Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Prefeitura embarga obra de marina na Ponta do Ataliba

31 de outubro de 2013 52

A prefeitura embargou agora à tarde a obra do empresário Ronaldo Daux, que pretende construir uma marina e um clube náutico na Ponta do Ataliba, ao lado do Parque de Coqueiros, região continental de Florianópolis. Uma comissão de moradores do bairro já teria inclusive marcado audiência na Polícia Federal para apresentar denúncia nesta sexta-feira contra o empreendimento.

Este Visor antecipou no dia 21 de outubro o projeto que terá capacidade para até 200 embarcações de 30 pés. O terreno, com 30 mil metros quadrados, deverá ter cerca de seis mil metros quadrados de área construída. Daux diz estar tranquilo quanto à legalidade do investimento planejado há pelo menos 10 anos e admite discutir o impasse judicialmente.

comentários

Comentários (52)

  • Gualter diz: 31 de outubro de 2013

    Martini, conheces bem a cidade e a verdade é que esse empresário é famoso em Florianópolis por conseguir acesso para hotel em praça pública, construir em cima do mar em canasvieiras, e agora, pretende iniciar ” devagarinho” uma selva de pedra aprovado há 10 anos atrás com 130 mil m2 nessa área do antigo ataliba, e usa a desculpa de projeto para capacitar mão de obra para o mercado náutico. Coqueiros não suporta mais prédios, qto mais 130 mil m2 numa área só ! Estão destruindo o bairro, ali é região do parque, ali tem mangue, não tem sistema viário que dê conta. Nada contra a marina, muito pelo contrário. Mas, a marina e o ” projeto para mão de obra” são pretexto para os espigoes que ESTÃO APROVADOS criminosamente para o local. Fica de olho.

  • ALTAIR ACELON diz: 31 de outubro de 2013

    REALMENTE A NOSSA CIDADE NÃO TEM MAIS JEITO, SOMOS UMA ILHA E QUALQUER IDIAOTA DIZ QUE NÃO PODEMOS TER MARINA, FALAM EM TRANSPORTE MÁRITIMO EMBARCAR ONDE? DESEMBARCAR ONDE? SÃO UNS HIPÓCRITAS, PROIBEM TUDO E NADA PODE. LI NO DC NA SEMANA PASSADA SOBRE UMA SENTENÇA DADO POR UM JUIZ FEDERAL CONDENANDO O PREFEITO ANTERIOR, PELO CALÇAMENTO DE UMA RUA QUE SEGUNDO O MAGISTRADO ESTAVA EM ÁREA PROTEGIDA. AI NA MINHA “IGNORÂNCIA” PERGUNTO: SE UMA RUA FOI CALÇADA É PORQUE EXISTEM CASAS E OS INVASORES NÃO FORAM CONDENADOS? REALMENTE O POSTE ESTÁ FAZENDO XIXI NO CACHORRO EM FLORIPA MINHA CIDADE ONDE NASCI FAZ TEMPO.

  • Luiz diz: 31 de outubro de 2013

    Por isso esta cidade não vai pra frente…nada pode!! Todo mundo é contra tudo…vão viajar e vejam como é lá fora e o quanto estas obras desenvolvem o turismo e atraem turistas!! Só aqui, uma ilha, é que não pode ter porto e nem marina!! É uma vergonha mesmo…

  • Lucas diz: 31 de outubro de 2013

    Povo quer vocação náutica, possui um novo Plano Diretor lindo que explora esta vocação, mas adora pregar um empresário no poste. Desconheço o licenciamento do empreendimento, mas é melhor que aquela área abandonada, sujeita a ocupações clandestinas e drogados. A cidade precisa deixar de lado o ar provinciano que carrega de Açores.
    Ah, novembro está aí, temos uma prova internacional de vela e a recepção será no trapiche da beira-mar. Lindo, não?

  • Arthur Coelho diz: 31 de outubro de 2013

    Verdade que tem empresário que já grilou terras na ilha, não sei se este é o caso.Mas, se não for espigão, é bom mesmo que algo seja construído lá. Os manés são assim mesmo, não tendo capital, idéias e vontade, combatem os empreendedores e preferem que a área fique como o aterro da baía sul ou a ponta do coral, cheio de vadios sem teto e drogados. Acham que isto é que torna a terra mais bonita e aumenta a qualidade de vida. Detestam o sucesso alheio.

  • Eduardo Alves diz: 31 de outubro de 2013

    Eita povinho burro.
    Por um tempo, eu ficava chateado, etc. Agora cansei. Que vão todos catar coquinho mesmo, gente retrógrada e burra. Merecem estar na m* que estão. Na boa… chega. Porque não constroem muros tapando o mar então, já que são tão contra qualquer coisa no mar?

