Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "São Francisco de Paula"

Opção em São Chico – Parador Hampel desde 1899

22 de maio de 2018 1

Quando a gente não está pelo mundo está em busca de boas possibilidades de turismo aqui pertinho.

São Francisco de Paula é uma cidade serrana bem pertinho de Canela e Gramado , eu diria que é uma prima com uma pegada mais campeira e com uma natureza diferente , chamada de campos de cima da serra. O lugar mais fotogênico da cidade é o Lago São Bernardo , que no outono fica espetacular, tingido de laranjas e nuances da foliage.

IMG_2650

              Lago São Bernardo São Francisco de Paula

Neste domingo fui conferir a nova paginação do antigo Veraneio Hampel, que não é tão nova assim porque já tem dois anos , mas está muito interessante.

IMG_2610

IMG_2618

O Chef Marcos Livi , que tem sete projetos gastronômicos em São Paulo mas que é natural de São Chico, assumiu a direção da pousada e do restaurante e está com uma proposta muito tri. No sábado faz uma menu degustação que varia conforme a estação.

IMG_2624

IMG_2628

No domingo , que foi a nossa experiência, propõe “A Ferro e Fogo” um churrasco feito em fogo de chão mas com toda os acompanhamentos de cozinha campeira : batata doce, farofa, feijão , verduras e muito mais. O chef é conhecido por propagar  a cultura culinária do sul do Brasil e tem uma pesquisa muito consistente no assunto.

hampel_18_blog_direto_do_sul

Foto de divulgação Parador Hampel

IMG_2617

Além de muito gostoso é plasticamente lindo, e no inverno o fogo ainda faz o ambiente externo ficar super aconchegante. O interior do restaurante é muito típico , uma casa de madeira delicadamente conservada e uma cozinha que lembra a casa da vó na serra.

IMG_2611

Para completar a sobremesa oferece frutas assadas na grelha , fumegando numa tina de açúcar com nata, de matar!!!

IMG_2613

Depois da orgia gastronômica de carnes variadas, tinha porco , gado e cordeiro, uma trilha que chega a duas cachoeiras espera você para a digestão. Tudo bem demarcado e de fácil acesso. A natureza bem preservada mas acessível e convidativa.

BVLC0809

IMG_2382

Para que quer fazer uma bate e volta ou mesmo aproveitar um fim de semana mais prolongado. O Parador tem acomodações simples mas charmosas.

Reservas são aconselhadas .

SERVIÇO
O QUÊ
Parador Hampel
ONDE
Rua Boca da Serra, 445 – São Francisco de Paula – RS
CONTATO
(54) 3244-3655 e (54) 3244-1363
www.paradorhampel.com

Parador Casa da Montanha, canions com charme nos Aparados da Serra

22 de julho de 2014 2

Natureza , te cercando , tomando todos os espaço e criando um ambiente avassalador! Assim são os Campos de Cima da Serra, uma das regiões mais lindas e desconhecidas do Rio Grande do Sul. Mas o Parador Casa da Montanha,  localizado numa fazenda próxima a Cambará do Sul, é o contraponto tornando o que lá existe ainda mais atrativo. Aconchegante, com estilo rústico e um toque de sofisticação, a vista panorâmica dos campos, matas de araucárias e do Rio Camarinhas é surpreendente.

IMG_6856

IMG_9629

Um lugar para descansar , aproveitar as diversas trilhas pelos canions da região e curtir a natureza mais deslumbrante do Rio Grande do Sul, com a vantagem de estar bem pertinho e de dividir o espaço com poucos turistas , um privilégio cada vez mais apreciado e raro nos dias de turismo tão massificado. Da para levar a cesta e fazer um picnic sempre com um visual privilegiado,  gastando bem pouquinho e curtindo ao máximo.

