Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Moscou"

Palestra - Russia : pinceladas de história , viagem e cultura

27 de julho de 2017 1

Olá amigos viajantes!
Na próxima terça-feira, dia 1 de agosto, vamos dar uma palestra sobre a Rússia, pinceladas de história, viagem e cultura.
Será aberto ao público interessado.
Rua Félix da Cunha, 1009 – às 19hs ( estacionamento no local, Safe Park)
Investimento: R$ 50,00
informações pelo 999911011
Esperamos vocês!

 

IMG_4219

Viagem "Russia com Arte" - Agosto de 2017

14 de fevereiro de 2017 10

Russia

 http://www.portobrasil.com.br/russia

A paixão pela cultura russa tornou este destino obrigatório. Criar intimidade com os cenários de Tolstoy e Dostoievsky nas noites brancas de São Petersburgo, descobrir os bosques do Anel de Ouro com suas dachas de verão e finalizar na pulsante e cosmopolita Moscou.

Roteiro

Moscou, Yaroslavl, Suzdal, São Petersburgo
17 a 28 de Agosto de 2017

* Acompanhamento especializado de Clarisse Linhares
* Acompanhamento técnico de Ana Claudia Costa
* Visita privada ao Hermitage
* 11 refeições inclusas, entre elas os restaurantes Turandot, Clube dos Escritores, Literary Cafe entre outros.
* Passeio de barco pelo Volga, vendo as cúpulas de Yaroslavl.
* Hospedagem nos incríveis Ararat Park Hyatt  em Moscou e  Belmond Grand Hotel Europe em San Petersburgo

 

miniaturas6

As 5 estações de metro mais lindas de Moscou

10 de agosto de 2015 5

Você já deve ter ouvido falar nas estações de metro da Russia, pois elas são um capítulo a parte da história russa.

Inaugurado em 1935 em plena era Stalinista, hoje o sistema conta com 196 estações, com mais de 327Km, mas não são os números que impressionam quando falamos nos metros russos,  quando Stalin assumiu, quis construir verdadeiros “palácios para o povo” e não deixou por menos, andar pelos metros de Moscou são um verdadeiro deleite para os olhos, é claro que as vezes você até pode achar um pouco de exagero na estética stalinista, mas não tem como não ficar encantado com o luxo, combinado com a limpeza do lugar se levarmos em consideração que por ali circulam perto de 8 milhões de pessoas por dia.

Hoje uma amigona me pediu dicas para a sua filha que está em Moscou e uma das primeiras coisas que me ocorreu indicar, foi um breve tour pelas lindas estações de metro moscovitas e aproveitei para eleger as 5 mais bonitas, que na minha modesta opinião você deve conhecer quando for a Moscou.

Estação Komsomolskaya

item0.rendition.slideshow.train-station-architecture-01-metro-station-moscow

Aberta em 1952, esta é na minha opinião das mais lindas, se você só for visitar uma estação, ponha esta na lista.

 Estação Kyevskaya 

Kievskaya Station

 

Estação Mayakovskaya

Mayakovskaya Metro station

Considerada uma das mais bonitas, é um belo exemplo da arquitetura Stalinista pós segunda guerra e uma das mais famosas estações de metro do mundo. O nome, é uma referência ao proeminente poeta e escritor futurista russo Vladimir Mayakovsky.

Estação Ploshchad Revolyutsii

Ploshchad Revolyutsii Metro Station


Seu nome Ploshchad Revolyutsii, quer dizer Praça da Revolução, que está localizada bem acima dela.

Estação Elektrozavodskaya

Elektrozavodskaya Metro Station

Seu nome foi dado devido a uma fábrica de lâmpadas nas proximidades, o layout preliminar incluiu a ideia de Schuko de fazer o teto coberto com seis fileiras de lâmpadas incandescentes embutidas.É uma das estações mais espetaculares e conhecidas do sistema. Inaugurada em maio de 1944 durante a segunda guerra mundial.Esta estação é famosa por seu estilo arquitetônico, idealizada por Vladimir Shchuko 

Então fica aqui a minha dica, numa Moscou com o dolár nas alturas este é um programa maravilhoso que custa quase nada!! :) !

