Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Exemplo perigoso

11 de janeiro de 2010 0

Pegou mal entre os policiais a exposição do comandante da PM, coronel Eliésio Rodrigues, na negociação com o sequestrador do ônibus 1274, Valmir Florentino Costa, 37 anos. O oficial ficou a poucos metros do ônibus, sem usar colete à prova de balas, o que, segundo especialistas, é uma falha grave neste tipo de situação. E se ele levasse um tiro, quem iria se responsabilizar?
Ontem pela manhã, em entrevista à rádio CBN/Diário, o coronel disse não gostar de usar colete. É aquela história: o exemplo vem de cima.

***

Em 2000, Sandro Nascimento protagonizou um episódio semelhante, que ficou conhecido como o sequestro da linha 174, no Rio de Janeiro. Com transmissão ao vivo, em rede nacional, Sandro, então um adolescente, morador de rua, viu-se cercado pela PM e fez alguns dos passageiros como reféns. Depois de horas de negociação, um final trágico: por um erro policial, a refém foi baleada e morta. Sandro foi colocado vivo no camburão da PM. Chegou sem vida na delegacia. Linha de ônibus com final 74, todo cuidado é pouco.

comentários

Envie seu Comentário