Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Provence"

Provence - Sabores e Cores. Viagem em maio / 2017

11 de dezembro de 2016 20

template ppt provence

A simples menção da palavra “Provence” nosso imaginário se enche de

fantasias, nossa mente divaga por campos de lavanda, nossos olhos se

iluminam com os amarelos dos girassóis – os mesmos que van Gogh tanto

pintou, nossa boca comeca a salivar só de lembrar dos seus vinhos rosés e

da doçura de suas frutas.

Suas paisagens, o seu estilo de vida descontraído

e seu clima convidam ao prazer puro e simples, mas o que encanta mesmo

na Provence e a sua diversidade.

A Provence é como um imã que a todos

atrai, uns vão em busca do seu sol, que brilha a maior parte do ano, outros

procuram seu estilo de vida e sua gastronomia, mas também seus sítios

romanos, sua riqueza cultural, suas paisagens de tirar o fôlego. As águas

cristalinas do Mediterrâneo em Cassis, as estradinhas de alamedas de

plátanos, suas cidadezinhas medievais, suas flores, seus perfumes e uma

atmosfera encantadora faz da Provence um destino perfeito.

Informações acosta@portobrasil.com.br ou (51) 3025.2626

banner-site-provence

 

Mostiers Sainte Marie, um lugar para amar!

30 de novembro de 2016 0

Moustiers Sainte Marie, uma da cidadezinhas mais lindas no caminho entre a Provence e a Cote d’azur.

alpes-de-haute-provence-15075_w800.ch


Fica ao lado do belíssimo Lago St Croix, nas impressionantes Gorges du Verdon.

blog13

b8

Gorges du Verdon


Envolta em mitos uma pequena aldeia encravada entre penhascos com uma estrela instalada no alto. Reza a lenda que a estrela, foi pendurada por um cavaleiro capturado pelos sarracenos no século XII. Ele teria prometido que, se voltasse vivo à sua cidade natal, Moustiers, penduraria uma estrela e suas correntes em homenagem à Virgem Maria.

blog22

b10


A cidade é perfeita para servir de base para explorar as Gorges du Verdon e descobrir a grande beleza da região. É a cidade da faiança, com vários atieliers e galerias.

blog19

 

Uma aldeia muito pitoresca e com bons restaurantes.


Moustiers está no roteiro Provence que o Viajando com Arte fará em maio/2017

 

Carrières de Lumières - arte rupestre do século XXI

04 de outubro de 2016 1

 

A Catedral das Imagens mudou de nome e se transformou em Carrières de Lumières. Uma antiga pedreira abandonada transformou-se em show multimidia. Esta maravilha fica em  LES BAUX DE PROVENCE, nos Alpilles Franceses.

A “catedral”, o antigo nome ainda me parece mais adequado, fica numa imensa pedreira de rochas de cor amarelada e oferece um espetáculo audio/visual extremamente impactante. Há mais de três décadas os organizadores propõem um novo mundo de imagens e de música, vários artistas já foram lá homenageados  como Michelangelo, Cezánne, Bosch, Brueguel, Van Gogh.

Em 2009 a Catedral rendeu homenagem a um dos maiores gênios da pintura do século XX, o espanhol Pablo Picasso, com uma apresentação retrospectiva da sua obra passando do neoclacissismo ao cubismo,  pelos períodos azul e rosa.

Nos anos seguintes algumas montagens renderem homenagens a países e sua diversidade: China , Austrália e Nova Zelândia.

O show de 2012 foi Gauguin e Van Gogh – pintores das cores. A experiência é um mergulho na história destes artistas, emocionante e completa , alia cor , som e movimento num espetáculo arrebatador.

Os dois pintores tiveram uma rápida passagem juntos pela Provence , quando Van Gogh convidou Gauguin para que  juntos montassem uma colônia de artintas em Arles. O projeto foi logo abortado por desentendimentos entre os dois artistas e foi como resultado deste episódio que Van Gogh se mutilou, cortando a própria orelha. Logo após Van Gogh foi internado em Saint Remy , num sanatório muito próximo a Le Baux en Provence.

