Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2016

Arvorezinha integra o Caminho dos Moinhos

30 de novembro de 2016 1

O Roteiro Caminho dos Moinhos ainda não saiu totalmente do papel. Faltam detalhes para o tombamento e recuperação dos prédios antigos. Além de Arvorezinha, o roteiro vai integrar os municípios de Anta Gorda, Ilópolis e Putinga. O passeio pretende mostrar ao turista registros da imigração italiana, do começo do século passado, por meio de construções de madeira. No momento, o único que tem um projeto turístico é o moinho Colognese, de Ilópolis, que fica ao lado do Museu do Pão, já mostrado pelo Blog.

DSCN4225

No Museu do Pão há informações sobre os moinhos, um deles é o Castaman, de Arvorezinha.

DSCN4234

Em Arvorezinha, na Linha Quarta Baixa, fica o Moinho Castaman, uma construção de 1947 e que ainda precisa ser restaurada.

DSCN4323

DSCN4325

O proprietário é o simpático senhor Hugo Castaman, que fala com carinho de seu patrimônio histórico e sobre o que o futuro reserva para o empreendimento. Está sendo buscada parceria para o restauro do moinho que funcionou até 1980.

DSCN4332

Tudo começou com o avó do seu Hugo, Pedro Castaman. No interior do moinho, seu Hugo guarda fotos antigas da família.

DSCN4329

DSCN4328

O Seu Natal Castaman, pai do seu Hugo, era uma espécie de guarda-livros, responsável pela contabilidade. O seu Hugo, com seus 14 anos de idade, ajudava em todas as atividades. Seu Hugo, agora, aguarda receber o certificado do curso de turismo rural que concluiu há pouco. Além do Moinho, há outras construções na propriedade que também serão restauradas.

DSCN4326

DSCN4327

Quase ao lado do moinho fica a Capela São Marcos, de 1921. O seu Hugo tem os desenho originais do projeto da capela feitos pelo avô, um engenheiro autodidata.

DSCN4333

DSCN4334

O Moinho Castaman fica numa estrada de chão que liga Arvorezinha e Anta Gorda. A estrada está em bom estado.

DSCN4331

DSCN4330

Passeando de carro pela região, o turista pode conhecer também outros moinhos que farão parte do roteiro. Eu também tenho perfil no Instagram. E estou no Twitter.

Em Boa Vista do Cadeado

28 de novembro de 2016 1

Quem sai de Cruz Alta para Ijuí encontra no caminho a estrada para Boa Vista do Cadeado – asfalto. E quem chega na cidade encontra pouca coisa. A cidade é bem pequena.

DSCN3576

Tem a pequena igreja e uma praça bem bonita.

DSCN3573

DSCN3578

DSCN3579

DSCN3580

DSCN3574

O nome de Boa Vista do Cadeado é de 1920. Havia uma fazenda na região cuja dona usava um enorme e descomunal cadeado em sua porteira. O povoado cresceu em uma bela colina que do alto se,enxergava a quilômetros de distância a paisagem  digna de uma “boa vista”.  Daí veio o nome: Boa Vista do Cadeado.

DSCN3575

DSCN3577

O nome da praça municipal é Olga Dall’Aglio. E o município tem cerca de 2.500 habitantes. E eu tenho fotos postadas no Instagram e no Twitter.

Na Boa Vista do Incra

26 de novembro de 2016 1

Uma pequena e organizada cidade que nasceu a partir de um assentamento. Um detalhe: o acesso principal é feito por estrada com calçamento. Não é asfalto. Nem chão. Apenas um calçamento, bem irregular em alguns pontos. Chegando na cidade, o visitante se surpreende. É pequena, mas limpa e parece bem organizada.

DSCN3571

DSCN3572

O assentamento começou com famílias atingidas pela construção da Barragem do Passo Real, a maioria pequenos agricultores oriundos dos municípios de Espumoso, Cruz Alta, Ibirubá e Selbach. Foi na década de 70. Boa Vista do Incra virou município. No centro, a igreja de Nossa Senhora Aparecida.

DSCN3569

DSCN3567

DSCN3568

Como se vê, a barragem de Passo Real realmente movimentou uma grande área do Rio Grande do Sul. Ainda hoje as águas do lago são aproveitadas por moradores de diversas cidades. E quem circula por lá há de reconhecer que é uma região muito bonita. Confira as minhas fotos no Instagram e veja meus passeios por aí. Eu também tenho conta no Twitter.