  • Ale diz: 31 de outubro de 2013

    Não consigo entender essa negativa que alguns moradores da cidade têm contra marinas. Primeiro o cara ia construir duas torres e uma marina. Não pôde porque iria inchar o trânsito. Daí desistiu das torres e pretende só a marina, mas também não pode porque vai inchar o trânsito (marítimo???). Enquanto isso, explodem em Coqueiros várias outras construções residências, como no trajeto que liga à expressa e no Abrãao, com várias torres, e com novos moradores que vão ter de atravessar o bairro inteiro com seus veículos e não apenas transitar no início do bairro. Na Beira-mar Norte a Hantei queria construir um hotel com marina é foi uma guerra, mas a WOA, logo em frente constrói várias torres. Ora, quem prejudica mais o trânsito? Hospedes de um hotel que se locomovem de taxis, ou moradores fixos de 4 ou mais prédios? E a Magno Martins que queria fazer um shopping ao lado do cemitério do Itacorubi? Não pode por questão de trânsito, mas agora está fazendo umas 8 torres? Não vi nenhum protesto. Pelo jeito só se protesta contra marinas e shoppings, que movimentam a economia, mas que para alguns é coisa de rico. Engraçado, todo mundo gostaria de enriquecer, mas uma parte não gosta da riqueza dos outros

  • GIORGIO BRENA diz: 31 de outubro de 2013

    Galera de Coqueiros é muito chata, sempre em contra de tudo que é desenvolvimento. Aquela area ali esta parada,morta e tem muita utilidade, uma delas é uma marina que tanto falta na Ilha, ESTAMOS MORANDO EM UMA ILHA.
    Porque nao foram contra contra predios que tem no bairro de 8,10 pavimentos??
    Sou a favor da MARINA, morei muitos anos nesse bairro, me criei ai, em Coqueiros como em outras areas de Florianopolis temos que desenvolver. Parabens DAUX pela iniciativa, por acreditar na nossa cidade e com meritos sim enriquecer com esa ideia e obra que com certeza sera aprovada.

  • Juliana Desterro diz: 31 de outubro de 2013

    Pra se ter uma ideia do trânsito em Coqueiros : hoje levei 40 minutos da frente da CEF até a ponte, mais ou menos 1,5 ou 2 km? Vão construir mais um prédio comercial na Av. Max de Souza, esquina com a rua João Alcântara da Cunha, rua sem saída. Na rua João Batista Dálascio, outra rua sem saída, estão sendo feitos mais 02 prédios. Não é querer ou não querer “progresso”, é ter infraestrutura para isto. Até que ponto queremos ter este tipo de “progresso”, porque ninguém gosta de fila, ou o pessoal que escreve a favor das obras gosta? Talvez não morem no bairro de Coqueiros.De ônibus ou de carro , a fila não anda. Coqueiros possui só uma via para escoar todo o trânsito até o centro. E agora com a abertura da rua João Meirelles, no Abraão , o trânsito de Coqueiros também recebe carros dos municípios vizinhos. É esta mobilidade urbana que queremos?

  • Navarro Brisolara diz: 31 de outubro de 2013

    Povo ensoberbado e boçal são estes moradores de Coqueiros. A associação cheira a mofo, de tanto velho e retrógrado que lá passa as tardes á vigiar os envigamentos e construções dos bairros…tem obra, como a de um comerciante antigo da ilha, dono de um tradicional bar na região das pedras, que simplesmente possui o imivel em Coqueiros, tem alvará de construção, mas um vizinho gagá simplesmente encasquetou com a construção…enquanto isso, a Av. das Rendeiras não é asfaltada, o trapiche da ilha não sai, o povo paga um absurdo por utilizar a area de areia da praia de Jurerê…povo de Floripa, vai se fu…!

  • vera diz: 31 de outubro de 2013

    Nasci manezinha, e também acho uma aberração proibir tudo! mas acho que os que são contra são os forasteiros que se apoderaram da nossa ilha. Só falta nos expulsar daqui.

  • Luis diz: 31 de outubro de 2013

    E olha que sou ecochato, que não sou ingênuo com o empreendopicaretagem local, com a brutal corrupção por força da máfia imobiliária, mas o que uma marina – SEM OS ESPIGõES inicialmente propostos- pode trazer de mau para uma cidade-ilha que está de costas para o mar? Ai vamos passando do ponto e municiando uma turminha perigosa que gosta de recitar o mantra anti-preservação, aos radicais do concreto. Se não for jogada para empurrar o índice construtivo pra cima, muito habitual da camorra construtiva, que mal pode ter? Usando mais o mar, vamos poder melhor cuidá-lo, preservá-lo.