IMG_0615

Para quem se interessa temos outros posts contando sobre as possibilidades de passeio por ali: http://wp.clicrbs.com.br/viajandocomarte/2013/09/27/canion-fortaleza-potencial-turistico-desperdicado-ate-quando/?topo=77,1,1,,,77

 

IMG_9614
IMG_9628
O Parador oferece trilhas e passeios aos hóspedes . Com veículos equipados e guias especializados, proporcionam caminhadas com visuais inesquecíveis nos canions. Mas as visitas ao Itaimbezinho, que fica bem pertinho , 9km dali, pode ser feita por conta própria. A estrutura do Parque do Aparados da Serra é boa , com mapas e guias.

IMG_0645

O Canion Fortaleza fica bem mais longe , são 30km por uma estrada bem ruinzinha no final . Dá para ir sozinho , mas quem quer poupar o carro e conhecer outras trilhas por lá , melhor contratar o passeio no Parador ou em alguma agência em Cambará.

IMG_6807

Dentro da fazenda do Parador, cavalo, bicicleta, incríveis banhos de rio e cachoeira, trekking e pesca esportiva são algumas opções.

parador26

IMG_0608

Algumas tendas tem jacuzzi na varanda , um luxo e tanto.

IMG_0564

Além de se deliciar com a gastronomia típica da região, você pode desfrutar de uma experiência única no Brasil ao se hospedar em Barracas Térmicas inspiradas nos lodges Africanos. . O restaurante é aberto para visitantes que não estão hospedados. Recentemente a parte social foi ampliada , incorporando um ambiente com lareira , sala de jogos e deixando mais espaço para o restaurante.

IMG_0575

IMG_0565

Acabaram de ser construídas cabanas com teto de palha e lareira na varanda , mais um conforto bem vindo nestes dias de frio invernal.

IMG_0572

Em noites agradáveis um fogo de chão chama para a roda de viola , num clima campeiro onde o pessoal da região se junta para contar “causos” e falar da diversidade da fauna local. Durante o dia o banho na corredeira é uma delícia!

IMG_9617

Claro que dá para ir até lá só passar o dia , mas o entardecer e a noite são um espetáculo à parte.

IMG_6880

IMG_6883

IMG_6897

Para quem gostou deste post , visite nosso site e descubra outros passeios ou contrate uma assessoria particular para montar sua própria viagem :)

https://www.viajandocomarte.com.br

Pedra Afiada , aventura e conforto nos canions do Rio Grande do Sul e Santa Catarina

17 de dezembro de 2013 6

Feriado de aventura no verão, pode ser uma boa opção fora da praia ! Contribuição de Valentina e Pilar Rossi.

 

Para uma opção perto do litoral mas fora das areias e da água salgada , nossos cânions entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina,  são uma opção imbatível e  singular, uma “travel experience ” no quintal de casa!

O Refúgio Pedra Afiada se propõe a ser um resort natural , próximo a natureza e com um tanto de aventura. Uma casa de madeira bem rústica , com alimentação de fazenda, dá a sensação de estar no sítio da vovó. O atendimento é voltado para as atividades e descobertas da biodiversidade.

 

fonte divulgação: http://www.pedraafiada.com.br/br/refugio.asp

Um dos objetivos do Refúgio Ecológico Pedra Afiada é ser uma extensão da Unidade de Conservação, uma área em que a fauna se sinta tranquila em buscar alimento, em se abrigar, aumentando a zona protegida do Parque Nacional.
“Há praticamente 10 anos desenvolvendo este projeto, onde, inicialmente tivemos que reflorestar o terreno, expulsar a caça, hoje somos orgulhosos de observar os pequenos mamíferos, os répteis, os anfíbios, as aves, os insetos, povoando mais e mais nosso Refúgio. Atualmente, além de buscar maneiras de manter nossa área atrativa para eles, estamos catalogando todos estes seres vivos e temos percebido que a cada ano mais animais estão circulando na propriedade. Uma grande alegria! Você também poderá observá-los!”

 

Seguindo pela BR 101 passando Torres chega-se a Praia Grande onde se deve entrar na SC 450 até a pousada. Fica embaixo dos cânions na fronteira do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, no coração dos Aparados da Serra com vista para o Cânion Malacara.