As trajetórias dos dois pintores foi contada com imagens gigantes que nos permitem um mergulho encantador e completo! A cronologia é respeitada e os traços de obras feitas pelos pincéis simultaneamente aparecem de forma poética!

Pra entender melhor do se trata, dá uma olhada video: http://www.youtube.com/watch?v=WFBlGItNhEw

banner-site-provence

 

Além disto Le Baux é uma gracinha, localizada numa antiga mina de bauxita , tem uma feição meio idade da pedra, parece a vila dos Flinstones. Sua história é longa e a vila se jacta de ser habitada desde 6000 a.C.

Le Baux – Wikipedia

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

 

Palestra - A Provence e os Pós Impressionistas

16 de agosto de 2016 0

Dia 23 de agosto, às 19h

A beleza incomparável da Provence sempre atraiu muitos artistas, que vinham atrás da sua luminosidade especial….

Vincent Van Gogh se instalou em Arles para fundar sua tão sonhada colônia de artistas com Paul Gauguin, Aix en Provence era a terra de Paul Cézanne que continuou pintando por lá até o dia de sua morte. Henri Matisse , Marc Chagall e Pablo Picasso também foram em busca do sol do Midi.

O tema da nossa próxima palestra é a Provence e como estes artistas se relacionaram com este lugar encantado.

Quando : 23 de agosto (terça-feira) às 19h

Onde : Rua Félix da Cunha 1009 (anfiteatro) com estacionamento no local

Valor : R$ 70,00

Inscrições : encontroscomarte@terra.com.br com Magda

10 11

 

 

Uma viagem pela França em 6 filmes

22 de outubro de 2015 3

Como fizemos com a Itália , vamos apontar alguns filmes onde a França aparece em destaque. Seja pelas paisagens, arquitetura ou gastronomia e cultura. Buscamos filmes a partir do ano 2000 , pois partimos do princípio que filmes mais antigos todo mundo já ouviu falar.

1

Sobre Amigos, Amor e Vinhos (2015)

 

Como tema central a crise de 50 anos do protagonista, o filme fala relacionamento e tem uma pegada divertida e questionadora. Uma verdadeira ode a amizade e as diferenças. Este é o quinto  trabalho do francês Eric Lavaine, um grande sucesso de bilheteria na França,  sucesso que se espalhou pelos demais países da Europa.es mais antigos todo mundo já ouviu falar. Mostra a França do Midi , onde o grupo vai de férias.

A 100 passos de um sonho  (2014)

Um filme leve que entra na onda da gastronomia mostrando uma França do interior . O diretor é o mesmo de “Chocolate” , Lasse Hallstrom filma com muita delicadeza e graça, contando a historia de uma família indiana que se muda para Saint-Antonin-Noble-Val e acaba sendo alvo de preconceito da elite local.

A Riviera não é aqui (2008)

Uma das melhores comedias francesas que eu já vi ! Brinca com o preconceitos dos franceses do sul contra os do norte mostrando uma região pouco explorada pelo turismo , a região de Nord Pas de Calais. Vivendo em Salon-de-Provence,  Philippe Abrams dirige uma agência dos correios e é casado com Julie, que sempre está depressiva. Para agradá-la, ele elabora uma fraude de forma que possa ser transferido para a Côte d’Azur. Desmascarado, é transferido para Bergues, uma pequena cidade do norte onde se envolve com os colegas e muda sua impressão do lugar.

 

Até a Eternidade ( 2012)

Um acidente quase fatal leva um amigo a ir parar em um hospital, enquanto que o resto de grupo viaja em suas férias anuais. Os segredos e a cobiça de cada um dos envolvidos ameaça romper o grupo de amigos no meio. Terceiro longa-metragem do diretor Guillaume Canet, filmado na região costeira do Atlantico,  é um drama sério que possui algumas pitadas de humor e muitas doses de nostalgia. .

Meia noite em Paris (2011)

Comédia romântica meio fantasiosa e muito deliciosa , do ícone Woody Allen , é para mim um dos mais lindos filmes que vi em Paris nos últimos tempos. Um guia literário e um passeios por Paris dos artistas e intelectuais que ficaram na memória de todos nós. Um filme com alma e muito charme , Paris em todo seu esplendor.

