Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "São Petersburgo"

Palestra - Russia : pinceladas de história , viagem e cultura

27 de julho de 2017 1

Olá amigos viajantes!
Na próxima terça-feira, dia 1 de agosto, vamos dar uma palestra sobre a Rússia, pinceladas de história, viagem e cultura.
Será aberto ao público interessado.
Rua Félix da Cunha, 1009 – às 19hs ( estacionamento no local, Safe Park)
Investimento: R$ 50,00
informações pelo 999911011
Esperamos vocês!

 

IMG_4219

Viagem "Russia com Arte" - Agosto de 2017

14 de fevereiro de 2017 10

Russia

 http://www.portobrasil.com.br/russia

A paixão pela cultura russa tornou este destino obrigatório. Criar intimidade com os cenários de Tolstoy e Dostoievsky nas noites brancas de São Petersburgo, descobrir os bosques do Anel de Ouro com suas dachas de verão e finalizar na pulsante e cosmopolita Moscou.

Roteiro

Moscou, Yaroslavl, Suzdal, São Petersburgo
17 a 28 de Agosto de 2017

* Acompanhamento especializado de Clarisse Linhares
* Acompanhamento técnico de Ana Claudia Costa
* Visita privada ao Hermitage
* 11 refeições inclusas, entre elas os restaurantes Turandot, Clube dos Escritores, Literary Cafe entre outros.
* Passeio de barco pelo Volga, vendo as cúpulas de Yaroslavl.
* Hospedagem nos incríveis Ararat Park Hyatt  em Moscou e  Belmond Grand Hotel Europe em San Petersburgo

 

miniaturas6

da série: A nova Rússia - São Petersburgo - parte I

10 de setembro de 2012 6

Fortaleza de São Pedro e São Paulo, aqui começou a cidade de São Petersburgo

Nem fazia tanto tempo que havia estado em São Petersburgo pela última vez,  na verdade 4 anos me separavam desta cidade totalmente mudada desde  o nosso último encontro.

São Petersburgo mudou, entrou para a constelação das grandes cidades europeias, muito pouco a indentifica com sua história recente. Os russos tem uma incrível capacidade de adaptação e os sinais da antiga decadência do regime soviético praticamente desapareceram, dando lugar a uma cidade linda que está sabendo explorar ao seu favor o grande fluxo de turistas que descobrem encantados a beleza e a opulência dos seus palácios, museus, parques, igrejas e - novidade: restaurantes, bares e uma vibrante vida noturna.

Ruas que correm paralelas aos muitos canais da cidade, este é o Canal Griboedov, que vai desembocar em uma das igrajas mais bonitas de São Petersburgo.

Chegamos em São Petersburgo no auge das famosas noites brancas, quando o sol apenas se esconde por algumas horas para logo em seguida voltar a iluminar a cidade, que tem uma aura diferente nesta época do ano. Imagine você que depois de um longo e escuro inverno os habitantes da cidade não querem perder um minuto, a ideia que a gente tem é que as pessoas precisam daquela energia solar para sobreviverem ao inverno gelado. O resultado é uma cidade alegre, festiva, com ruas e parques cheios de gente, familias, crianças aproveitando o verão.

Esta é uma foto do Canal onde passa o Rio Fontanka, foi tirada perto das 22h – As famosas Noites brancas de São Petersburgo

A Igreja Salvador do sangue derramado, perto da meia noite.

Tudo, mas tudo mesmo está mais bonito em São Petersburgo, que foi uma cidade inteiramente planejada pelo Czar Pedro, o grande. Em um dos lugares mais improváveis possíveis, pois só quem se atrevia por estas bandas eram lobos e ursos. A cidade idealizada para ser uma janela para a Europa, é uma mistura de diferentes estilos que acompanharam os caprichos de czares e czarinas ao longo de sua história. Cortada por muitos canais e banhada pelo rio Neva, a cidade de Dostoievski, Shostakovich, Chekov, certamente vai encantar você também.

Monumento em homenagem ao idealizador da cidade, o Czar Pedro, o grande.

Todos me fazem a mesma pergunta: A Russia é caríssima? Proibitiva?

Eu diria que não é mais cara que Paris ou Londres, mas você há de convir que o caro pode ser relativo. Fazendo as escolhar certas você pode fazer uma viagem a Russia pelos mesmos padrões que tem feito outras viagens a França.

Vamos começar pelas atrações clássicas, aquelas consideradas imperdíveis:

O centro de São Petersburgo não é enorme, você pode faze-lo à pé, mas tem atrações que são fora, para estas você vai ter que agendar meios para transporta-lo.

