mas hoje eu quero falar de um lugar muito legal que conhecemos em Lima. É mais um bar do que um restaurante na verdade, mas é um lugar muito especial, com vários ambientes diferentes, decorados no estilo Philippe Starck, com veludos, cores, com uma iluminação perfeita, pois iluminação é tudo né? Imagina um lugar transado com uma luz fria, ou iluminado demais? Pra mim a dosagem da luz é trés important.

O Ayahuasca fica num casarão antigo lindo e foi indicado pela revista inglesa Condé Nast Traveller como um dos hot spots de Lima. Vocês me desculpem as fotos, mas eu estava sem minha camera e tirei as fotos com o celular, mas dá pra se ter uma idéia do lugar, então anotem ai o endereço:

Ayahuasca : http://ayahuascabar.com/

  • Av. San Martin 130 | Barranco, Lima, Peru
  •  A fachada do Ayahuasca é linda, achamos que estávamos no lugar errado, pois quando o nosso guia Jose do passeio de bicicleta nos indicou este lugar, imaginamos um boteco, porque achamos que no boêmio bairro Barranco, não existia nada parecido…

    A foto não está virada, o sofé é assim mesmo, subindo pelas paredes :)

    Ambientes em vermelho

    Eu imagino que vocês repararam que o lugar estava vazio… é que chegamos cedinho, depois encheu!

    Bom gente fica aqui minha dica em Lima, aproveitem e na próxima vão lá conferir!

    Arte Erótica Pré-Colombiana em Lima

    12 de agosto de 2011 1

    Museu Rafael Larco Herrera

     A primeira sensação ao chegar ao Museu Larco, como é familiarmente chamado em Lima, é de encantamento com o prédio do século XVIII rodeado por bouganvilles floridos em vários tons.

    Logo na entrada fomos brindados com uma peculiaridade local , um exemplar do cachorro peruano sem pelo, um animal muito estranho mas que faz parte da fauna local, não chega a ser apaixonante mas é no mínimo interessante!

    A segunda sensação é de total acanhamento pela dimensão de nossa ignorância a respeito da cultura pré-colombiana. Falo isto em meu nome mas acredito que seja um sentimento generalizado, pois quando fiquei em frente ao mapa com todas as culturas pré-colombiana presentes no Peru , desde 3 mil antes de Cristo, me dei conta de que só conhecia os Incas,  habitantes locais na época da ocupação espanhola. Os incas são a ponta de um iceberg de civilizações que se sucederam na região e não dominaram o cenário por mais de 200 anos, isto é de 1300 a 1532, o que acaba sendo um minuto em termos de História.

    Dêem uma olhada nos nomes abaixo e me digam, antes de procurar no google, o que sabem sobre estes povos que viveram aqui ao lado e deixaram uma herança material tão rica e interessante.

    Vicús. 1250 B.D. – 1 A.D Mochica. 1 – 800 A.D. Lambayeque. 800 – 1300 A.D. Chimú . 1300 – 1532 A.D

                                      

    No Museu Larco podemos aprender um pouco sobre estas civilizações e apreciar a exótica galeria erótica , um anexo que apresenta cenas e objetos que recriam a vida sexual destes povos.

    Um parto com o bebê já despontando.

    Homem acometido provavelmente por sífilis

    Para completar o programa o almoço no Café del Museo, um restaurante que serve a deliciosa culinária peruana num ambiente acolhedor na varanda do jardim do museu com um serviço primoroso.

    Museu Larco: Av. Bolívar 1515, Pueblo Libre, Lima. www.museolarco.org