Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Viena"

Um roteiro pelos 5 cafés mais lindos de Viena.

18 de agosto de 2015 1

 Os famosos Cafés Vienenses

cafe viena

Nenhuma viagem a Viena é completa sem que você visite os cafés vienenses, eles são uma instituição nacional.

Parte importante da vida dos vienenses se passa em uma poltrona confortável de um café com um jornal à mão ou, simplesmente, vendo o dia passar.

Os vienenses acreditam que os cafés como tem alma, e resistiram até mesmo a menor mudança nos últimos 300 anos de idade desta instituição quase tão antiga quanto a cidade. “Em Viena, o Kaffeehaus é um enclave cultural intocado pelo tempo.

 Cinco cafés cheios de história e charme, que você não pode perder na sua visita a Viena:

 

- Café Imperial

A cafeteria fica dentro do Hotel Imperial, erguido em 1863. O cinco estrelas é talvez o mais exclusivo da capital austríaca, sendo geralmente a acomodação de escolha de Chefes de Estado que visitam a cidade. Quando estiver por lá, não deixe de experimentar a imperial tarte. A trufa de chocolate é o doce mais famoso da casa.

Endereço: Kärntner Ring, 16

- Café Sperl

O café que foi fundado em 1880 e tinha, no período anterior à Primeira Guerra, mistura interessante de clientela: jovens artistas se mesclavam a membros militares de alta patente. No filme “Antes do Pôr do Sol” (1995), o Sperl serviu de cenário para as conversas filosóficas dos protagonistas Ethan Hawke e Julie Delpy.

Endereço:  Gumpendorferstraße, 11

***** Café Central

A cafeteria foi aberta em 1876 e com o tempo se tornou ponto de encontro para figuras ilustres que viveram na capital austríaca. O escritor Hugo von Hofmannsthal, o pai da psicanálise Sigmund Freud, e o político Leon Trotsky são alguns dos que adoravam o ambiente do Central.

Endereço: Herrengasse/Strauchgasse, 1010

- Café Sacher


O hotel cinco estrelas fundado em 1876 deve boa parte da fama justamente ao café ou, mais especificamente, a um doce servido na cafeteria: a sachertorte. Criação de Franz Sacher, o bolo imitado no mundo inteiro leva chocolate meio amargo e recheio de damasco.

A famosa e tradicional torta Sacher, um atentado a qualquer dieta! :)

Endereço: Philharmonikerstrasse, 4

Café Dommayer 


Aberto em 1787 é um grande feito que o Dommayer tenha conseguido se manter abaixo do radar turístico por tanto tempo. Um pouco afastado do centro histórico, a cafeteria é frequentada pela alta sociedade vienense. No século 19, os músicos Johan Strauss, pai e filho, estrearam diversas obras no local.

Endereço: Dommayergasse, 1

Posts relacionados

Viena no verão, a aristocracia modernizada

Viena revisitada – Parte I

Viena revisitada – Parte II

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site 

www.viajandocomarte.com.br

Viena no verão, a aristocracia modernizada

26 de agosto de 2012 2

As cidades européias tem duas faces, elegantes e sóbrias no inverno e coloridas e descontraídas no verão. A aristocrática capital da Áustria se reinventou , está dando um banho de modernidade em muitos ícones contemporâneos com um novo espaço de museus , hotéis super descolados e uma vida cultural pulsante nas comemorações dos 150 anos de nascimento de seu maior pintor Gustav Klimt.

O Museums Quartier oferece novas propostas museológicas , mas principalmente um espaço para desfrutar de restaurantes ao ar livre , lojas de desing e muita gente jovem aproveitando o calor . Além disto tem um  espaço para desfiles e exposições. No Leopold Museum rola uma linda retrospectiva da vida de Klimt , além de obras do acervo do segundo maior ícone austríaco , Egon Schiele.

O MUMOK é o museu de arte contemporânea do Museums Quartier.