Em São Petersburgo :

1 – Palácio de Inverno – Museu Hermitage.

Abriga uma das maiores coleções de arte do mundo, tudo começou com Catarina, a grande, teve algumas perdas no período soviético mas a coleção é  fantástica. Você ainda pode visitar muitos apartamentos reais e salas de recepção, salões de festas, os guias adoram dizer que mesmo que você olhasse poucos segundo para cada peça da coleção precisaria de mais de 30 anos para ver tudo. Como ninguém tem intenção de ver tudo, acho que 3horas dentro de um museu é o tempo limite, para qualquer museu, depois disso nosso cérebro já nao registra mais nada.

O palácio de inverno, as margens do rio Neva, onde fica o museu mais famoso da Rússia – o Hermitage

A coleção do Hermitage foi iniciada por Catarina, a grande em 1764, e foi aberto ao público em 1852. Tem perto de 3 milhões de ítens.

Muitas salas para você explorar

Não deixe de conhecer a loja, ou melhor, megastore(!) do museu pois ali você encontra coisas que só vi lá, como lenços de seda com a estampa dos famosos ovos Fabergé.

2 – A Igreja do Salvador do sangue derramado

Esta igreja não é tão antiga quando faz parecer, mas foi construida no estilo das antigas igrejas russas, para aqueles que não conhecem as igrejas ortodoxas russas, este é um exemplo magnifico. Elas tem um lay out totalmente diferente das igrejas católicas em forma de cruz latina, elas tem o formato da cruz grega, ou seja todos os lados são iguias. As paredes são cobertas de mosaicos lindíssimos, absolutamente toda decorada, o resultado é emocionante.

A igreja foi construida no local onde o Czar Alexandre II foi mortalmente ferido  em um atentado no ano de 1881.

O interior é belíssimo, toda em mosaicos com pinturas desenhados por grandes artistas russos

Este querubim é de autoria de Vitor Vasnetsov

3 – Fortaleza de São Pedro e São Paulo

Aqui foi o lugar onde as bases da cidade foram lançadas em 1703. A fortaleza fica na ilha de Vasilievsky, onde depois de cruzar uma das inúmeras pontes, você tem uma vista linda do Palácio de inverno e do rio Neva. O destaque desta visita é a igreja que foi recentemente restaurada e é belíssima, além de conter todos os mausoléus dos Czares russos e mais recentemente de toda a familia Romanov, a última a reinar sobre a Russia antes da ascenção dos Bolcheviques.

A Fortaleza vista do Palácio de inverno.

O interior da igreja recém restaurada é lindo, e é aqui o mausoléu dos grandes czares russos e + recentemente da familia Romanov.

4 – Palácio Yusupov

Se você tem curiosidade de ver o luxo e opulência que vivia a nobreza russa, este palácio é um dos melhores exemplos. A familia Yusupov era mais poderosa e rica do que o próprio Czar Nicolau II Romanov. o Prícipe Felix Yusupov II, se tornou célebre por seu envolvimento no assassinato de Rasputin, aqui mesmo neste palácio. vale a pena a visita é um palacete que conserva muito do seu mobiliário original, sala de jogos, banya (sauna) em estilo oriental e a grande pérola – seu teatro privado.

Teatro privado do palacete de uma  das familias mais ricas e influentes da Rússia czarista.

Apartamentos privados como se o principe tivesse dado uma saidinha…

5 – Museu Russo -

Arte ocidental você tem muitas opções de ver em todas as grandes cidades europeias, mas arte genuinamente russa está concentrada principalmente em 2 museus na Rússia. Em São Petersburgo no Museu russo e em Moscou na Galeria Tretyacov, eu  diria que um deles é absolutamente imperdível. Veja em qual das cidades, está com algum tempo sobrando para encaixar este museu, seja aqui ou em Moscou. O museu é organizado cronologicamente começando pelos ícones bizantinos, passando pela arte dos artistas itinerantes do século XIX como Repin e Nesterov até as vanguardas russas de Malevich, Larionov e Goncharova.

Palácio Mikhailovsky, que abriga hoje o Museu Russo

Onde você poderá observar obras seminais da arte russa, como esta aqui de Kazimit Malevich

Eu listei minhas TOP cinco atrações em St Petersburgo, mas dependendo do tempo que você tiver tem muitas outras coisas interessantes:

Catedral St Isaac -

Teatro Mariinsky – ex Kirov

Museu da poetisa Anna Akhmatova – Fica no Palácio Sheremetev, é muito interessante se você tem interesse de saber como funcionavam os apartamentos comunitário no tempo do regime soviético.

