Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Árvore de Natal: novo capítulo

21 de dezembro de 2009 27

Nova reviravolta no caso da árvore de Natal da Beira-Mar Norte. O juiz de 2º grau Domingos Paludo  concedeu liminar à Palco Sul suspendendo as duas liminares que proibiam a prefeitura de repassar os valores do contrato à empresa.

O magistrado autoriza o repasse de R$ 1.54 milhão à Palco Sul, desde que ela apresente uma caução (garantia) real justamente para garantir eventual ressarcimento aos cofres públicos, quando ocorrer o julgamento final.

Tem advogado impressionado com a ousadia do magistrado, que simplesmente revisou a decisão de nanda menos do que 37 desembargadores do Tribunal de Justiça, durante a última sessão do pleno do TJ, na semana passada.

A novela, pelo visto, está longe do fim.

comentários

Comentários (27)

  • Paulo diz: 21 de dezembro de 2009

    Rsrsrs

    Vai tudo acabar em pizza sabor palhaço, ou seja nós contribuintes.

    Rsrsrss

    E a vida continua no pais da risada

  • Edison M.Pereira diz: 21 de dezembro de 2009

    O que causa indignação e ver o empreiteiro e os Srs. Secretario de Turismo e Prefeito ameaçando não funcionar a iluminaçao da árvore sem o referido pagamento… Isto é na realidade chantagem emocional com o povo e ainda exigem garantias juridicas para os referidos e suspeitos pagamentos… Cadeia seria muito pouco.
    A arvore até pode ficar apagada….mas a dignidade do povo florianopolitano haverá de permanecer acessa.

  • Dayene diz: 21 de dezembro de 2009

    E viva o povo brasileiro, idiotas ainda reelegem esses palhaços …

  • Gilberto vanin diz: 21 de dezembro de 2009

    Mas o que vcs. estavam esperando? Justiça?
    Num estado que talvez eleja Ideli Sargento Salvatti para o governadora, imaginem o que vai vir mais adiante! È por isto que os gaúchos vem para cá, tomam conta, ganham dinheiro, e dizem que aqui é o paraíso! E a manezada bate palmas pro Planeta Atlantida, baile de Tchê Music, show de gaudério que ninguem conhece, etc.! Acordem para esta falcatruas que estão acontecendo! Chega de Andréa Bocceli para os otários contribuintes! Que tal mais saneamento básico? Sistema viário decente? Policiamento na rua (não na praia)?
    Só uma dica: A Palco Sul nada mais é do que a Palco Um de Caxias do Sul (RS), ou seja: fachada de mais uma empresa gaúcha! (E aí Carlão?) E que já entrou tambem em Balneário Camboriú! (E aí Piriquito?). Alguem está levando muito nesta história da árvore!

  • Haroldo diz: 21 de dezembro de 2009

    Que se poderia esperar, que de todo este grupo de criminosos a justiça seria a certinha – claro que não – são tão sujos como o prefeito ou o governador, ou o senador, ou o presidente, senão pior. Este país é uma podridão sem solução, quem acha que vai haver justiça e honestidade só vai mesmo se decepcionar.

  • Alex diz: 21 de dezembro de 2009

    Tem muitos aproveitadores querendo ver o circo pegar fogo. É uma pena, tal guerra política, e no meio disto tudo o cidadão que paga seus impostos em dia vendo a festa ir para o espaço. Não sei se houve falcatrua, se houve é muita falta de responsabilidade para com os manézinhos e turistas que se programaram.

  • willian franco walst diz: 21 de dezembro de 2009

    Mais uma vez o judiciário foi comprado!

  • rafael diz: 21 de dezembro de 2009

    Bom, dizem que 10% é pra garçon, se esse cara ganhou 30% em 13 milhoes que é o total da arvore mais o reveillon que disviaram do tapete preto sem autorização da camara.. deixa eu ver… 3,9 milhoes? não.. isso tudo não né! Olha, perderam a nossão, antes era cinquentinha.. cenzinho… agora é milhões meu! Estão é certo, tem otário pra pagar mesmo!

  • dINHO diz: 21 de dezembro de 2009

    E depois dizem que dá pra confiar na justiça. O que este juiz fez foi mais ou menos assim: Eu autorizo, mas me deixa uma garantia …porque se o negócio melar …não ponho o meu na reta. É o cúmulo da hipocrisia e revela como as coisas acontecem por baixo dos panos. A que ponto chegamos …é triste, mas é real!

