Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Zumblick esclarece

13 de dezembro de 2009 0

Prezado Rafael,
Em leitura à nota publicada em sua coluna do dia 29 de novembro de 2009, intitulada “cadê a obra do Zumblick”, gostaria de fazer algumas considerações em nome da família Zumblick:

“Não resta a menor duvida que a fonte da sua informação, que teria o artista Willy Zumblick  pintado “no máximo, atingido a 3,9 mil quadros”  merece o nosso respeito, a nossa admiração e o nosso carinho, pelo esforço que vem desenvolvendo  juntamente com dois outros profissionais do mais alto gabarito, no intuito de difundir a cultura de Santa Catarina especificamente as obras do meu pai Willy Zumblick.
As informações que o pesquisador armazenou ao longo de seu estudo sobre a vida do “Seu” Willy, infelizmente não o permitiu conviver mais de perto com o artista no seu dia a dia, assim como seus filhos e parentes o fizeram, e que podem hoje reafirmar que a sua produção artística chegou a casa das 5.000 obras.
Tivemos ao longo das nossas vidas o privilegio de conviver ao lado do artista e verificar que o  “Seu” Willy  foi um ser humano extremamente organizado e minucioso em seus registros, chegando ao ponto de aos seus 13 anos de idade, guardar para a eternidade, gravuras de sua produção quando ainda aluno do Colégio São Jose da cidade de Tubarão.
A produção artística de Zumblick, sempre impressionou a todos que tiveram a liberdade de presenciá-la, pela a rapidez e agilidade em que construía suas obras, o que nos permite deduzir que somente com o “dom divino” alguém poderia fazer tal proeza. 
 Willy Zumblick, após realizar a sua atividade profissional de relojoeiro, no retorno a sua residência dedicava parte do horário noturno diário para sua produção artística.
Aos sábados e domingos com o cavalete em punho, saía em busca de paisagens no interior da região de Tubarão, para que “in loco” pudesse registrar as paisagens existentes.
Quando o clima não permitia esse trabalho ao ar livre, o artista imergia na tranqüilidade de seu atelier, e com  inspiração chegava a produzir de  3 ou 4 obras em um só dia, coisa que muitas vezes se vangloriava da beleza que havia criado.
Sua produção artística  variou desde a moldagem em gesso, onde normalmente presenteava aos amigos e admiradores, carros alegóricos que realizou por mais de 15 anos, painéis em edifícios, igrejas, Lojas Maçônicas, pintura em madeira, óleo sobre tela, aquarelas, desenho a lápis e caricaturas que ultrapassaram a 500.
Como filho e admirador de suas obras, não quero com isso polemizar o assunto, mas prestar uma informação correta sobre o número de obras produzida pelo artista.
Digo isso porque, tantas são as obras, que o esforço brutal que vem sendo desenvolvido pelos pesquisadores, agrupado pela falta de apoio financeira, não foi possível até a presente data, ainda,  catalogar centenas de  obras  pertencentes à própria família, como por exemplo,  de Roberto Zumblick (Tubarão), Mariana Zumblick Hoeler (Ibirama), Neuza de Sá Luz (Joinville), Helena Iolovitch (Porto Alegre) Edgar Sá (Rio de Janeiro) e outros.
É certo que, se fizermos um apelo aos proprietários de obras de Zumblick, somente nas cidades de Tubarão, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Blumenau, para não expandirmos para outras cidades do território catarinense, iremos nos surpreender com a quantidade de obras existentes em acervo particular ainda desconhecido pelos pesquisadores.
Se ampliarmos esse apelo às cidades do Rio de Janeiro/RJ,  Porto Alegre/RS, Curitiba/PR, São Paulo/SP, Brasília/DF, e nos países como Japão, Estados Unidos, Alemanha e Espanha, os números por si só confirmarão as palavras de Zumblick.
Enfim o que gostaríamos realmente de nos manifestar é sobre a necessidade de continuarmos apoiando o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores, para que possamos catalogar um número maior possível de obras do artista Zumblick, já que o mesmo, ao produzir os seus trabalhos, o fazia diariamente, incluindo aí os finais de semana, é se essa produção fosse de apenas 2 obras semanais na média é certo que teria o artista produzido 7.800 obras.
 Mas com uma produção invejada por todos, e que permitiu assim ao longo dos 75 anos de atividade artística, registrar um número expressivo de caricaturas, modelagem em gesso, centenas de gravuras, painéis e tela sobre óleo, essas em parte expostas em 79 (setenta e nove) exposições no território brasileiro, sendo que nem toda a sua produção artística conseguia permanecer no seu acervo particular para utilizá-la em  exposição, em razão do assédio de seus admiradores, que as adquiriam antes.
Ao finalizar, quero mais uma vez externar o agradecimento da  família Zumblick ao trabalho que vem sendo desenvolvido pelos senhores Volnei Martins Bez, Valmiré Rocha dos Santos e Carlos Rocha, que desde o ano 2.000 tem dedicado  parte de suas vidas incansavelmente com o fim de catalogar as obras de Zumblick.
Não nos resta outra coisa a não ser prestigiá-los, buscando apoio na iniciativa privada e pública, já que até a presente data, infelizmente não conseguimos sensibilizar-los para alocar recursos para a publicação do catalogo de 1.200 quadros, é que sem esses valores, cada dia torna-se mais distante os sonhos dos pesquisadores que também é nosso, de rapidamente tornarmos realidade, a catalogação das 5.000 obras produzidas pelo artista para que sejam impressas transformadas em DVD, além de permitir o acesso desse acervo via site na internet.”

Atenciosamente,
Raimundo Zumblick
Filho do artista
zumblick@hotmail.com

comentários

Envie seu Comentário