Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Adepol emite nota oficial sobre episódio do indiciamento

29 de maio de 2012 11

NOTA OFICIAL

Em virtude das últimas notícias divulgadas na imprensa catarinense, a Associação de Delegados de Polícia de Santa Catarina, Adepol-SC esclarece:

1.     A Adepol-SC é uma entidade de classe que representa os delegados de Santa Catarina, isenta de partido e pressão política e como tal está apta a se manifestar ou se posicionar com relação aos acontecimentos que envolvem a Segurança Pública no Estado;

2.     Para evitar e repetir-se os constrangimentos aos Delegados que apuraram o caso de desvio de peças do complexo da SSP para ferro-velho de Joinville, envolvendo membros da alta cúpula da Segurança Pública Estadual, a ADEPOL cumpre sua missão de divulgar fatos que são de interesse público e que os considera grave;

3.     A instituição como entidade classista preza pela correção e pela conduta exemplar de todos os que representam a Segurança Pública de Santa Catarina, sejam policiais civis ou militares. Como parte integrante do sistema, cabe à entidade se posicionar sempre que houver provas ou suspeitas de irregularidades envolvendo policiais;

4.     Não se trata de quebra de braço, de posicionamento político, ou de uma indisposição entre a polícia militar e civil, mas sim, do que é certo e correto.  Desviar o foco, misturar os fatos, atribuir a ADEPOL atuação com “fins escusos”, é confundir a imprensa e pretender transferir responsabilidade, subjugando a inteligência da sociedade catarinense;

5.     Nosso posicionamento sempre será pela independência funcional do Delegado de Polícia bem como do poder de investigação da polícia civil e pela correção de conduta de todos que integram o sistema de Segurança Pública no Estado de Santa Catarina.

 

Atenciosamente,

Diretoria Adepol-SC

comentários

Comentários (11)

  • Roberto diz: 29 de maio de 2012

    Dizer que tudo isso não tem conotação política é subestimar a inteligência dos catarinenses.
    Nosso povo não é tão burro assim.
    Todos estão vendo que a divulgação desse tipo de notícia só tem o objetivo de prejudicar o governo e derrubar o secretário adjunto porque ele é militar.
    No final o Ministário Público vai botar ordem nas coisas.

  • Rosinaldo diz: 29 de maio de 2012

    Qual o interesse de uma entidade de classe em apurar crimes do governo?
    Só pode ser por força política, que se traduz em aumento de poder e salário.
    Os eles iam “se queimar” pelo bem da sociedade? Me engana que eu gosto…

  • Priscila diz: 29 de maio de 2012

    E continua a pergunta para a ADEPOL: Como anda o PAD contra o delegado que recebeu diárias indevidamente ? Também queremos saber sobre esse caso, assim como o caso dos ferrosos. Se a ADEPOL preza pela correção da conduta de todos que integrama a SSP porque não divulga nota sobre o caso das diárias?

  • policial civil diz: 29 de maio de 2012

    Mas Roberto, você nâo acha que qualquer intervenção do MP não se torna suspeita pelo simples fato de um membro seu, diga-se Grubba, ser parte na causa, mesmo que indiretamente? Outra coisa, com pretenções políticas ou não crime não é crime?

  • Janaina diz: 29 de maio de 2012

    “DESVIAR O FOCO, misturar os fatos, atribuir a ADEPOL atuação com “fins escusos”, é CONFUNDIR A IMPRENSA E PRETENDER TRANSFERIR RESPONSABILIDADE, subjugando a inteligência da sociedade catarinense;”
    Desviar o foco? Aliás, foi isso que a ADEPOL fez com toda esta situação, defender única e exclusivamente seus próprios interesses e desviar o foco do caso das diárias.
    Todas estas acusações que pesam sobre a cúpula da SSP são infundadas. Será que agora a imprensa ficou confusa? Por que acham isso? Porque a imprensa não corre mais atrás de vocês. Sabem que nada há de novo pra mostrar, já que o que tinha que ser provado, não foi. Por um simples motivo: não há provas, porque nada de errado foi feito.

    “Nosso posicionamento sempre será pela independência funcional do Delegado de Polícia” Independência funcional??? Não seria melhor se as polícias se unissem e tivessem a preocupação de cumprir o seu papel na sociedade, que é de fazer a segurança pública? Engraçado, e ainda dizem que não há interesses políticos.

    E que Deus nos proteja! Porque a polícia…

  • Rosivaldo diz: 29 de maio de 2012

    Prezado Policial Civil,

    Apesar de o Secretário Gruba ser um Promotor, tenho certeza que o MP vai agir de maneira correta, pois não age politicamente como a instituição que vc pertence. Disso voce sabe muito bem, até mais do que eu.

    O que ninguem explicou até agora é o seguinte: o que é um indiciamento?
    Eu explico: juridicamente não é nada. Significa apenas que na opinião do delegado houve crime. E pra que serve essa opinião? Apenas pra influenciar o MP, que é quem decide se vai ou não haver processo. Até o momento não há processo penal. Inquérito é um mero procedimento administrativo como qualquer outro. Menos qualificado até que a aplicação de uma multa de trânsito, pois nesta, diferente do inquérito, respeita-se o contraditório e a ampla defesa.

