Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 3 dezembro 2014

Veneno - I

03 de dezembro de 2014 Comentários desativados

arsenico-entre-os-venenos-mais-mortais

A história é cheia de más intenções. Desde que a humanidade existe, o veneno tem sido um instrumento com um malicioso fim. Os Atenienses da antiguidade, por exemplo, acusaram os Espartanos de envenenar suas fontes.

Guerreiros medievais de Tartar usaram vítimas de praga como veneno, atirando-os com catapultas por cima das muralhas inimigas com a finalidade de espalhar doenças.

Até mesmo hoje em dia, o veneno parece ser a arma de escolha para alguns contestadores internacionais.

Veja a recente eleição na Ucrânia – a que elegeu Viktor Yuschenko –. Ele foi vítima do veneno “dioxina”. O enredo é uma história criminosa real, completa com uma série de estranhos sintomas, incluindo a desfiguração física que poderia ter saído da Itália do século XV, onde o envenenamento não era somente uma ciência, mas uma arte.

Na nossa cabeça, sempre vem a família Bórgia, e até o nome estigmatizado que pelas histórias escritas. Sou levado a crer que entendiam do assunto, mas como dizem, sempre tem mais…

Eu imagino aqueles grandes banquetes esbórnias enormes com vinhos doces e de qualidade pra lá de discutível. Por que tomavam tanto vinho? Porque sabiam que água gerava desinterias enormes. Não era tratada nem fervida. Ponto para eles. Mas, imaginem aqueles festões; a comida devia ser preparada com 1 ou 2 dias de antecedência. Refrigeração? Nem pensar. O freezer então só chegaria 500 anos depois. As panelas? Boa parte delas de cobre e estanho.

Pensando bem…será que podemos culpar a Lucrécia e sua família por todos os crimes que lhes são atribuídos?

Bookmark and Share