Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sistema prisional de Santa Catarina, um tiro no pé

23 de fevereiro de 2012 3

A fuga de mais quatro detentos no presídio da Capital não chega a ser nenhuma novidade. Afinal, aquilo é um queijo suíço. Só não sai quem não quer. O surpreendente neste história é existência de guardas armados, terceirizados, trabalhando na segurança do local. Ora, a função seria de responsabilidade dos agentes prisionais. Como faltam agentes, a PM contribui com a guarda externa. Só que também faltam PMs para o serviço. Então, a solução encontrada, veja você, foi terceirizar. Leia-se contratar uma empresa (com o noso dinheirinho) que coloca mais guardas no local. Então por que não privatizam de vez? Resultado: um guarda armado com um rifle dispara contra o tornozelo de um Polícia Militar. Não fosse a gravidade do acidente, chega a beirar a piada pronta: a estrutura do sistema prisional de Santa Catarina é um tiro no pé.

comentários

Comentários (3)

  • Daniel diz: 23 de fevereiro de 2012

    Tirem os PM’s em excesso que fazem serviços administrativos e investigações (chamados P2) e coloquem nas ruas de forma ostensiva; contratem mais PM’s (o problema é achar algum cidadão com nível superior que se preste a tal serviço, com o soldo miserável que é pago, em comparação à escolaridade exigida); obriguem o PM a fazer o que lhe é descrito na constituição, e não fazendo vistorias em bares, procedimentos de polícia judiciária e outros desserviços;
    se não querem/podem contratar, que paguem além das 40 horas extras trabalhadas, e não submeter o policial (e todos os outros membros da Segurança Pública!!) a uma escala desumana, trabalhando até 150 horas extras e só receber as 40!!!

  • jorge luis bornhausen diz: 23 de fevereiro de 2012

    falta de agentes prisionais ???
    Alguem ja pensou em verificar quantos agentes prisionais estao trabalhando em local dioferente do para o qual prestaram concurso ???
    So na regiao de Blumenau sao “3″…
    Seria interessante e inteligente, alguem cobrar da DEAP a localização de todos agentes prisionais que estao exercendo função em local diferente dos presidios e os chamarem para trabalhar no local para o qual prestaram concurso !!!!
    Quem paga a conta dos terceirizados e contratados apra cuidarem dos presidios somos nós enquantoa aqueles que prestaram concurso para tal, por razoes de favores politicos, trabalham em outros locais !!!

  • Gustavo diz: 24 de fevereiro de 2012

    Concordo com a o que o Daniel Falou, só corrigindo alguns detalhes, o P2 que ele falou é uma agência de inteligência, não de investigação, sua função é buscar informação para subsidiar o policiamento ostensivo e se for o caso constatar um situação de flagrância. Quem tem por dever investigar em busca de autoria de crime é sim a Polícia Judiciária. Em relação as vistorias em bares, também cabe a PM, são ações preventivas. O que eu acho desperdício é pagar um salário de R$ 2.400 para deixar um PM em uma guarita ou em hospitais, cuidando de presos.

Envie seu Comentário