  • Costa diz: 31 de outubro de 2013

    Por favor não vamos generalizar ao dizer que são os nativos que emperram os bons empreendimentos na cidade; eu por exemplo estou com 65 anos e nascido na ilha, mas não tenho essa gana contrária a tudo e a todos; desde o momento que seja legal e os benefícios serão maiores que os prejuísos tudo bem. Se levantar-mos a origem dos contras, teremos surpresas. Principalmente em áreas que no passado foram povoadas de maneira irregular e hoje estas pessoas são as primeiras a irem contra tudo. Em todo o mundo é natural os grandes empreendimentos irem se alastrando e correndo com pequenas residências em áreas nobres. Lógico que de uma forma ordenada e hoje muito mais, haja vista o olhar diferente de uma cidade humanizada, principalmente quanto ao transporte público, praças e passeios confortáveis, como vem sendo debatido em todo o mundo.O grande problema hoje no Brasil é que uma minoria consegue objetivos, o que muitas vezes um grande número não consegue.

  • BAR diz: 31 de outubro de 2013

    TEM UM PRÉDIO/ESTACIONAMENTO AO LADO DA CATEDRAL, NÃO SEI DIZER O QUANTO FALTA PARA ENTRAR EM OPERAÇÃO. SÓ SEI QUE O MESMO SE ENCONTRA INTERDITADO, QUAL A RAZÃO(ÕES)??? SÓ DEPOIS DE CONCLUÍDO O OBJETO É INTERDITADO???
    TEM GENTE QUE EMPREENDE E TEM GENTE QUE ACHA QUE TRABALHA PARA A SOCIEDADE SENTADA ATRÁS DE UMA TRINCHEIRA DE PROCESSOS.
    ELEFANTES ENCALHADOS EM AREIA MOVEDIÇA.

  • Ricardo Pedro diz: 31 de outubro de 2013

    O problema que vejo são pessoas da associação de coqueiros,que usam associação como meio político e ideológico,assim como o jornal de coqueiros comandados por pessoas totalmente retrogradas e que tem mentalidade fechada em relação ao crescimento do bairro que não vai ser interrompido.

  • Matheus diz: 31 de outubro de 2013

    O povo BURROOOOOO, ta, o empresário não pode fazer uma marina, mais ali pode ficar abandonado e entregue pros invasores, do que melhorar a cidade, cambada de ecochatooossss

  • Balzac diz: 31 de outubro de 2013

    “Na raiz de toda grande fortuna existe um crime”. A estalagem Vermelha, Balzac

  • Sergio diz: 31 de outubro de 2013

    Os caras reclamam de tudo nesta nossa cidade…garanto que a maioria que mora nos bairros não são daqui e muitos acham que nada mais deve ser construído. Um absurdo nossa Floripa não ter marinas e não construir um hotel na Ponta do Coral. Vai atrapalhar o trânsito? simples vão de busão ou a pé. No feriado dos funcionários públicos não tivemos filas…porque não vão de bus para o trabalho, pois logo se vê que o trânsito flui normalmente. Agora os ecochatos deveriam sim cuidar da poluição das nossas praias isso sim, mas não fazem porque será! Toda as cidades de primeiro mundo que tem uma orla marítima são recheadas de hotéis e marinas…então gente chega de tanta bobagem e vamos evoluir pois nossos herdeiros vão fazer. Se o problema é o trânsito cobrem do governo soluções que realmente funcionem e não só de latão que se anda. Vamos mudar este pensamento que aqui nada pode.

  • Arthur Zofta diz: 31 de outubro de 2013

    Tem muita gente que, morando aqui, não aceita barulhinhos, crianças chorando em prédios, mas aceita cheiro de cachorro.São os mesmos que votariam na ecochata da Marina.Deus me livre.Voltem prá lá que é melhor do que aqui. Marinas já. Cachorros fora de aptos já. Gente mal amada.

  • Fernando Pinto diz: 31 de outubro de 2013

    As vezes me pergunto o porque da desigualdade social no Brasil, lendo estes comentários explica-se: os pobres explorados apoiando obras irregulares que só vão piorar a vida e a cidade dos mesmos, mas vivem num mundinho de imaginação como se predio gigante tbm iria ser deles, típicos pensamentos de um colonizado, acontece hoje e desde 1500. “Queremos ser como Miami, como New York, etc, ver nossa cidade ser dominda pelos ricos poderosos que só constroem esse palacetes a base de calorosas proprinas. Apoiam os absurdos que “metrópole” faz e joga na sua cara como se fosse bom. Mas gostam de gozar com o p** dos outros…