 

Um Bom Ano (2006)

Uma comédia romântica de Ridley Scott , reuniu atores de diversas nacionalidades. Um empresário londrino recebe a notícia de que herdou um vinhedo na Provence. Prevendo bons negócios , resolve fazer uma rápida viagem para visitar a propriedade e repassá-la. Mas chegando lá tudo muda de figura. Uma passeio que contempla belas paisagens de Bonnieux, Gordes e Lacoste. Uma delícia, mas bebam com moderação, ops , vejam!

Posts Relacionados

Filmes para passear pela Itália

Se você gostou deste post e quer saber mais sobre grupos e roteiros do Viajando com Arte acesse nosso site:

 www.viajandocomarte.com.br

Em casa na Provence

16 de outubro de 2012 4

Para comemorar o aniversário , ao invés de festa uma amiga optou por alugar uma casa para um pequeno grupo de amigos . Acabou que ficou bem mais barato do que fazer uma grande festa e a diversão durou uma semana inteira.

Abadia de Senanque

A casa para 18 pessoas foi alugada no site http://www.luxuryretreats.com/. O melhor é que todos os quartos eram muito semelhantes e confortáveis, a decoração da casa super de bom gosto e a cozinha, bem mais equipada do que a minha (eu não sou o que se chamaria de uma cozinheira de mão cheia!). Optamos pelo serviço de limpeza e arrumação diária da casa , sem a parte de cozinha. Um casal de ingleses bem jóvens faz a manutençaõ e zeladoria da propriedade, dando conta do recado. Tudo funcionou perfeitamente.

A propriedade escolhida foi de duas casas nas proximidades de Gordes, na região do Luberon, com direito a piscina e quadra de tênis e um jardim florido digno de revista de decoração. Nos programamos para termos uma semana bem aproveitada , nada de ficar de bobeira curtindo a casa , que bem merecia, mas a região oferece muitas opções e temos muito o que descobrir. Cada dia foi planejado para alguma atividade ao ar livre que congregasse todo o grupo, afinal o verão de aromas na Provence pede muita energia.

Gordes

Nosso primeiro dia foi de feira em Cavallion ( as feiras acontecem todos os dias em cidades diferentes, é só ver o calendário), para abastecer a casa onde faríamos todos os jantares. Meu cunhado é um grande chef e se superou com os frescos ingredientes provençais.

Seguimos para a primeira aventura da semana , um passeio de caiaque em Fontaine de Vaucluse.

Nada muito radical nem demandante , uma deslizada tranquila a favor da correnteza com direito a banho de rio e paisagens lindas com água transparente. O Kaiak Vert foi a empresa escolhida , pegamos o caiaque quase no centro de Fontaine e depois de quase 8 km de “navegação” uma van nos buscou e trouxe para o ponto de partida. Uma opção super divertida e diferente para o calor da Provence.

No dia seguinte nosso passeio foi mais duro , encaramos as colinas do Luberon de bicicleta. Marcamos com a empresa numa região mais plana onde pegamos todas as velôs. Foi lindo sentir o cheiro da lavanda e o vento direto na pele, a bicicleta proporciona um contato muito próximo e delicioso com a natureza. A subida até foi meio punck , o carro de apoio foi útil para levar o pessoal menos preparado , mas confesso que quase todos tivemos que descer e empurrar as bicis até o topo.

Roussillon nos custou muito suor e pernas para alcançar , mas valeu cada gota a cidade rosa.

Ao final o prêmio , um picnic preparado pela própria empresa de aluguel.

Para relaxar aproveitamos um pouco das delícias de “nossa casa” , o calor pós almoço pede um mergulho na piscina que imita um lago. Num próximo post conto mais detalhes. Mas posso adinatar que tudo acabou em festa, com DJ francês e dança até as 3 horas da madrugada.

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Trilhas, caiaque, praias na Provence - na França como os franceses.

07 de outubro de 2012 14

Uma boa opção para quem faz um roteiro pela Provence e quer fechar a temporada com chave de ouro é programar ao menos 2 dias na praia de Cassis.