O Lago Verde e a Cascata da Baleia em Ilópolis

25 de novembro de 2016 2

Duas atrações naturais em Ilópolis. A barragem do Lago Verde foi construída no início da década de 40 para fornecer água à uma pequena usina hidrelétrica que funcionava no município.

DSCN4262

DSCN4263

Com a desativação da usina em 1981, a barragem perdeu sua finalidade original, mas firmou-se como um dos mais belos cartões postais de Ilópolis.

DSCN4264

DSCN4265

DSCN4269

DSCN4270

A água do lago às vezes tem um tom meio esverdeado devido à composição orgânica. O lago Verde fica bem perto do centro de Ilópolis. Há placas indicando o caminho. E logo depois do lago está mais uma atração, a Cascata da Baleia.

DSCN4278

A Cascata da Baleia é formada por três quedas d’água consecutivas, e atinge uma altura de 50 metros.

DSCN4277

Para chegar até a cascata, o turista precisa descer pouco mais de 200 degraus e caminhar por 200 metros de trilha.

DSCN4274

DSCN4276

Na área da cascata, mais uma vez percebe-se a falta de educação de alguns visitantes. Latas de cerveja entre as pedras e isso que existe uma lixeira na entrada.

DSCN4282

DSCN4287

DSCN4286

Bem, não se assuste com os degraus e a trilha. Vale a pena fazer a caminhada e conhecer a cachoeira.

DSCN4284

DSCN4285

A estrada que leva até a região da cachoeira está ótima e o trajeto é curto.

DSCN4288

E circulando pelo centro de Ilópolis, o visitante descobre algumas casas antigas.

DSCN4260

Confira também aqui no Blog outra atração de Ilópolis, o Museu do Pão. E curta minhas fotos no Instagram. Também estou no Twitter.

Ilópolis: Museu do Pão e o Santuário

23 de novembro de 2016 1

Fica no centro de Ilópolis uma das principais atrações turísticas da cidade, o Museu do Pão. É bem ao lado do Moinho Colognese, construído em 1917, que foi restaurado e hoje faz parte do conjunto arquitetônico do museu.

DSCN4228

DSCN4227

No Museu, o visitante conhece a história do pão, por meio de uma linha do tempo que mostra equipamentos utilizados desde o plantio de grãos até a elaboração do alimento. Há uma Oficina de Panificação, onde são ministrados cursos por pessoas especializadas na área de farináceos. O antigo moinho também é utilizado para visitas ao complexo.

DSCN4225

DSCN4226

No moinho funciona a a chamada Bodega, onde os atrativos são a degustação das iguarias feitas na oficina. No Moinho Colognese, é possível acompanhar o processo de transformação do grão em farinha, com equipamentos originais.

DSCN4231

DSCN4235

DSCN4229

O Museu do Pão funciona de terça a sábado, pela manhã e à tarde.

DSCN4236

DSCN4238

DSCN4237

Ilópolis é uma pequena cidade localizada no vale do Taquari. Fica a quase 200 Km de Porto Alegre. Pela BR-386 até Lajeado e depois pegando a RS-130 até Encantado, onde tem uma estrada à esquerda que leva para Anta Gorda, Ilópolis e Arvorezinha.

DSCN4242

DSCN4243

Ilópolis tem outra atração no Centro. O Santuário São Paulo Apóstolo, único local fora do Vaticano dedicado ao Apóstolo. A igreja foi construída em 1937 e no ano 2000 passou a ser chamada de Santuário.

DSCN4247

DSCN4246

DSCN4245

Uma curiosidade. No interior da igreja há área dedicada ao papa João Paulo II. Tem uma estátua em tamanho natural com uma veste doada pelo próprio papa. Ilópolis é o único município do mundo a ter um santuário em homenagem a João Paulo II. Por esse motivo, recebeu a doação de uma gota de sangue do papa, feita pelo cardeal Stanislaw Dziwisz, que foi assessor pessoal do pontífice.