Casa museu do escritor Dostoievsky

Jardins de Verão – São lindos, é um ótimo passeio para dar um tempo da cidade, o lugar é lindo. Mas só no verão é claro!

Outro na categoria de imperdível é fazer o passeio de barco pelos canais da cidade, você vai ter outro ponto de vista. E vamos combinar que depois de muito caminhar é ótimo ficar sentadinho só vendo as coisas desfilarem diante dos nossos olhos. tem saidas em vários pontaos da cidade, um fica no canal Griboedov, bem pertinho da Igreja do Salvador do sangue derramado.

 Por hoje é isto pessoal, no próximo post vou dar as dicas de bares e restaurantes descolados de São Peters!!


Hermitage , a opulência da moradia dos Romanov

11 de junho de 2012 3

Já é a terceira vez que viajo à Rússia e não canso de me deslumbrar com este enorme museu-palácio ! O Hemitage começou sua história como local de moradia da família Romanov no século XVIII, o Palácio de Inverno, e é esta faceta que quero destacar aqui. Claro que tem milhares de de obras primas, principalmente de artistas europeus , mas hoje estou interessada em mostrar para vocês a opulência em que viviam os nobres russos (deixariam os franceses loucos de inveja!)

Palácio de Inverno

O prédio foi inicialmente projetado pelo arquiteto italiano Bartolomeo Rastrelli , por encomenda da filha de Pedro , o grande , Elisabeth Petrovna. Vamos começar pela escadaria oficial , uma obra de arte do super decorado Barroco Russo.


Olhem a Clarisse se deliciando em explicações para o grupo

A sala do trono tem a águia bicéfala (olhando para o oriente e Ocidente) como emblema e o vermelho , como marca registrada do gosto russo pelos ambientes coloridos e ornamentados.

Deem uma olhadinha no pátio interno , para o deleite da família!

Seguimos pelo salão principal onde o que mais chama a atenção é o teto que reflete o piso , todo decorado com incrustrações em madeira.

Por sinal uma das jóias deste palácios são os pisos , nunca repetem o mesmo motivo e parecem decorações de mesas , tal a perfeição do trabalho! Chega a dar uma agonia pisar em cima, ainda mais sem forro de proteção nos pés! Mas, como bem reparou a Célia Fabris , mesmo assim não se vê sinais de riscos na madeira, apesar das mais 8 mil pessoas que passam por aqui todos os dias.

Uma atração à parte , que já faz parte dos “móveis e utensílios” do museu , são suas “guardas”. Todas senhoras aposentadas que voltaram ao trabalho por necessidade maior e defendem as obras como leoas , ao sinal de qualquer aproximação de algum turista desavisado. Verdade seja dita , há quatro anos atrás eram ainda mais ferozes, mas não menos exóticas!

 

Para mim a sala mais linda é a dos pintores italianos, a parede vermelha em contraste com o teto claro e iluminado naturalmente é de tirar o fôlego.

A admiração de Catarina II pela Itália não tinha limites , para isto mandou fazer uma cópia das Stanze de Rafael , originalmente no Vaticano, em seu palácio. Quem conhece a original pode comprovar a  pefeição da cópia.

A Czarina ganhou de um de seus mais de 21 amantes, um relógio em forma de pavão , nada mais sugestivo! Colocou na sala de tertúlias , onde recebias convidados para encontros mais íntimos.

Quando tudo parece não poder ser mais perfeito , avistamos pela janela a Fortaleza de São Pedro e São Paulo. O cenário complementa o interior! A gente sai dali com a sensação de que o luxo não tinha limites para os Romanov, e que seu destino começou a ser traçado pela opulência em que viviam!

São Petersburgo e o Palácio de Verão de Catarina: Tsarskoe Selo

01 de junho de 2012 0

 

 

 

Construído na aldeia Pushkin e também conhecido por esta denominação, Tsarskoe Selo (Aldeia do Czar) é dos mais grandiosos palácios das cercanias de São Petersburgo. Esta região é muito tranqüila e usada pelos moradores de São Petersburgo como sítios de finais de semana, com suas famosas dachas, casas com pequenos jardins onde os russos plantam hortaliças e cuidam dos jardins no verão.