Cassis fica no mar mediterrâneo, e é o ponto de saída para a maior atração da região – As Calanques, eu já havia falado das Calanques aqui no blog,  porque eu estive lá no ano passado, mas fiquei tão impressionada com a sua beleza que acabei retornando.  Calanques são grandes falésias de pedra calcária que formam gargantas estreitas que submergem no mar, e o contraste da pedra com a água azul turquesa é fantástico.

 

 

 Você tem várias maneiras de explorar esta paisagem de tirar o fôlego. A mais tranqüila para aqueles que não tem muito tempo ou preparo físico e pegar um dos vários passeios de barco que saem do portinho no centro de Cassis, os passeios duram cerca de 1:30 minutos e você tem oportunidade de conhecer as 3 principais Calanques.

 

Port Miou

 

Outra maneira de se aventurar pela área é alugar um caiaque no Port Miou, o aluguel é de 30 euros por 2 horas.Nós levamos em torno de 35 minutos até a terceira Calanque, foi muito legal olhar a paisagem do ponto de vista do mar e foi bem menos cansativo do que eu imaginava.

 

 

 

 Calanque d´en Vou

 

 

 

 

Mas se você só vai ir uma vez na vida as Calanques eu recomendaria fazer a trilha a pé, que na minha opinião é a mais impactante, o cenário é indescritível. A trilha é puxada exige um certo preparo e muita, muita água, a gente leva em média umas 2 horas para chegar até  a terceira calanque- Calanque d´em Vou, e o caminho é por uma trilha de subidas e descidas radicais que vão costeando o mar, mas o segredo é ir parando, sem pressa admirando a natureza, os matos perfumados de alecrim.

 

 

 

 

 

matos de Alecrim

 

Escalando as falésias.

 

A trilha é toda sinalizada e a volta é por dentro onde o caminho é bem mais curto e fácil.

 

Fazer de Cassis seu ponto para conhecer a Côte D´Azur também pode ser uma boa, eu fiquei no Hotel Mahogany que fica na beira da praia o hotel é bom, nada de luxo, mas super bem localizado, pois fica a 10 minutos de caminhada do porto, onde é o centrinho.

Hotel Mahogany – Cassis

Você pode dar uma espiada no site para conferir os preços e a disponibilidade, o lugar é perfeito, e olhem a vista. http://www.hotelmahogany.com/

 

 

 

A tardinha a pedida é ir para a área do porto, muitos restaurantes lojinhas e bares para aquele vinho rosê!

 

 

Saindo de Cassis uma rota que você não pode deixar de fazer é a Route de Crêtes, uma estradinha de 15 km que liga Cassis a La Ciotat. Uma estrada panorâmica com um visual de arrepiar.

A trilha se eleva sobre a falésia de Cap Cannaille uma das mais altas da Europa com 399 mt, dá um certa vertigem olhar lá de cima…

Até chegar na outra ponta em La Ciotat

 Bom pessoal,  deixei algumas dicas para você fazer uns programas diferentes na sua próxima viagem a França, as vezes eu ouço algumas pessoas dizerem que ” pegar praia na Europa é perda de tempo” mas porque não na França como os franceses?? Praia também pode ser uma experiência totalmente nova e viagem não precisa ser necessáriamente museus, igrejas e sempre tendo que mudar de lugar. Viagem tem que ser boa e relaxante acima de tudo – minha humilde opinião  : )

Provence nos passos de Cézanne e Picasso

28 de abril de 2012 9

Depois de muita chuva, quase um dilúvio noite passada, amanheceu um lindo dia de sol, temperatura agradável. Os moradores daqui dizem que a esta época do ano normalmente já estaria bem mais quente, realmente ano passado, estávamos por esta região nesta mesma época e estava em torno de 28, 30 graus.

Saímos de Aix en Provence em direção a Vauvernagues ( onde Picasso comprou um castelo, dizia ele na “terra de Cezanne” ). Ainda vou fazer um post somente da cidade de Aix, que é uma cidade muito legal, não é muito grande, uma cidade universitária com bastante vida, animada à noite, centrinho histórico cheio de referências ao pintor Paul Cezanne, considerado o pai da arte moderna. Hoje vamos passear um pouco no interior, nos campos e petites villages do interior da Provence.

