Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Férias forçadas

11 de junho de 2013 6

A Corregedoria da Polícia Civil acaba de decidir pela suspensão de 36 dias do delegado José Antônio Peixoto, acusado de tentar extorquir US$ 2 milhões do empresário e cônsul honorário de Marrocos em SC, Bassan George Necola Narina, em 2008.

Ou seja, Peixoto vai ficar um mês e seis dias sem salário, mas não perdeu o cargo. Ele atua na região de Itajaí. Na esfera criminal, o delegado foi condenado a dois anos e oito meses de prisão, mas a pena foi convertida em tratamento psicológico.

comentários

Comentários (6)

  • Eduardo diz: 11 de junho de 2013

    Imagina se a PEC 37 passa??? Ainda bem que temos um MP forte e independente que provavelmente já ajuizou a competente Ação de Improbidade Administrativa, a qual tem, dentre suas sanções, a perda do cargo público. É inconcebível que essa pessoa ainda faça parte da Polícia Civil.

  • marcos diz: 11 de junho de 2013

    O homem foi condenado e não perdeu o cargo ????? E continua delegado ??? Que moral vai ter para prender um ladrão de galinhas por exemplo .

  • Paulo Pinheiro diz: 11 de junho de 2013

    Foi isso mesmo que eu li? Convertida pena de cadeia para tratamento psicológico? E o sintoma era a tentativa de extorsão?

  • Milanezi diz: 12 de junho de 2013

    Qual a moral que a sociedade tem de punir um marginal pé de chinelo.

  • FERNANDO diz: 12 de junho de 2013

    Meus amigos, desvios tem em todos os órgãos o problema é apenas a fiscalização. Não se enganem já teve procurador de justiça em SC exonerado por advocacia administrativa? Parem de falar besteiras acerca da PEC 37

  • Indignado…. diz: 12 de junho de 2013

    Isso é uma VERGONHA!!! Um delegado de policia se prestar a um papel desses e sai assim, limpinho… é uma chinelagem mesmo.
    Imagina se fosse um soldado militar ou um policial civil, já estava na rua há muito tempo.
    E logo agora que os Srs. Delegados estão prestes a conseguir aumento de salário juntamente com sua tão desejada carreira judiciária.
    36 dias se passam, e esse tal José Peixoto estará de volta todo pomposo. É um absurdo. Que moral fica a Polícia com uma Autoridade Policial dessa em seus quadros.
    É mesmo uma vergonha, a sociedade tinha que se mobilizar para evitar esse tipo de absurdo.
    Realmente, é de se indignar.

Envie seu Comentário