Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Florianópolis vai realizar mutirão de fiscalização e eliminação de ligações irregulares e clandestinas de esgoto

10 de maio de 2013 4


Foto Julio Cavalheiro

Quem tem esgoto irregular ou clandestino em casa deve ficar atento!

A Prefeitura de Florianópolis e a Casan assinaram nesta quinta-feira, dia 9, um convênio de cooperação técnico-financeira para implantação do programa “Floripa se liga na rede”.

A iniciativa vai realizar o maior mutirão já feito na Capital de fiscalização da destinação final do esgoto sanitário e de eliminação das ligações irregulares e clandestinas. Promovendo melhorias na balneabilidade de praias e na saúde pública do município.

A expectativa é a de que sejam feitas 40 mil visitas em imóveis para inspeções no prazo de um ano.

Neste período, serão fiscalizadas as comunidades de Canasvieiras, Cachoeira do Bom Jesus, Vargem do Bom Jesus, Vargem Grande, Daniela, Ingleses, Rio Vermelho, Lagoa da Conceição e Barra da Lagoa que foram escolhidas justamente devido à balnealidade inadequada de suas praias.

Depois a fiscalização deverá será estendida para todo o município.

A partir do convênio, a Casan vai repassar à Prefeitura um total de R$ 800.400, 00, e ainda ceder um veículo.  Os recursos serão usados para contratação por meio de licitação da empresa especializada que ficará responsável pela execução dos serviços.

O trabalho, que deve começar efetivamente dentro de cerca de 90 dias, será acompanhado por três fiscais da Vigilância Sanitária e Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde e três fiscais da Casan, e coordenado pela Diretoria de Saneamento Ambiental da Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental.

Os proprietários dos imóveis cujas ligações de esgoto forem consideradas irregulares ou clandestinas vão ser notificados a regularizar a situação dentro de um prazo que vai variar de acordo com a situação.

Quem não regularizar será multado e o caso encaminhado ao Ministério Público estadual.

comentários

Comentários (4)

  • Felipe Gorges dos Santos diz: 10 de maio de 2013

    Só é uma pena que onde moro, Canto dos Araças, Lagoa da Conceição NÃO tem rede de tratamento de esgoto. Daí, infelizmente “o caldinho” que infiltra nas profundezas da terra, vindo da fossa sanitária, acaba ou no Lençol Freático ou na Lagoa e de qualquer forma volta para nós, ou na água que bebemos ou no peixe que comemos!

  • Luis diz: 10 de maio de 2013

    Esse filme já passou antes…

  • Jocelino diz: 10 de maio de 2013

    Gente está tudo errado.
    Gastar dinheiro público para notificar e dar prazo para se adequarem as normas aqueles que não fizeram o que tinham que fazer.
    E nós que fizemos o correto como ficamos, os agentes contratados irão pelo menos nos agradecer?
    Senhores agentes públicos (CASAN, etc) sejam mais inteligentes.
    Exijam que todos comprovem a ligação de seus esgotos.
    CANASVIEIRAS, TEM REDE DE ESGOTO A MAIS DE 25 ANOS E AINDA TEMOS ESGOTO SENDO COLOCADO NA REDE PLUVIAL. E ainda nos vem com essa de notificar.
    Tenham a santa paciência que a minha já acabou a tempo.
    Que tal criarem uma taxa, tipo três vezes o valor da água, até a comprovação da ligação. Quando a comprovação da ligação for efetivada, o valor pago em excesso, até aquela data, fica como crédito a ser descontados nas próximas faturas.
    E quem não realizou o que devia ter feito, seja multado, e tenha o fornecimento de água suspenso, até que a multa seja efetivamente recolhida.
    É senhor Luis, concordo: Esse filme já passou muitas e muitas vezes…….

  • Luis diz: 11 de maio de 2013

    CASAN e CELESC dão-se muito ao desfrute de servir de caixa-dois para a política, para empregar os apaniguados dos políticos. è muita ineficiência e tarifa cara. Privatizar é moralizar. Água limpa, política limpa? Privatizar e secar as tetas!

Envie seu Comentário