Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Médico condenado por esquecer bisturi em joelho

21 de junho de 2012 8

A 6ª Câmara de Direito Civil do TJ condenou um ortopedista de Blumenau a pagar R$ 15 mil por danos morais a um paciente que, em julho de 2002, durante cirurgia em ligamento, teve um fragmento de bisturi esquecido no joelho direito.

No período de recuperação, o autor realizou trabalho de fortalecimento muscular auxiliado por terapeutas e retornou à clínica para consulta com o cirurgião, que fez um raio X do joelho operado e informou estar tudo bem.Em junho de 2003, ao sofrer nova lesão, desta vez no joelho esquerdo, o autor procurou outro profissional, que pediu radiografia dos dois joelhos, apenas para constatação de praxe.

Neste exame, ele verificou a presença de lâmina de bisturi, e o paciente foi submetido a nova operação para a extração do corpo metálico. Em apelação, o médico disse não ter agido com imperícia ao manter o fragmento na articulação, pois a “prorrogação do tempo de cirurgia oferece mais risco ao paciente do que a retirada posterior, se houver indicação médica ou assim o paciente desejar”.

Afirmou, ainda, que a sentença baseou-se em suposições e definições médicas, bem como em probabilidades contrárias ao laudo pericial, o que não autoriza a condenação civil.O relator, desembargador Ronei Danielli, não acatou a afirmação de que não houve imperícia.

Para ele, mesmo que a conduta mais adequada fosse a manutenção do fragmento na articulação para não prolongar o período em que o membro operado permaneceu sem circulação sanguínea, a perda de uma lâmina de bisturi indica culpa.”Desse modo, a ‘perda’ de um fragmento de bisturi, expressão utilizada pelo médico na observação constante do prontuário médico, e a não extração demonstram que houve conduta negligente e antijurídica durante a cirurgia”, finalizou Danielli.

A decisão foi unânime e apenas reduziu o valor da indenização, inicialmente fixado em R$ 25 mil. Cabe recurso a tribunais superiores

comentários

Comentários (8)

  • Felipe diz: 21 de junho de 2012

    Seria bom que o nome do médico fosse divulgado.

  • Adriano diz: 21 de junho de 2012

    Realmente seria bom o nome do médico, lógico se estivessem falando de um policial, professor, ou de enfermeiro divulgariam os nome sem exitar.

  • Paulo diz: 21 de junho de 2012

    Pois é… dão a notícia, mas pela metade, adianta saber que é “ortopedista de Blumenau” ??? Talvez não possam divulgar, até entendo, mas então que nem divulguem tal matéria…

  • Rodrigo Aipomandioca diz: 22 de junho de 2012

    E se o bisturi quebrou um fragmento e o médico não viu q ficou lá dentro. Já viram como é um joelho por dentro e sabem o que é uma lâmina de bisturi para esse tipo de cirurgia? Ja viram de onde estão importando lâminas de bisturi com autorização dos incompetentes cabidários de emprego da ANVISA: da Índia, Tailândia, Indonésia, onde nem sabe pra que serve um bisturi, qualidade zero.

  • Sérgio diz: 22 de junho de 2012

    Que pena!Toda “notícia” ficou nos devendo o nome do médico. Não queremos mais “notícia”.Da próxima vez, nos dê o nome do incompetente.Nós,leitores,queremos informação.De “notícia” estamos fartos

  • eduardo diz: 22 de junho de 2012

    pois é, cade o nome do medico?

  • sidnei diz: 22 de junho de 2012

    Porque nao esta sendo mencionado o nome deste infrator ( medico ) pois acabei de fazer uma cirurgia e se soubesse que fosse com este medico não faria , isto deve ser divulgado temos o direito de saber quem não honra com suas obrigações afinal nossas vidas estão na mãos destes medicos . Coloca a cara dele ai ??

  • harry diz: 22 de junho de 2012

    ha ha ! divulgar o nome do medico ?? esqueça ! essa classe é muito coorporada !

    se fosse erro de enfermeira com certeza ja estaria publicada até no tabloide THE SUN…

    Faz lembrar tambem aquela patricinha filha de papai que capotou um carro na rua sete de setembro semanas atras… porque nao publicaram o nome ???

Envie seu Comentário