 

 

 

 

 

Um primor do Barroco Russo foi criado como residência de verão da imperatriz Catarina , a grande, e de seus incontáveis amantes. Usada como quartel general pelos alemães durante o cerco de Leningrado na II Guerra Mundial , foi quase totalmente destruído nesta época, sendo sua restauração um trabalho levado a cabo por mais de 50 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Este palácio é especialmente famoso pela Sala de Âmbar, um aposento quase totalmente revestido pelo valioso mineral presente de Frederico I, Imperador da Prússia, para Pedro, o Grande, da Rússia, esses fabulosos painéis, com 55 metros quadrados, em âmbar e pedras preciosas, teriam sido pilhados quando os nazistas invadiram Stalingrado em 1941. Encontrados num castelo da costa do Báltico, sumiram. Foram enterrados em solo alemão? Naufragaram a bordo de um navio? A investigação desse mistério compõe uma trama de espionagem e contra-espionagem envolvendo nazistas, pistas de arquivos soviéticos e a polícia secreta germânica. Muito já foi escrito sobre o assunto , inclusive um romance histórico chamado

A SALA DE AMBAR: A HISTóRIA DESCONHECIDA DA GRANDE TRAPAÇA DO SECULO XX de Adrian Levy

Como nada foi comprovado o governo alemão assumiu a responsabilidade e mandou construir uma cópia da antiga sala que hoje pode ser visitada no mesmo local.

 

 

As salas de Tsaskoe Selo seguem o estilo Barroco mas algumas já se destacam pela novidade do Neoclássico, reparem o contraste do rebuscado barroco com o mais tranqüilo Neoclássico.

  

 

 

 

 

 

 

No salão principal acontecem concertos algumas vezes por dia. Reparem na estufa de cerâmica azul ao fundo, é um legítimo exemplar holandês, uma obra de arte.

Os espelhos com suas molduras douradas fazem o salão parecer ainda mais grandioso e o famoso “salão dos espelhos” de Versailles de uma simplicidade franciscana. 

  

 

 

 

 

 

O palácio é cercado por construções de outras épocas e estilos e por um lago que é muito usado  como cenário para os casais de noivos.

 

 

Nossa guia nos mostrou todo o complexo equilibrada sobre este salto e neste modelito completamente branco, a moda russa muitas vezes nos surpreende.

 

 

 

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Peterhof: um Palácio dos Czares em São Petersburgo

25 de maio de 2012 2

 

 

 

Acabei de ficar sabendo que São Petersburgo está na moda entre os viajantes, que já a colocaram  entre as 12 cidades mais visitadas da Europa. Neste caso posso dizer com propriedade: nada mais justo!

Na última década visitei duas vezes a cidade e voltarei sempre que puder.

Para quem for até lá, não deixe de reservar alguns dias para conhecer as cercanias que guardam tesouros ainda mais impressionantes do que a própria joia do Báltico.

 

São Petersburgo foi construída para ser a capital de um império, com vocação marítima, situa-se da desembocadura do rio Neva. Mas Pedro, o grande, seu idealizador, não estava satisfeito e criou a residência de verão mais ao norte às margens do Mar Báltico e cercada por uma enorme floresta. Apaixonado pelas artes náuticas construiu uma pequena casa em estilo holandês as margens do Golfo da Finlândia para controlar e ensinar os marinheiros que por ali passavam.

 

 

 

 

 

 

Neste mesmo local ainda hoje se encontra o Mon Plaisir ,casa do czar gigante e o enorme Palácio de Peterhof idealizado pelo ego inflado de sua filha Elisabeth. Nos salões do palácio a vista dos jardins é estupenda e muitos deles estão decorados com mesas postas com a louça e prataria dos Romanov.

  

 

 

 

Tudo é encantador em Peterhof , mas o mais interessante são as fontes que enfeitam e intrigam os visitantes nos jardins. Pedro adorava surpreender seus convidados e construiu jatos d’água em formas inusitadas que eram acionados ao leve toque de seu mentor. Temos fontes em formato de pirâmide, rodas e a maior fonte imperial. Na casa Pedro recebia convidados ilustres para mostrar as belezas de seu país, era aqui que os obrigava a beber vodka até concordarem com seus projetos:

 “Quem não sabe onde quer chegar, chega mais longe”. 

 

 

 

 

 

 

Um dica interessante é visitar Peterhof de hidrofoil saindo do porto bem em frente ao Museu do Hermitage, mais fácil e rápido além de render um belo passeio pelo golfo da Finlândia. Reserve um dia para as visita e assim poder aproveitar bem a caminhada pelos jardins, tente evitar o dia de visita dos grandes cruzeiros marítimos que atracam em São Petersburgo e lotam o palácio.

