Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A polêmica dos outdoors no Morro da Lagoa

13 de fevereiro de 2011 7

Reproduzo na íntegra, abaixo, três mails que recebi neste domingo. Façam suas avaliações:

Prezado Rafael,

Parabéns pela nota colocada em sua coluna no dia 13 de fevereiro sobre um out-door de sex-shop colocado na subida do morro da Lagoa. Venho acompanhando (por falta de escolha, mesmo) os out-doors desta empresa. O que acontece é que eles vão colocando imagens cada vez mais vulgares, pois não há a menor fiscalização de nenhum órgão público em relação às mesmas. O que me pergunto é o seguinte: não há nenhum órgão de proteção ao menor, nenhuma lei municipal que impeça tamanha vulgaridade? Qual será a próxima imagem, a continuar neste ritmo? A falha não é da empresa, ela “vende seu peixe”, mas sim dos órgãos públicos que não defendem os interesses da população. É chocante tamanho descaso. Na realidade, sou a favor da exclusão de todos os out-doors da Ilha.

Um abraço,

Paula Bragaglia

 

 

Rafael,

Estava encaminhando ao MP denuncia a respeito do outdoor na subida da Lagoa da conceição. Precisaria de uma foto o que não preciso mais pela foto do jornal. Espero que a observação a respeito dos conservadores signifique que ser conservador de princípios que sustentam a família e por consequencia a sociedade tenha sido construtiva.

Abraço,

Gilboé L. Mendes - Florianópolis

 

Prezado Rafael

Agradecemos a publicação da foto e seu comentário sobre os OUT DOOR`S na subida e descida do morro da lagoa da conceição. Aproveitando esta oportunidade para esclarecer que o processo que autorizou de número 16246/2010, o qual estive monitorando, foi negado pelos diretores da SESP/SMDU que acataram e obedeceram os pareceres dos fiscais e do IPUF. Mas o secretário Rauen como tem muita amizade com os proprietários das agências de publicidade, sabe o que fez???…Tomou, ou melhor literalmente arrancou o processo n. 16246/2010 debaixo do braço de um fiscal e disse que ele secretário autorizaria as renovações para colocação dos out door. Abrimos uma ação na justiça, ação civil publica contra a PMF e a SMDU e tudo será relatado quando as testemunhas forem chamada para depor.

O José Carlos Rauen assumiu a secretaria com a promessa de fazer uma super secretaria, unir os 3 orgàos e funcionaria num mesmo edifício, segundo ele falou a imprenssa quando assumiu o cargo. Ocorre que dela para cá, isto não aconteceu e ele conseguiu piorar com a qualidade dos serviços dos 3 orgãos, IPUF…FLORAM e SESP. Basta comprovar isto lendo a qualidade dos pareceres e laudos que eram emitidos antes da sua secretaria e os emitidos agora. Florianópolis esta sendo agredida com muitas obstruções, todas autorizadas pela própia

Secretaria de Meio Ambiente que não esta nem ai para paisagem que é um dos maiores patrimonios da população e de seu bem Estar assim como de respeito aos nossos visitantes e turistas. Mais uma vez o nosso muito obrigado.

 

Lúcio Dias da Silva Filho – Movimento Ilha Verde

comentários

Comentários (7)

  • Maurício Ganzo Pereira diz: 14 de fevereiro de 2011

    Caros leitores do Diário Catarinense

    Como proprietário da Placa onde está publicado o anúncio da Floripa Sex Shop, sinto-me desconfortável com os comentários expostos nesta coluna no último domingo.
    Nada tem naquela imagem além de letras… ver um punhado de palavras coloridas agrupadas, dando forma a um desenho que nada tem de sexual, e dizer que é cena sexo? Opa!!
    Cenas pornográficas existem à mostra em qualquer banca de revista, na televisão, nos BBBs da vida…
    Sinceramente, nem vale a pena estarmos aqui debatendo uma coisa tão estúpida. Tenho certeza que promotores de justiça, pmf, e seja lá quem for responsável por esta área, tem coisas muito mais úteis a fazer.
    Obrigado!

  • Giovanni diz: 14 de fevereiro de 2011

    Infelismente temos respostas como esta por pessoas que não tem o comprometimento com a cidade.
    Creio que o visual das paissagens naturais pouco importa perante a ganancia de se fazer propaganda a qualquer custo.
    O poder público entregou a ilha a pessoas sem o mínimo de vontade de contribuir com a cidade e sim com o bolso.
    Parabéns empresário sem comprometimento. Parabéns aos orgao públicos por não fazer valer a lei e o respeito.
    Bancas de jornais tem o local próprio para poder espor pornografia.