Logo depois de sair do centro de Aix, seguimos as trilhas de Cézanne, de onde ele retratava o Monte Saint Victoire, hoje é um parque nacional, com muitas opções de trilhas, a pé e de bicicleta. Começamos pelos caminhos de Bibemus, onde o pintor mantinha uma cabana, e de onde pintou várias telas nas antigas pedreiras romanas.

Fizemos uma trilha na floresta, de 1 hora mais ou menos, e depois chegamos num ponto onde existe uma grande barragem construída logo depois da guerra em 1946, a água é de um verde esmeralda impressionante.

Seguimos pela pequena estradinha até Vauvernagues, lá onde Picasso comprou este castelo no final dos anos 60, mas na verdade morou muito pouco aqui. Ele e sua última esposa, Jacqueline Roque, estão enterrados aqui.

A curiosidade a respeito do funeral de Picasso, é que na época, Jacqueline não permitiu aos filhos de Picasso, com Françoise Gillot, que assistissem ao funeral do pai.  Claude e Paloma tiveram que assistir de longe, na pequena village. O castelo foi aberto a visitação pela primeira vez no ano passado, hoje ele pertence a filha de Jacqueline, e estará aberto de 30 de junho até final de julho.

Continuamos nosso passeio por estradinhas mínimas, passamos por vários ciclistas, mas não é uma trilha para iniciantes, pois é cheio de subidas e descidas. Como havia chovido horrores na noite anterior ( vocês devem ter visto nos jornais, aqui ontem choveu demais e teve vários incidentes de inundações e mortes) a força da água era incrível nesta cachoeira passando Vauvernagues

Chegamos na cidadezinha de Riens, bonitinha, nada especial, a verdade é que já passava das 2h da tarde e estávamos com fome. Paramos num restaurante, creio que o único da cidade, e comemos divinamente bem, os homens escolheram o menu du jour, ou o prato do dia, que era um entrecôte com salada e fritas, e nós comemos uma salada com queijo de cabra quente, e uma brusquetta de presunto de parma, especialidade da casa, foi perfeito!

Seguimos na direção de Apt, famosa por seus campos de lavanda, mas já aviso: se você quiser ver os campos em plena floração a data certa é da segunda quinzena de julho até meados de agosto. Vimos muitas plantações de lavanda, em torno das cidades de Apt, Saint Saturnin, Reillannes, mas elas estão apenas querendo começar a florir.

Aqui perto de Roussillon elas já estavam mais maduras e reparem os campos dourados de trigo ao fundo…

Com o sol se pondo perto das 10h da noite, o dia é super aproveitado, pegamos o fim de tarde em Gordes, que é considerada uma das cidades mais lindas e típicas da Provence.  Suas casinhas  de pedra com janelas pintadas de um azul um pouco lilás  lembram os campos de lavanda.

No caminho aproveitei pra visitar a Victoria nas plantações de cereja que são lindas e para nós uma coisa totalmente nova.

Cerejas colhidas diretamente do pé, uma delícia….

 

Para terminar com chave de ouro este dia decidimos jantar em Fontaine – de- Vaucluse, um lugar lindo que fica nas margens do rio Sorgue.

 Já estava anoitecendo, mas ainda consegui captar o bom astral de Fontaine de Vaucluse, onde se pode alugar caiaques para descer o rio. Sentamos neste restaurante da foto acima e vai a dica: outra truta com amêndoas maravilhosa, acompanhada por um vinho rosé da Provence.

 

 

Até a próxima! Bonne Journée!!

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Um roteiro pela Provence

08 de dezembro de 2011 9

 

A Provence é uma das regiões mais bonitas da França, e tem muitas coisas para visitar. No verão europeu de 2009 e 2010 eu estive por lá e sugiro aqui alguns dos lugares interessantes por onde andei.

Nosso vôo chegou em Paris, onde pegamos um trem rápido, o TGV, ali mesmo no aeroporto Charles de Gaulle ( a passagem custou cerca de 90 euros) até a cidade de Avignon, já na Provence.