  • rodrigo diz: 31 de outubro de 2013

    Concordo com o SR altair, condenaram a calcada, mas pra comeco de conversa, se não pode a calcada a casa podia?
    nos ingleses tem uma obra a cada esquina sem alvará, sem projeto, sem viabilidade, sem escritura…
    se o Sr. Daux tem alvará, tem viabilidade, licencas ambientais, ele vai construir sim, quer queiram ou nao…
    Esse tipo de situacao é oque coloca e a cidade em prejuizo…nao há no estado democratico de direito nenhum paragrafo falando sobre “achismo”…
    existe oque está na lei ou fora dela. e aqui a prefeitura há muitas gestoes vive cobrando pedagio aqui e ali…legalizando obras que nÃO poderiam ser legalizadas….
    tai a origem de problemas… vergonha na cara mesmo!!!!! fim de estabilidade de servidor publico, resarcimento do erário…

  • paulo diz: 31 de outubro de 2013

    HAHAHA Florianópolis deve ser a única cidade litorânea NO MUNDO, que não permite o uso de barcos, sem falar na Ilha… só pode ser gozação… o pior é que a maioria dos portugueses desembarcaram aqui e pior ainda, ficaram

  • cesar diz: 31 de outubro de 2013

    Nossa ilha de sc e um caso complicado, a uns tempos atraz aterraram a baia sul porque os tecnicos naquela epoca achavam que era a saida…..concordo, saida da agua do mar que banhava nosso mercado publico…para hoje ser liberado o camelodromo, direto do campo,centro de tratamento de esgoto, estacionamentos de onibus de varias empresas ,camelodromo e centro de eventos, ridiculo…ridiculo, simplesmente nessas duas ultimas obras tiraram a visao do MAR.Se Burle Marx fosse vivo morrerria de desgosto.

    Nao muito distantes nossos administradores tambem resistiram ao nao liberar alvara para construcao de hotel 5 estrelas com marinas e tudo mais na beira mar norte, hoje me deparo com a noticia da marina de coqueiros tambem embargada.

    Quando sera que nossos governantes e administradores do municipio pensarao GRANDE, pois nossos filhos e netos estao se formando e precisarao de empregos senhores.

  • Fabricio diz: 31 de outubro de 2013

    A cidade do nada pode.
    O que a turminha de coqueiros, que deveria se chamar bananeiras se esquece é que em alguns anos o bairro será tão insignificante que quero ver quem dará atenção para essas múmias.
    Eles não enxergam que quanto menos pessoas, menos recursos, menos polícia, menos iptu. Depois ficam essas figuras esquizofrênicas fazendo piquete e reclamando de tudo.
    Marina já. Quero ver se o prefeito é macho. Pra ficar usando palanquete contra construção civil é fácil, quero ver bancar essa. Espero que o empresário tenha peito para se for caso, levar isso judicialmente pra frente.
    O certo era entrar com uma ação por lucro cessante contra os protestantes e a prefeitura. Uma hora um juiz com coragem dá uma decisão contra e quero ver essa turma tirar a grana do bolso.

  • Luiz A diz: 31 de outubro de 2013

    Marina tem que ser construída no mar!!!!!!!!!!!!!Querem que construam marinas no deserto do saara??????????Que gente mais chata, aqui em floripa o turismo é de gente muquirana, pobretões e de terceira. No mundo inteiro, um turismo qualificado e que da retorno para a sociedade como um todo, tem que ser feito por profissionais, com hotéis confortáveis, marinas, resorts,bares de praia,etc.

  • Alcides diz: 31 de outubro de 2013

    Florianópolis anda para o lado igual a siri,na ilha dos casos raros nada se cria,pq tem pessoas que não querem o desenvolvimente da cidade,já perdemos o estaleiro que seria construido em Biguaçu,empreendimento da ponta do coral,e agora marina,será que prefeitura,orgão ambiental,associação comunitária vão gerar emprego para essa juventude.
    Eu quero ver o tom e o jerri com esse planozinho diretor da jeito na cidade,não quero morrer antes pra ver.

  • Ivan diz: 31 de outubro de 2013

    Nada contra a obra, mas pergunto..teremos locais para sair com
    nossos barcos ou lanchas? pois hoje nao exite um local publico que possibilite
    algo tao simples mas que aqui em floripa é impossivel, trazer seu barquinho no
    reboque do seu carro e colocar na agua..Boto fé no Prefeito, talvez ele resolva isso..tomara!!

  • Pedro diz: 31 de outubro de 2013

    Essas coisas só acontecem em Florianópolis! Porque não fiscalizam e impedem o avanços das casas sobre o maciço do Morro da Cruz ou sobre os morros do Itacorubi ou paralisam o avanço da favela sobre as dunas dos ingleses? Qualquer cidade marítima que se preze possui marinas! Florianópolis não possui nenhuma e pelo jeito nunca terá! É PRECISO MUDAR ESSA MENTALIDADE ATRASADA QUE TODAS AS OBRAS FARÃO A CIDADE INCHAR OU QUE FARÃO O TRÂNSITO FICAR MAIS CAÓTICO. NÃO É PARALISANDO OBRAS QUE TRARÃO PROGRESSO QUE A CIDADE IRÁ MELHORAR É, SIM, INVESTINDO EM INFRAESTRUTURA! PROFUNDAMENTE IRRITADO COM ESSE TIPO DE NOTÍCIA!

