Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2011

Mudança na notificação do Zona Azul

28 de abril de 2011 3

A partir desta segunda-feira, dia 2 de maio, quem for flagrado pelos fiscais do Zona Azul por alguma irregularidade, segue pagando a taxa de R$ 10, mas não terá mais direito a receber os 10 cartões de uma hora, fornecidos após o pagamento da notificação. O Ipuf diz que a contrapartida tinha um cunho educacional. Agora, consideram que os motoristas já aprenderam a respeitar os prazos e locais para estacionamento na Zona Azul. Vale lembrar que, ao ser notificado, o condutor tem 72 horas para quitar os R$ 10, caso contrário poderá receber uma multa de trânsito.

Cena cotidiana: caos na saúde pública

27 de abril de 2011 2
Poucos minutos no saguão da emergência do Hospital Regional de São José bastam para sentir o inferno vivido por quem busca atendimento no local. As queixas principais são a demora de horas ou até dias no atendimento, como vivenciou Ivan Avani Machado, durante o feriadão de Páscoa. Ele procurou atendimento para a mulher, Ana Rita Aguiar dos Santos, que havia torcido o pé. Primeiro buscou atendimento na UPA do Rio Tavares, onde foi informado que não havia ortopedista e que o aparelho de raio-x estava quebrado… Depois, teve de “mendicar” novamente no Regional. No local são comuns discussões acaloradas de pacientes em busca de atendimento. Seguidamente a PM tem sido chamada…

Cartão de crédito na Justiça

27 de abril de 2011 0

Em sessão administrativa, o CNJ decidiu ampliar o apoio que já dava ao projeto da Corregedoria para se usar as maquininhas de cartão de crédito ou débito móveis nos processos de execução. Com o respaldo de Cezar Peluso, o conselho aprovou o texto de um termo de cooperação entre os órgãos envolvidos no projeto. O colegiado também destacou os conselheiros Jorge Hélio e o catarinense Jefferson Kravchychyn para acompanhar a implementação do projeto tocado pela corregedoria. A informação é do blog do Lauro Jardim.

Sem estacionamento em Garopaba

27 de abril de 2011 0


Foto: Flávio Neves

Sem um estacionamento adequado, os carros apreendidos ficam empilhados em um terreno na frente da Polícia Civil, em Garopaba.


O drama do trânsito no Sul da Ilha

26 de abril de 2011 2
Prezado Rafael,
Sou jornalista, assessor de imprensa em gabinete da Alesc e morador do Sul da Ilha. Com a intenção de colaborar com teu trabalho (parabéns, acompanho de perto) e, acima de tudo, avisar enquanto é tempo, gostaria de acrescentar alguns detalhes sobre a tua nota na edição de hoje (Sem condições), a respeito da SC-405.
As autoridades foram rápidas para retirar as placas “governamentais”, anunciando o fim das filas, com a abertura do elevado. Tá certo, pois a mentira não se sustenta mais, já que inauguraram e aconteceu o que todos esperavam, engarrafou logo adiante (Santa Inocência deste planejadores).
Agora, um problema que não estão dando a devida atenção é para o horário onde o trânsito é invertido, com mão apenas no sentido bairro centro, logo após as 7h.
Motoristas e pedestres correm altos riscos neste horário, pois com o fluxo num sentido só, a velocidade dos veículos é maior.
Assim, com poucas faixas de segurança bem sinalizadas, é um inferno para estudantes, mulheres e para todos que precisam atravessar de um lado para outro na rodovia. Os pedestres se arriscam e os motoristas conscientes, que dão vez para os pedestres atravessarem a rodovia, também.
Frear naquelas condições, com o volume de autmóveis e motos em velocidade de até 80 km/h ou mais, é loteria.
Por sorte, pelo menos eu não tenho notícia, ainda não aconteceu acidente mais grave. Quem sabe através da tua página consegues sensibilizar o prefeito itinerante e seus técnicos de plantão para o problema.
 
Grande abraço
Carlão

Justiça Federal mantém decisão contra fosfateira em Anitápolis

26 de abril de 2011 0

Foi mantida por decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a ação civil pública da Defensoria Pública da União em Santa Catarina (DPU-SC) contra a instalação da Indústria de Fosfatados Catarinense Ltda. em Anitápolis, na Grande Florianópolis. A ação busca proteger a saúde de trabalhadores e moradores da região da cidade e municípios banhados pela bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar.

No texto, a DPU-SC solicita que seja suspenso qualquer procedimento de licença prévia, de instalação ou operação da fosfateira até realização de estudo de avaliação de riscos à saúde humana, custeado pela empresa e de acordo com diretrizes do Ministério da Saúde.