  • Miguel Martins diz: 21 de dezembro de 2009

    Como tudo no Brazil acaba em Pizza, a questão da Arvore de Floripa também acabou em Pizza, enquanto isso, Via expressa Sul continua o cartão de visitas negativo da cidade, sem contar que na volta as aulas vai ter escolas sem condições de receber os alunos por falta de manutenção nas escolas,o Trapiche da Beira-Mar norte continua sem manutenção,e nós contribuintes que vivemos os 12 meses de cada ano, somos trocados por forasteiros que passam alguns dias por aqui e que nada contribuem para a cidade,muito pelo contrário poluem nossas ruas nossa praias, e ainda vão embora falando mal.

  • Viajante diz: 21 de dezembro de 2009

    Será ousadia a palavra certa? Considero essa a palavra politicamente correta, traduzindo para o idioma cotidiano foi uma atitude fétida do referido magistrado. Nela ele põe nós contribuintes no nosso devido lugar (segundo a visão “deles”) que é o lugar de provedor de recursos financeiros para a administração pública, e que não tem nada que palpitar sobre o que os “agentes públicos” fazem ou deixam de fazer com o dinheiro público. Chego a achar que eles acham graça quando pedimos melhores escolas públicas, creches, sistema de saúde, melhor mobilidade urbana, um transporte público descente, respeito às leis ambientais, entre outros pedidos justos para um municipio harmonioso.
    É o golpe perfeito minha gente, libera os pagamentos com a condição de que tenha um cheque calção para caso o esquema for desmascarado o cheque vá para as contas do município. Alguma dúvida dos próximos julgamentos?
    A quadrilha já está formada para servir, pizza e muito espumante….

  • Gilberto Vanin diz: 21 de dezembro de 2009

    Que interessante! Só porque falei que os gaúchos estão tomamdo conta de Santa catarina, não publicaram o meu comentário à respeito da árvore! Very interesting!

  • marco diz: 21 de dezembro de 2009

    A verdade é que a maioria da população já não está nem ai com essa ladainha. Atitudes vergonhosas de políticos inescrupulosos nos fazem pensar se o natal, essa data especial para o povo brasileiro, merece tal polêmica. Cambada de salafrários…Então é natal…

  • Christian diz: 21 de dezembro de 2009

    Gostaria muito que o Prefeito e o seu bendito secretário de Florianópolis obeserva-sem a decoração de natal da cidade de Palhoça, simples, bonita, custo baixo e com certeza não daria MP.

  • Alexandre diz: 21 de dezembro de 2009

    Sinceramente espero que a Palco Sul não aceite.
    Isso é vergonhoso! Quantas liminares ainda serão concedidas?
    E que juízes sem moral, sem respeito pelo trabalho de seus colegas são esses? Ou é só pra mostrar quem manda mais? E agora, que os shows já foram cancelados, de que adianta remontar o palco? É melhor desmontar tudo de uma vez.

  • Jânio Vieira diz: 21 de dezembro de 2009

    Quanta Falta de planejamento, esperamos que a justiça verifique o contrato do Show que pode acontecer, o de 4 milhões…..
    Uma perguntinha???? o sr verdade, comentarista Prates não vai falar nada sobre isto, ele tem medo do que…. deixem ele falar por favor, quero ver se ele vai chamar o prefeito de bandido.

  • Carlos diz: 21 de dezembro de 2009

    Infelizmente, trata-se de mais um episódio da “política da transparência” que transparece em bolsos ou bolsas já abastardos. O desejo por árvores tecnilógicas e luzes guarda, também, uma sintonia com uma sociedade de consumo e da aparência…
    Etiene de La Boétie já disse: “Cada povo tem o governo que merece.” O sistema democrático também pode promover aproveitadores e corruptos…

  • Sara F. diz: 21 de dezembro de 2009

    Vir de tão longe e ver a arvore apagada foi uma decepção…
    =[

  • MoFig diz: 22 de dezembro de 2009

    Cadeia seria pouco caso se confirme o “desvio”! Por favor, deixem esta árvore apagada e vamos apurar e divulgar a real situação. Outra idéia interessante seria investigar, inclusive anos passados, o custo ($$$$$) do foguetório de final de ano: gastava-se em torno de um milhão e meio ($$$$$) para disparar 10/15 minutos de foguedos; isso quando não chovia. Como é fácil gastar ( ???) o dinheiro alheio.

