Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Anita Furacão

12 de março de 2010 0

Os centros meteorológicos regionais e as empresas de meteorologia do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, entre eles o da Epagri, decidiram batizar de Anita a rara tempestade tropical que se formou na costa da região entre os dias 9 e 10 de março. O nome é uma referência à figura de Anita Garibaldi, personagem que representa as histórias dos dois estados afetados pela tempestade. A escolha de um nome feminino também levou em conta o fato de o ciclone ter se formado após o Dia Internacional da Mulher. Por ser uma região do planeta onde ciclones tropicais são muito raros, o Atlântico Sul não possui um centro meteorológico de área escolhido pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) para o acompanhamento e a previsão deste tipo de fenômeno. Desta forma, também não há uma lista nem uma instituição previamente encarregada da escolha dos nomes dos ciclones tropicais. Os meteorologistas que batizaram a tempestade como Anita tomaram a iniciativa por entenderem que facilita menções, estudos futuros e, principalmente, simplifica a comunicação com o público, uma vez que, inicialmente, ela foi identificada apenas sob o código 90Q.

comentários

Envie seu Comentário