  • Pompilio Fidelis diz: 31 de outubro de 2013

    MARINA, baixinha com no máximo 3 ANDARES, está ótimo, cheia de barquinhos, maravilha. Se o transito de coqueiros está caótico é por causa da entada nas pontes, pois vem duas pistas da 282, duas do estreito, duas de coqueiros e mais duas agora da beiramar do estreito, 8 pra 4. E o transito em cima da ponte é lento. Não é culpa dos prédios de coqueiros. DEIXA O HOMEM CONSTRUIR UMA MARINA SIM.

  • Sumam Gayuchos diz: 31 de outubro de 2013

    O que se percebe é que a maioria das pessoas que falam mal da cidade não são nativas e, normalmente são gauchas.
    Ora, voltem para sua terra, pra “linda” e porca POA ou qualquer outra cidade de m… que vocês tem por lá.
    Odiamos gaúchos sim, são boçais, mau educados, dizem que vem pra cá em busca de qualidade de vida, mas a grande maioria vem como desempregado e, em sua grande parte, moram aqui se perspectiva de vida.

    Para os gaúchos basta um trabalhinho qualquer e um parque ou uma praia para se acharem satisfeitos.

    São as ripongas do ano 2000.

    Fora gaúchos! Principalmente aqueles que mesmo depois de 20 anos fora do RS ainda mantem o sotaque ridículo.

  • José Henrique diz: 31 de outubro de 2013

    Pobre cidade a nossa. Entrou um Prefeito jovem com mente retrógrada. Cidade desgraçada por demagogos que administram para as minorias do contra. E eu que votei nesse troço! O fato interessante da semana é a concorrência para a zona azul, engraçado que somente uma empresa foi qualificada para a segunda etapa, chegaram a inventar razões para desclassificação que nem constavam do Edital. Pela livre concorrência jamais a PMF poderia dar andamento ao tal certame contando com apenas uma proponente. É tudo muito estranho, como era quando tínhamos apenas duas empreiteiras capacitadas para pavimentação asfáltica em Florianópolis. Tudo muito estranho.
    Pelo tempo decorrido desde a concepção do projeto, MAIS DE 20 ANOS, acredito que o empreendimento está legalizado ou então o Sr. Ronaldo Daux está doido. Dinheiro com certeza ele não rasga.

  • movimento ilhaverde diz: 31 de outubro de 2013

    ATENÇÃO: Assim que soubemos do embargo , fomos conferir alguns itens que foram o motivo principal deste embargo.

    Diferentemente do que esta nos comentários acima , o~que motivou o embargo NADA TEM HAVER COM A MARINA , CLUBE NAUTICO , TRAPICHE .

    Segundo apuramos os motivadores do embargo estão fundamentado nos seguintes itens:

    1 – Há um laudo técnico do ICMBIO e de pleno conhecimento da FLORAM e Prefeitura municipal atestando a área afetada pela obra como MANGUE . No mesmo laudo há uma tabela/listagem de importantes espécies da avifauna que habita a região e faz corredor ecologico com áreas distantes. Este laudo foi DESCONSIDERADO .

    2 – Os alvarás de licença para construção estão CANCELADOS . Foram cancelados na CPI dos Alvarás pela P.M.F.

    3 – Há problemas de natureza administrativas de ORDENS e determiinações técnicas por parte da Prefeitura e da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo que na SECRETARIA DO CONTINENTE recebem CONTRA ORDENS caracterizando uma insdisciplina administrativa entre estes 2 setores institucionais da prefeitura.

    4 – Há indefinição técnica do que esta sendo feito…

    5 – Há insegurança administrativa e técnica das garantias REAIS de que este empreendiemnto pretendido pelo empresário não venha a se tornar num futuro próximo e em breve por exemplo NUM CAMPO DE FUTEBOL.

    6 – Há problemas outros com terrenos adjacentes e que fazem limite com o Parque de Coqueiros que necessitam de averiguações e checagem documental não realcionado ao terreno em questão do embargo.

    7 – Há um compromisso e determinação do prefeito de que antes do plano diretor estar APROVADO NENHUMA OBRA IMPACTANTE poderá ser executada , até para a sua segurança juridica.

    8 – A policia ambiental esteve no local requisitando todos os documentos a construtora e esta não entregou 50% por não possuirem.

    A outros detalhes que serão revelados no decorrer do processo.

