Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de dezembro 2009

Filho de Sarkozy em Florianópolis

31 de dezembro de 2009 0

Mais uma celebridade deve desembarcar na Ilha neste verão. A informação ainda não foi confirmada, mas há o rumor de que Florianópolis pode receber a visita de Pierre Sarkozy, filho do presidente francês Nicolas Sarkozy, nos primeiros dias de janeiro.

Aos 25 anos, Pierre é músico, produtor de hip hop e low profile. É o mais velho dos filhos do primeiro casamento do presidente. Seu irmão caçula, Jean, recentemente foi o pivô do caso de nepotismo de Sarkozy, ao assumir a direção do La Defense.

O filho do presidente virá a Santa Catarina acompanhado de dois amigos e dois seguranças. Ele passará o Réveillon no Rio de Janeiro. O que vem fazer em Floripa, não sabemos, mas Pierre é habituè em festas vips pelo mundo.

Mas, de todos os Sarkozy, a visita mais esperada seria a de Carla Bruni, não é verdade?

Atualização

28 de dezembro de 2009 5

Tá lá no site da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Esporte: Confirmado! Andrea Bocelli em Florianópolis. A data para o show? Hoje, dia 28 de dezembro, na Avenida Beira-Mar Norte, com entrada gratuita, inserida programação das festas de final de ano. Tá certo que é uma semana diferente, com grande parte dos funcionários em férias, mas uma atualização na página da internet é o mínimo que se pode esperar. Ou seria pedir muito. Imagina o turista que resolve pesquisar a programação para passear pela Ilha, por exemplo, e resolve dar uma esticadinha para assistir ao show que ele viu anunciado no site? Que mico!

Árvore de Natal: novo capítulo

21 de dezembro de 2009 27

Nova reviravolta no caso da árvore de Natal da Beira-Mar Norte. O juiz de 2º grau Domingos Paludo  concedeu liminar à Palco Sul suspendendo as duas liminares que proibiam a prefeitura de repassar os valores do contrato à empresa.

O magistrado autoriza o repasse de R$ 1.54 milhão à Palco Sul, desde que ela apresente uma caução (garantia) real justamente para garantir eventual ressarcimento aos cofres públicos, quando ocorrer o julgamento final.

Tem advogado impressionado com a ousadia do magistrado, que simplesmente revisou a decisão de nanda menos do que 37 desembargadores do Tribunal de Justiça, durante a última sessão do pleno do TJ, na semana passada.

A novela, pelo visto, está longe do fim.

Porco pizza cai na rede

18 de dezembro de 2009 0

Desde que o cozinheiro Pedro Pesavento, 53 anos, exibiu a sua inusitada receita do porco pizza na RBS TV, no dia 6 de dezembro, sua vida virou de cabeça pra baixo. Mesmo sem nunca ter acessado a internet, o assador agora é hit na rede mundial. Segundo o G1, centenas de citações, principalmente de brasileiros, foram parar no Twitter. A coisa tomou tamanha dimensão que um perfil do cozinheiro foi criado e um falso “Seu Pedro” responde perguntas sobre o prato no microblog. No último dia 12, a receita foi destaque no Boing Boing, blog gringo que é um dos mais populares do mundo. Para assistir ao vídeo acesse http://migre.me/eBv2.

Discrição

17 de dezembro de 2009 0

Feijão tropeiro, rapadura, paçoca e outras iguarias da culinária nordestina fazem parte do cardápio que será servido no casamento da senadora Ideli Salvatti com o sargento músico do Exército, Jeferson da Silva Figueiredo, marcado para às 17h de sábado, em um hotel no Norte da Ilha. Ela fez questão de convidar somente amigos próximos e familiares para não caracterizar como um evento político. No dia 20, o casal embarca para a Itália, onde permanece até o dia 5 de janeiro.

Julgamento no TCE fica para 2010

16 de dezembro de 2009 0

O representante do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado pediu vistas do despacho da auditora Sabrina Nunes Iocken, que na semana passada também determinou que a prefeitura deixasse de pagar as duas parcelas ainda pendentes da árvore de Natal (R$ 580 mil em 20 de dezembro e R$ 1 milhão em 1º de janeiro de 2010). Com isso, o julgamento do caso pelo TCE, previsto para a tarde desta quarta-feira, fica para o ano que vem.