A DPU-SC pede ainda respeito ao resultado da avaliação caso indique ser inviável a implantação da empresa na área. E, na hipótese de ser possível a instalação, que o poder público determine medidas compensatórias a serem custeadas pela indústria. Entre elas, estariam a construção de hospitais, postos de saúde e custeio de assistência farmacêutica.

Especialistas já atestaram os possíveis danos à saúde. Parecer técnico aponta que substâncias indispensáveis para o empreendimento, como ácido sulfúrico, soda cáustica, amônia e ácido fluorídrico, entre outras, podem colocar em risco a sobrevivência da população local, além de aumentar a incidência de doenças respiratórias.

O estudo é da engenheira química e PhD em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina Sônia Corina Hess e é voltado aos possíveis danos ambientais causados pela indústria. No documento, a doutora indica ainda riscos à saúde da população.

A DPU-SC enviou também ofícios aos municípios a fim de constatar se estariam preparados para lidar com o aumento da demanda na área da saúde, uma vez que a empresa afirmou esta capacidade de absorção no Estudo de Impacto Ambiental. Com exceção de Anitápolis, que tem interesse na fosfateira devido à ampliação da arrecadação de tributos, os representantes dos demais municípios afirmaram não terem condições de aumentar o atendimento e manifestaram-se contrários à responsabilidade de suprir as demandas de saúde advindas do empreendimento.

O juiz federal Sergio Eduardo Cardoso considerou que as questões relativas à saúde da população já estavam presentes em outras ações envolvendo a implantação da fosfateira e determinou a extinção da ação civil pública. A DPU-SC entrou com recurso, a decisão foi reformada pelo TRF4, e a ação civil pública terá prosseguimento.

Segundo o Defensor que ingressou com a ação em nome da Defensoria Pública da União, Gabriel Faria Oliveira, “a decisão do TRF4 diferenciou, como o fez a DPU, o bem jurídico meio ambiente e o bem jurídico saúde pública. É indispensável a Avaliação de Impacto à Saúde Humana antes da instalação do empreendimento e medidas compensatórias quando há indícios de danos à saúde da população. Neste sentido, conseguiremos dar andamento ao processo para mostrar e evitar esses danos aos catarinenses”.

 

Antes e depois da Operação Centro Livre

26 de abril de 2011 1

Fotos divulgação




As duas cenas são do mesmo local: o calçadão da Felipe Schmidt, no coração de Floripa. Na primeira, dia desses, o local tomado por vendedores ambulantes. Na segunda, na manhã desta terça-feira, depois da Operação Centro Livre. É mais ou mens como dizia aquele velho comercial de shampoo: o lugar continua o mesmo, mas o visual, quanta diferença….

Mirante do Morro da Cruz está completamente destruído

26 de abril de 2011 4

Fotos divulgação

Acredite se quiser. As fotos acima são do quiosque do mirante do Morro da Cruz, outrora um dos pontos que oferece uma das mais belas vistas da Ilha. Veja só a situação do lugar que seria um ponto turístico. Os banheiros estão completamente destruídos e onde funcionava um bar colocaram fogo. Abandono total. Efeito direto da constante troca de secretários de Turismo na Capital. O vereador João Amin diz que pretende fazer uma indicação ao Prefeito pedindo providências. Que, aliás, são urgentes…

Após corrida de aventura, o lixo

26 de abril de 2011 0

 

Caros Rafael,

Venho informar mais um desrespeito com nossa ilha querida. Neste domingo fui aproveitar o bom tempo realizando uma trilha com a família na Barra da Lagoa e  fiquei entristecido com o que vi: vários copos de água de plásticos jogados e restos de propaganda de uma empresa em todo percurso da trilha entre Fortaleza da Barra e a Praia da Galheta. 

Fiquei sabendo após conversar com os moradores locais que foi realizado uma corrida de aventura nos dias 22,23 e 24, o Montain Do. É uma pena a organização de eventos como este, que tem como intuito unir saúde e natureza, não cuidar dos locais onde os mesmos são realizados. Isso é uma vergonha!
 
Abraços
 
Gabito Pereira
Empresário – Floripa

Será o fim das baleeiras?

26 de abril de 2011 0

 

Olá Rafael,

Gosto muito de sua coluna e sempre gostei da cultura de Santa Catarina. Enquanto visitava o Centrinho da Lagoa me deparei com esta bela e conservada baleeira,que infelizmente se torna uma raridade em águas catarinenses. No Ribeirão da Ilha eram 18 e agora são 5.

O que se torna mais comum em nossa praias e na Lagoa da Conceição, infelizmente é o esgoto in natura que se vê em primeiro plano na bela foto tirada depois da semana santa. Espero que um dia esta realidade se reverta.

Um abraço

do leitor João Maurício Pessoa