O centro histórico de Avignon é pequeno e pode-se faze-lo todo a pé, sua pricipal atração é o Palácio do Papas, que foi residência papal de 1309 a 1377. A visita é bem interessante e muitas salas estão conservadas como um retrato da época. Optamos por passar uma média de duas noites em cada lugar e fazer daí algumas visitas nas atrações mais próximas que foi o caso da Pont du Gard, uma antiga ponte romana que fica próxima de Avignon. Partindo de Avignon fomos até Saint Rémy que é uma cidade pequenina onde existe até hoje o sanatório onde Van Gogh foi internado após a sua briga com Gauguin.Outra cidadezinha digna de visitar é Gordes que fica no alto de uma montanha, uma cidade com feições bem medievais e que fornece uma linda da vista de todo o vale. Nas redondezas de Gordes aproveitamos para visitar a Abadia de Senanque, famosa em todos os cartôes postais da Provence pelas suas lindas plantações de lavanda, infelizmente quando estivemos lá, a safra das lavandas já estava no fim e minha foto não ficou tão linda….  : (

 


 Arles que fica entre Avignon e Aix-en-Provence é uma visita imperdível, pois na condição de importante província romana no passado, tem no anfiteatro romano uma de suas principais atrações. Este anfiteatro data do século I D.C, e até hoje promove corridas de touros, concertos, óperas. Arles também possui uma energia diferenciada, pois foi aqui onde Van Gogh se estabeleceu quando decidiu sair de Paris em buca do sol do midi. E onde pintou alguns dos seus quadros mais famosos como o seu quarto pintado em 1888.

Infelizmente a casa amarela, na Praça Lamartine  retratada por Van Gogh, também em Arles, foi destruida  por bombardeiros durante a segunda guerra mundial.

 

O Café de La nuit retratado por Van Gogh  

 

A arena romana em Arles

   

 Aix-en-Provence é a cidade natal de Cézanne e não é somente por esta razão que merece no mínimo dois dias de atenção. Sua avenida principal é o famoso Cour Mirabeau que rivaliza com os boulevares mais belos de Paris. Fui conhecer a casa paterna de Cézanne, a Jas de Bouffan, onde uma guia nos explica toda a ligação do artista com aquele lugar, que me passou a nitida impressão de estar dentro dos quadros de Cézanne.

                                                                                                                                                        

Jas de Bouffan

 

 Jas de Boufam, a casa paterna de Cezanne retratada pelo artista  

 

    O interessante da visita guiada é que a guia coloca as pessoas no exato ponto de vista que o artista realizou suas obras, como você pode observar na foto acima.

A partir de Aix-en-Provence outro passeio muito legal é ir até o Chateau Vauvernagues, adquirido por Picasso nos anos 50, confesso admirador da obra de Cézanne. O castelo foi aberto este ano pela primeira vez e revela muito da intimidade de Picasso que viveu aqui com sua última esposa Jacqueline Roque de 1959 a 1961. Ambos estão sepultados em Vauvernagues. E a Filha de Jacqueline que herdou o castelo declarou “que o castelo está como estava quando Picasso o deixou”.Fora que a estradinha vai serpenteando um parque nacional e o famoso Monte Saint Victoire, incansavelmente retratado por Cézanne.

Chateau de Vauvernagues

Nossa próxima parada foi a praia de Cassis, de onde saimos para desbravar as belíssimas calanques, uma formação rochosa conhecida como os “fjordes do mediterrâneo”. São várias opções de trilhas, umas mais fáceis para os iniciantes e outras muito poderosas só para aqueles que estão no auge do preparo, mas o lugar é simplesmente fantástico nem vou descrever muito, pois as imagens falam por si.

Nossa viagem terminou em Cannes que foi perfeita para  última parada antes de voltar ao Brasil, pois foram dois dias  absolutamente livres para vagar pela praia, pelas lojas, restaurantes, enfim desfrutar um dolce far niente.  Nos hospedamos no Best Western Mondial, um hotel que recomendo, pois é super bem localizado, próximo da famosa La Croisette que é a avenida beiramar de Cannes, e cercado por vários restaurantes charmosos e ótimas lojas. Fica aqui a minha dica, evite de fazer este roteiro nos meses de julho e agôsto,  além de fazer muito calor, os preços são mais altos por ser alta estação e todos os lugares são cheios, conseguir lugar num restaurante pode ser tornar quase uma caça ao tesouro.