Natal do sonho vira pesadelo

16 de dezembro de 2009 2

A Justiça acaba de dar um exemplo de que, quando quer, consegue ser ágil. Exatas 18 horas depois de acatar o pedido de suspensão das liminares que cancelavam os contratos da Prefeitura com a Palco Sul, ela voltou atrás.

Ao meio-dia de hoje o pleno do Tribunal de Justiça decidiu proibir a prefeitura de realizar qualquer pagamento ainda pendente à empresa responsável pela locação da árvore de Natal milionária de Florianópolis.O próprio desembargador Carlos Prudêncio, que ontem, terça-feira, havia dado despacho suspendendo as liminares que cancelavam o contrato entre a prefeitura e a presa Palco Sul, reviu seu posicionamento e decidiu, hoje, pela suspensão dos pagamentos futuros.

Com a decisão, a prefeitura está proibida de pagar as parcelas de R$ 580 mil e R$ 1 milhão, previstas, respectivamente, para os dias 20 de dezembro e 1º de janeiro de 2010.O julgamento foi em resposta a Agravo Regimental interposto ontem à noite pelo vereador João Amin.Dos 35 desembargadores presente à sessão do Pleno (colegiado formado por todos os 50 magistrados da Corte), 27 votaram pela suspensão dos pagamentos futuros e oito pelo cancelamento integral do contrato, como determinou o juiz da Vara da Fazenda Pública da Capital.

Um dos votos mais contundentes foi do desembargador Lédio Rosa de Andrade. Para o magistrado, “há indícios fortíssimos de que estamos diante da possibilidade de um grande escândalo envolvendo o dinheiro público”.

Outros desembargadores também se manifestaram e afirmaram, entre outras coisas, que o contrato de R$ 3,7 milhões firmado entre a prefeitura e a empresa Palco Sul representa “lesão para os cofres públicos”, “ato absolutamente ilegal”, “inexigibilidade de licitação flagrantemente ilícita”.

Para o secretário de Turismo de Florianópolis, Mário Cavallazzi, o Natal dos Sonhos de Floripa se transformou em pesadelo.

 

 

 

Nacional

14 de dezembro de 2009 0

A discussão em torno da árvore de Natal na Beira-mar Norte está ganhando repercussão Nacional. Jornal Hoje, da Rede Globo, relatou a polêmica sobre a altura e preço da atração, estimado em R$ 3,7 milhões. Enquente realizada pelo Jornal do Almoço mostrou que 64% das pessoas são favoráveis à discussão do assunto. Hoje à noite, também acontece a primeira sessão da Câmara de Vereadores depois que a Justiça entrou em campo. Promete.

Zumblick esclarece

13 de dezembro de 2009 0

Prezado Rafael,
Em leitura à nota publicada em sua coluna do dia 29 de novembro de 2009, intitulada “cadê a obra do Zumblick”, gostaria de fazer algumas considerações em nome da família Zumblick:

“Não resta a menor duvida que a fonte da sua informação, que teria o artista Willy Zumblick  pintado “no máximo, atingido a 3,9 mil quadros”  merece o nosso respeito, a nossa admiração e o nosso carinho, pelo esforço que vem desenvolvendo  juntamente com dois outros profissionais do mais alto gabarito, no intuito de difundir a cultura de Santa Catarina especificamente as obras do meu pai Willy Zumblick.
As informações que o pesquisador armazenou ao longo de seu estudo sobre a vida do “Seu” Willy, infelizmente não o permitiu conviver mais de perto com o artista no seu dia a dia, assim como seus filhos e parentes o fizeram, e que podem hoje reafirmar que a sua produção artística chegou a casa das 5.000 obras.
Tivemos ao longo das nossas vidas o privilegio de conviver ao lado do artista e verificar que o  “Seu” Willy  foi um ser humano extremamente organizado e minucioso em seus registros, chegando ao ponto de aos seus 13 anos de idade, guardar para a eternidade, gravuras de sua produção quando ainda aluno do Colégio São Jose da cidade de Tubarão.
A produção artística de Zumblick, sempre impressionou a todos que tiveram a liberdade de presenciá-la, pela a rapidez e agilidade em que construía suas obras, o que nos permite deduzir que somente com o “dom divino” alguém poderia fazer tal proeza. 
 Willy Zumblick, após realizar a sua atividade profissional de relojoeiro, no retorno a sua residência dedicava parte do horário noturno diário para sua produção artística.
Aos sábados e domingos com o cavalete em punho, saía em busca de paisagens no interior da região de Tubarão, para que “in loco” pudesse registrar as paisagens existentes.
Quando o clima não permitia esse trabalho ao ar livre, o artista imergia na tranqüilidade de seu atelier, e com  inspiração chegava a produzir de  3 ou 4 obras em um só dia, coisa que muitas vezes se vangloriava da beleza que havia criado.
Sua produção artística  variou desde a moldagem em gesso, onde normalmente presenteava aos amigos e admiradores, carros alegóricos que realizou por mais de 15 anos, painéis em edifícios, igrejas, Lojas Maçônicas, pintura em madeira, óleo sobre tela, aquarelas, desenho a lápis e caricaturas que ultrapassaram a 500.
Como filho e admirador de suas obras, não quero com isso polemizar o assunto, mas prestar uma informação correta sobre o número de obras produzida pelo artista.
Digo isso porque, tantas são as obras, que o esforço brutal que vem sendo desenvolvido pelos pesquisadores, agrupado pela falta de apoio financeira, não foi possível até a presente data, ainda,  catalogar centenas de  obras  pertencentes à própria família, como por exemplo,  de Roberto Zumblick (Tubarão), Mariana Zumblick Hoeler (Ibirama), Neuza de Sá Luz (Joinville), Helena Iolovitch (Porto Alegre) Edgar Sá (Rio de Janeiro) e outros.
É certo que, se fizermos um apelo aos proprietários de obras de Zumblick, somente nas cidades de Tubarão, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Blumenau, para não expandirmos para outras cidades do território catarinense, iremos nos surpreender com a quantidade de obras existentes em acervo particular ainda desconhecido pelos pesquisadores.
Se ampliarmos esse apelo às cidades do Rio de Janeiro/RJ,  Porto Alegre/RS, Curitiba/PR, São Paulo/SP, Brasília/DF, e nos países como Japão, Estados Unidos, Alemanha e Espanha, os números por si só confirmarão as palavras de Zumblick.
Enfim o que gostaríamos realmente de nos manifestar é sobre a necessidade de continuarmos apoiando o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores, para que possamos catalogar um número maior possível de obras do artista Zumblick, já que o mesmo, ao produzir os seus trabalhos, o fazia diariamente, incluindo aí os finais de semana, é se essa produção fosse de apenas 2 obras semanais na média é certo que teria o artista produzido 7.800 obras.
 Mas com uma produção invejada por todos, e que permitiu assim ao longo dos 75 anos de atividade artística, registrar um número expressivo de caricaturas, modelagem em gesso, centenas de gravuras, painéis e tela sobre óleo, essas em parte expostas em 79 (setenta e nove) exposições no território brasileiro, sendo que nem toda a sua produção artística conseguia permanecer no seu acervo particular para utilizá-la em  exposição, em razão do assédio de seus admiradores, que as adquiriam antes.
Ao finalizar, quero mais uma vez externar o agradecimento da  família Zumblick ao trabalho que vem sendo desenvolvido pelos senhores Volnei Martins Bez, Valmiré Rocha dos Santos e Carlos Rocha, que desde o ano 2.000 tem dedicado  parte de suas vidas incansavelmente com o fim de catalogar as obras de Zumblick.
Não nos resta outra coisa a não ser prestigiá-los, buscando apoio na iniciativa privada e pública, já que até a presente data, infelizmente não conseguimos sensibilizar-los para alocar recursos para a publicação do catalogo de 1.200 quadros, é que sem esses valores, cada dia torna-se mais distante os sonhos dos pesquisadores que também é nosso, de rapidamente tornarmos realidade, a catalogação das 5.000 obras produzidas pelo artista para que sejam impressas transformadas em DVD, além de permitir o acesso desse acervo via site na internet.”

Atenciosamente,
Raimundo Zumblick
Filho do artista
zumblick@hotmail.com

Luzes da discórdia

11 de dezembro de 2009 5

Quem acompanhou o debate no programa Conversas Cruzadas, da TVCOM, nesta sexta-feira à noite, viu a discussão em torno de uma árvore de Natal se transformar em campo de batalha político. De um lado, o secretário de Turismo Mário Cavallazzi e, do outro, o vereador João Amin. Ânimos acirrados, pouco o assunto avançou em relação a questões importantes como a verba total destinada à atração natalina.

Confira aqui íntegra da discussão