Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Polêmica entre a boleirada

13 de setembro de 2010 2

O assunto é antigo, mas tratado com tanta reserva no mundo do futebol que basta alguém abrir a boca e pronto: está criada a polêmica entre a boleirada.

O pequeno município de Goianinha, no Rio Grande do Norte, quer dar exemplo de combate ao preconceito no futebol. O Palmeira, clube que representa a cidade na Segunda Divisão do Campeonato Potiguar, tem um atleta assumidamente homossexual.

O goleiro Messi, 24 anos, é ídolo na cidade, que tem pouco mais de 20 mil habitantes e fica a 54 quilômetros de Natal. Messi diz que escolheu a sua opção sexual desde jovem e sempre tentou vencer o preconceito. Para ele, a barreira já foi quebrada, tanto que o goleiro diz que sequer lembra a última vez que foi ofendido.

- Todo mundo encara normalmente, a minha escolha. Ouço uma brincadeira ou outra, mas não me ofendo. Não sinto preconceito de ninguém e nunca escondi que sou homossexual - disse o goleiro.

O presidente do Palmeira, Cláudio José Freire, conhecido popularmente por Cal, diz que a opção sexual fez, inclusive, com que Messi virasse xodó da torcida. Cal afirma ainda que o jogador teve papel fundamental para o Palmeira conquistar seus últimos títulos, com destaque para o bicampeonato da Copa Robinson Faria, competição disputada por diversas cidades do Rio Grande do Norte.

- Messi é ídolo. Respeitado pela torcida do Palmeira e é o jogador mais desejado por nossos adversários. Mas o nosso time só libera se vier uma proposta de um clube grande e tenho certeza que um dia vai aparecer. Messi é diferenciado e tem tudo para decolar, mostrando em vários locais que no mundo de hoje não cabe mais o preconceito. Ele vai ser referência nessa luta. Podem anotar - prevê o dirigente.

Então tá. Será que algum clube catarinense teria coragem de driblar o preconceito e contratá-lo?

comentários

Comentários (2)

  • Isabela diz: 13 de setembro de 2010

    Jogador mais desejado por nossos adversários? Hummm…RARARÁ!

  • Pedro diz: 14 de setembro de 2010

    Consideremos, caro Colunista, que sua postagem representa, apenas, um ato explícito de preconceito. Afinal, não me consta que seja crime a opção sexual de quem quer que seja. Não me consta que você esteja reportando gays e lésbicas, por exemplo, em cada setor da sociedade. Esse viés machista não acrescenta nada à sociedade. Apenas instiga os piores instintos.

Envie seu Comentário