E na saída não deixem de provar as delícias dos cafés , uma das melhores saladas que provei na viagem e chás diversos e refrescantes.

Bem pertinho a Maria Hilfer Strasse tem toda o comércio moderno da Europa , fora da tradicional Graber.

Do outro lado do Canal do Danúbio o Hotel Sofitel , obra do arquiteto Jean Nouvel , bomba em seu restaurante /bar no último andar . Uma decoração que abusa de luzes e cores , dá a sensação de estar flutuando sobre a cidade. Fantástico.

No Canal do Danúbio está ancorado o barco piscina que refresca os verões de quem não pode fugir da cidade para o litoral ou para um dos lagos do país. Pois em Viena faz muito calor também , chegamos a pegar quase 40 graus em julho!

O  Hass Haus já está incorporada ao cenário central da cidade, o hotel DO & CO reflete em seus espelhos a Stephansdom. O restaurante no último andar é maravilhoso , além de ter uma vista incrível. Vale reservar e pedir uma mesa na rua onde o visual é mais legal.

 

Para um passeio bem tradicinal mas com um toque de vanguarda , alugue uma bicicleta e vá até o Palácio Schonbrunn , são uns 20km mas tudo plano e assim conheça uma outra parte da cidade , também fora do roteiros tradicionais. O corpo do palácio tem seus encantos mas é no jardim que fica a parte mais interessante , pricipalmente para os dias quentes quando as salas não são refrigeradas.

O prédio da Secessão Vienense fica no caminho para o palácio e está aberto para visitação com o famoso Friso de Beethoven , obra de Klimt na sala principal. Em comemoração aos 150 anos de nascimento do expoente máximo da Art Nouveau, encomendou-se ao austríaco Gerwald Rockenschaub uma “intervenção escultural” para a sala onde o Friso está em exposição permanente.
 O resultado, intitulado Plataforma, é uma labiríntica estrutura amarela, que eleva a visão dos visitantes ao nível das impactantes – e geralmente nuas – figuras klimtianas. Sendo mais exato: ao nível de sua genitália. A aristocracia se modernizando!
  
 

Aproveitem enquanto o frio não retorna e a cidade volte a sua elegância conservadora.

Posts relacionados

Viena revisitada – Parte I

Viena revisitada – Parte II

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site 

www.viajandocomarte.com.br

 

Viena revisitada - Parte II

28 de março de 2012 1

Luas de Viena

Pois eu contava aqui pra vocês da  minha última estadia em Viena neste fevereiro de 2012.

Tudo começou porque 2012 é o ano que comemora os 150 anos de nascimento de Gustav Klimt, um dos maiores artistas austríacos e um dos meus artistas favoritos. As telas de Klimt são inconfundiveis, elas atraem o seu olhar e uma vez que você olha é capturado pela sua beleza infinita, seja das belas paisagens que ele pintou de maneira muito particular, seja pela sensualidade com que retratou as mulheres. Isto para mim já é motivo suficiente para voltar a capital austríaca. Me resignei com o fato de ser inverno e consequentemente os dias serem mais curtos, mas digo aqui entre nós, valeu muuito a pena.

Uma amostra da obra de Klimt no Leopold Museum

Viena está maravilhosa.

E aconselho de novo, se vocês forem a Europa este ano, vão até Viena. Sobram motivos para isso:

Vá almoçar no Schnitzelwirt – o lugar é simples, todo de madeira, mas é o melhor Schnitzel da cidade, estou falando daqueles bifões que ocupam um prato inteiro, a milanesa, recheado com presunto e queijo e  que você ainda pode pedir com molho de nata. Sim é para trogloditas, mas depois de caminhar horas olhando museus, curtindo as atrações, e o relógio marcar 3h da tarde, você também não seria? Nosso plano inicial era de comer só uma saladinha, mas tivemos a felicidade de cair neste endereço onde recortes de jornais mostravam que o Schnitzelwirt, era o lugar mais premiado pelo seu bifão, não prová-lo seria quase uma heresia, então fica aqui minha dica, quando a fome apertar, é para lá que você vai, não tem perdida.

