Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Contraponto

24 de maio de 2013 1

A Base Aérea de Florianópolis informa que nenhum militar da FAB é submetido a quaisquer práticas de “tortura psicológica”, diferentemente do que publicado neste Visor na edição impressa de ontem, dia 23.

Em nota oficial, diz que as formações específicas em diversas áreas de atuação não contemplam, de forma alguma, ações de violência, que são consideradas sérios desvios de conduta.

E também nega que um praça estaria ausente após ter sido submetido a agressões.

comentários

Comentários (1)

  • Marechal do Ar diz: 26 de maio de 2013

    1 – O Recruta continua desaparecido sim, devido as investidas humilhantes por parte dos SOLDADOS! Então, que o coronel apresente o recruta Da Silva, para que todos tirem as suas dúvidas. A verdade virá a tona.
    2 – Este comando termina no próximo mês de janeiro e a tropa está ansiosa para ver o sub comandante (markucci) bem longe daqui! Prepotente, arrogante e soberbo! acha que tem um rei na barriga.
    3 – Tem um capitão por nome de kleber, que também se utiliza dos mesmos artifícios, só que teve a sua casa toda apedrejada e teve que correr para morar dentro da vila militar e sem falar que está cheio de processos nas costas.
    4 – O Ministério Público deveria investigar as solicitações de verbas por parte dos comandos da Base Aérea durante os últimos 8 anos, para a realização dos “portões abertos e bailes dos oficiais”. Estas arrecadações somam a quantia de R$ 300.000,00 por ano. Se o oficial contribui (obrigatóriamente), mensalmente para este fim, não tem motivos a solicitação de verbas para a contratação de bandas, clubes e outros.
    5 – Gastaram até agora, R$ 30.000.000,00 com a construção do hospital que só está no esqueleto.

Envie seu Comentário