O passeio mais radical que fizemos foi o rapel na cachoeira , fomos caminhando  até o pé da cachoeira onde uma piscina de água pura e muito gelada nos aguardava. Depois do banho só dois se encorajaram a descer de rappel.

 

Um passeio de quadriciclo , um mini arvorismo , tirolesa e em épocas especiais um passeio de bóia cross completam as muitas atividades , para ninguém ficar entediado e sentir falta da praia .

Um fim de semana com adrenalina e conforto na medida!

http://www.pedraafiada.com.br/br/refugio.asp

Quem quer ampliar a aventura pode subir a serra e chegar até o Cânion do Itaimbezinho , a estrada é bem ruinzinha mas a vista é imperdível, quando não baixa a neblina. Fazer o circuito ao contrário também é uma boa opção , subir a Rota do Sol entrar em Cambará e descer por Praia Grande.

IMG_9627

IMG_9634

Se você gostou deste post siga até nosso site www.viajandocomarte.com.br

Cânion Fortaleza, potencial turístico desperdiçado. Até quando?

27 de setembro de 2013 8

A gente anda pelo mundo, às vezes pega avião , barco e camelo para ver alguma paisagem especial! Paga caro , dorme em aeroporto, passa trabalho mesmo e encontra lugares onde a natureza foi profícua mas o homem ajudou com infra-estrutura e divulgação , tirando proveito do que ganhou de bandeja e muitas vezes tornando o que é interessante ,uma atração sensacional.

 

 

Isto tudo é exatamente o contrário do que acontece em nossos canions, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina! O lugar é mais do que abençoado pela natureza, tem uma das paisagens de montanha mais lindas do mundo, um clima ameno perfeito para a vida ao ar livre e localiza-se a menos de 200 km de um aeroporto internacional. Um tesouro , perfeito para montar uma estrutura turística que atrairia aventureiros de qualquer paragem em busca um lugar intocado .

A realidade é que esta riqueza natural não é explorada como destino turístico e todos perdemos com isto. Nosso estado que fica sem opção de eco-turismo , o pessoal local que dorme sobre o ouro mas não tira nenhum proveito prático e nós que temos uma alternativa fantástica perto de casa e muitas vezes nem sabemos.

Partimos para explorar a região num domingo ensolarado, desde Gramado são 112km até Cambará, uma estrada encantadora e praticamente vazia dos Campos de Cima da Serra . Desde Porto Alegre são 185km pela RS 020, passando por São Francisco de Paula, um passeio.

O caminho é asfaltado até a cidade de Cambará , que não é mais que uma vila com opções de estadia muito precárias . Aqui existem algumas agências de turismo de aventura que oferecem passeios guiados a pé ou bicicleta, aconselho a ligar antes porque estavam fechados no domingo. O Ofício de Turismo estava aberto , mas as informações eram vagas e desatualizadas.  Daqui pode-se seguir para o Itaimbezinho onde o Parador Casa da Montanha é uma das únicas boas alternativas para hospedagem e um almoço mais elaborado.

Casas no centro de Cambará

Nós optamos pelo Cânion Fortaleza, seguindo pela RS 020 são mais 23 km da cidade, sendo que os últimos 15km são de estrada de chão , ou melhor , estrada de pedregulhos! Uma opção seria contratar um guia e seguir de jipe até o canion. Nossa primeira ideia era almoçar na Pousada Cafundó , no meio do caminho entre Cambará e o Canion Fortaleza , mas surpresa! Estava fechada! Comemos uma torrada no único remanescente , Pousada Canion Fortaleza, uma  pousada rural logo adiante.

Pousada Cafundó

Pousada Canion Fortaleza, simples para não dizer…

Quando a gente chega lá o visual compensa todas as agruras da viagem e o sentimento de desperdício de potencial aumenta cada vez mais.

Foto: Renato Grimm - http://www.acaserge.org.br/fotos/album01/fortaleza4

Foto Renato Grim

O parque não cobra entrada e um único guarda na entrada anota as placas dos veículos que entram para saber se todos saíram as cinco horas , quando o parque fecha.