DSCN4248

Ilópolis tem outras atrações, na área rural, que serão mostradas no próximo post. Eu também tenho fotos no Instagram e conta no Twitter

Jacuizinho e sua capela bem antiga

21 de novembro de 2016 1

O que chama mais a atenção na pequena cidade de Jacuizinho é a capela. É certamente uma das mais antigas da região, de 1883.

DSCN3549

DSCN3555

O nome da cidade se origina no Rio Jacuizinho, que passa por lá. É bem pequena e calma e tem dois acessos a partir da RS-318, um com asfalto e outro sem. Quem sai de Campos Borges, vai encontrar primeiro o acesso por estrada de chão. Mais adiante tem outro. Entre e conheça a cidade.

DSCN3551

DSCN3550

DSCN3553

DSCN3552

DSCN3554

Jacuizinho tem cerca de 2.500 habitantes, que vivem de forma bem tranquila, pelo que parece. Faça também uma visita ao meu perfil no Instagram. Também no Twitter.

Uma mistura de História com Natureza

20 de novembro de 2016 2

Saí um pouco do tradicional neste fim de semana. Normalmente um turista mais urbano, caminhei muito no meio do mato. A ideia inicial era passar a noite de sábado em Arvorezinha, para conhecer um pouco do roteiro Caminho dos Moinhos, mas na última hora faltou lugar no hotel. Então decidi ficar em Lajeado, mas mesmo assim passear pela região de Arvorezinha. A primeira parada foi na tranquila cidade de Ilópolis, que tem algumas casas antigas.

DSCN4223_640x480

Uma das atrações da cidade é o Museu do Pão.

DSCN4226_640x480

DSCN4243_640x480

Ilópolis tem seu Lago Verde, que leva este nome por causa da erva-mate, planta destaque da região.

DSCN4269_640x480

Seguindo um pouco mais adiante tem a cascata da Baleia. Para chegar lá é preciso descer – e depois subir – mais de 200 degraus escavados na terra. São mais de 200 metros de trilha.

DSCN4277_640x480

O roteiro de hoje teve muita estrada de chão, mas felizmente a maior parte delas em muito bom estado.

DSCN4288_640x480

A partir de Ilópolis tem uma estrada de asfalto – ruim – que leva à pequena cidade de Putinga onde, dizem, caiu um meteoro há muitos e muitos anos. No caminho, um dos moinhos que será atração do Roteiro, depois que for restaurado.

DSCN4258_640x480

Em Putinga, o que mais chama a atenção é a igreja.

DSCN4254_640x480

Seguindo caminho para Arvorezinha. Antes, hora de conhecer mais uma cidade gaúcha, a de número 334. Itapuca.

DSCN4290_640x480

Muito pequena mas me pareceu bem cuidada e bem organizada. Em Arvorezinha, o destino foi o Perau de Janeiro. Fica numa área distante uns 10 Km do asfalto, por estrada de chão, tendo a maior parte em bom estado. Para chegar ao perau – um paredão de pedra – é preciso caminhar por uma trilha de uns 700 m. Seguindo mais uns 400 ou 500 m chega-se ao rio Forqueta.

DSCN4301_640x480

DSCN4303_640x480

DSCN4305_640x480

Para conhecer a cascata, é preciso atravessar o rio, segurando num cabo de aço. Por falta de condições técnicas e preparo físico, etc, desisti de atravessar. Fica para uma próxima visita. Depois do perau, ainda em Arvorezinha, foi a vez de conhecer mais um Moinho, este o Castaman, que também deve ser restaurado para fazer parte do Caminho dos Moinhos. Fomos gentilmente recebidos pelo dono, o Sr.Hugo. Nos próximos dias vou postar mais fotos.

DSCN4325_640x480

DSCN4327_640x480

Quase ao lado do moinho fica a igrejinha de São Marcos, construída com apoio da comunidade.

DSCN4334_640x480

Em vez de voltar e pegar o asfalto em Arvorezinha, decidi seguir em frente na estrada de chão, para Anta Gorda. No caminho, uma surpresa.

DSCN4335_640x480

A igreja ao fundo fica em Itapuca, mesmo nome da cidade que visitei, mas um distrito de Anta Gorda. A igreja São José do Patrocínio.

DSCN4336_640x480

Dali até Anta Gorda e depois Lajeado, o caminho foi mais fácil… Nesta semana vou falar com mais detalhes do Museu do Pão e do Lago Verde e a Cascata da Baleia, de Ilópolis. Eu também tenho fotos no Instagram e tenho conta no Twitter.

