Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Casos, ocasos e descasos de Florianópolis

29 de novembro de 2011 9

Os desmandos com um box do Mercado Público de Florianópolis

Há mais ou menos 10 anos, o permissionário legal de um box na prefeitura de Florianópolis, que tinha um açougue no local, vendeu ilegalmente o ponto por cerca de R$ 200 mil para um outro empresário do ramo de revenda de automóveis. O novo proprietário, então, resolveu montar um bar no local e arrendou por R$ 2 mil para uma terceira pessoa, que abriu o Zero Grau Bar e Choperia. O ambiente funcionou até a última quinta, dia 24, quando fechou as portas.

 O detalhe é que o suposto dono do box cobrabva R$ 2 mil, mas pagava apenas R$ 350 mensais à prefeitura. Ou seja, o proprietário faturava R$ 1.650 a cada 30 dias somente com a sublocação de patrimônio municipal, o que é proibido. Mas como confusão pouca é bobagem, o final foi ainda mais surpreedente: é que a locatária também não teria pago boa parte do aluguel neste período.

Então, o proprietário, aquele mesmo que comprou irregularmente, entrou na Justiça com uma ação de despejo. E, pasmém, levou. A decisão foi cumprida na última quinta, dia 24. Agora, resta afixado na porta do local apenas o anúncio da reabertura de outro bar. E fica pergunta que não quer calar: onde está o Ministério Público Estadual e a Prefeitura que não conseguem fiscalizar este tipo de barbaridade. Não é à toa que o Mercado está a bagunça que está. Há muiiiiitos anos…   

comentários

Comentários (9)

  • Luis diz: 29 de novembro de 2011

    Não espere muito do MPE, Martini. Até na Moeda Verde quem agiu foi o federal. A acomodação e as amarras políticas são abismais. Nossos poderes não são independentes, são cúmplices. Uma real medida anti-corrupção extinguiria esses meandros que enroscam os poderes, como as indicações do executivo para o comando do MP, conselheiros de TC, etc… É balaio de siri, puxa um , vem outro e , quem “incomoda” muito, constesta o status quo, não progride, encontra resistências. E ainda fazem campanhazinha contra a corrupção. O público e o privado ,em Fpolis particularmente, se confundem.

  • Ismael diz: 30 de novembro de 2011

    É triste ver que ano após ano, debate após debate, tudo como dantes no Mercado Público de Floripa…(concordo com o leitor Luis: bobagem esperar alguma ação do ministério público estadual por aqui. Promotor só briga por algum coisa em comarca pequena do interior e no começo da carreira. Na capital, só querem moleza e se arrumar…)

  • Alexandre diz: 30 de novembro de 2011

    Floripa é uma terra abençoada. De dia falta justiça, de noite falta “puliça”. Talvez seja por isso que todo mundo quer vir para cá.

  • phylon max diz: 30 de novembro de 2011

    Parabens, sua coluna é Top de Linha. Só esse box, e os outros. O box 32, esse é cara de pau. Da noite para dia tambem saiu uma Lanchonete grande la dentro, como pode??Era uma loja e virou Lanchonete. Eu não sei como pode? Voce sabe Amigo.Abraços e fica c DEUS.

  • Carlos Henrique diz: 30 de novembro de 2011

    O Luis falou tudo. Os poderes estão “enroscados”, um acoberta o outro na esperança de benefícios futuros.

  • AURELIO PEREIRA diz: 30 de novembro de 2011

    Não é à toa que tem advogado ganhando dinheiro à rodo, dos pseudos permissionários, pois ninguem quer sair daquelas TETAS avantajadas que é o mercado público municipal, até parece a história dos táxis! Pô, porque aqui em Floripa é essa bagunça e não se disciplina de uma vez por todas, essas barbaridades! MORALIZAÇÃO JÁ! a D. Angela que prorrogou tais concessões, deveria responder por INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA, fazer proselitismo com um bem público! Isto é IMORAL e ILEGAL!

  • Luis diz: 1 de dezembro de 2011

    Já que o assunto derivou para esse conluio entre os poderes, vou lembrar duas notas de jornal bem indicativas desse comprometimento. O primeiro foi uma nota informando a presença da ‘cúpula” do MPE na posse do Geanzinho como secretário de governo do Dário ano passado. Outra foi a de um “joguinho” de futebol envolvendo o governador e o MPE, sec Gruba fazendo o “meio-de-campo”. Essas coisas depõem contra a cidadania, essa gente deveria estar vigiando uns aos outros para nosso bem, e não confraternizando.

  • Justiceiro diz: 5 de dezembro de 2011

    Deveria era derrubar este LIXO que fede todos os dias, Mercado de Pulgas

  • Névio S. Filho diz: 11 de dezembro de 2011

    Isto tudo é culpa da Maçonaria que possui em suas fileiras uma enorme quantidade de políticos corruptos, desembarcadores , juízes e administrdores públicos. Sua função atual é realizar barganhas políticas e nada mais.Deveria extinguir esta entidade maléfica à sociedade.

Envie seu Comentário