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particulare do Viajando com Arte visite nosso site www.viajandocomarte.com.br

Emoção com lembranças da II Guerra em Moscou

10 de abril de 2012 5

Nos últimos anos temos visto nascer na Europa uma infinidade de museus e memoriais relembrando as várias facetas da II Guerra Mundial. Com o passar do tempo a idéia inicial do pós-Guerra, defendida enfaticamente por De Gaulle : “esquecer o passado e construir uma Europa unificada” não foi um projeto idealista mas sim a única possibilidade de uma reconstrução frente aos antagonismos vigentes no início do século XX.

 Nosso conhecimento sobre a II Guerra Mundial foi pautado na perspectiva americana e européia, que sempre colocou holofotes na idéia de que o conflito teria sido vencido pela coalizão aliada onde os Estados Unidos tiveram papel decisivo, principalmente com o Desembarque na Normandia em 1944.  Dentre as atrocidades cometidas pelos  nazistas os europeus ocidentais foram poupados, embora não soubessem disto na época. Os nazistas trataram os franceses, holandeses e outros povos do oeste com certo respeito, ainda que para melhor explorá-los. As piores atrocidades aconteceram mais a leste.

É disto que nos fala o fantástico memorial instalado em Moscou em 1995, o Museu da Guerra Patriótica nos oferece a versão russa da história da II Grande Guerra com toda a implicação que este conflito acarretou para a URSS e principalmente para o povo russo. Vamos deixar claro que não sou apaixonada pelo assunto “guerra” e nem muito chegada em armamentos bélicos, mas o museu é muito mais do que isto. Ele faz parte do grande complexo de Plokonnaya Gora que engloba o  Parque da Vitória, com mais de 130 hectares, e o Monumento à Vitória, além de exposições de armamentos de guerra ao ar livre. No parque encontram-se três templos religiosos que fazem referência aos povos que compõe a Federação Russa: uma Sinagoga, uma Igreja e uma Mesquita formam este mosaico religioso. Para além dos monumentos, a vista que o parque oferece da cidade já valeria o passeio, pois estamos numa das regiões mais altas de Moscou.

 

 A II Guerra Mundial é denominada pelos russos como Grande Guerra Patriótica , pois para este povo foi um evento de proporções catastróficas onde toda a população civil se envolveu na defesa de sua nação. Só para se ter uma idéia das proporções da destruição, em solo russo foram arrasados 70 mil vilarejos e 1.700 cidades de pequeno porte e pode-se dizer que as perdas materiais foram insignificantes se comparadas as perdas humanas. O número de russos mortos no período é calculado em mais de 20 milhões, sendo que a maioria de civis não combatentes. Este número supera a mortandade de todos os outros países envolvidos no conflito,  somados!!!!

Arquivo particular

 

 

É uma história de bravura e sacrifícios, uma História desconhecida  e monumental.  Dentro do complexo uma das partes  mais interessante são os seis dioramas que remontam as principais batalhas travadas em solo russo. São quadros pintados de forma realista, que incluem objetos para dar mais veracidade à cena. São retratadas Batalhas de Stalingrado e Kursk e o Cerco de Leningrado .

 A cena que reconstroi o cerco de Leningrado é especialmente tocante. Foram 900 dias de bloqueio com bombardeios constantes e somente no auge do inverno houve algum abastecimento de víveres e a saída de crianças e mulheres pelo lago Ladoga congelado, que ofereceu um escape pelo norte. A população da cidade tentava levar uma vida minimamente normal com uma ração alimentar que chegou a menos de 400 calorias diárias, mas morria muitas vezes a caminho de enterrar seus cadáveres em meio à neve e inanição. Aproveito para sugerir um filme que acabei de ver sobre este tema: Leningrado, uma visão sem maquiagem do que foi a realidade russa depois da entrada dos nazistas em 1941.

 

 

 O memorial conta ainda com uma seção de fotografia e documentos que toca fundo o até os corações mais calejados. Para completar a Sala das Lágrimas,com correntes presas ao teto, onde cada elo representa uma vida perdida na guerra, finalizada com um lágrima de cristal. Impressionante!

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187