  • Conrado diz: 22 de dezembro de 2009

    Se tudo vai acabar em pizza mesmo, então deixem os shows acontecerem!

  • Alexandre diz: 22 de dezembro de 2009

    Estava vendo agora a noite, uma declaração do Sr. Mário Cavallazzi informando que a apresentação do Bocelli e a queima de fogos está suspensa. Motivos:
    Não há tempo hábil para contratação de empresa se som com qualidade adequada para o Sr. Bocelli. Mas isso não deveria estar arranjado a muito tempo atrás? Essa declaração não faz o menor sentido.
    E que a queima de fogos ainda não tem nenhum contrato assinado e nenhuma licença (Marinha, Bombeiros e Polícia Civil). Isso também não devia ter sido providenciado a muito tempo atrás?
    Ou isso é mentira, ou incopetência….

    Enquanto isso, Florianópolis virou a vergonha nacional….

  • Wagner diz: 22 de dezembro de 2009

    Como assim 37 desembargadores realizaram um julgamento juntos??
    Desde quando os 37 desembargadores manifestaram todos decisão qualquer sobre tal questão?
    Não estou muito por dentro do assunto, mas o pouco que sei é suficiente para dizer que me parece muito sensacionalismo nesta notícia, totalmente desconexa com a realidade, demonstrando maior compromisso com a manchete do que com a verdade!!
    Não estou defendendo Dário e toda a sua trupe, estou é desmascarando uma tentativa infeliz de denegrir a imagem do magistrado, que constitucionalmente possui o direito ao livre convencimento, desvencilhado da opinião de outros magistrados, mas sim a sua concepção de Justiça e de Direito.
    Vale ressaltar que ele pediu uma garantia para que, se julgado o mérito e identificadas irregularidades, o erário público estará garantido com valores depositados em juízo no montante contratado, muito prudente sua decisão, pois, se ao final do processo verificado que toda a especulação investigada não passa de denúncia vazia, evitará danos irressarcíveis.

  • rodrigo diz: 22 de dezembro de 2009

    o problema é que mesmo não havendo desvio de dinheiro público, o que parerce que há, uma prefeitura que tem a cara de pau de gastar R$ 3.700.000,00 no aluguel de uma árvore de natal não presta. não tem capacidade de administrar um município. problemas na cidade existem aos montes. porque este bando de sem vergonha não se preocupa em melhorar a cidade e investir em infraestrutura? florianópolis está intransítalvel e este prefeito boçal e seu secretario de turismo gastam esta fortuna numa árvore alugada. se o povo tivesse vergonha na cara não elegeria esta turma de novo nem para síndico de prédio.

  • Edian diz: 22 de dezembro de 2009

    Penso que Florianópolis é uma cidade turística e vale um investimento em atrações que trará retorno com a vinda dos turístas. Lembram que no anos anteriores foi Florianópolis e o Rio que a Globo exibiu no reveillon, tem promoção maior do que está. Agora imagina um fim de ano sem Florianópolis, o prejuízo com certeza será muito maior que 3 milhões. Esse pessoal que pensa pequeno e não entede que turismo é investimento, tem que ir morar no mato e em cidades pequenas do interior, aí não terão nada para reclamar.

  • Jefferson Braga diz: 22 de dezembro de 2009

    Já faz parte do folclore da cidade nosso “Grande Juiz Paludo”, e suas decisões que sempre favorecem uma minoria. Pagamento mediante caução, faça-me um favor. Qual é a próxima piada??

  • Alexandre diz: 22 de dezembro de 2009

    Quem sabe, já que pelo visto não haverá queima de fogos no dia 31, não fazemos uma bela fogueira à beira mar?? A “árvore” já está lá mesmo sem ser usada……. Pelo menos ia ficar bem iluminado….

  • Mirian Brasil diz: 23 de dezembro de 2009

    É inacreditável, mas é a verdade mais pura: nossos juizes, que deveriam ser exemplo de lisura (no sentido de boa-fé, claro), são os que mais veem contribuindo para as injustiças se fortalecerem… a lisura (no sentido do que é liso) já contaminou até aos que se dizem justos.
    Em pouco tempo não se falará mais na arvore e a grana será torrada com prazer pelos que se fartaram neste final de ano às custas do contribuinte.

Envie seu Comentário