Para quem gostou do tema , aqui vai o linck de outros posts sobre a Provence aqui no blog:

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2011/09/07/gorges-du-verdon-a-beleza-do-maior-canyon-da-europa/?topo=77,1,1,,,77

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2011/06/01/aix-en-provence-faca-dela-seu-ponto-de-partida-na-provence/?topo=77,1,1,,,77

http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2011/05/26/trilhas-caiaque-praias-na-franca-como-os-franceses/?topo=77,1,1,,,77

Gorges du Verdon - na Provence visitando o maior canyon da França

07 de setembro de 2011 36

 

As Gorges du Verdon se localizam no sudeste da França, na região chamada Alpes-de-Haute-Provence, considerado dos lugares mais lindos da Europa, o canyon tem em torno de 25 km de extensão por 700m de altura. É uma ótima opção para aqueles que vão a região da Provence, uma paisagem agreste e belíssima.

Saimos de Aix en Provence e pegamos a auto estrada A8 em direção a Draguignan ( a mesma que vai para St Tropez) não é obrigatório pegar a auto estrada, mas como era um pouco longe decidimos ir da maneira mais rápida que deu 1h e 15min. mais ou menos, para depois voltar a Aix por uma estradinha secundária passando pelas petites villages.

Gorges du Verdon é considerado o maior canyon da Europa, é um desfiladeiro que se ergue majestoso as margens do rio Verdon. Tudo aqui é superlativo, não só a altura absurda de 700m, mas a beleza de suas matas, cachoeiras, trilhas. É um legar absolutamente agreste, muito preservado e lindíssimo.

A cidadezinha de Castellane pode ser um bom ponto de partida para começar o circuito das gargantas, daqui também saem os raftings que tem várias categorias, para iniciantes percursos de 2h, mas tem percursos de meio dia, tem canoagem, bóia cross, trilhas a pé, enfim para todas as idades e preparo fisico.

Nós queríamos conhecer tudo, então fizemos de carro, nossa primeira parada foi no Balcons de la Mescla, onde tem um belvedere onde se pode ter uma vista privilegiada de uma das entradas do Canyon.

Fomos seguindo pela estradinha que margeia o canyon até chegar na Ponte do Artuby, onde havia uma garotada pulando de bung jump, só de olhar eles se jogando naquela altura medonha, me dava um frio na barriga………..

Vocês conseguem ver o cara pendurado ali pelos pés? Gente era muuuito alto, tem que ser um pouco doido!

http://www.youtube.com/watch?v=H5K4FuaSTmo


Dêem uma olhada neste video curtinho para vocês terem uma idéia do salto na Ponte que tem 182m, é punk!

Já eram quase 2h da tarde quando passamos por este paradouro chamado Les Chevaliers, onde tinha um restaurante onde paramos para almoçar.

A comida era ok, mas a vista é privilegiada.

 

Seguimos descendo até desembocarmos num grande lago de águas turquesas, o St Croix.

 

 

Quando chegamos as margens do Lago na praia das Galetas vimos muitos pedalinhos para alugar, estava um dia lindo de verão e não resistimos de ver as gargantas lá de baixo. Foi incrível!

 

 

 

 

 

O passeio custa 12 euros a hora, o tempo voou, só que nem pensar em entrar na água que era congelante, os franceses entravam, atiravam uns aos outros achando a temperatura boa… eu hein!

Bem perto daqui conhecemos uma cidadezinha que é imperdível, chama-se Moustiers Ste Marie, cheia de cafés e lojinhas está cidade é linda, super recomendo.

 

 

 

 

 

Esta florzinha amarela, junto com a lavanda é que fazem os campos provençais tão perfumados, elas dão como mato e tem um forte perfume, eu conhecia pelo nome de chuva de ouro, mas será mesmo?

 

Voltamos para Aix por dentro passando pr Riez, Vignon sur Verdon e várias outras cidadezinhas. É um passeio imperdível, e pouquíssimo conhecido dos turistas, na verdade o que mais encontramos foram franceses com familias aproveitando o belo domingo de verão.