Aqui é o lugar do Schnitzel, fica a poucos minutos do Museumsquartier, na Neubagasse, 52

E para não me deixar mentir, a matéria do Chef do Schnitzel dizendo que ele é O cara do bifão!

No post Viena revisitada parte I eu falei dos museus que considero imperdíveis, outro lugar que é um must na cidade é visitar as duas principais residências da familia Habsburgo. Uma é o Palácio Imperial de Hofburg ou simplesmente Hofburg, como é conhecido pelos vienenses. Foi a residência oficial e centro do poder dos Habsburgo, soberanos da Áustria entre 1278 e 1918, que o usaram como sua principal residência de Inverno. O Palácio foi feito para impressionar com toda a pompa e cirscunstância caracteristica dos Habsburgo. A gente visita as salas imperiais e alguns dos aposentos privados e pode também ver as mesas com todas as louças e serviços chiquérrimos dos tempos aureos do império Austro-Húngaro.

Mas se você não é muito chegado em palácios e acha toda esta pompa um pouco cansativa então passe a visita ao Hofburg  mas em hipótese alguma deixe de conhecer o Palácio de Schönbrunn, que era a residência de verão dos mesmos simplícimos Habsburgo. O palácio hoje já está dentro da cidade de Viena,dentro de um  parque de 160 hectares, lá está o jardim zoológico mais antigo do mundo com 16 hectares. Os jardins, as fontes, são um capítulo a parte, é uma visita do qual você não vai se arrepender, a menos que você seja insano como nós que tentamos visitar o parque em feverereiro, abaixo de vento e neve, bueno, na nossa empreitada só faltou o cocar, no mais, a indiada foi completa.

Chegando no Palácio de Schönbrunn, reparem que dia agradavel para visitar um palácio de verão

Reparem na minha cara de ” O que é que eu estou fazendo aqui!”

Me senti na obrigação moral de colocar uma foto do Schönbrunn, numa estação mais afável, para fazer justiça a beleza do lugar, e registro que tem uma visita aos apartamentos privados dos Habsburgo, incluindo a sala de ginástica da amada imperatriz Sissi que é bem interessante de fazer, com qualquer clima! brrrrrrrrrrrrr

 

Aconteceu de estarmos em Viena em pleno Valentine´s day, dia 14 de fevereiro,  o dia dos namorados do mundo inteiro, não entendo porque só aqui no Brasil comemoramos este dia em data diferente, alguém aí sabe me explicar?

Mas o que eu estava contando é que neste dia era fundamental fazer uma reserva para jantar pois os pombinhos iriam ocupar cada mesa de restaurante na cidade. Eu tinha a dica de uma amiga festeira e tratei logo de ligar para reservar uma mesa, e consegui, mas com uma ressalva, às 10h tinhamos que zarpar pois eles tinham outra reserva. E sabe como é em viagens, né? A gente tem a ilusão que vai ter tempo e  energia para ir até o hotel, tomar banho se embonecar e sair flamante… ahahaha pura ilusão! Na prática o que acontece é o seguinte: Você caminhou o dia inteiro, viu milhares de coisas, parece que um dia tem 54 horas e lá pelas 8h da noite  além de estar morrendo de fome a gente está acabado! Então fechou bem, fomos assim meio podrinhas mesmo, direto para o MOTTO - um lugar muito descolado, animado, vibrante mesmo. Na porta onde indicava o endereço ficamos nos perguntando:” Hi será que é aqui mesmo? Será que é uma roubada ? Pois , gente, era muito estranho, só aquela porta, tipo de boate, sabe? E resultou que o lugar é super cool! Música, decoração inusitada, comida deliciosa, enfim uma experiência vienense que recomendo, ainda ao final fomos presenteadas com um lindo bouquet de tulipas brancas…

Reparem a entrada nada glamorosa do MOTTO

Lá dentro a decoração hiper cool, olhem as bonecas coladas no teto!

