Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Viagem à Europa - por Rafael Martini

20 de novembro de 2013 2
Rafael Martini / Agência RBS

Rafael Martini / Agência RBS

Presença de Anita

A catarinense Anita Garibaldi, a Heroína de Dois Mundos, é a única mulher a ter um monumento em sua homenagem em Roma. E olha que os italianos adoram um busto. No local estão depositados seus restos mortais. A companheira de Giuseppe Garibaldi é idolatrada no país, mas poucos sabem que ela é brasileira.

Aliás

Ao questionar um empresário italiano sobre a origem de Anita, ele tascou sem medo de errar: cubana.

Incidente

Durante a visita da comitiva catarinense à embaixada brasileira no Vaticano, um dos integrantes tropeçou num desses vasos de quase mil anos. Por sorte, a peça que caiu era de metal. Mas muita gente se assustou.

Emoções

Viúvo há poucos meses, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira admite a ansiedade para encontrar logo o Papa. Ele veio acompanhado pelo filho Alberto.

comentários

Comentários (2)

  • marcos diz: 20 de novembro de 2013

    Mais um trem da alegria com o dinheiro do contribuinte. E dá-lhe diárias.

  • carlos eduardo diz: 21 de novembro de 2013

    Bom dia, sr. Martini. Tá boa a viagem ao mundo civilizado?
    Li, gostei e compartilho: (governante sério existe!)
    A Coréia do Sul sempre se destacou na qualidade do seu ensino e nas iniciativas que unem inovação e educação. Agora o país anunciou que espera substituir todos os cadernos escolares e livros impressos por tablets até 2015. O investimento total será o equivalente a cerca de US$ 2,4 bilhões (quase R$ 4,1 bi). Com isso, os dirigentes sul-coreanos esperam que as crianças passem mais tempo conectadas, o que aumentaria as horas de estudo.
    Todo o sistema educacional também ficará armazenado na nuvem. As crianças poderão, então, acessar o material escolar em qualquer lugar a partir de seus tablets. É, até o momento, a maior integração do meio digital no ensino em todo o mundo.
    (…)
    Legal isto, não é mesmo?
    Fica aí uma referência para uma cidade que quer dizer-se pólo tecnológico.
    Aliás, o que o governo brasileiro gasta dos contribuintes com telefonia pública virou piada né? ninguém faz nada para combater o grande golpe ao erário com a depredação e a não existência de aparelhos também conhecidos como “orelhões”.
    E não é culpa do governo, a culpa é dos contribuintes submissos.
    Enquanto isto, nos países desenvolvidos, os aparelhos públicos de telefonia tem conexão com a internet…A copa do mundo servirá como uma oportunidade de publicidade internacional de más impressões dos nossos serviços públicos.
    Mobilidade, comunicação, áreas de esporte e lazer(PARQUES!), centros de eventos(com eventos !), cultura e arte serão colocados em xeque.
    Esperem e verão o reflexo que isto produzirá nos pacotes de viagens para a próxima década.
    Os investidores terão a chance de medir a capacidade receptiva e a estrutura de produtos oferecidos para a satisfação de turistas acostumados a gastar muito e viajar ao menos uma vez por ano para longe de seus países. E, voltar aonde agrade.
    Qualidade no atendimento, disponibilidade de táxis, sistemas digitais de suporte.
    Suporte de quê? informações! Em certas cidades brasileiras (visitem os roteiros da copa 2013,*sugestão) já tem painéis digitais em cada parada de ônibus, indicando o número do ônibus e a previsão de chegada no ponto.
    Um número de telefone para informar qual ônibus pegar para chegar ao destino desejado.
    Um aplicativo para encontrar no Google Maps, através do endereço, qual linha passa.
    Enquanto em outras capitais com administradores públicos incompetentes, há décadas não há sequer placa indicando o local de ponto de ônibus. Tem-se que adivinhar e rezar.
    Não há câmeras dentro dos ônibus.
    Não há placas laterais indicando a linha e o roteiro.
    Já passei mais de 30 minutos conversando com dois casais de idosos, turistas europeus em um suposto ponto de ônibus em uma praia chamada Canasvieiras, sob um sol escaldante, em pé!
    Pediam informações enquanto eu tentava explicar-lhes que melhor seria alugar um carro ou pedir um táxi. Mas nem táxis passavam, por incrível que pareça. Pleno verão. Nem parada, nem teto, nem bancos.
    -Embusteiros!, esbravejou el señor. No se tiene idea lo que passa al turista? De que necessita? Cómo andamos?
    Então perguntaram-me que opções de entretenimento (cinema, teatro, casa de show)haveria ali, em Canasvieiras, supostamente um ponto turístico.
    Expliquei-lhes que ali não havia nada disto, muito constrangido.
    O CIC estava fechado. Museus não atendem nos fins de semana. Planetário, então…
    Só praia, loja, restaurante,praia, hotel, loja, bar,praia, loja, loja, loja, enfadonho demais.
    Não havia eventos públicos, afinal, a cidade não é turística, é pesqueira?
    Aos 40 minutos já sentiam na pele o despreparo local. Banheiro? ai meu Deus!
    “-Tienem que pagar para usar en el comércio.” (Um casal espanhol e outro português)
    Pois, esperaram em pé, sem cobertura, assentos e nem placa por um transporte que não é como nos países sérios em que os impostos refletem serviços adequados.
    DIGAM-ME: Isto mudou? após décadas? então, de quê se gabam os lacaios?
    E dá-lhe dinheiro dos tolos para pagar uma administração pública inócua, impotente, incapaz.
    Que vergonha trabalhar com turismo em Florianópolis!
    Humilhante ficar diante de um cliente que só quer ter o prazer de usufruir e gastar.
    Mas, acaba estressado,cansado, inconformado, estupefato com esta precariedade primitiva.
    Que tal alugar cavalos? carroças? ou aquelas kombis dos peixeiros para receber os cruzeiros no trapiche…? Lembram?

Envie seu Comentário