    Para encerrar comunicamos a todos os que fizeram comentários e demais leitores que o pessoal do Parque de Coqueiros, movimento ilhaverde, praticamente todos os vereadores, Aliança Nativa SÃO TODOS A FAVOR E QUEREM MARINAS ASSIM COMO TRANSPORTE NAUTICO.
    Que sejam estes de preferência de movidos a energias LIMPAS e ecologicamente corretos como Vela, Stand-Up, Remo, Canoagem, etc….

  • Thiago diz: 31 de outubro de 2013

    Que tal desapropriar o terreno e utilizá-lo como uma continuidade do Parque de Coqueiros, uma vez que este já está ficando pequeno para tanta gente. Gente que vem de todas as partes da cidade, pois É O ÚNICO PARQUE DO GÊNERO EM TODO MUNICÍPIO. Aliás, criado pela Associação já criticada em comentários anteriores, provavelmente por alguém que não conhece a cidade e deve terminado morar a pouco tempo em um desses pombais que constroem em qualquer lugar, sem qualquer planejamento. É muito simples, menos prédios, mais parques…

  • Ernesto São Thiago diz: 1 de novembro de 2013

    Com o devido respeito ao colunista, a notícia não é o embargo e sim o fundamento jurídico apresentado pela prefeitura para embargar – e este a nota não apresentou.

  • MIGUEL diz: 1 de novembro de 2013

    NÃO VOU COMENTAR, POIS NÃO TENHO CONHECIMENTO PROFUNDO DO ASSUNTO, SOMENTE O QUE SE FALOU NA MÍDIA, QUANDO NÃO SE CONHECE, NÃO SE DEVE COMENTAR, POIS SÃO COMENTÁRIOS SEM FUNDAMENTOS, SEM PESO, SEM CREDIBILIDADE. ENTENDERAM ?

  • reinaldo diz: 1 de novembro de 2013

    Marinas são interessantes, mas sem prédios , rede de esgoto adequada, sem ferir o visual da paisagem, sem áreas residenciais ou comerciais, arborizada de acordo com a flora regional, estilo açoriano, iluminação adequada, rede de energia subterrânea, pavimentação colonial e alguns detalhes arquitetônicos obrigatórios.Não para clubes “fechados” que impedem até visitação e uso do mar.

  • Oliveira diz: 1 de novembro de 2013

    Realmente é uma discussão interessante. Quem será beneficiado com as marinas? As pessoas que tem embarcações!! Quantos dos que se manifestaram neste espaço possuem embarcações? Nenhum provavelmente!! Então porque querem marinas? Talvez porque queiram passar perto e falar para o filho: “olha lá filho que barco bonito! E aquele outro!! Um dia a gente vai ter um!!! rsrsrs
    Desenvolvimento?? Educação de melhor qualidade (Coréia do Sul, Tailândia, etc), mobilidade urbana, incentivo a tecnologia (a mais de 3000 vagas esperando por técnico ou analista de TI na Grande Fpolis).
    Mas o que pensam Luiz Henrique da Silveira e seus adeptos? Mais hotéis, marinas, shoppings e o povão vai arrumar mais emprego de: camareira, carregador de bagagem, porteiro, etc,etc,etc que desenvolvimento!!!
    Ao invés de termos pessoas inteligentes, capacitadas, pensando por si mesmas, temos e teremos os lacaios de quem tem dinheiro.
    Mas com certeza o povo que vem de fora é muito inteligente, tão inteligente que não tiveram a capacidade de se manterem na metrópole em que estavam, ou a destruiram com o progresso, e agora vem pra cá achando que estão contribuindo para o desenvolvimento da cidade. É muita ilusão!!

    Inovação, tecnologia, educação de qualidade, mobilidade urbana é disso que esta cidade precisa e não de marinas, hotéis, shoppings, etc…

  • Marco diz: 1 de novembro de 2013

    Cabeça fechada da nisso. Tem que “bloquear” o crescimento sem planejamento, mas não tudo que aparece.

    No morro dos cavalos é um exemplo. O Ibama e Funai não querem deixar duplicar pq? Pq o interesse em fazer um túnel que vai demorar anos e gastar milhões é mais interessante para os “amigos” não é??? Cambada!!!

  • Paulo Silva diz: 1 de novembro de 2013

    Cacau, lendo alguns comentários sobre a construção ou não da marinha do Daux, em Baln. Bamboriu é a marina do Tedesco, vejo quão estampada está a infantilidade ou imaturidade, alguns agredindo o nosso querido manézinho, outro Idiota falando mal dos moradores de coqueiros, mas é assim mesmo escondem seus rancores e frustações nesse pequeno espaço público, mas voltando a marina do Daux, que vai autorizar a construção é a justiça federal e pronta, tomara que de tudo certo, pois pretendo á pé ate a marina tomar meu vinho.