Ali à esquerda as tulipas que ganhamos na saida – mimo de Valentine´s day

Outra dica para aqueles que gostam de Arte e Arquitetura é visitar o prédio da Secessão de Viena, e aqui vamos pedir ajuda aos universitários da Wikipédia:

“A secessão austríaca (1897-1920), ou secessão de Viena foi uma iniciativa de protesto de artistas da época contra as normas tradicionais, artísticas e étnicas, da sociedade atávica e transitória da época. Era uma tentativa de se encontrar uma identidade de grupo para o país.”

Prédio da Secessão de Viena, ironicamente apelidada pelos vienenses de repolho dourado - a uma quadra da famosa Ringstrasse

Liderados por Gustav Klimt (lembra?) vários artistas quiseram romper com a engessada e careta arte acadêmica, os secessionistas queriam também trazer artistas de outros paises, trocar experiências e neste espirito trouxeram muitas exposições de Fauvistas franceses, Expressionistas alemães e  de várias correntes artisticas e sempre mantiveram uma postura critica e vanguardista.

Detalhe da fachada

Ahh já ia quase esquecendo no coração da cidade está a Catedral de Santo Estevão, lindíssima. Mas se você quer ver algo realmente diferente vá até lá à noite, quando um show de luzes coloridas cobre a catedral por dentro e por fora e uma música clássica altíssima inunda seu grandioso interior.É de arrepiar!

Catedral de Santo Estevão

E o seu interior todo iluminado à noite quando a música clássica preenche todo o espaço

Se você gostou deste post , e quer saber mais dicas de viagens, exposições roteiros e cultura curta nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Schnitzelwirt – Neubagasse, 52

MOTTO – Schonbrunner Strasse, 30 – fone 5870672;05

Posts relacionados

Viena no verão, a aristocracia modernizada

Viena revisitada – Parte II

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site 

www.viajandocomarte.com.br

 

Viena revisitada - Parte I

15 de março de 2012 0

Se eu tivesse que definir Viena em uma só palavra seria – Elegante.

Viena surpreende pelas suas avenidas amplas e arborizadas, pelo seu povo que não circula apressado, pelos seus cafés, verdadeira instituição nacional.

Eu conheci Viena em uma primavera  há alguns anos, e voltar agora no auge do inverno com temperaturas que oscilavam dos gélidos 4 graus negativos até os calientes 2 positivos, era quase um desafio.

E cada vez mais me convenço que viajar no inverno tem os seus encantos e muitas vantagens.

Chegamos a cidade coberta de neve, e na medida que os meus olhos deslizavam por aquele cenário coberto de branco eu confirmava minha ideia sobre a capital da dinastia Habsburg.

Na escolha do hotel, pesam muitas coisas, localização, conforto, uma boa internet, de preferência gratuita, porque vamos combinar, acho ridiculo ficar em hoteis super e cobrarem a internet, acho que  os hoteis tem que oferecer como cortesia. Acabei escolhendo um hotel que já tinha visto indicado em alguns sites e foi uma escolha muito feliz, ficamos no DO & CO , http://www.doco.com/english/index_hotel_eng.htm, um hotel moderno que fica no coração da cidade, da janela do nosso quarto tinhamos a vista da Stephansdom, catedral dedicada a Santo Estevão. É um lugar bárbaro, os quartos todos com um design particular, tudo muito funcional e bonito, sem falar no bar que fica no penúltimo andar e tem um pé direito alto com uma vista linda da praça principal de Viena.

Fachada do Hotel DO&CO que fica no  Haas-Haus, ou Praça de Santo Estevão,no coração da cidade

Vista da janela do quarto

Quartos amplos, modernos, e internet gratuita

O bar no penúltimo andar com vista para a  Catedral

café da manhã impecável

Gente, Viena tem montes de boas opções de hoteis de todas as categorias eu escolhi este por razões particulares, mas eu sempre recomendo o site da www.booking.com  onde tem muitas opções para todos os gostos e bolsos.

