Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Expectativa: só falta Piazza falar!

19 de julho de 2010 5

Na primeira manifestação pública depois que veio à tona o escândalo da restauração do Palácio Dias Velho (antiga Câmara de Vereadores), o prefeito Dário Berger fez questão de desqualificar o convênio assinado entre o município e o instituto DiverSCidades, presidido pela ex-diretora de Planejamento do Ipuf, Maria Cristina Piazza.

Durante a transmissão de posse do cargo de prefeito para o vereador Márcio de Souza, disse que trata-se apenas de uma espécie de acordo de intenções, que o convênio foi suspenso e a servidora exonerada, assim que ele tomou conhecimento dos fatos.

Quem ainda não falou foi a própria Cristina. Ela prometeu para esta terça-feira dar uma entrevista coletiva sobre o episódio, mas o celular dela permaneceu desligado, hoje, durante todo o dia. Novas especulações sobre as ramificações do DiverSCidades surgem a cada instante.

Neste caso, o silêncio só causa ainda mais prejuízos à imagem da arquiteta e da sua ONG. Tomara que ela resolva falar nesta terça-feira, para esclarecer todas as dúvidas.

comentários

Comentários (5)

  • Roberta diz: 19 de julho de 2010

    Quer dizer que em entrevista o Secretário Rauem não sabe de nada? Mas não foi ele que indicou a Cristina Piazza para o cardo de Diretora no IPUF? Mas não foi ele que contratou por sua secretaria a arq. Tatiane Passos, tbém da AdverSCidades e braço direito da Cristina Piazza?

    Então tá… qual é o nome do filho do Secretário Rauem que andava pra cima e pra baixo até há poucos dias com a Cristina Piazza?

    Quer dizer que o super secretário não lê o que assina e não sabia que a Cristina Piazza era Presidente do DiverSCidades? Vai dizer agora que não sabia que o filhote trabalha no Instituto DiverSCidades e com a Cristina Piazza??? Ah, não lembra tbém que o SENGE – Sindicado dos Engenheiros o qual é presidente foi um dos patrocinadores daquele Seminário Internacional Architecture que aconteceu em setembro/2009 e organizado pela DiverSCidades???

    Nossa, mas é esquecido esse Secretário né? Ou será que está nos tirando pra idiota? Será que a Arq e professoa Cristina Piazza vai ter aminésia tbém? Ah, e isso tudo acontecendo dentro do IPUF e o Diretor Presidente Átila e o Assessor Professor Francisco não sabiam de nada tbém? Uai, mas o IPUF já não bancou algum evento através desse DiverSCidades ou SHOPCONSULT – Marketing & Eventos (ops, parece que a Cristina Piazza faz parte dessa Empresa tbém – http://www.shopconsult.com.br/shopconsult.php)?

    Isso tá me cheirando uma lavanderia….hummmmm……

  • Lúcio Dias Da Silva Filho diz: 20 de julho de 2010

    Penso que eles deveriam pedir desculpas em público e ao público.
    Deveriam também assumir o erro, e dizer em alto e bom som “Eu Errei, Eu cometi Falcatrua”, “Eu não sirvo para ser agente público e ocupar cargo público”, é bem isto que eles deveriam dizer em público e em casa olhando para o espelho e repetindo isto várias vezes.

    É o que dá colocar este pessoal que nem noção tem o que é e para que serve as politicas públicas. Que vergonha minha gente, que vergonha.

    Agora entendo por que que cada vez que uma entidade ou orgão apresentava um projeto a diretora de planejamento, como aconteceu comigo quando ao coordenar um grupo de trabalho e elaborou e apresentou um projeto de um Borboletário Municipal de Floianópolis – As Borboletas Da Luz – para o Parque Da Luz, a esta ex-diretora e sua equipe técnica, simplesmente sem analisar o projeto o qual estava sendo explanado, em menos de 8 minutos do inicio da apresentação ela cortou a palavra da Dr. Entomologista em Borboletas e disse que o projeto era inviavel.

    Alias todos os projetos elaborados por outras entidades se apresentado a ela, este não passava e ela rejeitava. Somente eram viáveis os projetos da quadrilha dela. Deu prá entender pessoal. Isto não aconteceu só comigo mas com várias entidades e escritórios de engenharia e arquitetura.

    Agora, Pasmem, estão achando plantas técnicas, com raspagem no local onde se coloca a data, nome da empressa e carimbos, dentro do IPUF sob a responsabilidade dela.

    Essa lavadeiria não é pequena não, já estava virando uma fábrica de lavação.

  • Candinho diz: 20 de julho de 2010

    I… PUF! Já explodiu, ou está prestes a explodir? Desde muito aquilo ali está cheirando muito mal. Por que não fazer uma faxina geral, desde zona azul, multas de trânsito, terceirizações, etc, etc, etc?

  • Luiz Fernando diz: 20 de julho de 2010

    UMA QUESTÃO DE ÉTICA

    O superintendente do IPUF e o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano atribuem o cancelamento do contrato de parceria para o restauro da antiga casa de Câmara e Cadeia a “questões éticas”, e ao fato de que “não teriam percebido” que a sua própria diretora de planejamento era a presidente do Instituto DiverSCidades [deu no dc]. O mais incrível é que esta “distração” vinha ocorrendo há tempos, antes mesmo de ser assinado o tal contrato. A Prefeitura, o próprio IPUF e o Sindicato dos Engenheiros, coincidentemente presidido por aquele secretário, estavam juntos com o DiverSCidades e com outra empresa da diretora, a Shopconsult, na realização do 1º Fórum das Américas de Mobilidade nas Cidades, ocorrido em março deste ano [deu no site do forum]. Fica no ar uma pergunta singela: Como pessoas tão distraídas em relação ao que é público podem estar ocupando cargos tão importantes para a cidade?

    Confira nos sites:

    DC:
    http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&newsID=a2976023.xml&channel=&tipo=1&section=Geral

    Forum:
    http://www.mobilidadenascidades.com.br/saiu.php

  • Pedro Jorge diz: 20 de julho de 2010

    Outra coisa que envolve a Cristina Piazza e o Secretário Rauen que deve ser investigado a fundo é sobre esse Plano Diretor contratado e elaborado pelo Instituto CEPA (empresa Argentina), pois quem analisou um pouquinho mais a fundo se assusta com a proposta, como nós aqui da Bacia de Ratones fizemos. É só se atentar na proposição de zoneamento que está ao longo da SC 401 (principal via de acesso ao norte da Ilha) e local onde existem mtas áreas planas e ainda livres de construções. Via também já esgotada em termos de tráfego viário, vistos os congestionamentos constantes na Rodovia independentemente de alta ou baixa temporada. O Plano proposto pela CEPA e contratado pelo IPUF sob a coordenação da então Diretora Cristina Piazza, Secretário Átila e Secretário Rauen propõe uma avalanche de prédios de 30 andares ao longo dessa Rodovia. Um verdadeiro absurdo. E a Rodovia continua a mesma – imaginem se esse Plano é aprovado, como será aquela Rodovia daqui a apenas uns 10 anos, com um monte de prédios de 30 andares ao longo dela e como será o escoamento de toda essa gente a mais que ocupará esses prédios? Diante disso tudo, fico aqui me perguntando: será que não houve uma grande especulação imobiliária dessas áreas de terra ao longo da Rodovia? (tipo dessas que se negocia com o proprietário da terra: eu aumento o poder construtivo de sua área e vc contribui com nosso caixa de campanha?).

Envie seu Comentário