Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cartão vermelho

23 de fevereiro de 2010 1

O governo do Estado vetou projeto aprovado no afogadilho pela Assembleia Legislativa, em dezembro do ano passado, que autoriza os funcionários públicos que exercem atividade de árbitro ou auxiliar de futebol a se ausentarem das atividades, caso sejam escalados em competições esportivas, sem o devido registro de falta ou desconto no salário. A proposta, de autoria do então deputado Giancarlo Tomelin (PSDB), foi considerada iconstitucional pelo Executivo. Agora, o projeto volta ao plenário do Legislativo para analisar o veto. Carreira de árbitro de futebol precisa ser profissionalizada. Não de uma lei pra “quebrar um galho”. Imagina se a moda pega….

comentários

Comentários (1)

  • erval cançado diz: 23 de fevereiro de 2010

    Pelo que todos sabem, menos o competente deputado, a Constituição Federal só permite acumular funções remuneradas em restritos casos, e se houver compatibilidade de horários. Numa só tacada o projeto ofendeu as duas condicionantes da Carta Magna. No entanto, temos visto que vários servidores públicos estão descumprindo a Constituição e as leis estatutárias de suas corporações, sob o olhar complacente e cúmplice de suas chefias.

Envie seu Comentário