Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Serviço de táxi, a vergonha de Floripa

22 de fevereiro de 2012 2

Boa tarde Rafael,
 
Respaldando tua nota de segunda dia 20/02(A VERGONHA DA ILHA), informo que na manhã deste mesmo sábado cheguei na rodoviaria as 6:30 da manhã , e ao contrário do que ocorreu sábado à noite haviam vários táxis para o atendimento, a rodoviária fervilhava de turistas, porém minha surpresa foi quando solicitei o serviço , ao informar meu endereço  rua Bocaiúva (centro) o serviço era negado com a desculpa que ja tinham compromisso com outro passageiro, teve um que foi mais objetivo e disse que centro aquela hora não dava para  fazer   as preferências eram praias ou bairros , resumindo 3 motoristas me negaram o serviço e tive que ligar para casa para alguém da famlia me resgatar.É como voce falou o serviço não é de má qualidade , ele simplesmente não funciona .Parabéns pela sua coluna, acho que estes desmandos tem que se tornar públicos.
 
Luiz Carlos Poyer
Cidadão Florianopolitano

comentários

Comentários (2)

  • Eduardo Brustolin diz: 22 de fevereiro de 2012

    É importante ressaltar que esse não é de longe um problema recente na nossa capital. Em diversas vezes ao sair da stage music park (boate próxima ao jurerê internacional), muitos taxistas tem frequentemente recusado corridas para destinos diversos do centro. Como não é a forma mais lucrativa para eles, os consumidores ficam reféns e em uma situação vergonhosa! Sem qualquer outra alternativa de transporte.

  • Leon diz: 23 de fevereiro de 2012

    Durante o Carnaval, em Jurerê Internacional, no local onde ano passado uma turista argentina morreu atropelada, dezenas de taxistas estacionavam seus carros na contra-mão, em cima da faixa de pedestres, em fila dupla, com as portas abertas, sem nenhuma vergonha na cara. Lei de trânsito não vale para eles. E faziam isso exatamente no horário de pico, momento em que se formam filas na região (contribuíam para aumentar as filas). Não ando de taxi em Floripa nem de graça. Boicoto, quem sabe se todos fazerem isso, eles aprendem que não são os donos da cidade.

Envie seu Comentário