Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Estado não deve doar dinheiro público para o Rio

07 de fevereiro de 2011 3

A tragédia do incêndio na Cidade do Samba, nesta segunda-feira, feriu de morte um dos maiores _ senão o principal _ ícone da cultura brasileira: o carnaval carioca. Não há como deixar de se emocionar com o drama do pessoal que trabalha nas escolas: gente simples, das comunidades, que dedica o ano todo para a construção de um sonho: o de seduzir e encantar a multidão durante 80 cronometrados minutos na Marquês de Sapucaí.

A mais atingida, com perda total na produção dos carros alegóricos e fantasias, foi exatamente a Grande Rio, que leva para a avenida uma homenagem a Florianópolis. O presidente da escola, Hélio de Oliveira, já disse que vai precisar de ajuda financeira e apelou para Santa Catarina, em entrevista ao vivo, no Jornal do Almoço, para o Cacau Menezes. Cacau, aliás, fez a pergunta mais do que pertinente no programa: se havia seguro contra incêndio ou a perda era total? Resposta número dois.

Nada mais natural que Oliveira fazer um apelo a todos que possam ajudar nesta hora. Difícil de aceitar foi a declaração do secretário municipal de Turismo, Márcio de Souza, o grande articulador da homenagem da Grande Rio à Ilha de SC. Disse que a única alternativa, neste momento, é buscar recursos junto ao governo do Estado para auxiliar na reconstrução do desfile da Grande Rio.

Não precisa sequer ser um bom conhecedor da estrutura necessária para a montagem de um desfile _ como, aliás, Márcio se diz ser _ para saber que, neste momento, a questão nem é mais financeira, mas de calendário.

Não há mais tempo para reconstruir os carros, alegorias e fantasias. Na recente tragédia de Teresópolis, o Estado de Santa Catarina repassou verbas para auxiliar as vítimas dos Rio de Janeiro? Claro que não, porque sequer tem recursos para ajudar os municípios catarinenses.

 Agora querem doar dinheiro público para escola de samba do Rio de Janeiro? Isto, sim, seria um escândalo. Senhor secretário Márcio de Souza, a hora é da da razão, não da emoção.

comentários

Comentários (3)

  • Sérgio diz: 7 de fevereiro de 2011

    INSANIDADE TOTAL DESSE SECRETÁRIO.

    DEVERIA SER SUMARIAMENTE EXONERADO SÓ POR PENSAR UMA COISA DESSAS.

    DINHEIRO PÚBLICO DEVE SER APLICADO EM PROL DO BEM PÚBLICO, DA COLETIVIDADE, DO BEM COMUM.

    SE QUEREM FAZER CARNAVAL QUE FAÇAM COM OS PRÓPRIOS RECURSOS.

    ESSA LEI ROUANET ESTÁ SERVINDO PARA PATROCINAR TUDO QUE É PORCARIA QUE OS PSEUDO INTELECTUAIS CHAMAM DE CULTURA.

    SÃO MILHÕES E MILHÕES DE REAIS DADOS DE MÃO BEIJADA PRA QUALQUER UM E DEPOIS TUDO ABATIDO DO IMPOSTO DE RENDA DAS EMPRESAS.

    QUER PATROCINAR ALGO DE BOM? PATROCINE UM ATLETA, UMA ENTIDADE SOCIAL SÉRIA, AJUDE UM HOSPITAL…MAS SEM ABATE DO IR.

    E TEM MAIS, PENA QUE SÓ QUEIMARAM 3 BARRACÕES.

    HIPÓCRITAS!!!! DEPOIS NÃO CHOREM QUE NÃO TEM EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA. NOSSO DINHEIRO É DESVIADO VIA INCENTIVOS DE FORMA CONTUMAZ.

    DÁRIO BERGER, EU JURO QUE VOU LEMBRAR DE VC. NA PRÓXIMA ELEIÇÃO. JAMAIS RECEBERÁ NOSSO VOTO (MINHA FAMÍLIA) NOVAMENTE.

  • Anita diz: 7 de fevereiro de 2011

    Já que Fpolis ajudou as vitimas de Teresópolis, podia também ajudar a Grande Rio.
    “Florianópolis envia 25 toneladas de donativos para as vítimas da chuva no Rio de Janeiro
    Doação saiu da capital nesta quarta-feira”
    http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a3181648.xml

  • Pedro diz: 9 de fevereiro de 2011

    Todos sabemos que a origem e a manutenção de tais escolas de samba passa, sempre, pelo jogo clandestino, entre outros “quetais”. Portanto, só mesmo o filho-do-jogo de Florianópolis podia estar preocupado com as mesmas. Mas, num estado onde o TCE não atua (nunca) e o MP (moralidade pública) se omite, com certeza os governos estadual e municipal “cairão” mais um tanto. Afinal, já pagaram para serem “homenageados”, ou alguém acha que a homenagem é pelas belas praias? Pois é, bem que a imprensa poderia tirar essa “estória” a limpo, não? Com a palavra o DC.

Envie seu Comentário