Já alojadas, Viena nos aguardava, e eu estava ansiosa pra ganhar as ruas e conferir muitas dicas que eu havia garimpado previamente.

São muitas atrações que a cidade oferece, mas se você vai ficar poucos dias, em termos de museus, eu aconselharia 3 imperdíveis:

Museu do Palácio do Belvedere, fique ligado pois existem 2 museus lá o Belvedere Superior e o Belvedere inferior, o mais interessante é o superior que contém obras fantásticas de Gustav Klimt, sua obra mais célebre – O beijo está aqui. Mais um acervo importante de Egon Schiele.

Leopold Museum: que fica situado no Museumsquartier, abriga uma das mais importantes coleções de arte moderna e contemporanea do país.O museu contém a maior coleção das obras de Egon Shiele do mundo. E super recomendo você a dar uma paradinha para almoçar no café do museu é lindo com uma vista generosa de toda a praça dos museus.

Mumok: abreviação de “MUseum MOderner Kunst” ou Museu de Arte Moderna, tem um ótimo acervo de artistas como: Andy Warhol, Pablo Picasso, Josefh Beuys, Jasper Johns e Roy Lichtenstein. Fica ao lado do Leopold Museum.

É claro que Viena tem muitos outros, o Albertina, que uma vez era utilizado para acomodar os hóspedes da familia Habsburgo, tem um acervo incrível desde obras impressionistas francesas, além de possuir a maior coleção gráfica do mundo, entre desenhos, aquarelas, litografias, e não é de coisa pouca não, eles tem desenhos de Rafael, Leonardo da Vinci, Albrecht Durer, Michelangelo. E se você tiver sorte ainda é capaz de pegar uma exposição temporária importante. Nós tivemos a oportunidade de ver uma espetacular e completíssima do surrealista belga, René Magritte.

 

 

Fachada do Albertina,  com a exposição do Magritte

Quando saimos da exposição já estava anoitecendo e o frio pegando, seguimos pela  Herrengasse até o Cafe Central, um cafe histórico que abriu suas portas em 1876 e era frequentado pela intelectualidade vienense.

O ambiente é lindo com um pianista tocando o melhor da música clássica, por instantes, a gente se transporta no tempo e começa a imaginar Sigmund Freud, Adolph Loos, Trotsky, todos eles frequentadores do Cafe Central. O cardápio é variado, nós ficamos com as opções de sopas e vinho tinto, mas é claro que a Apfelstrudel não poderia faltar para encerrar um dia perfeito.

Apfeltrudel com sorvete de creme e nata de derreter os corações mais gelados…

Palácio do Belvedere superior, visita imperdível em Viena, abriga centenas de obras primas, entre elas O Beijo, de Gustav Klimt

Saguão do palácio, onde o antigo e o contemporaneo se encontram.

Por toda a cidade cartazes das várias exposições dedicadas a Klimt e seus seguidores, que estarão acontecendo em Viena em 2012, por ocasião dos 150 anos de nascimento do celebrado pintor austríaco. Meu conselho, se você está planejando vir a Europa este ano, inclua uma temporada em Viena,  uma oportunidade única de ver muitas obras primas reunidas.

Vir a Viena e não andar nos bondinhos vermelhos que fazem todo o trajeto da Ringstrasse é praticamente não ter vindo a Viena. A  Ringstrasse é uma avenida que faz um anel em torno do coração da cidade, ela foi idealizada e construida no século XIX influenciada pelo nascente modernismo ou art noveau, marcando uma mudança paradigmática no que era o planeamento urbano. Um dos cartões postais da cidade, pois nela estão os monumentos mais importantes, como a Ópera, a prefeitura, o parlamento, a universidade, os museus gêmeos que ficam um de frente para o outro de História Natural e o de Belas Artes.