  • dilma diz: 1 de novembro de 2013

    Esse jeito retrógrado de pensar e agir, é coisa da descendência açoriana. Sei porque Laguna também padece por conta desta herança maldita e está lá, afogada no limbro. Vejam Blumenau, Joinville, Balneário Camboriú, Brusque, depois pule para Criciúma e Rio Grande do Sul.Preciso dizer mais alguma coisa?

  • Marcos Medeiros diz: 1 de novembro de 2013

    O terreno em questão, é aforado, e dentro do atual plano diretor é área para empreendimento de multiuso, o embargo, é proposto por pessoas que poderão perder a vista do seu imóvel, ou seja, na minha propriedade tudo pode, mas na propriedade dele não. A prefeitura de Florianópolis emitiu o alvará, para o empreendimento, com certas consoantes, que deve ser respeitada pelo empresario, agora retira, onde esta o estado de direito, ou vamos, insurgir no estado de insegurança.

  • Antônio diz: 1 de novembro de 2013

    O desenvolvimento de uma cidade não deveria ser medido pelo número de obras possui, mas sim pela qualidade de vida de sua população. Obras que privilegiam poucos geralmente ignoram e prejudicam muitos.

  • eraldo diz: 1 de novembro de 2013

    mais um prefeito mediocre, mais quatro anos de enganação.
    prefeitura mediocre.
    ser contra marina, ser contra hotel na ponta do coral é ser muito burro.
    cada poveco tem a prefeitura que merece.

  • Regina Carvalho diz: 1 de novembro de 2013

    É inadmissível nos dias de hoje não termos acesso pela orla, não termos marinas públicas, não termos parques extensos para a comunidade, sistema viário que comporte o fluxo de carros existentes na ilha, saneamento cujo esgoto está sendo lançado a céu aberto. Sem nova ponte e sem infra estrutura nos bairros não podemos permitir mais obras.
    há 6 minutos · Curtir

  • ALTAIR ACELON diz: 1 de novembro de 2013

    Realmente está ficando insustentável a nossa bela e querida Desterro, cidade que nasci e vou defendê-la até o dia em que me chamarem para o andar de cima ou de baixo não sei. Falam tanto da mobilidade urbana, mas nada fazem, criticam, destroem cerca de propriedade privada como a ponta do Coral , invadem propriedades privadas e nada acontece, tudo isso em prol de novos “Espaços Públicos”. Pensem, os poucos e raros espaços públicos que existem na nossa cidade estão ocupados por drogados, e demais pessoas que vivem nas ruas, sendo impossível uma família ou qualquer pessoa desfrutar inclusive durante o dia, onde o constrangimento com a visão diurna de cenas horríveis de pessoas de drogando, injetando, fazendo suas necessidades fisiológicas, tudo isso no “Espaço Público”. Onde estão os defensores desse “Espaços Públicos”, porque não se organizam para defedê-los. Faço um desafio a qualquer cidadão da cidade visite esses “Espaços Públicos” principalmente do aterro da baia sul, Beiramar Continental, procure caminhar na Beira Mar a noite e etc…, . Parem com isso. Chega. Vejam o empreendimento da Ponta do Coral onde meia duzia são contra, mas quando vão ao exterior ficam apaixonados, maravilhados e deslumbrados pela beleza e organização urbana das cidades. Vejam, bem na frente da Ponta do Coral onde um empreendimento de nome pomposo está sendo construído, vocês sabiem que este empreendimento vai despejar na mesma área mais de 400 apartamentos, mais ou menos 2000 mil pessoas e aproximadamente 1000 automóveis, certamente impacto muito, mas muito maior do que o empreendimento que alí está previsto. Sabem o que conunidade ganhou com isso? , apenas reforme de calçadas, realmente é muito pouco. Eu pergunto isso pode? onde estão os defensores dos “Espacos Públicos”, da mobilidade?, do impacto ambiental? Somos favoráveis a cosntrução com respeito a cidade e principalmenbte a Leis e nunca podemos esquecer que a nossa querida Desterro foi sempre um porto, aliais o melhor porto do hemisfério sul que abastecia as rotas marítmas de todos que por aqui passaram.

  • Eduardo Alves diz: 1 de novembro de 2013

    Fernando Pinto, obviamente jamais foi a Nova York ou Miami. As cidades são lindas, bem cuidadas e Nova York principalmente, RECHEADAS de atrações culturais. Nova York então, tem dezenas de parques, se fizéssemos aqui um 1/5 do que fizeram na beira do rio por lá, estaríamos MUITO bem.
    Adoro ver o pessoal citar Nova York e Miami e outros lugares como exemplo negativo. Mostra que simplesmente não sabem do que estão falando e que não tem a MENOR noção de como estes lugares são realmente. :-)

  • Alex Lima diz: 1 de novembro de 2013

    Caro Fernando Pinto, acredito, pelas palavras que você publicou, que o lugar ideal para você morar seria na CORÉIA DO NORTE, porque lá os representantes do povo pensam iguais a você. Se você não está feliz com a sociedade capitalista em que vive, basta sair dela. Mas eu aposto que você adora entra em super mercado e ter Muitas opções de Compra e morar em uma cidade com Muitas opções de Lazer, construída pelos mesmos empresários que você repudia.