 

 

 

 

 

Junho das místicas Noites Brancas em São Petersburgo

05 de abril de 2012 0

São Petersburgo é uma cidade jovem para os padrões europeus, foi fundada em 1703 pelo Czar Pedro, o grande. Difícil é relatar a mistura de sentimentos invocados por esta cidade de opulência imperial com seus múltiplos canais e palácios neoclássicos ou barrocos, dependendo do gosto do czar reinante.

A verdade é que é impossível não se deixar encantar por ela, que simboliza o sonho de Pedro de alçar a Rússia ao mesmo patamar das grandes potências européias. Portanto, se você, ao caminhar por suas belas avenidas sentir alguma semelhança com Amsterdam, Veneza ou Paris não se engane, não é mera coincidência: “São Petersburgo não é uma cidade européia, é todas juntas”.

 

A Rússia esta recuperando rapidamente os anos de estagnação que sofreram as cidades durante o regime soviético, e São Petersburgo está voltando a ser aquela cidade esplendorosa com uma efervescente vida cultural que teve no passado. Apesar de ainda não ter o vigor contemporâneo de Moscou.
 
 
 
Palácio de Inverno – Hermitage
 
Uma visita imprescindível é o Palácio de Inverno, mais conhecido como Hermitage, que abriga uma das maiores e extraordinárias coleções de arte do mundo. Projetado por Rastrelli, foi residência principal dos Czares russos por muito tempo. Catarina , a grande ( vocês repararam que em se tratando de Rússia tudo é grande??) foi sua primeira ocupante e também responsável pelo início da coleção das obras de arte. O palácio foi sendo ampliado ao longo dos anos pelos sucessores de Catarina e estas construções formam um complexo: Palácio de Inverno, o Grande Hermitage, o Pequeno Hermitage, o Teatro Hermitage, antigo teatro privado dos Czares.
Por aqui você vai ter uma boa idéia da riqueza e do luxo da nobreza russa, que muitas vezes deixa outras dinastias européias parecerem um modelo de simplicidade.
 
“Amor e Psiquê”, de Canôva, é uma das obras mais lindas do neoclacissismo italiano que faz parte do acervo do Museu do Hermitage. Catarina II era uma grande apreciadora do trabalho de Canôva, a quem tentou atrair para a Rússia com propostas tentadoras, mas só conseguiu comprar suas obras .
 Verão russo- esteja sempre preparado para um vento “fresquinho”!
 
Nos arredores de São Petersburgo encontram-se dois palácios que merecem a sua atenção.
Peterhoff fica na beira do golfo da Finlândia e foi iniciado por Pedro, o grande. que construiu sua primeira casa muito simples, bem de acordo com o seu caráter. Mais tarde, sua filha Elisaveta  ampliou e embelezou o lugar, que tem nas fontes seu ponto alto. Eu aconselharia você a ir de ônibus até lá e voltar de hidrofoil, pois o ponto de chegada é na frente do Museu Hermitage e permite uma bela visão de São Petersburgo.
 
 
                                            Palácio de Pedro, o grande – Peterhoff
 
 
                 Casa original de Pedro em Peterhof
 
                 Chegando de hidrofoil a São Petersburgo
Outro palácio belíssimo é Tsarskoe Selo ( aldeia do Czar) mais conhecido como o Palácio de Verão de Catarina, a grande. O pálácio é luxuoso e foi totalmente reconstruído depois da Segunda Guerra Mundial, quando foi ocupado pelos soldados alemães durante o cerco da antiga Leningrado, hoje São Petersburgo.
O palácio abriga ainda a Sala Âmbar, considerada uma das suas maiores atrações pois foi perdida num comboio nazista na II Guerra e nunca mais reencontrada. Hoje uma réplica foi doada pelo governo alemão, um tesouro com uma aura de mistério.
 
 
 
 
Estufas de azulejos holandesas
 
Tudo por aqui é superlativo , os salões com estufas gigantescas, os portões , as escadarias decoradas e muitos espelhos para aumentar ainda o poder visual!
 
 
 
 
Um boa dica é visitar a cidade no mês de junho que é quando tudo está envolvido na mística das Noites Brancas, uma época onde o sol nunca se põe totalmente e cidade vibra num redemoinho de atividades.
 
 
Se você tem vontade de conhecer a Rússia , não deixe para depois, o país  conserva um charme pouco globalizado  no discurso inflamado de muitos defensores do regime soviético que ainda resistem por lá! Um convite à reflexão.
 

Se você gostou deste post e curte dicas de viagem, arte, restaurantes e afins, curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

 https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187