Museumsquartier, um quarteirão que abriga vários museus, entre eles o Leopold e o MUMOK, museu de Arte Moderna

O Leopold Museum está apresentando um exposição maravilhosa da obra de Egon Shiele em paralelo com obras de outros artistas que chama-se Melancolia e Provocação, que teve sua exibição estendida até meados de abril. Reparem naquela passarela lá em cima, uma aba do ret/café do museu que é um must, uma vista de todo o pátio, vale a pena parar para um café ou quem sabe um vinho?

O cafe do Leopold Museum

Este post já está meio longo demais, no próximo vou contar onde se come o melhor Schnitzel de Viena, um lugar super simples, barato mas para quem gosta daqueles bifões a milanesa recheados com presunto e queijo mais molho de nata, este é o lugar! Até breve!

Posts relacionados

Viena no verão, a aristocracia modernizada

Viena revisitada – Parte I

Viena revisitada – Parte II

Para saber sobre roteiros em grupo ou assessoria particular do Viajando com Arte visite nosso site 

www.viajandocomarte.com.br

Mega exposição de René Magritte em Viena

13 de fevereiro de 2012 2

Depois de uma passagem relâmpago por Paris aterrisei em Viena hoje à tarde, nem vamos falar em temperaturas, neve, porque a esta altura o melhor é fingir demência e fazer de conta que o clima está muito agradavel, ao menos nos interiores austríacos!

Passei um dia longoooo, vocês sabem como apenas 1 dia de viagem pode ter 45 horas, sei lá as horas dão cria e já fizemos horrores de coisas por aqui. Amanhã á luz do dia vou tirar umas fotos legais para mostrar o hotel que estamos parando, um hotel moderno, todo design e super bem localizado, com vista para a Catedral St Stephen, no coração de Viena.

O que estou ansiosa para contar é a enorme e completíssima exposição que tive a oportunidade de ver no Museu Albertina hoje à tarde.

 A exposição que inaugurou em 9 de novembro de 2011, apresenta a obra do surrealista belga, René Magritte, um dos artistas mais célebres do século XX. Uma seleção de mais de 150 obras  reunidas em coleções de todo o mundo que cobrem todas as fases criativas da carreira de Magritte. Além das telas a exposição traz fotos, objetos pessoais, videos caseiros feitos por Magritte e sua esposa de toda a vida, Georgette, desenhos, notas, posters, enfim, para aqueles que apreciam a criatividade infinita do artista, a exposição é uma verdadeira festa.

 

A lojinha com as reproduções e outras coisinhas mais é uma tentação de consumo…

Se você tem planos de vir neste carnaval até Viena é uma visita absolutamente imperdível.

A exposição fica até 26 de fevereiro, simplesmente fantástica!

Se você quiser saber mais informações de viagens, cultura, restaurantes, museus curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187

Malas prontas para curtir a Europa no frio!!!

11 de fevereiro de 2012 2

 

 

Olá pessoal!

Estou partindo hoje à noite para uma temporada na friaca do velho continente, rezem por mim, pois esta pessoa aqui que vos escreve sofre horrores com o frio.

Mas como a Europa nos meses de janeiro e fevereiro esta sendo um destino cada vez mais procurado por nós, lá vou eu garimpar algumas dicas legais de arte, cultura, bares, restaurantes para vocês.

Meu roteiro começa em Viena onde eu não poderia deixar de conferir as exposições comemorativas dos 150 anos de nascimento de um dos meus artistas favoritos Gustav Klimt. E não é só isso Viena está bombando,muitas coisas legais e modernas rolando por lá.

Depois vou a Paris … ahhh Paris é para sempre!  Vou fazer umas explorações pelos bairros que cairam no gosto dos artistas e boêmios que são Belleville e arredores.

Uma pequena temporada em Val Thorens.

Fiquem ligados, vou estar contando TUDO aqui para vocês!!

Beijos!!!

Clarisse

Se você quiser saber mais informações de viagens, cultura, restaurantes, museus curta a nossa página Viajando com Arte no Facebook:

https://www.facebook.com/pages/Viajando-com-Arte/121374657937187