 

São várias trilhas pelas bordas do cânion, a Trilha do Mirante permite o acesso ao topo do Morro Fortaleza (cerca de 1.700 metros de caminhada a partir do estacionamento de veículos), de onde se pode descortinar cerca de 95% do cânion e todo o litoral da região limítrofe entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Outra trilha , parte de um estacionamento no meio do caminho que tem a indicação da Pedra do Segredo, com cerca de 1,5 km, permite o acesso até a Pedra do Segredo e a Cascata do Tigre Preto, que com suas três quedas atinge mais de 400 metros de altura. As trilhas não são muito bem sinalizadas mas, apesar disto,  não é complicado encontrar os caminhos e todos os lugares são lindos , portanto não desista!

Pedra do Segredo

Olhem bem o que não fazer!

 

Para chegar até a Pedra do Segredo é necessário cruzar por dentro cascata , cuidado pois as pedras são escorregadias e estamos bem na borda do cânion. Por outro lado , dá para tomar um belo banho de cascata, água cristalina e uma oportunidade de se refrescar em dias muito quentes. Olhem o visual ! O fato de não ter segurança pode causar riscos as pessoas que se aventuram sem os devidos cuidados.

 

Vamos descobrir e valorizar nossa natureza e pressionar os governantes para criar a infra-estrutura necessária para podermos desfrutar de todo o benefício que estas belezas podem nos trazer!

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Templo Budista em Três Coroas, mais um passeio bem pertinho!

09 de abril de 2013 3

Não sou religiosa e por falta de fé , nenhuma religião me conquista e , principalmente , me convence de suas verdades! Mas o budismo tem um quê de espiritual sem ser dogmático, que me atrai mais do que as outras filosofias , apesar da quase completa ignorância sobre preceitos mais profundos. Foi com o espírito aberto e a curiosidade aguçada que visitei o Templo Budista de Três Coroas , perto de São Francisco de Paula no Rio Grande do Sul.

 

A viagem é um prazer , saímos de Porto Alegre pela BR 116 e em menos de 1:30h estávamos lá, em meio a uma natureza exuberante o colorido e a paz do templo nos tomou de assalto! A estrada é linda e, passando Taquara, torna-se vazia e conforme vai-se subindo a serra oferece uma vista que instiga a contemplação.

A entrada do Templo Khadro Ling é simples e no portão , pelo porteiro eletrônico, a gente deve identificar-se para entrar com o carro. Ninguém veio conferir nossa identidade e seguimos direto para a sala de video onde um filme conta a história do lugar. O templo é  réplica do templo celestial de Zangdog Palri (“Gloriosa Montanha Cor de Cobre”) na cidade de Kogpo, no Tibete e traz símbolos de valores universais como a não-violência e a clareza interior.


Os praticantes sentam-se em fileiras nas mesas mais baixas.

Fonte :http://kl.chagdud.org/tour-on-line/

Internamente é ainda mais encantador e pode-se visitar fora do horário de aulas e meditação. Infelizmente não pode ser fotografado.

Zangdog Palri é a Terra Pura , um reino que expressa o ambiente esplêndido surgido da mente iluminada.

Nenhuma outra Terra Pura de Padmasambava no Ocidente foi construída tão completamente no estilo tradicional como a retratada abaixo.

Chagdud Tulku Rinpoche era um mestre de meditação do Budismo Tibetano. Rinpoche trouxe aos Estados Unidos e à América Latina ensinamentos espirituais extremamente raros e profundos, totalmente desconhecidos no Ocidente até poucas décadas atrás. Erguer a Terra Pura foi seu último desejo e seu último grande projeto antes de morrer em 2002. Ele já havia começado a pesquisar os traços específicos da arquitetura e havia completado a estátua do Buda Amitaba, que agora ocupa o terceiro andar da Terra Pura. Após o falecimento de Chagdud Rinpoche, o projeto passou a ser coordenado por Chagdud Khadro, sua viúva e atual diretora espiritual do Chagdud Gonpa na América Latina..

