Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Nunca antes na história de Santa Catarina...

19 de julho de 2012 5

Como diria um certo ex-presidente, nunca antes na história deste Estado, a Associação de Praças em SC (Aprasc) saiu em defesa de um oficial como aconteceu nesta quarta-feira. Em nota oficial, a entidade manifestou apoio ao comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel José Luiz Masnik, que pediu exoneração do cargo por não concordar com o corte de horas extras na corporação. E fez um apelo ao governador para que reveja a posição de aceitar o desligamento.

comentários

Comentários (5)

  • Ancelmo Nogueira diz: 19 de julho de 2012

    Praças e oficiais do Corpo de Bombeiros Militar e da Policia Militar LUTAM cada um da sua forma para prestar um serviço de qualidade a população e gerar a segurança merecida a população. O GOVERNO é o gerador da discordia, pois sabe QUE OFICIAIS E PRAÇAS UNIDOS TEM A FORÇA E A POPULAÇÃO OS APOIA.
    Praças e oficiais do bombeiro estão no twitter e facebook divulgando para a população que DEVE saber que o governo acha a SEGURANÇA PUBLICA um GASTO e não um INVESTIMENTO e na midia oficial PRATICAMENTE NADA É DIVULGADO, com exceção de algumas notas e blogs como este embora bem TIMIDOS.

  • fernando diz: 19 de julho de 2012

    Farinha pouca meu pirão primeiro, quando convém eles se juntam ,apesar de achar esse tipo de corporação é arcaica e ultrapassada, sabemos que dentro desse esquema de policia militar temos duas policias as dos oficiais e as dos praças, ou seja, duas policias dentro de uma só … Oficial, geralmente ficam sentado atrás da mesa dando ordens e se olhando no espelho, “tamanha vaidade” e os praças muitas vezes despreparados ganhando bem menos vão para o combate, tomar tiro na cara de vagabundo ganhando um salario de fome e ainda sem hora extras , ja viu né? quem sore é o povo ..

  • Silvio diz: 19 de julho de 2012

    E assim caminha a segurança pública desse Estado: Cidades onde o posto da PM fecha a noite, plantões nas delegacias com somente um policial e agora corte nas horas extras dos Bombeiros. E nossos “gestores” afirmando que Segurança é prioridade. Só pode ser piada.

  • Edson Abelardo diz: 19 de julho de 2012
  • Lourival Afonso diz: 22 de julho de 2012

    Parabéns Fernando, você só esqueceu de mencionar que oficiais trabalham meio expediente e ainda querem hora extra. O governo cortou as horas extras excedentes, continua pagando 40 horas. Uma boa solução seria os militares que têm cargos comissionados incluindo todos os comandantes, em repúdio ao governo e em solidariedade ao ex comandante Masnik,hoje mesmo entregarem seus cargos, aí sim mostrariam para a sociedade que a categoria é unida. Qualquer outra manifestação é pirotecnia é falacia, porque na hora de mostrar união com as outras categorias,os oficiais ficam sempre no lado do governo e mandam baixar o porrete nos manifestantes, inclusive professores já apanharam de Pms dentro da assembleia legislativa quando reivindicavam melhorias salariais. Façam uma comparação entre o vencimento de um oficial, de um professor e de um médico vê quem ganha mais e qual a contribuição que estes profissionais prestam a sociedade.

Envie seu Comentário