  • Vera Lucia de Lima diz: 15 de fevereiro de 2011

    Falsos moralismos…

    Mas o que, afinal de contas, há neste outdoor, que agrediu tanto estas pessoas?
    Acredito que as mesmas circulem somente naquele local, afinal, existem campanhas muito mais agressivas espalhadas pela ilha. Mais agressivo ainda é ligar a TV, em qualquer horário.
    Bem provável que estas mesmas pessoas assistam ao BBB… Quer mais pornografia do que aquilo? Impossível.
    Vulgaridade, dona Paula, é o que vemos diariamente na programação de todas as emissoras. Imagino que a senhora não permita que seus filhos assistam a nenhum canal de TV ou sequer ponham seus pés em nenhuma banca de revistas, claro.
    A imagem do outdoor em questão é totalmente inofensiva. Atinge sim, em cheio, ao público que quer atingir. Pessoas adultas, bem resolvidas, que gostam de experimentar sensações novas, apimentar suas relações, deixando de lado o “discurso puritano” que algumas poucas ainda insistem em adotar.
    Por sinal, estava eu, em duas ocasiões diferentes, na praia durante este verão, quando fui gentilmente abordada por promotores desta mesma sex-shop, distribuindo preservativos, numa campanha bem humorada de conscientização e incentivo ao uso dos mesmos. Estavam promovendo o seu negócio, sim, mas ao mesmo tempo, realizando um trabalho importantíssimo junto ao público. Fica aqui o meu elogio pela iniciativa da empresa.
    A tal imagem do outdoor, feita com um agrupamento de palavras é, sim, criativa. Uma criança nem vai entender do que se trata, obviamente.
    Não estou aqui defendendo a empresa especificamente ou fazendo apologia ao sexo. O que acontece é que é preciso entendermos que vivemos num contexto onde a sexualidade é explorada em todos os sentidos. Cigarros, bebidas, chinelos, material de construção, automóveis, TV Digital, moda… difícil hoje é encontrar um segmento de mercado que não se utilize dela em suas campanhas publicitárias.
    Entrar numa sex-shop é algo que depende da vontade de cada um, uma opção pessoal e, nada tem a ver com o público infantil, pelo contrário.
    Tenho filhos pequenos e adolescentes. Muito mais preocupante é a mensagem passada pelas novelas, seriados, filmes e programas de TV, onde o “legal” mesmo é ter inúmeros relacionamentos, “ficar” com todo mundo que aparece, como se fosse a coisa mais normal do mundo.
    O problema não é fazer sexo. Sexo é bom, algo muito especial, saudável, único. O problema chama-se promiscuidade e uma sex-shop não promove promiscuidade, pelo contrário. Pelo que sei de conversas com amigos e conhecidos, a maior parte das pessoas que freqüentam sex-shops são casais procurando novidades para o seu relacionamento.
    Não há como colocarmos nossos filhos numa “redoma de vidro”, deixá-los alheios ao que acontece. Bom ou mau, este é o nosso mundo atual, ditado pela mídia e pelo capitalismo exacerbado. Não há como mudar isso. Cabe a nós, como pais, educarmos, orientarmos e alertarmos nossas crianças quanto ao que é correto ou não, o que pode lhes fazer mau, de alguma forma. Importa, sim, prepará-los para o mundo que irão enfrentar quando estiverem fora da segurança dos nossos lares.
    Que me desculpem os “puritanos”, mas há muito mais com que se preocupar do que esta placa, francamente…

    Vera Lucia de Lima
    Advogada

  • rafael_martini diz: 15 de fevereiro de 2011
  • Floripa Sex Store diz: 15 de fevereiro de 2011

    A Floripa Sex Store declara que, em consideração às pessoas mais conservadoras, optou pela retirada da campanha “permita-se” que estava sendo veiculada desde janeiro em alguns pontos das cidade de Florianópolis.
    Entendemos que, em momento algum, nosso material é pornográfico ou obceno. Trata-se de uma campanha com o objetivo de despertar o imaginário de pessoas adultas, que são nosso público alvo. A linguagem visual utilizada na campanha não é compreendida por crianças – trata-se de uma composição de letras que formam uma imagem, remetendo diretamente ao imaginário adulto.
    Ao contrário do que foi postado por algumas pessoas no blog Visor, do Clic RBS, a campanha “PERMITA-SE”, além de não ferir a ética e a moral, promoveu uma ação divertida, interessante e educativa nas principais praias e eventos realizados em Florianópolis durante os meses de dezembro de 2010 e janeiro de 2011, distribuindo diretamente ao público mais de 25.000 preservativos, esclarecendo dúvidas e incentivando o uso dos mesmos.

    Floripa Sex Store.

  • Berloque diz: 18 de fevereiro de 2011

    O pior outdoor do Morro da Lagoa é aquele gigante, com um Camaro, que esconde as lindas flores (quaresmeiras) daquela região. É um crime.

  • Pedro Marquez diz: 11 de janeiro de 2012

    O pior não é uma placa e sim conviver com uma loja de sex shop em frente da minha loja onde atendo vários clientes de todas as idades …

    Pior mesmo e dono não ter respeito com as pessoas e colocar na vitrine boneco inflável, vibradores, cartasses com disseres como ( mamãe fiz porno) e outros varios.

    Imagina você ver crianças e senhoras convivendo com esse tipo de abuso dendro de um shopping e pior de frente a minha loja ..

    Claro que já fiz denuncia a prefeitura e ipuf e nada .. Dono ainda teve a capacidade de me acredir com palavras de todo tipo vulgares..

    Acredito que as pessoas que fiscaliza esses tipo de comércio não gostaria de ter uma loja desta na frente da sua porta ( imagina na frente do gabinete do prefeito )

    Estou indignificado não pela loja e sim pela vitrine que todo mundo passa em frente..

    Responsável pelo shopping não faz nada e gostaria que alguém me ajudasse com isso já que não sei mais oque fazer ..

    Local fato:

    Av das nações 582 shopping Muller 2 piso Canasvieiras – Florianópolis -SC

    Venha ver esse descaso pessoalmente …..

    Atenciosamente:
    Pedro Marquez

Envie seu Comentário