Detalhe das bandeiras.

Fonte :http://kl.chagdud.org/tour-on-line/

Este é um grande exemplo das bandeirinhas que às vezes vemos pela cidade e não sabemos bem para o que servem, levam a escritas as ideias budistas e  a crença de que o vento vá espalhá-las levá-las ao longe! Uma imagem romântica e simpática, que espelha a esta filosofia que me parece ser um exemplo de generosidade!

Como não era final de semana  não tivemos acesso a todos os prédios, restritos aos moradores durante a semana. Esta é a Casa das Rodas de Oração que giram incessantemente emitindo um som meio hipnótico,  contém  rolos com mantras inscritos que ao serem girados (mecanicamente) emanam bençãos para os que estiverem em suas proximidades,  . O que também chama atenção é o colorido em todas as imagens e a dedicação de jóvens que vem de muitas paragens para pintá-las. O Buda Akshobia  representa consciência e sabedoria. Sua existência é para nos inspirar a seguir seus passos de superar a raiva e a maldade

 

As estupas fazem na repetição a oração ser internalizada, simbolizam o cosmos para os budistas que caminham a sua volta em um ritual  de monumentos sagrados que representam  8 fases da vida do Buda. Diz-se que deve-se percorrer em sentido horário toda sua extensão, a cada estupa percorrida sua mente se ilumina e recebe-se bençãos. Aproveito para pedir desculpas por algum engano em qualquer explicação  , não conhecia quase nada e relato aqui o pouco que descobri por lá! Aproveitem para visitar e aprender um pouco mais!

Acabamos nosso dia  comendo pinhão com cuca e queijo colonial, numa cidade serrana que guarda seu passado colonial bastante preservado, São Francisco de Paula.

 

Informações práticas:

Templo Khadro Ling
Estrada Linha Águas Brancas, 1211 Cx. Postal 121 CEP 95660-000 – Três Coroas – RS – Brasil
Tel: (51)3546-8201
Qua a Sex das 9h às 11:30h e 13:30 às 17h, Sáb e Dom das 9h às 16:30h
Terra Pura de Padmasambava Sáb e Dom das 9h às 16:30h
Entrada: gratuita

Parque das 8 cachoeiras - um lugar mágico em São Francisco de Paula

04 de abril de 2012 16

Cachoeira da Ravina

Nestes finais de semana lindos que tem feito eu ficava imaginando quantos lugares bonitos por perto que ainda não conheço… então resolvi ligar para uma amiga  que é a rainha das indiadas, ela já fez todas as programações roots possíveis: cachoeiras, bóia cross, rafting, serra, trilhas, tudo o que você possa imaginar a Ane já fez. Eu falo indiada de brincadeira, pois eu AMO uma indiada, e pensando nisso liguei para ela, que nem pestanejou ” Clarisse você tem que conhecer o Parque das 8 cachoeiras em São Francisco!!! É lindo demais! ” E foi assim que neste final de semana saimos de Porto Alegre sábado de manhã rumo a São Francisco de Paula, depois de Taquara a estrada tem bem menos movimento e começa a ficar muito linda.

Lago São bernardo em São Francisco de Paula, com o Hotel Cavalinho Branco ao fundo

As árvores no lago já assinalam a chegada do outono

Chegamos no parque em torno das 11h da manhã. O parque tem umas 8 cabanas para a gente pernoitar, são bem legais, uma cama ótima, lareira, banho bom, e uma sacada com uma vista da mais pura mata atlântica, à noite  um luar e um céu coberto de estrelas… imaginem o silêncio, a gente só ouvia aquele barulhinho dos grilos, uma delicia.