  • Paulo Silva diz: 1 de novembro de 2013

    A Prefeitura de Florianópolis aceitou as modificações do projeto da marina do Daux, ele começara na 2a feira, por que o alvará de construção foi liberado. Pronto cambada, não precisam mais falar mal dos manézinhos e de coqueiros, coza feia.

  • Votei Mal diz: 1 de novembro de 2013

    “Para o invejoso, o sucesso alheio dói mais do que o próprio fracasso.”

    Tomara que não saia nada ali naquele terreno baldio e o querido bairro de Coqueiros ganhe uma Ponta do Leal. É isso que essa gente retrógrada merece.

    Ainda me aparece meia duzia de lunáticos que acham que a prefeitura tem verba para ficar indenizando empresários pra fazer lindas pracinhas pra vocês brincarem? Essa administração não tem dinheiro nem pro papel higiênico da prefeitura. Vide o programa PDMI que foi um fracasso tão grande que até estenderam o prazo.

    Aliás, as obras das marinas públicas que o prefeito promete serão todas parceria público privadas, por que $$$erá?

    Essa prefeitura é uma piada, mais 4 anos perdidos! Não sei como mas chegou a dar saudades do Dário!

  • Associaçao de Moradores diz: 2 de novembro de 2013

    A Associação de Moradores de Coqueiros gostaria de registrar que ão é contra a construção de marinas. Luta pelo direito de acesso ao mar e a orla por todos. Pede que a Lei seja respeitada. Praia é bem de uso comum do povo e deve ter seu acesso permitido.
    Solicita também que a entidade seja respeitada pelo grande serviço prestado ã cidade, prinicipalmente pela construçao do Parque de Coqueiros, exemplo de cidadania para todo o Brasil. Entendemos quem está falando mal, pois com certeza não conhece. Sugerimos que passe um um dia por lá para entender o que significa.

  • alex diz: 2 de novembro de 2013

    Vamos fazer uma mobilização para evitar a ocupação ilegal do maciço do Morro da Cruz, do Saco dos Limões, da Costeira, do Monte verde, dos ingleses, da José Mendes e outras tantas que vão ficar igual a São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, sim sou de Porto Alegre e sim sai correndo de Porto Alegre onde a violência esta demais a cidade esta suja, mas sejam manés, Gaúchos, Cariocas, Paulistas ou Paranaenses se estamos aqui é porque amamos esta terra e se nada fizermos vai ficar insustentável, mas façamos a coisa virada para o lado certo, na minha visão uma marina só vem a nós beneficiar, pois moro em Coqueiros em vez de brigarmos contra a marina vamos brigar para o tratamento do esgoto que desaguam em nossas prais em que outros anos eram tão lindas e frequentadas, eu moro na rua da praia do riso, ( Praia do Cagão) como é conhecida que lindo não, a sim mas é seu esgoto meu caro defensor de ideias antigas e o meu também que dão este lindo nome a esta praia, se tu ama Florianópolis, assim como eu amo vamos brigar por isto também.

  • Procoqueiros diz: 10 de novembro de 2013

    Em prol da transparência e para que todos facam seus comentários baseados nos fatos reais, transcrevemos abaixo o parecer feito pela equipe técnica que analisou o projeto:
    ” Recomenda-se a suspensão (para avaliação do cancelamento ou anulação) do alvará até a apresentação de um projeto alternativo que qualifique a paisagem e tenha seu uso adequado às questões ambientais; primeiro por entender que a área está encravada entre uma AVL e uma AVP; uma área verde de lazer e área verde privada, além de se tratar de um terreno que abrange parte da área de marinha e área de preservação permanente (APP). Diante do exposto e por considerar o local de interesse paisagístico, recomendamos, além de pareceres dos órgãos ambientais como FATMA, FLORAM, ICMBIO, IBAMA; parecer do IPUF para análise sob o ponto de vista das condicionantes da paisagem cultural e sob o aspecto de uso e ocupação do solo e sua relação com o Parque de Coqueiros, bem como seu impacto de mobilidade urbana. Pela importância de determinação de paisagem, tanto dos cones visuais apartir da Ilha, quanto da borda d’água da área continental, e o interesse social da comunidade local, entendemos que o projeto deva ser fruto de uma audiência pública para definição de condicionantes de projeto

Envie seu Comentário