Na cidade de Campos Borges

18 de novembro de 2016 1

Há muitas cidades pequenas e parecidas na região do Alto Jacuí. Campos Borges é uma delas. A diferença entre as cidades vizinhas, como Alto Alegre e Jacuizinho, é que Campos Borges é cortada pela rodovia, que acaba sendo a avenida principal.

DSCN3538

DSCN3541

Campos Borges também é uma pequena cidade, com população de quase 4 mil pessoas. A cidade é banhada pela barragem do Passo Real, mas parece que ainda não encontrou o caminho para explorar melhor o turismo. Tem uma igreja diferente das tradicionais, bem parecida com a igreja da cidade vizinha de Alto Alegre.

DSCN3537

DSCN3539

DSCN3540

DSCN3542

Campos Borges tem como vizinhos as cidades de Alto Alegre e Jacuizinho. Todas bem pequenas e bem parecidas. Me siga no Instagram e acompanhe as fotos de minhas viagens por aí. Também estou no Twitter.

Aventuras no Caminhos de Pedra

16 de novembro de 2016 6

Funciona há pouco tempo a nova atração do Caminhos de Pedra, em Bento Gonçalves. É um Eco Park, destinado a pessoas que gostam de esportes radicais. O Parque Caminho da Aventura é um lugar bem interessante que certamente vai atrair muitos turistas.

DSCN4162

O eco park Caminho da Aventura funciona junto à Salumeria Caminhos de Pedra, que é uma casa especializada em embutidos. O parque conta com uma super estrutura de atividades de aventura com Tirolesas, Rapel Torre, Bosque Aéreo e o Super Jump, além de contato com animais.

DSCN4164

DSCN4165

DSCN4160

O espaço do parque é um lugar bem legal de passear. Se você não estiver interessado em praticar esportes radicais não tem problema, pode descansar em locais espalhados pelo parque.

DSCN4166

DSCN4168

Mas claro que o bom é se divertir. A torre de Rapel, por exemplo, tem 18 metros de altura.

DSCN4167

Você pode subir apenas para fazer fotos, se preferir.

DSCN4174

DSCN4178

A principal atração é o inédito Super Jump, que nada mais é do que uma espécie de balanço gigante. Para quem gosta desse tipo de aventura, vale a pena experimentar.

DSCN4181

DSCN4182

DSCN4183

DSCN4185

DSCN4184

O parque funciona de quarta a domingo das 9h às 18h e nos outros dias com agendamento para eventos e treinamento empresarial.

DSCN4169

DSCN4170

DSCN4172

O ingresso custa R$ 5,00 e dá direito à degustação na Salumeria e circular livremente pela área do parque. Cada atividade tem um valor e pode, também, ser adquirido um combo.

DSCN4193

DSCN4191

A Salumeria e o Parque de Aventura ficam à esquerda de quem segue em direção à RS-448. É nas proximidades da Casa da Ovelha. Dá uma conferida no perfil deles no Facebook. Eu também tenho conta no Instagram e no Twitter.

Na pequena Alto Alegre

14 de novembro de 2016 1

A cidade é mesmo pequena, tem pouco mais de 2 mil habitantes e fica lá no Alto Jacuí, numa região que é dominada pela barragem do rio, com várias usinas. Alto Alegre foi fundada por imigrantes. Alemães e italianos. No centro tem a tradicional praça com a igreja, a de São Marcos, que não tem uma aparência bem diferente das igrejas tradicionais.

DSCN3528

DSCN3532

DSCN3533

O nome da cidade surgiu por ocasião da festa de inauguração da escola, em 28 de julho de 1934. Como a festa foi muito animada, o povo muito alegre, e o lugar bonito e muito alto, as autoridades presentes disseram que o lugar deveria chamar-se ALTO ALEGRE. A agricultura é a base da economia, predominando soja e trigo.

DSCN3529

DSCN3530

DSCN3531

Saindo de Alto Alegre em direção a Campos Borges tem a localidade de Linha Bonita, com o cemitério bem às margens da estrada.

DSCN3535

DSCN3536

Para acompanhar minhas fotos, confira meu perfil no Instagram. Eu também estou no Twitter.