Pousada do Parque 8 cachoeiras

Nossa cabana com sacada que tinha esta vista aqui de baixo ó

O interior das cabanas bem transadinho

Na chegada, munidos de sanduiches, vinho, bikini, Autan, e água, saimos para explorar as trilhas que levam as cachoeiras. Nossa primeira opção foi fazer a trilha do Quatrilho, que  leva em torno de 1h e meia de caminhada pelo mato. E aqui mérito para o parque, tudo é muito bem sinalizado, não tem risco de você se perder. A gente vai todo o tempo ouvindo o barulho das águas e muitas vezes margeando o rio. A paisagem é maravilhosa, eu me sentia dentro do filme Avatar, córregos, xaxins gigantes, muitas bromélias, escadinha do céu, e o perfume no ar? Espetáculo. Como é bom saber que ainda existem lugares assim, onde você pode encher a garrafinha de água ali mesmo! A água é cristalina, e gelada!

Ponto de partida para as várias trilhas e cachoeiras

E em poucos minutos somos totalmente envolvidos pelo ambiente encantador

Cruzando pontes, descendo escadas

Amoras silvestres e outras frutinhas do bosque

Chegamos na Cachoeira do Quatrilho, linda  e estávamos só nós e as borboletas que pareciam domesticadas pois vinham pousar na gente, vinham nos dar as boas vindas!

 

Cachoeira do Quatrilho

A gente desce esta pequena escada para chegar na base da cachoeira

E agora? Bueno, vir até aqui e não cair na água? nem pensar! Mas gente, quando mergulhei quase fiquei sem ar! A água é geladérrima!! mas valeu! Missão cumprida, montamos nossa “mesa de pic nic” e ficamos ali curtindo aquele lugar abençoado, tomando um bom malbec com sanduiches de presunto de parma.

As borboletas como companhia

Na volta fomos conhecer a Cachoeira da Ravina, esta, a gente caminha um pouco sobre as pedras, um pouco dentro do rio, muito show.

Trilhas pelo rio para alcançar a cachoeira da Ravina

Até que ficamos frente a esta beleza

A impressão que a gente tem é que ligam um ar refrigerado, a pedida é ficar ali só curtindo a paz do lugar

Chegamos na pousada que fica bem na saida das trilhas lá pelas 5 e meia da tarde, bem cansados. Depois de uma banho e um descando saimos para jantar em São Francisco. Vocês podem imaginar que não são muuuitas opções de restaurantes, mas acabamos em uma galeteria que foi bem boa, galeto não tem erro né? Começamos com uma sopa de Capeletti ( à noite estava bem friozinho) não achei muito barato, R$ 36 por pessoa mais um vinho argentino, ficamos aí pelos R$ 130.  Na volta catamos umas lenhas pelo caminho e dormimos com o barulhinho do criptar do fogo.

Esta foi a galeteria escolhida para o nosso jantar em São Francisco

No domingo outro dia espetacular, depois do café da manhã fomos explorar as cachoeiras mais perto, a do Remanso que é muito linda com uma queda de uns 70metros e depois fizemos uma pequena trilha que vai até a Cachoeira escondida, foi das trilhas mais bonitas que já tive a oportunidade de fazer, acho que o horário é bem importante, pois o sol estava penetrando pela mata e a luminosidade na vegetação, nas árvores era muito especial mesmo. No caminho cruzamos com 2 israelenses, dá para acreditar? Eu moro aqui a vida inteira e não conhecia este lugar, os caras vem do outro lado do mundo e vem parar aqui?? Nem preciso dizer que eles estavam extasiados com a exuberância da natureza no Brasil.

No domingo saimos para explorar novas trilhas dentro do parque

 

Cachoeira Remanço, queda de 70m

trilha para chegar na cachoeira escondida

olhem só o que é este lugar….

Foi um final de semana perfeito, depois de entregarmos a cabana fomos conhecer a charmosa livraria Miragem que fica na rua principal de São Francisco e vale com certeza uma visita.


Livraria Miragem, um lugar cheio de charme com muitos livros e objetos legais

Destaque para a grande coleção de relógios à venda

Esta casa de 1918 fica no pátio interno da livraria e contém um pequeno museu com objetos e fotos antigas da cidade.

Fica aqui  a minha dica se você é uma pessoa inquieta e gosta de uma boa indiada como a Ane, não perca esta oportunidade de conhecer um lugar abençoado pela natureza que fica tão pertinho da gente.

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187