    A Adepol vai ficar com a cara no chão se o promotor analisar e simplesmente promover o arquivamento. O Promotor sim pode dizer quem vai ser processado ou não. E a palavra final sempre é do juiz.

    O mais complicado de tudo é condenar alguém publicamente sem dar oportunidade de defesa. Espero que isso não aconteça um dia com vc também.

  • policial civil diz: 29 de maio de 2012

    Caro Rosivaldo,

    Você talvez deveria saber que pela Constituição Federal, principalmente ao que tange o artigo 127, § 1°, de acordo com entendimento da maioria dos doutrinadores, é vedado a participação de membros do Ministério Público em qualquer esfera de poder, digo, executivo, legislativo, judiciário, pelo princípio da independência funcional do parquet e em observância ao princípio do promotor natural, que tem a imparcialidade como uma de suas facetas. E se fosse o secretário de segurança o investigado, como ficaria o MP? Admiti-se exceção pelo fato de alguns membros do MP terem ingressado na instituição antes da entrada em vigor da constituição cidadã. É o caso do sr. Grubba. Fica aí a questão, embora legal se é ético ou não e se isso não macula um importante órgão para a sociedade, que é o MP.Caso o MP proponha o arquivamento eu não vou me surpreender, pelo o que mencionei acima, ou seja, em matéria de segurança pública em SC qualquer decisão é suspeita. O indiciamento é a opinio delict do delegado de polícia, é mera formalidade, evidentemente não tem cunho postulatório, muito menos condenatório.
    Para que você possa melhor entender, é como se o delegado dissesse, tem fumaça tem fogo (prova da materialidade) e a fumaça vem daquele cidadão ali (indícios de autoria). Em nenhum momento foi divulgado que fulano de tal foi condenado pela Polícia Civil, pois isso é juridicamente impossível. Apenas se divulgou o fato, qual seja, o indiciamento. Você que tanto defende o MP, deveria notar que quando um promotor denuncia alguém de reputação pública, coloca o fato na internet, no jornal, no facebook, etc.. e a denúncia também não é sinônimo de condenação, eles apenas dizem : Ó, fulano de tal foi denunciado por mim, MP.
    O artigo 14 do CPP admite contraditório no Inquérito Policial, a critério da autoridade policial, e isso é chamado de contraditório restrito.
    Ahh, e se existe política na PC? Claro que sim! Mas no MP não existe, fique tranquilo.

    Abraço!

  • Rogério diz: 29 de maio de 2012

    A adepol deveria usar o mesmo dever para divulgar o envolvimento do delegado regional de Brusque com os bingos;da delegada regional de jaraguá, do serafim; do peixoto, etc, etc…

  • Luiz Carlos diz: 29 de maio de 2012

    Para os ignorantes de plantão que acreditam que uma farda pode tudo no Estado, antes de qualquer comentário medíocre e julgamentos insanos, procurem se informar o que relata todo inquérito e todas as provas que possuem… O que foi divulgado não é um terço do lixo que ocorreu.Na verdade é uma vírgula da podridão. E tem mais se não envolvesse política até o secretário estaria indiciado. Primeiro se informem leiam descubram as barbaridades dos fatos do inquérito aí depois sim, comentem…

  • Roberto diz: 30 de maio de 2012

    1: \”A Adepol-SC é uma entidade de classe que representa os delegados de Santa Catarina\”

    Oras, se representa um grupo e fala em nome deste, não é isenta! E uma entidade que tem Ademir Serafim como membro do Conselho de Ética é de fazer qualquer um dar gargalhadas.

    2: \”[...] a ADEPOL cumpre sua missão de divulgar fatos que são de interesse público e que os considera grave.\”

    Também conhecido como cortina de fumaça no caso do Monteiro, que assumiu o peculato.

    3: [...] Como parte integrante do sistema, cabe à entidade se posicionar sempre que houver provas ou suspeitas de irregularidades envolvendo policiais [...]

    Na Constituição da República Federativa do Brasil, a ADEPOL não figura como integrante do Sistema de Segurança Pública. Mas fica a pergunta: porque não se posicionou quando um certo delegado foi para Miami? Ou quando um certo membro do Conselho de Ética foi preso? Ou quando um certo delegado espancou um ambulante? Ou quando o helicóptero da Polícia Civil ficou uma semana na festa do milho servindo de passeio aéreo para autoridades, políticos e convidados?

    Vamos parar por aqui… pq ADEPOL fede…

  • Marcos diz: 31 de maio de 2012

    Essa turma da ADEPOL só tem gente boa. Mais um pro Conselho de Mérito: Delegado transferido de Rio Negrinho para Itajaí em razão de diversas denúncias de abuso de autoridade e violência arbitrária. Ele e mais um escrivão.
    A justiça abriu Ação Penal contra o delegado por crime de tortura! O processo corre na Comarca de São Bento do Sul, sob o número 058.09.008129-0.
    Disso a ADEPOL não fala!!! Nem do suposto processo do Renato Hendges!!!
    Bando de picareta hipócrita! Se a população soubesse da quantidade de delegado com processo nas costas por irregularidades e falcatruas, iam querer extinguir a Polícia Civil… Aliás, não faz um mês que um policial civil (agente, acredito eu) foi preso com uma arma com numeração suprimida. Também não vi a ADEPOL falar nada sobre isso…
    O telhado da ADEPOL não é nem de vidro, é de papel.

Envie seu Comentário